Hunted

Hunted Meagan Spooner




Resenhas - Hunted


9 encontrados | exibindo 1 a 9


Fernanda.Granzotto 24/05/2021

3,5 estrelas
Áudio-livro!
Lê como um conto de fadas!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Carous 14/07/2017

Leiam, comprem exemplares e deem de presente pros amigos
Tem uma história maravilhosa? Tem, sim, senhor. Tem personagens encantadores? Tem, sim, senhor.
De todos os livros que li recentemente com uma versão atualizada de A Bela e a Fera, Hunted é o que considero o mais bem feito. Fico feliz que todos tentem contornar o problema principal que é romantizar a Bela ser refém da Fera da versão original (francesa) e do filme da Disney, de 1991, mas acabou que todos eliminaram um ponto problemático para colocar novos. Exceto Hunted.
Não sei quanto aos outros escritores, mas a inspiração de Meagan Spooner não surgiu quando o projeto de live-action da animação foi anunciado. Na parte de Agradecimentos – primeira vez que li isso na vida porque eu simplesmente não queria largar o livro de jeito nenhum! – ela nos conta um pouco do processo. No fim das contas, a animação da Disney foi o suficiente porque escrever um livro a partir dessa história foi uma ideia que ela teve quando era criança. Começou a rascunhas os primeiros capítulos aos 20 e poucos anos até que considerou aquilo tudo uma grande bobagem para seguir em frente.
Felizmente para nós, ela mudou de ideia.
Eu acho muito difícil resenhar sobre livros que amo. Normalmente só quero escrever o que senti (fangirling) e colocar em letras garrafais: LEIAM, POR FAVOOOOR!!!! (Mas, sério, leiam este livro, por favor. E aconselhem seus amigos e inimigos a fazerem o mesmo).
Aqui a Bela se chama Yeva. Desde o começo do livro ela dá sinais de que se sente só mesmo quando está entre amigos e família. Esse detalhe é muito importante para entender a conexão entre ela e seu capturador. Yeva sente que não se adapta ao mundo na cidade, às etiquetas, às conversas da nobreza e a caça por marido. Bem parecido com o sentimento de não pertencimento da Bela do filme de animação, não? Ela sente falta de caçar, de estar na floresta montando armadilhas para pegar animais, de usar suas armas de caça, de não precisar usar vestidos longos e penteados complexos.
O livro é narrado em 3ª pessoa, exceto no começo de cada capítulo que muda para 1ª pessoa afim do ponto de vista da Fera ser mostrado. Não são longos - raramente têm duas folhas -, mas são essenciais porque quebram a mesmice do livro. Salvo nesse momento, a história é centralizada unicamente em Yeva, sua vida e seus sentimentos em relação a todos os eventos. A Fera só aparece quando está com ela – sem que o que se passa em sua mente seja exposto -. Esse artifício da Meagan nos leva a formar uma opinião sobre a criatura e simpatizar ou não.
A história não tem nenhuma reviravolta. Isso pode decepcionar o leitor fanático por aventuras. Eu particularmente não vi nenhum problema do livro seguir a versão francesa, da animação e do live-action: Fera foi enfeitiçada e Bela é a única capaz de libertá-lo. É isso, essa é a história. O que diferencia das demais é a inserção do folclore russo.
Se o leitor está esperando algum plot twist, que a máscara de algum personagem caia, não espere.
Apesar de se sentir um peixe fora d’água, Yeva é muito amada por sua família composta pelo pai e suas duas irmãs mais velhas. De novo, diferente da versão original, as irmãs não são personagens fúteis que tornam a vida da personagem desagradável. Não, elas são muito unidas e jamais fariam algo para machucar a outra. Yeva as menciona sempre com muito carinho e entra em conflito pensando no bem da família quando está aprisionada no castelo da Fera embora ali ela esteja livre das etiquetas, das conversas e das roupas requintadas.
A má notícia é que não existe versão traduzida para o português deste livro, e eu não faço ideia se alguma editora comprou os direitos para fazê-lo. Eu espero que sim. Honestamente estou quase traduzindo eu mesma e batendo na porta das editoras para implorar que publiquem aqui no Brasil.
Porém no site da Saraiva tem como encomendar a versão em inglês. Se você leu a resenha, se interessou e sabe inglês, compre sim e divirta-se. Verdade que não teremos Yeva e Fera dançando no salão de festas ao som de “Sentimentos são”, mas temos o epílogo que vale mil cenas dessa.


site: https://www.instagram.com/shiuestoulendo/
comentários(0)comente



Tally 04/06/2021

Achei bom, porém...
Eu gostei do livro, gosto bastante de livros de recontos, embora goste mais dos livros que trazem o ponto de vista dos vilões ou outro personagem que passa quase despercebido pelo caminho do principal, mas enfim, sobre Hunted, eu estava esperando muito mais.

