O Anjo de Hitler

O Anjo de Hitler William Osborne




Resenhas - O Anjo de Hitler


11 encontrados | exibindo 1 a 11


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Robson 25/06/2013

Resenha de O Anjo de Hitler| Avaliação: 2,5 estrelas
Link da resenha no blog: http://www.perdidoempalavras.com/2013/06/resenha-o-anjo-de-hitler.html

Em O Anjo de Hitler, acompanhamos os dois jovens Otto e Leni em uma missão nada comum para adolescentes de sua idade. Otto, um garoto que fugiu da Alemanha e Leni, que fugiu de Viena, ambos fugindo dos nazistas e de suas crueldades, são encontrados pelo serviço de inteligência da Inglaterra para serem treinados e cumprirem a missão de sequestrar uma garotinha que pode ser a peça chave para derrotar Hitler. O que eles não esperavam, é que teriam de enfrentar obstáculos de mais e até mesmo lutar contra a morte.

A narrativa do livro me agradou bastante, o autor tem uma maneira bem detalhista de escrever, mas ele consegue fazer com que esse banho de detalhes não se torne enjoativo no decorrer da história. Além disso, essa descrição rica que ele utiliza me fez entender que antes de iniciar o livro, uma boa pesquisa história e local foi feita pelo mesmo. A maestria do autor na narrativa feita em terceira pessoa me agradou muito, principalmente pelo fato dele explorar os povs de ambos os lados, vilões e mocinhos.

Em minha opinião o livro ficou chato em alguns pontos pelo fato do autor discorrer sobre ações e diálogos desnecessários para o desenvolvimento da história e nesses pontos o livro acabou por se tornar um pouco cansativo. Digo isso por quê? Algumas passagens eram apenas alguns dos capangas de Hitler indo de encontro a ele, ou então os dos heróis tomando sorvete e isso ficou martelando na minha mente: Qual a real importância disso para a história? E quando cheguei ao fim do livro eu vi que a importância não existia, só serviu para ver mais adentro como era a convivência dos personagens.

Até a metade do livro, não temos muitas cenas de ação, nada que tire o folego de quem está lendo e isso meio que me decepcionou um pouco também. De um livro que tem a segunda guerra mundial como plano de fundo eu esperava muita tensão do começo ao fim, ação e todas essas coisas do tipo, mas pelo menos depois da metade eu fui recompensado com tudo isso e mais um pouco, algumas coisas que eu nem sequer imaginava que o autor teria coragem de fazer com seus personagens, que no final das contas, são apenas adolescentes.

Não tenho muitas coisas para comentar sobre os personagens do livro, mas posso dizer que adorei ambos. A única coisa que me irritou foi a ingenuidade de Otto em alguns momentos do livro, já Leni me agradou totalmente, pois o próprio Otto vivia receoso pensando que por ela ser uma garota, ela seria ingênua e medrosa, mas ela se provou totalmente o contrário.

O final do livro foi algo totalmente inesperado por mim, por mais que algumas coisas o autor já tivesse dado umas dicas de que seria do jeito que foi. A meu ver, foi um final daqueles de tirar o folego, em que o autor faz tudo que você não estava esperando e submete seus protagonistas a coisas totalmente inesperadas.

Apesar do final ser inesperado por mim e ter me surpreendido bastante os buracos não foram preenchidos e além disso o autor ainda fez o favor de deixar uma ponta no final indicando que houvesse um segundo livro. Isso, combinado com a falha do goodreads ao confundir a edição americana (Hitler’s Secret) com uma continuação, me fez pensar que eu teria respostas. Resumindo toda a situação: Eu escrevi a resenha pensando isso, postei, depois recebi um email com essa informação e agora estou aqui atualizando com a minha indignação sobre isso. Eu definitivamente estou muito decepcionado, o livro foi bom para passar o tempo, mas sendo um livro unico eu esperava MUITO mais, muito mesmo.

