Freud me segura nessa!

Freud me segura nessa! Laura Conrado




Resenhas - Freud me segura nessa!


9 encontrados | exibindo 1 a 9


Hosana.Barros 18/02/2019

Desenvolvendo sua vida adulta
Eu não entendi porque esse livro está cotado como infanto/juvenil. Achei um livro bem adulto.
A Catarina está se desenvolvendo como adulta. Mas ela conta com a ajuda de uma terapeuta para indicar como está indo e apontar possibilidades. Isso enquanto se refaz de uma traição, organiza suas finanças, planeja seu futuro e vive as amizades.
Eu achei a narrativa envolvente. As frases cativantes.
Gostei muito da leitura.
comentários(0)comente



@aangeladani 08/08/2015

A continuação de "Freud, me tira dessa!" também foi muito interessante, divertida e repleta de "lições" pra fazer a gente pensar.

Nossa intensa Cat está vivendo novas experiências e está mais madura em determinados aspectos, mas ainda cheia de conflitos internos pra resolver. Morando em Nova York, com um ótimo emprego e cercada de amigos, ela precisa lidar com a distância da família, com o seu velho e conhecido hábito de correr riscos, e também com certos "traumas" (leia-se: chifres, rs) bem atuais... Mesmo postergando e até fazendo um pouco de "vista grossa", Catarina sabe que precisa entender a si mesma e sabe também que a terapia pode novamente ser a sua aliada neste processo.

De forma leve - mas sem ser superficial -, a autora consegue interagir com o leitor através da personagem, pois existe mesmo essa questão da gente acabar se identificando com as coisas que ela vivencia. Recomendo que os livros sejam lidos em ordem, pra não estragar a graça das surpresas. Esse é um chic-lit nacional dos bons, que foi divertido e, ao mesmo tempo, " intenso" à sua maneira, tal qual a personagem Cat, e eu gostei muito de acompanhar sua trajetória.

Terminei esse segundo livro ainda sentindo um "gostinho de quero mais"... E aí, Freud? Será que vai rolar?rs

Nota: 3/5 (bom)
comentários(0)comente



Julio Roberto 30/06/2015

uma leitura num momento de reflexão
Podemos dizer que esta estoria, faz parte de nosso cotidiano, pois me emocionei, lembrei de varias passagens da minha vida, agradeço a escritora por compartilhar mais esta historia
comentários(0)comente



Paola 21/05/2015

Freud Me Segura Nessa! é a continuação do Freud, Me Tira Dessa!, da autora Laura Conrado. E sim, excelente!

Catarina está mais velha, com novas oportunidades e desafios. Ela agora está em fora do Brasil, em Nova York, e precisa aprender a se virar. Longe dos pais, amigos e algum conhecido fica sempre mais difícil. Mas a nossa protagonista se sai muito bem!

Ela está com um novo emprego, na área que gosta e se dedica muito para obter sempre excelentes resultados. Catarina mostra que para conseguir alcançar seus objetivos profissionais é necessários traçar metas e se dedicar.

No amor ela ainda está um pouco confusa. Afinal, os traumas do passado ainda interferem, e muito, em suas relações afetivas. Ela acaba namorando Nick, um cara lindo que conhece no primeiro dia em que chega a nova cidade. No entanto, não dá certo, e mais uma vez a decepção toma conta do seu coração. Como resolver isso?

"Depois de alguns tombos, nos tornamos mais fortes." pág.186

Cat recorre ao pai da psicanálise para sentir-se mais segura de si e resolver seus problemas internos. Além do amor, a vida adulta exige abandonar velhos hábitos para que as coisas andem, caminhem para melhor. E com muitas dúvidas em sua cabeça, ela resolve, mais uma vez, fazer terapia. O que a ajudou muito.

Laura escreveu de forma leve e divertida o que acontece com todos nós. Afinal, quem nunca se decepcionou com alguém? Seja namorado, amigos, família ou emprego? Quantas dúvidas surgem em nossa mente no dia a dia que temos dificuldades de saber a resposta? Isso é constante!

O livro, além de proporcionar boas risadas, te faz refletir sobre temas corriqueiros. Que vivências passadas refletem no seu futuro, de forma positiva ou negativa. É uma leitura leve, mas com grandes ensinamentos!

"...a gente só suporta as coisas quando vê sentido nelas." pág. 249
comentários(0)comente



Sally 15/01/2015

E segurou!
Á primeira vista, parece uma cópia barata de Bridget Jones. Mas, logo elas se separam. Cat, desejava muito amadurecer, Bridget de forma distraída vai acertando os passos na vida. No primeiro livro "Freud me tira dessa", Cat se apaixona pelo analista, perde amores para outras (inclusive sua irmã) e resolve problemas com sua mãe. Desempregada, no segundo livro ela vai tentar a sorte em Nova York. De cara, um namorado e é aí que os problemas começaram. Ela então conhece a psicanalista brasileira Sofia e as conversas de consultório representadas no livro são ótimas. De fazer refletir. Com seu amigo Fernando, a atriz Emma e a puritana Candice, Cat divide o apartamento, a vida, as expectativas e como o leão (coragem), o homem-de-lata (coração) e o espantalho (Cérebro), a nossa Dorothy vai administrar os sonhos dos amigos (meio Amélie Poulien). Vale muito a pena. Clichê!? Talvez. Super indico.
comentários(0)comente



Maiara 17/12/2014

Uma sessão de terapia
Espero que o título esteja interessante, porque foi exatamente assim que me senti depois que terminei de lê-lo. QUE LIVRO FANTÁSTICO (sim, precisava ser em caps lock)! No segundo livro da série de Freud, vemos Catarina, ou Cat, mudando pra encarar seu mais novo desafio: Nova York. No decorrer do livro, somos pegas de surpresa com as atitudes de Cat, torcemos e sofremos por ela, simplesmente porque é uma personagem encantadora e real. Sim, real! Ela poderia ser sua amiga (ou até se parece com alguém que você conhece).

É incrível o amadurecimento dela ao longo da história, e amadurecemos juntos. As lições que o livro te dá, sem ser maçante ou forçado, foi o que me fez sentir como se tivesse acabado de sair da terapia. Este livro me fez refletir muito (mui-to) sobre a minha vida, e deu pra perceber que todo mundo tem um pouquinho de Cat. Até agora não o superei, pois ele me levou a tantas conclusões sobre eu mesma!

O final, com um gostinho de quero mais, foi perfeito. Confesso que não queria que fosse bem daquele jeito, mas sei que Laura reserva o melhor pra nossa Cat. Mal posso esperar pelo terceiro (diz, por favor, que terá um terceiro!). O primeiro já foi muito bom, mas este foi muito melhor!
comentários(0)comente



Nanda 28/10/2014

Welcome to New York, Cat!
Geralmente sou chata com livros nacionais, mas que se passam fora do Brasil, às vezes ocorrem uns escorregões tensos. Felizmente, não foi o caso da Laura na continuação de Freud, me tira dessa!. Em Freud, me segura nessa!, Catarina está em NY, depois das suas aventuras quando esteve apaixonada pelo terapeuta.

A escrita da autora evoluiu muito de um livro para outro, foi fácil ver o amadurecimento da Laura na construção das cenas e da própria personagem. Catarina continua, praticamente, com o mesmo jeito, mas é isso que faz dela tão notável. Acho que no fundo todas nós temos um pouco da Cat. (Aliás, #SomosMuitoCat). Alguns personagens do primeiro livro retornam e outros são adicionados. Não quero comentar muito para não dar possíveis spoilers.

Eu tenho uma queda, na verdade uma avalanche, por NY. Começou quando assisti Gossip Girl e desde então todo e qualquer livro, filme, série, que se passa lá me conquista de cara. Não foi difícil cair de amores pela história da Laura. Ela soube utilizar doses certas de humor, romance e um pouquinho de tristeza, cada uma dando um tom único na narrativa.

Foi impossível não cair na gargalhada com alguns termos utilizados, como jegona. E eu me identifiquei mais com Cat em Freud, me segura nessa! do que no primeiro. Temos idades diferentes, mas pensamentos parecidos, além das atitudes (nem comento sobre o temperamento rs). Além disso, Laura narra tudo com a maior naturalidade possível, nenhuma das cenas soou forçada ou fora de contexto. A ambientalização foi muito bem explorada, faz com que o leitor se sinta em NY, sabe?

Os pontos reflexivos continuam presentes, algumas partes muito especiais sobre um problema antigo de Cat com os pais são mostradas e eu segurei forte a vontade de chorar. Fora isso, o humor reina no livro, não tinha como ser diferente. Eu penso que Catarina reúne o melhor (e o pior) do que (praticamente) toda mulher é. Ela se entrega fácil e sente demais, se importa demais e isso é muito legal, porque é realista.

Terminei a história com um gostinho de quero mais (e espero que tenha!), soltando suspiros e profundamente feliz. Laura conseguiu, mais uma vez, me conquistar. Freud, me segura nessa! é inspirador, divertido e perfeito para ler de um dia pro outro (fato comprovado). Aconselho embarcar nele.

site: http://www.entrelinhascasuais.com/2014/10/resenha-freud-me-segura-nessa-laura.html
comentários(0)comente



Ceile 21/08/2014

Muitas pessoas conheceram a escrita da Laura através do seu primeiro livro Freud, me tira dessa, mas eu acabei fazendo o caminho contrário e comecei pelo último livro - apesar de falar da mesma personagem, a história é independente, narrando do começo ao fim uma fase da protagonista. Claro que, provavelmente, quem lê na sequência, já está mais familiarizado com os personagens e os dramas da vida de Cat, mas isso também não demora para acontecer aqui, graças à naturalidade da narrativa que nos coloca na vida dela em poucas páginas. Alguns spoilers durante a leitura são inevitáveis, mas acredito que não me atrapalhará a leitura do livro anterior.