Eu sei que ele é um reconto de A Bela e a Fera, mas eu achei ele quase que extremamente igual ao conto original. Eu comecei a ler, esperando algo com a mesma roupagem de Trono de Vidro ou Stepsister, ou até mesmo Cortes de Espinhos e Rosas, que em algum momento durante as suas trajetórias desviaram do caminho do conto original, porém não perderam a essência original dos contos que eles foram baseados.

Sobre os personagens, confesso que não gostei muito de nenhum deles, principalmente do Ivan e achei a Bela meio chata em alguns momentos.

A história é boa, mas acho que se perdeu um pouco, achei essa parte sobre o pássaro de fogo/ouro ( não lembro qual deles) interessante, porém eu estava esperando mais desenvolvimento. Não achei que o Ivan e a Bela combinem tanto, mas não me incomodou.

Resumindo, achei um livro bom, porém esperava muito mais da história e dos personagens.
comentários(0)comente



Amandae 21/04/2020

Maravilhoso!
Muito bom, mas o final foi muito apressado.
comentários(0)comente



Anny | @annykindle 16/01/2021

Encantador
Na minha humilde opinião esse livro em vários sentidos é um paradoxo, pois apesar de que durante a leitura percebemos que se trata de um reconto de A Bela e a Fera ao mesmo tempo a emoção dos acontecimentos e a forma como o autor traduz a história é maravilhosamente único.

Não é um livro para aqueles que buscam um romance com pétalas de rosas, é um livro para aqueles que querem uma aventura encantadora com uma garota de personalidade e que busca seus sonhos jamais desistindo de prosseguir.

E sem dúvidas como amante do gênero fantasia e leitora assídua de contos na infância, indico esse livro. Apesar de que o final poderia ter sido mais bem construído, ainda assim, é uma história muito envolvente e na minha visão como eu gostaria que a verdadeira história de A Bela e a Fera fosse. Claro, uns ajustes seria ótimo, mas não tira o mérito dessa obra de arte aqui.
comentários(0)comente



Lauraa Machado 06/04/2019

Uma releitura excelente!
Sei que a autora adora essa capa, mas preciso começar essa resenha dizendo que, se não fosse pela indicação de uma amiga, esse livro nunca teria me chamado a atenção. Espero que outras pessoas ignorem a capa e o título vago para dar uma chance para ele, porque essa foi a melhor releitura de um conto de fadas que eu já li.

Não que eu seja a maior fã de releituras e que vá atrás de livros assim, mas, se todas fossem nesse nível, eu seria e iria. Apesar de ter sido o filme que mais assisti quando era criança, nunca gostei tanto da história da Bela e a Fera quanto nesse livro. Todo o enredo ficou tão natural na escrita da Meagan Spooner, que pareceu sempre ser uma história completamente de sua autoria. Nenhum dos vários detalhes que esse livro tem em comum com a história original pareceu forçado. É assim que se faz uma releitura!

Amei descobrir que a história é ambientada em uma Rússia medieval, que a autora incluiu elementos do folclore russo aqui (que eu reconheci por outros livros que li que tinham essa mesma inspiração) e principalmente que não teve medo de encarar nenhuma parte da história que criou, nenhum problema que poderia ameaçar a ideia romântica que vem junto com o conto de fadas. Amei também ver que, além de não romantizar a relação da Yeva com a Fera, a autora fez questão de falar, ainda que brevemente, sobre violência doméstica e comparar sua situação, para não deixar nenhum detalhe dela não analisado.

Também amei as personagens mulheres em volta da Yeva e como ela não as julgava, ainda que tivessem interesses diferentes. Amei ver que ela não tinha nada realmente contra os vestidos e a etiqueta que eram exigidos de todas as mulheres, só não os queria. Em momento algum ela diminui uma outra mulher, pelo contrário. Adorei ver a relação dela com as irmãs, que são duas maravilhosas também, desde o começo até o final. E até os personagens homens desse livro são adoráveis. Quero o Solmir para mim, só digo isso.

