Mente

Mente Audrey Carlan




Resenhas - Mente


26 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Barbara Luzzen 26/03/2020

A preocupante romantização do abuso
Eu nunca li nada tão tóxico, errado e mal construído na minha vida. E olha que eu já li coisas bem erradas, bem erradas mesmo. Nada chega aos pés dessa história. Eu já tinha achado Corpo problemático, mas "Mente" conseguiu atingir um outro nível.

As incoerências da personagem e a romantização do relacionamento abusivo que ela sofre com o protagonista são de causar uma preocupação absurda com as mulheres que estão lendo isso e interpretando como fetiche sexual.

Já nem sei mais como o próximo pode me chocar, mas sei que, de alguma forma, isso vai acontecer.
comentários(0)comente



Renata 14/11/2017

Tenso...
Estou amando cada vez mais essa série, onde Audrey Carlan está dando um toque de mistério a ela, que somado ao romance e o erotismo, está me mantendo presa á toda a trama criada.
No livro anterior, Gigi ganhou um perseguidor, além do coração do poderoso e goxtoso Chase. Só que esse perseguidor se mostra ainda mais letal neste livro, pois está disposto a tudo para ter Gigi só pra ele, e Chase e todos os amigos dela passam a correr perigo.

A cada passo que Gigi, Chase e seus amigos davam no decorrer da história, ficava com o coração na mão porque o perseguidor estava sempre um passo a frente de todos eles.

O livro é narrado por Gigi e seu perseguidor, em que é chamado de "X", e é um mistério quem ele realmente é , embora vão sendo dadas algumas pistas sobre sua identidade, e ele parece saber tudo sobre o passado de Gigi. "X" vai se mostrando extremamente perigoso, um louco que parece observar cada passo de todos os personagens do livro.

Além de acrescentar mais um narrador, a autora aumentou os flashbacks do passado de Gigi, nos mostrando o quão abusivo e violento era seu namorado Justin. Além disso, há ainda mais cenas eróticas, nas quais Audrey arrasa na escrita de cada uma delas. Sem falar em Chase, que está ainda mais sedutor e protetor, se tornando meu boyfriend  literário do momento (ok que sou periguete literária e logo já tenho outro haha).
Estou gostando muito desta série, achei esse livro ainda melhor que o anterior, mas nem tudo é 100% nesta vida... Teve uma coisa que me incomodou um pouco, que foi muitas vezes após Gigi ter seu flashbacks desesperadores, ela e Chase acabarem fazendo sexo. Isso me incomodou porque imagino que alguém que sofreu abusos precise de carinho sim, mas, como posso explicar... não pode achar que o sexo vai curar tudo, incluindo o passado, mesmo que o pratique hoje com alguém que ame e que lhe trate com o respeito que merece. Sei que este é um livro erótico, além de ser uma obra de ficção, mas esse foi o único ponto que não gostei.
No mais gostei muito, muito mesmo! Tanto que já comprei o próximo livro na pré-venda haha

Só vou avisando uma coisa: quando forem ler este livro já tenham em mente que irão ler o próximo em seguida, porque o final é daqueles que nos deixa totalmente sem ar, e eu agora estou aqui torcendo para que o próximo livro chegue logo.

Então pra quem gosta de uma trama com mistério, além de um romance arrebatador e drama, esta é a pedida certa.

site: Visite o blog: https://wp.me/p38u52-6aZ
comentários(0)comente



dayukie 21/11/2017

"Conhecer o Chase e a Gigi em Corpo foi maravilhoso, me fez criar grandes teorias e especular quem é o vilão da história. Em Mente, o segundo livro da série Trinity, temos mais do casal, porém agora também temos o ponto de vista do vilão e isso me agradou, mas também me deixou aflita, pois acreditei até praticamente no final, para descobrir que como detetive, sou péssima."

Resenha completa no blog.

site: https://goo.gl/1C4QeE
comentários(0)comente



Jessica.Nayara 06/01/2021

O preocupante romantismo do abuso em uma relação
? Confesso que desde que comecei a ler Corpo que algumas atitudes e falas do Chase me causaram alguns desconfortos, já que Gillian saiu de um relacionamento abusivo pra praticamente entrar em outro, a única diferença é que a autora romantiza muito o enredo, fazendo assim com que as ações e falas do mesmo seja algo romântico, mais ao meu ver a personagem sofria constantemente uma violência psicológica.