Como um bom chick-lit, o livro tem seus momentos clichês, mas a autora não deixa de surpreender com reviravoltas inesperadas. Quando eu achava que daria certo, deu errado; quando achava que daria errado, deu certo. É interessante este vai-e-vem da história, algo bem próximo da realidade - não tem aquele momento "felizes para sempre", não com o "sempre", pelo menos, já que a vida é uma constante e coisas boas e ruins acontecem o tempo todo. Alguns livros tem seu momento "daqui em diante as coisas começam a se ajeitar" e é possível ver esta mudança em Freud, me segura nessa!, porém, elas não se mantém ajeitadas, já que mais coisas acontecem e novos problemas surgem na vida de Cat.

É muito engraçado acompanhar tantas mudanças na protagonista em apenas 270 páginas. Temos o deslumbramento com sua nova posição profissional, suas ambições, sua nova paixão e, entre tantas coisas boas, temos a vida real - é, de estável a vida dela não tem nada. Novas descobertas significam novas dúvidas e, com elas, mais confusões. Logo Cat sente a necessidade de fazer terapia. Apesar de poucas aparições, sua terapeuta é fundamental para auxiliá-la nas tomadas de decisões, ajudar a amadurecer e olhar para o outro. Esse foi um ponto que senti muita falta nela: o altruísmo. Dava a impressão que ela só conseguia olhar para si, julgando outras pessoas (por mais vacas que fossem), mas antes de ter a oportunidade de conhecer, de fato, o outro. Mas aí tem a parte maravilhosa dela convivendo com pessoas bem diferentes dela e fazendo a diferença na vida daquela galera. Esses novos amigos ganharam um lugar no meu coração ?

Freud, me segura nessa! é um livro ágil e gostoso de se ler, do tipo que te faz ficar apegado aos personagens e desejar um livro só deles, além de passagens divertidas, o que dá leveza aos dramas vividos pela protagonista. Sem dúvidas, recomendo muito a leitura. Um chick-lit com jeitinho brasileiro, que faz a gente se enxergar na protagonista - Cat é um pouquinho de cada mulher e a identificação é inevitável.

site: www.estejali.com
comentários(0)comente



Luke 02/05/2014

Resenha de "Freud, me segura nessa!" #2
Não tem como estar mais feliz ao ver a continuação de um livro que você gostou tanto. Quem estiver lendo esse livro, eu espero, provavelmente já tenha lido o primeiro, então sabem o que estou falando. Laura Conrado traz a continuação da tão amável Catarina, é inevitável dizer que me arrancou muitas gargalhadas.

Catarina está em Nova York. Uma nova vida, novos ares e novas responsabilidades. Contratada por uma nova empresa, sua vida está de cabeça para baixo por enfrentar um choque de novidades. Novas paixões são despertas e como sempre, ela chamará o tão paciente psicanalista Freud para ajudá-la com várias situações. Um novo capítulo em sua vida com decepções, aprendizado e acima de tudo, Catarina terá a oportunidade de se descobrir e saber quem é ela e o que ela pode se tornar.

Esse livro me deixou claro o que a autora quis passar tanto no primeiro livro quanto nesse. O primeiro foi apresentado os problemas sentimentais de Cat, suas dificuldades e como é o histórico da personagem dos motivos de só escolher os caras errados. Nesse segundo é mostrado a nova etapa da personagem com sua independência e a auto descoberta, de problemas que ela nunca pensou que tinha, mas estava ali guardado no canto do seu coração. O seu passado vai ser exposto e ela é confrontada de forma nua e crua. Terá a oportunidade de mudar e consertar o que foi feito de maneira errada.

Cat é uma personagem com uma personalidade muito forte. Independente e dona de si, faz com que tudo se alinhe da maneira dela, na vida não é dessa maneira que a banda toca. Seus relacionamentos que ela imagina como um filme romântico do Nicholas Sparks, é mais para um drama da Lesley Pearse. Caras irresponsáveis, mentirosos e não quer nenhum tipo de compromisso é um dos perfis que se enquadra no histórico dos homens que entraram na vida dela.

Vários conflitos são mostrados tanto para Cat quanto para outros personagens que estão ao redor dela. Esses conflitos foram ideais para o livro ser recheado de situações que me fez ficar grudado para descobrir como seria o desfecho. Personagens antigos e novos estão nesse livro.

A escrita da autora evoluiu muito em comparação com o primeiro. Tanto na construção do enredo, pelos conflitos e seus desfechos, diálogos bem elaborados. Laura também joga o livro para o lado do humor de maneira sensacional, os diálogos e situações são feitas de maneira que realmente faz com que o leitor ache graça e arranca gargalhadas. A escrita também é bem objetiva, sem firulas desnecessárias.

Para quem é fã de chick-lit esse livro já pode estar na sua estante e na sua lista. Humor e drama juntos de maneira que fará com que o leitor se envolva com os personagens e também se identifique, pois Cat é uma mulher moderna como outra qualquer e passa situações bizarras ou normais como as mulheres da modernidade passam. Amei esse livro e já quero o terceiro!

site: http://eucontodepois.blogspot.com.br
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9