Editora seguinte fez um trabalho muito bom com a arte da capa, com a diagramação e principalmente com a tradução e revisão do livro. A única coisa que me decepcionou nesta parte foi o material usado na capa, o maldito soft touch (Sim, esse material me dá uma agonia sem fim, sem contar que a capa fica toda cheia de marcas de dedos).

Guys desculpem-me pela resenha gigantesca e eu espero que vocês gostem e eu sugiro que leiam o livro assim que puderem ok?
comentários(0)comente



tiagoodesouza 10/07/2013

O anjo de Hitler | @blogocapitulo
Oi, pessoal! Hoje eu vou comentar sobre um livro que envolve um período da guerra. Gosto bastante de livros que não focam exatamente na guerra, mas nas pessoas e histórias que ocorrem ao redor de algo tão grandioso. Já li vários livros assim, como "O menino do pijama listrado" e "O pacifista" , ambos publicados pela Companhia das Letras e resenhados no blog. E foi por isso que eu resolvi solicitar à editora Seguinte esse título para compartilhar minhas opiniões com vocês..

(...) Agora, ele tinha menos de duas semanas para encontrar e treinar agentes de primeira linha que conseguissem entrar na Alemanha - e sair - com a carga mais preciosa do Reich. Como isso era possível?
Página 15.

Ele conta a história de dois adolescentes. Um garoto alemão e uma garota austríaca que encontram na Inglaterra abrigo para os horrores da 2ª Guerra Mundial. Um ano depois de chegarem lá, o Primeiro-ministro Winston Churchill recebe uma informação que pode levar ao fim o governo de Hitler e, consequentemente, dar a vitória aos aliados. Mas ele não tem certeza de como proceder, pois seus agentes são conhecidos e os que não são estão mortos.

É então que ele tem a ideia de treinar dois jovens e enviá-los para a Alemanha para cumprir uma missão.

Somos apresentados ao garoto e a garota sem conhecer seus verdadeiros nomes. Isso foi uma sacada bem interessante do autor, porque a identidade de um agente do governo normalmente é anônima. E a gente, de fato, passa a conhecê-los melhor quando ganham uma nova vida ao serem recrutados pelo almirante MacPherson. O garoto não é mais um jovem do internato, desesperado para sair de lá por conta das brigas constantes com os colegas. A garota não trabalha mais na corrida de sangue, ajudando nos esforços de guerra em agradecimento a Inglaterra por tê-la salvado. Agora, eles são irmãos. Otto e Leni Fischer e precisam bancar o papel de nazistas perfeitos para resgatar uma menina chamada Angelika de um convento na Alemanha onde está sendo mantida e voltar com ela para a Inglaterra.

Talvez algumas pessoas se incomodarão com o fato dos dois adolescentes empreenderem toda essa jornada e passarem ilesos durante grande parte dela. Ou por não ser completamente cheio de ação. Vale lembrar o que eu disse antes: a história passa no período da guerra, mas não na guerra. Personalidades reais se misturam com personagens fictícios. No final do livro, há uma nota histórica do autor falando um pouco sobre isso.

A narrativa ocorre em terceira pessoa pelo ponto de vista de vários personagens, de Otto e Leni passando até por Hitler. Isso nos permite conhecer um pouco melhor seus sentimentos e a pincelar uma ideia de quem seja Angelika e as motivações por trás de seu resgate. Os parágrafos são sinalizados por aspas. O desenvolvimento é ágil, mas sem deixar de ser rico em detalhes. William não enrola; nos mostra o crucial e nos lança em outro momento importante da história.

Com um final surpreendente, o livro é uma ótima pedida para quem procura um romance jovem que não seja mais uma série. E são tantas as que existem por aí, não é?