? Em Mente vamos continuar conhecendo Gigi e agora o seu perseguidor, onde no livro o mesmo é descrito como "X", e é um mistério quem realmente ele é, embora vá surgindo pistas da sua real indentidade, e ele parece saber tudo do passado da Gigi. "X" vai se mostrando extremamente perigoso, um louco que parece observar cada passo de todos os personagens presentes no livro.

? Além de acrescentar mais um narrador ao livro, a autora aumentou os flashbacks do passado de Gigi, nos mostrando o quão abusivo e violento era o seu namorado Justin. Além disso, há ainda mais cenas eróticas que ao meu ver foi um ponto negativo pra a trama, qualquer situação sempre tinha como solução ou resultado uma transa. E por último temos o Chase, que está ainda mais "protetor", se tornando o primeiro personagem literário que eu já tenho um ranço enorme de 2021, sinceramente não gosto muito dele não, o que realmente me prendeu na leitura foi o mistério por trás do perseguidor da Gigi e o envolvimento dos casais secundários, nada mais que isso.
comentários(0)comente



Lari 11/08/2020

Se não fosse leitura coletiva, não sei se iria animar a ler. Mas a historia não é de toda ruim
comentários(0)comente



Michelle 07/06/2020

Mente
No segundo livro da série Trinity, MENTE investiga profundamente o coração e a psique de Gillian e seu perseguidor por meio de seus POVs. Enquanto Chase e Gillian planejam seu casamento, sempre a espreita, o perseguidor realiza sua vingança e planeja seu ataque a Gillian, Chase e seus amigos.
comentários(0)comente



Fernanda.Lima 03/12/2020

A
Meu Deus que agonia do início ao fim!
Estou curtindo bastante essa série. Estou pronta para ler o terceiro livro: Alma.
comentários(0)comente



Erica.Santos 15/04/2020

Sinceramente me surpreendeu, é um livro que te prende e te faz querer ler mais e mais.
comentários(0)comente



Marta 26/02/2020

Muito bom indico.
comentários(0)comente



Del | @nmundoliterario 20/01/2018

Uma trama tensa e pertubadora
Envolver-se com um dos solteiros mais cobiçados dos Estados Unidos trouxe para a vida de Gillian muito mais do que a atenção indesejada da imprensa e dos paparazzis, agora ela está na mira de um perseguidor que a cada instante torna-se mais cruel e ousado. Se as ameaças e "presentes" bizarros já fossem suficientemente capazes de tirar a paz da jovem, imaginem quando todos aqueles que a rodeiam e que fazem parte da sua recém estruturada família tornam-se alvos em potencial do "desconhecido". Ciente de que é o único objeto de desejo deste homem louco, Gillian assume para si a culpa pelos acontecimentos que põem em risco a vida de seus amigos, oprimida pelo medo de que algo terrível aconteça à aqueles que tanto ama ela se vê caminhando para uma depressão iminente, esta por sua vez trás a tona o passado que a tanto tempo ela empenha-se para superar. É aqui que temos acesso as marcas que os abusos sofridos no relacionamento com Justin deixaram na vida de Gillian, as ações do perseguidor desencadeiam lembranças antigas mas que seguem vívidas na mente da protagonista, crises de pânico e flashbacks descritos detalhadamente de forma crua, enfatizam o terror causado e deixado pelas agressões emocionais, físicas e psicológicas que a personagem sofreu. No entanto ela não está só, ao lado de Chase que rapidamente tornou-se sua âncora e com o apoio de seus amigos mais queridos ela irá lutar mais uma vez para vencer esse obstáculo aterrorizante.

Juro que depois da leitura do primeiro livro já não esperava muita coisa dessa série. Até pensei que o relacionamento dos protagonistas poderia vir a apresentar um certo amadurecimento, já que no título anterior o envolvimento entre Glillian e Chase tinha como base pura e simplesmente a forte atração que ambos nutriam um pelo outro. Acreditei que a autora trabalharia o lado emocional de ambos nessa nova etapa, e não estava de todo errada, mas existe um elemento que muito me chamou a atenção no primeiro livro e que ganhou destaque total aqui, acertou quem pensou no perseguidor. Já em Corpo foi possível perceber que o suspense em volta do tal homem que andava mandando cartas anônimas e exigindo a Gillian para si, possuía potencial considerável e que se bem trabalhado poderia manter o interesse dos leitores na história, afinal cinco livros só falando do quanto o Chase e a Gillian são perfeitamente lindos e como a atração partilhada por eles é forte e incontrolável, uma hora cansa né? E para ser sincera esse parte da trama cansou logo no primeiro livro. Então obviamente fiquei eufórica com a notoriedade que as novas abordagens receberam aqui.

Diante da vulnerabilidade da agora noiva, Chase se apresenta como porto seguro de Gillian, aquele que a trás de volta para o mundo onde a dor já não a domina mais. Nesse ponto é impossível para qualquer um negar que o relacionamento evoluiu bastante, embora não seja o ideal, o envolvimento que era meramente físico já considera algo mais, Chase se mostra decidido a proporcionar o melhor para Gillian e todos os que os rodeiam, incitado pela ameaça iminente ele torna-se ainda mais protetor e consequentemente possessivo, sempre atento a tudo ele vai ocupando áreas importantes da vida da garota e permite que ela faça o mesmo consigo. E este foi o principal ponto que me incomodou aqui, o Chase ainda é autoritário e controlador, mas devido o estado fragilizado de Gillian que está enfrentando uma barra pesadíssima, não há muito espaço para que ele exerça sua personalidade de homem das cavernas, ele está sempre ali dando apoio, cuidando e coisas do tipo, mas sempre que surge a oportunidade é possível vislumbrar o que há por baixo da superfície. O fato é que nesse aspecto não houve nenhuma mudança, tudo foi mascarado pela situação atual, e o mais preocupante é que a Gillian está cada vez mais dependente - tanto física como emocionalmente - deste homem e por isso muito mais propensa a justificar e minimizar suas ações.

Admito que isso me assustou bem mais do que incomodou, mesmo atenta aos riscos que o perseguidor oferecia não me desliguei dos rumos que a história dos protagonistas está tomando. Claro que a essa altura do campeonato a autora já inseriu uma dose considerável de sentimento partilhado, eles já se "amam" e querem ficar juntos para sempre, mas Chase ainda não aceita e nem respeita as decisões mais básicas de Gillian e ela não acha que essa invasão ao seu espaço seja grande coisa, afinal ele "tem necessidade de controle e só está tentando cuidar dela". Eu só digo uma coisa: Não se justifica! Ao que parece, quando o Chase se refere a Gillian como sua, ele não está usando apenas uma força de expressão mas sim a reivindicando como alguém que realmente lhe pertence, como uma propriedade ou algo do tipo, porque só isso explicaria o fato dele se sentir no direito de ditar todos os passos que ela deve dar. Como disse anteriormente, esse lado é atenuado pela ênfase que é dada ao risco que o perseguidor representa mas não precisa procurar muito para encontrar as nuances que estão bem evidentes e que mostram claramente que embora o Chase pareça verdadeiramente se preocupar e desejar o bem estar da Gillian, ele ainda segue oprimindo seus direitos a liberdade. Outro ponto incômodo que persiste nessa sequência é o fato de a autora usar o sexo para curar, resolver e justificar tudo entre o casal, mesmo a Gillian estando completamente desestabilizada ela busca desesperadamente pelo ato sexual, quase como se fosse sua salvação, achei meio exagerado e fora de contexto diante de todos os problemas que a personagem estava enfrentando.

Mente, apresenta uma trama tensa, com um mistério bem construído que envolve ao mesmo tempo que assusta. O relacionamento do casal apresenta um alto grau de ambiguidade já que nota-se de longe que o Chase segue exercendo uma influência mórbida sobre a vida e as decisões da Gillian, ao mesmo tempo em que torna-se seu protetor e porto seguro. Audrey finalmente deu a ênfase esperada as dores e marcas deixadas por uma relação abusiva e trouxe a tona uma realidade arrasadora vivida por muitas mulheres mundo a fora. Em suma, este volume segue superestimando e até justificando o atual relacionamento controlador da personagem, e também ganha qualidade, nada que o torne o melhor livro do gênero ou algo do tipo, mas certamente nos leva a crer que a escrita da autora não está completamente perdida. Quero deixar registrado que para aqueles que pretendem lê-lo, que o livro é explícito em sua totalidade, então estejam preparados para vislumbrar um sem número de cenas hots exaustivamente detalhadas, flashbacks perturbadores e por último mas nem de longe menos importante, para entrar na mente de um psicopata.

site: http://www.nossomundoliterario.com.br/2017/12/resenha-mente-audrey-carlan.html#more
comentários(0)comente



