Os Persas, Electra, Hécuba

Os Persas, Electra, Hécuba Sófocles
Ésquilo
Eurípides




Resenhas - Os Persas * Electra * Hécuba


1 encontrados | exibindo 1 a 1


Willamy 16/01/2020

Hécuba, de Eurípides (na tradução de Mário da Gama Kury).
Eurípides construiu um texto simplesmente lapidar: cada palavra tem sua razão, cada fala de cada personagem o define da maneira simultaneamente mais rica, mais clara e mais sucinta.

A tradução de Mário da Gama Kury é um texto excelente. O tradutor soube escolher as palavras com maior força expressiva, palavras cheias de evocações sutis e imagens. Vejamos três exemplos:


Hécuba, ao não conseguir, com sua fraca retórica, impôr sua vontade ao poderoso Agamêmnon, reclama de não conseguir "preponderar".
Preponderar = pre + ponderar ("pesar à frente de") e assim derrotar = de + rotar, (isto é, obrigar a desviar-se da rota). A frágil Hécuba, claro está, não é capaz de preponderar, pois seu peso estava nas relações abstratas que foram destruídas junto com Troia.

As cativas do coro chamam Páris "desastroso" (des + astro +oso).

Hécuba fala de sua "desdita" e não de sua "tristeza", "desgraça" ou "miséria":
Desdita = des + dita. Porque ela foi feliz (ditosa) e deixou de ser.


Essa tragédia fornece grande peso aos quatro últimos versos de "Fortuna Imperatrix Mundi":

Rex sedet in vertice
Caveat ruinam!
Nam sub axe legimus
Hecubam reginam.


O rei senta-se no ápice:
que ele tema a ruína!
pois sob o eixo lemos:
"Hécuba rainha".
comentários(0)comente



1 encontrados | exibindo 1 a 1