"Quem é ela?", Leni perguntou depois de um tempo.
"Não sei e não quero saber. Nossa tarefa é tirá-la daqui são e salva o mais rápido possível, não começar a bancar os detetives."
"Mas você deve estar curioso."
"Não. Curiosidade faz mal", ele disse, mas Leni podia ver que não era verdade.
Página 137.

site: http://www.ocapitulodolivro.blogspot.com.br/2013/07/resenha-o-anjo-de-hitler.html
comentários(0)comente



Catarina 04/12/2013

Surpreendente, emocionante e chamativo!
Queria começar essa resenha contando o porquê de o livro ter me chamado a atenção antes mesmo de lê-lo.
Certo dia estava eu numa livraria, simplesmente apreciando livros e procurando alguns para minha lista da Bienal do Livro – Rio de Janeiro 2013, até que encontrei “O Anjo de Hitler’’ numa prateleira. Inicialmente o nome me chamou muito a atenção, pois sou fascinada por histórias da Segunda Grande Guerra, e também a capa, mesmo que meio emborrachada (daquelas que ficam com marcas de dedos após a leitura) eu a adorei, tem tudo a ver com a história do livro, tive que imediatamente adicioná-lo à minha lista e estava louca para encontrá-lo na Bienal, que foi onde o adquiri.
Quando peguei para ler, numa sexta feira, devorei-o em algumas horas e fiquei extasiada. Me surpreendeu em todos os sentidos, fez com que eu ficasse com aquela famosa "depressão pós-leitura".
A estória, como já mencionado, se passa em torno da Segunda Guerra Mundial, tendo como protagonistas Otto e Leni, dois adolescentes que fugiram para a Inglaterra, em busca de refúgio. Ambos perderam pessoas importantes e por isso tem motivos suficientes para ajudarem a Inglaterra, quando são convocados a voltarem à Alemanha em uma missão especial.
Leni é uma garota austríaca, judia e mesmo com apenas 14 anos, se mostra muito corajosa e inteligente. Otto é um garoto alemão, alto, habilidoso e inteligente também, apesar de, como qualquer ser humano, cometer suas ‘’burradas’’ ao longo do livro.
MacPherson, o almirante que propõe a missão de resgatar uma jovem menina que passou anos vivendo em um convento na Alemanha, treina os adolescentes antes de mandá-los ao país nazista.
Ao longo da missão, Otto e Leni se afeiçoam a Angelika, a garotinha de extrema importância, que acreditam que possa ser a "chave" para a vitória inglesa na Guerra. Mas pouco se sabe a seu respeito, além de que a menininha acha que pode ser um anjo, por todos sempre falarem que ela é uma criança muito especial.
Os três passam por diversos desafios, o que faz Otto e Leni se questionarem sobre o que é certo a fazer em relação à garota, afinal, ela é apenas uma criança. Juntos, eles descobrem segredos importantíssimos e acabam mudando os rumos da missão.
Confesso que esse livro me emocionou bastante, principalmente pelo fato de os protagonistas revelarem suas identidades somente no final. É emocionante também, sentir a relação que os três passam a ter ao longo do livro.
É superinteressante ver como William Osborne consegue relacionar a estória com a história, ou seja, os personagens fictícios com aqueles que realmente viveram a Segunda Guerra, como Hitler, seus agentes, etc, e também, como o autor conseguiu trabalhar o boato de Hitler ter uma filha perdida durante a Guerra.
Claro que o livro me desapontou em alguns aspectos, achei que o final poderia ser um pouco melhor trabalhado, mas mesmo assim, um ótimo livro. Surpreendente até no fato de parecer impossível dois adolescentes como agentes secretos, mas Osborne conseguiu fluir muito bem a estória.
Enfim, uma leitura mais do que recomendada.

site: http://abookatmidnight.blogspot.com.br/2013/12/resenha-o-anjo-de-hitler.html
comentários(0)comente



Roberta 23/12/2013

Bom eu realmente sou fascinada pela 2 guerra mundial, e esperava que esse livro alimentasse essa minha paixão, e em algumas partes realmente alimentou mas, em parte o livro muitas vezes deixa o leitor confusa com o que realmente esta acontecendo, eles passam muito rápido sem praticamente nehum detalhe, outra coisa que quero ressaltar é que em muitos casos o livro da mais valor para o que não é importante e deixa os detalhes de lado. A história em si é muito boa, a introdução de uma pequena paixão entre os dois protagonistas ajuda e muito, mas também não é muito bem explorado. Além do mais ao final o livro ao invés de revelar as soluções para os mistérios só abre porta pra mais perguntas, que pode muitas vezes ser intrigante se fosse uma saga mas como é um livro só, não fica bom. Pelo ao meu ver o livro é bom mas não era tudo que eu achava que era.

site: http://estante-literaria.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Beatriz B. 16/01/2014

É fã de 2° Guerra até em livro para relaxar? Você está no lugar certo.
Caros aspirantes de Segunda Guerra, caso não seja torne-se já, escolhi esse livro (porque eu quis), pois precisava ter resenha dele por aqui. Ele é perfeito tanto para quem gosta de histórias dinâmicas só para apreciar o tempo, quanto para fãs de livros densos quando procuram algo mais suave sem abandonar o tema pesado.

Boa parte das críticas negativas que li a respeito do livro foram de pessoas que esperavam algo impactante e se decepcionaram. Tendo isso em mente, eu iniciei o livro sem expectativas para não ficar julgando o tempo todo se está me agradando ou não. E afirmo que essa foi uma ótima decisão e me fez apreciar muito mais a obra, já que superou as expectativas, afinal, tudo o que viesse seria lucro. #dicadica.


Pois bem, o livro é narrado em 3° pessoa, mas o autor soube como nos manter ligados na história, sem aquela sensação de "intangível". E a cada iniciação de capítulo, a história vai para um foco diferente, então ou era 3° pessoa ou era 3° pessoa. Sim, o autor escolheu bem.

Enfim, como todos nós sabemos, e com "nós" quero dizer "bons apreciadores de história", a 2° Guerra foi marcada pelo uso de espiões dos "dois lados" da guerra. Especialmente crianças, já que levantavam menos suspeita. E isso também é um aspecto que caracteriza o livro, uma boa história sobre espionagem juvenil.

Certo, como todo bom espião possui uma identidade secreta, durante todo o livro não sabemos os nomes reais dos protagonistas, e são é revelado na última página, no último diálogo, literalmente, o que achei super diferente e instigante.


Otto (cujo nome real não sabemos) vive numa espécie de reformatório na Inglaterra, já que sua família foi capturada pelos nazistas e ele nunca mais teve notícias. Leni (insira nome verdadeiro aqui, quando você descobrir) vive com sua família refugiada e acolhida pelo governo inglês. Ambos só se conhecem depois que um sargento os convoca para ajudar na guerra, alegando terem de pagar a dívida que tinham pela ajuda do país.

Depois de algum treinamento, recebem sua missão: resgatar Angelika, uma menina de 9 anos que vive em um convento alemão de freiras. Eles não entendem porquê de a menina ser tão importante a ponto de definir o futuro da guerra, mas suas opções de escolha são limitadas (meio que inexistentes). Tudo que lhes resta e entrar no avião que os levará para Alemanha e depois manter o disfarce funcionando até entregarem a menina para seu superior. Mas há vários desafios e duras decisões que Otto e Leni passam. Muitos deles decidindo se permaneceram vivos. E ainda tem o conhecimento que ambos adquirem conforme se cinhecem. Tudo isso muda por completo seus planos iniciais. Mas o objetivo de salvar Angelika permanece.

O que mais chamou minha atenção foi toda pesquisa e preparo que o autor teve. É como se ele introduzisse sua história no passado. O uso de várias personalidades histórias, como os 'companheiros' mais próximos de Hitler, o mapa do local onde a história se passa e descrições da Europa da década de 40 contribuem para esse efeito. Junto com os diálogos precisos, eu fiquei imaginando o ótimo filme que esse livro daria (quem sabe por que o autor seja roteirista).

Mas um último aviso é não esperar muita veracidade sbre a política da época. A maior parte do livro se passa pelo ponto de vista de jovens e a escrita é voltada para o público juvenil. Então não espere uma Lista de Schindler. Leia para se divertir, sentir o suspense e se surpreender (assim espero), com as revelações.

Sobre o trabalho da editora: páginas creme, letra tamanho aceitável, mas pecaram nessa capa emborrachada. Eu enlouqueci minha mania toc de ficar limpando toda hora as marcas de dedos. Mas a mensagem que a capa passa só dá para entender por completo depois de ler e foi uma arte muito inteligente, congratulations.


site: http://soleitoressabem.blogspot.com.br/2013/12/livros-entre-linhas-o-anjo-de-hitler.html
comentários(0)comente



Maiah 16/06/2014

Decepcionante
Eu embarquei nessa história com grandes expectativas, eu adoro histórias que são ambientadas durante guerras, em especial a 2° guerra mundial, porque elas sempre trazem um apelo emocional muito grande, o que sempre me comove bastante. Mas eu não consegui me apegar a esse livro e nem aos seus personagens como eu gostaria. Apesar de torcer pelo bem das três crianças, a história em si trás muitas cenas exageradas e um pouco fora da realidade. Muitas coisas que aconteceram na história deixaram muito a desejar, pois eu apesar de saber que se tratava de uma história puramente ficcional, esperava algumas situações mais dentro da realidade. Afinal qual é a chance de três crianças escaparem dos homens de confiança de Hitler e de seus soldados? Mesmo Leni e Otto tendo passado por um treinamento durante algum tempo eu não acho que isso seja suficiente para derrotar as tropas nazistas. Por esse motivo algumas partes do livro acabaram se tornando surreais pra mim, o que não me agradou. E no final do livro que pra mim também deixou muito a desejar eu parei e me perguntei: Para que tudo isso afinal?.
O livro não foi de todo ruim, já que ele tem uma boa narrativa e personagens legais, mas eu esperava uma história mais emocionante e bem desenvolvida.
comentários(0)comente



Tenda dos Livros 05/02/2015

Resenha: O anjo de Hitler, William Orborne
Ao ler a sinopse do livro, imaginei que fosse me deparar com uma história extremamente juvenil, durante as primeiras páginas permaneci com esse pensamento, mas no decorrer da história, Osborne me surpreendeu com uma narrativa eletrizante.
Apesar de se tratar de uma ficção, a ambientação se desenvolve em plena segunda guerra mundial acontecendo a todo vapor. A partir daí o autor começa a narrar superficialmente a história de dois adolescentes que guardam na pele a marca da guerra. Uma é judia e conseguiu escapar do nazismo por pouco, mas infelizmente perdeu parte da família. O outro mesmo sendo alemão teve que enfrentar perigos para conseguir fugir da guerra e perdeu toda a família, que parecia ser comunista. Ambos vivem na Inglaterra. Para a surpresa dos jovens, o almirante MacPherson aparece em suas vidas com uma proposta surreal: resgatar uma menina de nove anos (Angelika), que vive em um convento na Alemanha. MacPherson não deixa claro qual o sentido desse resgate, apenas informa que com essa missão cumprida a guerra poderá tomar outros rumos. Com o sangue juvenil correndo nas veias, os adolescentes aceitam a proposta e partem para o treinamento, o que não demora muito, em pouco tempo eles já estão de volta à Alemanha, com identidade e nomes totalmente diferentes dos originais (Leni e Otto), uma tarefa a ser cumprida e uma memória extremamente dolorosa de tudo que sofreram ali.
A pergunta que não quer calar: Com tanta gente adulta e bem treinada na Inglaterra, por que escolher dois adolescentes? A missão tinha que ser impecável, se colocassem dois adultos para fazê-la, no momento da fuga seria muito mais fácil identifica-los. Afinal, quem iria desconfiar que duas "crianças" conseguiriam raptar outra e ainda fugiriam do país? Além da questão física, ambos moravam na Alemanha antes, conheciam o lugar e falavam alemão perfeitamente.