A Fera também foi excelente, complicada e interessante desde o começo. Mas ninguém nesse livro ganha da Yeva, complexa e cheia de camadas diferentes, de um jeito que você sente a presença firme dela e de sua personalidade logo no primeiro capítulo. Tem tanto livro por aí com personagens femininas que caçam e são chamadas de incríveis por isso, mas aqui, essa habilidade da Yeva nunca é abordada de um jeito arrogante ou prepotente. Nem é a única prova de que ela é realmente forte e interessante. Yeva é uma personagem completa como poucas que encontro na maioria das obras que dizem ter protagonistas assim.

Sim, esse livro é excelente. A mensagem dele é excelente, e a autora não poderia ter feito um trabalho melhor. Recomendo absolutamente para todo mundo que souber ler em inglês e vou ter que ficar torcendo aqui para alguma editora no Brasil publicar para eu poder fazer todas minhas amigas leitoras lerem. E agora faço questão de ler o outro da autora, Sherwood, mas de também dar uma chance para livros seus que nada têm a ver com contos de fadas. Ela escreveu maravilhosamente bem desde o começo, e eu me apaixonei pela sua escrita e sua história.
Carous 06/04/2019minha estante
Eu venho rascunhando um pedido para alguma editora brasileira publicar este livro desde que o li,mas ainda não tive coragem de mandar. Mas imagina esta capa numa edição da Darkside.


Lauraa Machado 06/04/2019minha estante
Mas a Darkside só costuma publicar livro ok ou péssimo haha não consigo imaginar eles com um ótimo que não é muito famoso


Carous 07/04/2019minha estante
=OOOO O VENENO!!!!!!


Lauraa Machado 07/04/2019minha estante
Haha mas é verdade!


Andréa Araújo 20/04/2019minha estante
Lembra de me obrigar a ler quando chegar aqui no Brasil!


Lauraa Machado 20/04/2019minha estante
Pode deixar!




Luiza Helena (@balaiodebabados) 28/08/2019

Originalmente postada em https://balaiodebabados.blogspot.com.br/
Hunted é mais uma dentre as milhares de releituras de A Bela e a Fera. Com elementos da cultura russa, vamos acompanhar mais uma vez esse conto tão antigo quanto o tempo mas que ainda encanta a todos que leem.

Yeva é a mais nova de três irmãs. Apesar do amor e carinho de sua família, o lugar onde ela sempre se sente mais confortável é na floresta, com um arco em mãos. Yeva é um espírito livre e aventureiro, mas que se vê presa e sempre à procura de algo.

A história de Hunted foca, em sua maioria, em Yeva. Na narração em terceira pessoa, vamos acompanhar Yeva em suas caçadas e na convivência com a Fera. Movida pelo sentimento de vingança pelo seu pai, vemos o conflito que a personagem vive ao perceber que existe mais do que uma besta sanguinária no seu captor.

A história é narrada em terceira pessoa, mas no início de alguns capítulos temos alguns relatos da Fera, em primeira pessoa. Gostei dessa sistemática porque, além de quebrar o foco somente em Yeva, temos um vislumbre dos sentimentos da Fera. Nesses pequenos trechos vamos descobrir um homem atormentado pela sua maldição, fazendo o máximo para resistir humano por mais tempo.

Gostei dos elementos russos inseridos nessa releitura. A ambientação cheia de neve e frio dá um clima melancólico à história, o que combina muito com a personalidade de Yeva. Alguns elementos do folclore russo dão um toque a mais na fantasia.

Destaco as irmãs de Yeva, Lena e Asenka. As são duas mulheres com personalidades distintas, mas que só querem a felicidade de Yeva. Por mais que elas sofram pela necessidade da irmã de estar sempre na floresta, elas não intercedem na decisão da mais nova. Finalmente li uma releitura de A Bela e a Fera com uma relação saudável entre irmãs.

Um destaque para Solmir (que seria uma versão não tóxica e nem lixo de Gaston), apesar de suas poucas participações. Solmir aparece como um possível pretendente de Yeva, que se encanta por ela justamente pela sua personalidade e paixões. Confesso que fiquei com medo dele realmente virar uma espécie de Gaston, porém ele teve seu final feliz.

Infelizmente não tem previsão de lançamento de Hunted aqui no Brasil, mas fica a dica para quem queira arriscar seu inglês numa fantasia de livro único e com linda história sobre desejos e alcançar o que o coração quer.

site: https://balaiodebabados.blogspot.com/2019/08/resenha-423-hunted.html
comentários(0)comente



Júlia 01/12/2020

Acho que eu esperava mais dessa releitura. Eu gostei, mas não foi aquela paixão louca.
Uma releitura bem escrita, bem "conto de fadas" mesmo, mas ainda assim, não sei hehehe
Para quem gosta de releituras, pode valer a pena!
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR