História da Psicologia Moderna

História da Psicologia Moderna Duane P. Schultz...




Resenhas - História da Psicologia Moderna


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Ro 27/05/2015

É um ótimo livro pra quem está iniciando na ciência da psicologia. Recomendo.
comentários(0)comente



Bruna 13/01/2014

Cap 1
Tudo começou com os filosofos que questionavam nossas humanidades.

Cap 2
O Zeitgeist da época era o mecanismo. O expoente era a Alemanha.
Fascínio por maquinários, revolução industrial. Isto fez com que acreditassem que o ser Humano também era uma máquina.

Pensadores:
Descartes
Locke: A qualidade primária (sensorial) do objeto existe nele mesmo. Ex: cheiro da flor. A secundária também existe por que eu posso sentir seu cheiro e isso vira uma experiência.
Berkeley: a qualidade primária não existe, o cheiro da flor não está na flor , mas sim nos meus sentidos. Só eu posso ter a experiência do cheiro da flor.
Hume: a sensação e percepção formam ligações complexas formando pensamentos.
Hartley: Todo o comportamento humano é baseado em associção.
James Mill: Acredita que a associação é um processo passivo, não criativo, apenas uma soma de elementos. Somos máquinas.
John Stuart Mill: Mente ativa na associação. Sempre gera algo novo e não algo previsível como dizia seu pai.

Correntes da época:
Positivismo – (XIX – Comte) só o conhecimento produzido pela ciência é válido, o metafísico e ilusório eram rejeitados. Anti-metafísico
Materialismo – Tudo poderia ser explicado em termos físicos e biológicos
Empirismo – Como a mente adquire conhecimento. Experiências sensoriais registradas durante a vida.
Determinismo – Todo acontecimento é determinado por eventos passados
Reducionismo – Método de análise.Redução dos componentes básicos, ver como funcionam e interagem. Como se fosse autópsia.
Associacionismo – associação de experiências sensoriais que se transformam em uma idéia complexa.
Mentalismo – Vai contra o que Locke diz sobre a qualidade primária “ ela está no próprio objeto”. Diz que isso não existe, só existe quando sentimos o objeto ( qualidade secundária)


Cap. 3
Influências fisiológicas.
A natureza subjetiva huimana teve que ser considerada nas ciências, pois um objeto estudado nunca era exatamente descrito por 2 observadores.
E então os fisiologistas começaram a estudar as sençações, isto foi o pontapé inicial para o nascimento da psicologia.
•Descoberta do comportamento reflexo c/ experiências
A visão ainda era mecanicista (corpo máquina). A alemanha tinha o zeitgeist para a experimentação.
•Weber, medição de sensações  Visual usa menos razão do que muscular
Wundt foi fndados, mas várias obras de outros fisiologistas deram base para que se formasse esta nova ciência.
Com testes de laboratório COMPROVAM O SUBJETIVO. O peso para cada um é julgado de um jeito (+ pesado,+leve)
Wundt só foi fundador da psicologia ao invés de Fechner por que divulgou. Queria compreender o relacionamento entre o mundo mental e o mundo material.


Cap. 4
Os estudos de laboratório prosseguiram e mais de um século depois, viram que Wundt estava errado.
Tichner que era aluno de Wundt traduzia seus livros e manipulava o que estava escrito. Então o que foi ensinado nas escolas neste meio tempo sobre o estruturalismo era mais mito do que verdade.
comentários(0)comente



Cassia 28/01/2013

O livro é muito bom, mas historia não é comigo.. não deu! x.x
comentários(0)comente



Thaís 30/10/2012

O tema central deste livro, cuja nova edição foi totalmente revisada e conta agora com cerca de 150 novas referências bibliográficas, é a história da psicologia moderna, mais especificamente do período que se inicia no final do século XIX, concentrando-se nas questões diretamente relacionadas com o estabelecimento da psicologia como um novo e distinto campo de estudo. A obra aborda também a história da psicologia com enfoque nas pessoas, nas ideias e nas escolas de pensamento, enfatizando a sequência evolutiva das abordagens que definiram a psicologia ao longo dos anos. As seções "Texto original", que reproduzem trechos dos textos de importantes figuras da história da psicologia, estão mais claras e abrangentes. São mais de dez nomes que representam todo o período da evolução da psicologia moderna. Os capítulos contêm ainda temas para discussão e listas comentadas de leituras. Os termos importantes estão em destaque no decorrer do texto, assim como suas definições, que também podem ser encontradas no glossário ao final do livro. Esta nova edição traz, ainda, no início de cada capítulo, uma "abertura provocativa", ou seja, uma breve narrativa desenvolvida a partir de uma pessoa ou evento que tem o objetivo de introduzir o tema principal ali tratado. Essas seções definem prontamente o assunto e transmitem ao aluno a ideia de que a história que está sendo contada é sobre uma pessoa verdadeira, em situações reais.
comentários(0)comente



pablo 08/04/2012

Livro Ruim
Acho este livro ruim porque insiste numa fórmula desgastada para contar eventos que não são ou não foram relevantes para a pesquisa (geração de conhecimento científico básico ou aplicado) sobre cérebro, mente e comportamento. Ao invés disso trata da história das opiniões de como deve ou deveria ser a Psicologia. Um título mais adequado seria "História das Doutrinas Epistemológicas e Metodológicas da Psicologia". Essas doutrinas são/foram: o behaviorismo, o humanismo, a psicanálise, a psicologia analítica, gestalt, etc, enfim, as famosas e surradas "abordagens". Por isso um outro título adequado para o livro seria algo como "História Abordagenista da Psicologia", com todos os chavões que os estudantes de psicologia brasileiros já conhecem bem.
Se você espera ler um livro sobre como psicólogos criaram modelos científicos para explicar e métodos para estudar fenômenos psicológicos como:
§memória;
§personalidade;
§agressão;
§emoções;
§interação social;
§estresse;
§motivação;
§inteligência;
§percepção e atenção;
§consciência;
§relação sono-aprendizado-memória;
§comunicação, linguagem e comportamento verbal;
§comportamento não-verbal;
§psicopatologia;
§variáveis genéticas e hormonais;
§psicologia aplicada;
§métodos de medida (básico para qualquer coisa ser dita científica),
NÃO COMPRE ESTE LIVRO. Se você não quer um livro altamente 'biografista', com grande ênfase em episódios de pretensos "grandes nomes", este livro não é adequado para você. Mas se você quer ler estórias e acha que a psicologia é um conjunto de doutrinas polemistas cada qual com suas opiniões sobre o que é ciência, então talvez o livro possa agradá-lo.

Fernanda Cunha 29/06/2017minha estante
Olá Pablo, bom dia,

Você teria algum livro para indicar "sobre como psicólogos criaram modelos científicos para explicar e métodos para estudar fenômenos psicológicos"?

Até mais,


Jefferson.Machado 18/08/2019minha estante
Gostaria de uma indicação de livro que fizesse o que você propõe.




Antônio A 17/04/2011

Lixo.
Este livro é uma porcaria, é cheio de erros e de graves falhas acerca das teorias psicológicas.
comentários(0)comente



Tatiana 27/02/2010

Li no primeiro semestre da faculdade. Foi tão marcante para mim que assim que me formei comprei um exemplar da nova edição. O livro que mais empolgou e impressionou durante a minha formação... Adorei!!!
comentários(0)comente



ninha_=) 11/05/2009

Este livro é muito importante para quem esta começando o curso de Psicologia, pois abordo a história desta ciência, sua origens, quais teorias foram originadas e a aplicação da psico na atualidade. Apesar de ser bem chatinho -detesto historia, principalmente voltada para a filosofia- este é um livro que, sem dúvida alguma, não deve faltar na estante de um estudante de psicologia...
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8