O início da história não me encheu os olhos, Osborne foi me conquistando aos poucos, ao chegar na metade do livro eu já estava devorando-o. Fui conhecendo cada vez mais os personagens e me encantando por eles. Uma coisa legal é que Leni e Otto não se conheciam antes da missão, então o leitor vai acompanhando o crescimento dos personagens e a relação desenvolvida por eles.
Esperava-se que Otto fosse extremamente forte e frio para cumprir a missão, ele demonstra fortaleza sim, mas acima disso, demonstra uma sensibilidade incrível. Leni parecia ser frágil, mas mostrou que gênero não quer dizer nada, lutou com garra e com uma força inesperada. Angelika, surpreendeu os jovens com sua coragem e nos encantou com sua doçura e inocência, ao ponto de acreditar que seria um anjo (quem poderia provar o contrário?).
Osborne me fez sentir como se eu fosse a quarta integrante dessa equipe, a fuga deles é repleta de surpresas, me prendeu de tal forma, que eu não conseguia parar de ler. Impossível não ficar na torcida.
O final foi muito diferente do que imaginei, me surpreendi muito com o rumo que o autor deu, mas faz todo sentido e ainda deixa uma margem para quem sabe, um segundo livro.

A narrativa acontece em terceira pessoa, o que dá uma visão bem apurada de todos os fatos e devaneios dos personagens. A diagramação e revisão está perfeita. Achei a capa bem legal e criativa, além disso, o livro vem com um mapa para o leitor situar-se durante a fuga, gostei também da forma como os capítulos foram divididos, faz com que a leitura fique leve e dinâmica.
Algo muito importante e que deve fica em evidência é que apesar do autor utilizar personagens e alguns acontecimentos reais, a história é totalmente fictícia, assim como Leni, Otto, Angelika e outros personagens.

Indico muito esse leitura, extremamente leve, dinâmica e agradável.

- Daiana Ayalla

site: http://www.tendadoslivros.com.br/2014/08/resenha-livro-o-anjo-de-hitler.html
comentários(0)comente



Felipe Miranda 09/01/2014

O Anjo de Hitler - William Osborne por Oh My Dog estol com Bigods
Um assunto que sempre me deixou ávido por mais detalhes foi a Segunda Guerra Mundial, não necessariamente fatos e relatos verídicos mas qualquer boa ficção situada nesse momento da história desperta meu interesse de imediato. O diário de Anne Frank é um dos meus livros prediletos, é tocante e transmite fielmente o quão longe foi a crueldade de Hitler. O Anjo de Hitler é inspirado em eventos e personagens reais e históricos como base, porém não passa de uma ficção. De qualquer forma, me acrescentou bastante em alguns pontos e me manteve vidrado por horas. Tenho a sensação que foi a aventura mais tensa que li esse ano, me desculpem pela resenha extensa mas se faz necessária.

O segundo homem mais poderoso de toda a Alemanha nazista acaba de chocar seus inimigos ingleses. Rudolf Hess, vice-Funher do Terceiro Reinado desertou secretamente de seu país e se entregou aos ingleses para organizar uma trama cujo objetivo é tirar Adolf Hitler do poder e salvar a própria vida. Seu plano mirabolante promete a queda propagandística do tirano e está centrado no sequestro de uma garota de 9 anos que está em uma ilha no sul da Alemanha sob os cuidados do próprio Hitler. O almirante MacPherson é o encarregado de encontrar agentes altamente competentes para entrar e sair da Alemanha com uma carga preciosa e inestimável que promete dar fim a Segunda Guerra Mundial. Eis, aqui nossos possíveis heróis:

Otto deixou a Alemanha após presenciar sua família ser leva pela Gestapo (polícia secreta do estado). Ele refugiou-se na Inglaterra e não sabe onde estão seus pais ou se ainda continuam vivos. Seu comportamento está longe dos padrões e ele é visto como um problema na escola que frequenta. Diante a possibilidade de deixar aquele lugar, ele aceita a missão sem pensar duas vezes. Leni é uma judia de 14 anos também refugiada. Há três anos ela viu o pai e irmãos pela última vez, não houve notícias desde então. Feita a proposta, ela está decidida a fazer algo importante que dê fim à guerra. Algo por sua família. Após semanas de treinamento e preparo físico, armas, paraquedas, máquinas e mapas, eles embarcam na aventura mais perigosa de suas vidas. A criança a ser resgatada, chama-se Angelika e vive em um convento localizado na ilha Fraueminsel, no maior lago da Baviera. Pouco se sabe, ou pouco foi informado aos jovens sobre a orfã, eles ganharam uma tarefa e irão cumpri-la.

Ao longos dos anos Angelika aprendeu a sentir-se feliz em passar a maior parte do tempo sozinha, em seu aniversário ela recebia presentes e a visita de um homem que nunca disse seu nome. Ela odeia o lugar, sente-se uma prisioneira e seu sonho é conhecer as montanhas. O homem mais temido da Alemanha, Reinhard Heydrich, chefe do Serviço de Segurança do Reich Hitler, com o poder de fazer qualquer um desaparecer sem deixar vestígios é escalado na missão de levar Angelika para um novo local. Hitler teme que Hess tenha revelado a existência dela para os ingleses. Descobriram um pouco tarde tudo isso...

A narração é feita em terceira pessoa e os capítulos intercalam-se. Acompanhamos Otto e Leni enfrentando os perigos e imprevistos da missão, Angelika no convento e na fuga, e toda a movimentação com a descoberta da traição de Hess e o sequestro da garota. Os primeiros capítulos são chatos e repleto de termos que possivelmente você não entenda. Reich, Funher, Gestapo, ss. Uma rápida visita ao Google me situou e me vi devorando páginas. Os capítulos são curtos e responsáveis por manter o ritmo de leitura bem rápido. As vezes sinto vontade de dar bons gritos ao ler uma cena fantástica, O Anjo de Hitler está repleta de momentos assim. Imaginem dois jovens de mentes brilhantes e dotados de uma coragem invejável munidos de metralhadoras e granadas dispostos a salvar não só a própria vida mas a de uma garotinha. Todo o país está em alerta a procura dos três, o temido Heydrich está pessoalmente comandando tropas de soldados. Em poucos mais de 48 horas Otto e Leni criaram um laço de intimidade tocante, depois de tudo que eles enfrentaram juntos, dois dias parecem uma eternidade. São dois personagens incríveis, é questionável a aceitação deles em topar algo tão perigoso, na verdade, nem eles poderiam esperar algo tão mortal. Mas poxa, é uma guerra, eles perderam entes queridos, a situação só piora, olhando por esse lado é uma atitude brava, digna e memorável.

Angelika é a cereja do bolo, aliás ela é a base, a cobertura, o recheio. A garota partiu meu coração toda vez que abriu a boca, ela é ingênua, frágil e se apegou aos garotos instantaneamente com a promessa que eles a levariam a conhecer seus pais. Uma tremenda sacanagem necessária. No decorrer das páginas ela passa a não ser mais vista como uma carga. Ela se torna a irmãzinha de Otto e Leni, a lembrança dos irmãos mais novos que ambos haviam perdido para a guerra. Uma mudança de planos é vista como opção, eles devem entrega-la a Inglaterra? Ou fugirem? Abandona-la? Leni é forte e destemida, Otto é corajoso e um pouco imaturo, a junção disso tudo pode salva-los ou os colocar de vez em perigo. O desfecho dessa jornada é de partir o coração dos mais insensíveis.

site: http://www.ohmydogestolcombigods.com/2014/01/resenha-o-anjo-de-hitler-william-osborne.html
comentários(0)comente



Andressa | @srtapeculiar 18/11/2016

O Anjo de Hitler
Um livro que é pouco popular e que eu recomendo pra todas as pessoas possíveis. Esse foi um dos melhores livros que li esse ano e se tornou um dos meus favoritos da vida ❤

Em 'O Anjo de Hitler' vamos conhecer dois jovens, Leni e Otto, que estão refugiados na Inglaterra por motivos diferentes. Mas, certo dia, ambos são convocados para uma missão nada comum para jovens da idade deles. A missão é resgatar uma garotinha chamada Angelika, que vive isolada do mundo num convento lá na Alemanha. Mas por quê eles querem resgatar essa garotinha? Porque ela pode ser o ponto final pra acabar de vez com a guerra.

William Osborne criou uma história pra ninguém colocar defeito. Sério, esse livro é muito bom mesmo. A história se passa durante a Segunda Guerra Mundial, e o foco é todo voltado pra Angelika, que tem muita importância nessa guerra. Só que durante a leitura, sempre fica no ar quem realmente é a Angelika, e porquê ela é tão importante assim.

A capa do livro é incrível. A idéia de colocar a sobra da Angelika com essa águia foi sensacional. A história conseguiu me prender do começo ao fim, e quando terminou, deixou aquele gostinho de quero mais. Tudo é muito bem desenvolvido, e você vê os lados de todos os personagens da história. Tipo, enquanto estava acontecendo isso com esses personagens, com aqueles estava acontecendo isso e isso. Amo essa dinâmica, porque te dá o prazer de ver todos os lados da história. Enfim. Super recomendo esse livro.
comentários(0)comente



estante.da.gabi 05/02/2019

O anjo de Hitler 👼
⚡️Verão de 1941. A Segunda Guerra Mundial está em curso. Otto, um alemão refugiado na Inglaterra, e Leni, uma menina austríaca judia, achavam que estavam a salvo na Inglaterra mas o governo britânico os convoca para uma missão ultrassecreta. Enviados além das linhas inimigas, eles devem resgatar uma garota de nove anos que vive em um convento na Alemanha e pode ser a peça-chave para a derrocada de Hitler. Eles embarcarão na maior jornada de suas vidas, repleta de tensão, perigo e aventuras.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⚡️Quem será essa garota? Que perigos eles vão enfrentar nessa aventura? O que será que pode acontecer? Bom, só lendo o livro pra entender, hahaha.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⚡️Neste livro, conseguimos conhecer um pouco da Alemanha nazista e também de como funcionavam os esquemas de espionagem numa época tão sombria, só que na visão de duas crianças.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⚡️Pois é....mais um livro focado em crianças. Um livro que eu achei que seria infantil demais, mas acabou se mostrando uma história incrível e o final...surpreendente. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⚡️Não me imaginei chorando tanto com esse livro, em que mais uma vez a ingenuidade é posta em primeiro plano.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⚡️Otto e Leni são crianças profundamente marcadas pela guerra, já que tiveram suas vidas afetadas por ela. Salvos pelos ingleses, sua missão é de peso para eles, pois pode definir o rumo da guerra e evitar que mais coisas ruins aconteçam.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ “Eles têm razão, claro. Toda vida inocente é sagrada. E no minuto em que esquecemos isso, é uma descida escorregadia até o inferno.”
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⚡️Recomendo o livro para todos os amantes desta temática. Garanto que se comoverão com a história ao mesmo tempo em que se apaixonarão por essas crianças 💛

site: https://www.instagram.com/p/Bnbm2o1HOfR/?utm_source=ig_web_copy_link
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11