Vinicius 31/01/2018

Misterioso, cativante e fluido
Quando resenhei o volume anterior, eu disse que não via motivos para não dar 5 estrelas para os próximos livros e isso se confirmou com “Mente”, escrito de forma dinâmica e misteriosa, essa série tem tudo pra ser maravilhosa. Se você não leu o primeiro volume da série, não se preocupe, não tem spoiler do livro anterior.
Já temos um relacionamento mais profundo neste livro, os protagonistas no primeiro livro se mostraram com uma química perfeita, já nesse, eu vejo como desenvolvimento para uma relação mais madura, algo que pode ser levado ao um nível mais verdadeiro e honesto, adorei ver isso sendo desenvolvido ao longo do livro.
Quando resenhei o primeiro volume, eu disse que achei o Chase possessivo em determinados momentos, mas Gillian está conseguindo driblar isso aos poucos, mostrando que as coisas não são tudo com o Chase idealiza, porém neste livro, a impressão que tive foi que isso é uma forma dele tentar protege-la, onde em certas ocasiões ele inclui até as pessoas que Gillian ama nessa redoma de proteção que Chase idealiza.
Neste livro o enredo não fica só em volta dos protagonistas, a um mistério que considero formidável para o desenvolvimento da trama, pois alguém está perseguindo a Gillian de uma forma completamente bizarra, isso é apresentado nas intercalações de capítulos, onde esse alguém é denominado com “X”, suas falas e pensamentos são cético e completamente psicopata, esse alguém está disposto a tudo para ter a Gillian de novo em seus braços.
É obvio que a pessoa misteriosa é alguém que já esteve na vida da protagonista, mas a pessoa só é revelada bem no final do livro, mas as reviravoltas na historia estão tão bem encaixadas, que eu só queria mais a cada página lida. A uma grande pitada sexy neste livro, creio que até mais que no volume anterior, mais isso só traz mais do gênero pra historia, onde para mim isso se torna pequeno as outras nuances do livro.
“Mente”, foi lançado em 2017 pela editora Verus, possui 275 páginas, sua diagramação está perfeita e espero que continue assim, dei 5/5 estrelas no Skoob para o livro, e o final me deixou ainda mais ansioso para o terceiro volume da série Trinity.
comentários(0)comente



Dreeh Leal | @dreehleal 28/02/2018

Mente - Trinity 2 - Audrey Carlan
Após uma experiência controversa com o primeiro volume dessa série, decidi arriscar e ver se essa pegada de suspense me conquistaria mais. E de fato conquistou. O início do livro foi demorado, devido aos elementos que me incomodaram outrora, mas no decorrer das páginas isso melhorou consideravelmente. Nem tive vontade de pular parágrafos inteiros! A história ficou mais bem amarrada, instigante e eu até consegui gostar um pouquinho de Chase.

O melhor personagem da historia é ' X ', nosso novo narrador. O homem que está atrás da protagonista narra pequenos trechos da história, onde podemos vislumbrar um pouco de seus passos e conhecer sua personalidade doentia. Cada aparição eu fica ainda mais arrepiada com o quão repugnante ele era. Cada pensamento... Só consigo pensar que existem homens assim no mundo e não necessariamente focados em uma única mulher.

Audrey Carlan presenteia o leitor com uma outra faceta de Chase Davis, que talvez tenha sido despertado pela fragilidade da sua amada. Consegui vê-lo como um homem apaixonado, que não mede esforços que cuida e zela de por quem julgar necessário. Tivemos mais momentos românticos entre eles, e muitas cenas quentes. Achei que ele foi muito mais sincero em suas atitudes e com isso quase me conquistou, mas o homem possessivo não deixou de existir. Pelo contrário! Chase protagonizou algumas cena onde foi um verdadeiro homem das cavernas. Qual a necessidade de demonstrar tanto poder?

Meu maior problema continua sendo a Gillian. Eu queria que ela tivesse mais força ou pelo menos fosse menos contraditória. Se ela confia no namorado, tudo bem, alguns pensamentos dela são doentios. Gostar de ver hematomas no corpo porque quem está fazendo quer agradá-la e não machuca-la... Não desce! Além disso, ela se tornou tão dependente desse relacionamento. Não acho isso saudável e nem um bom exemplo para quem está lendo.

Eu estou me matando de curiosidade pela continuação! Acredito que vá ser o livro mais turbulento da história. Já comecei a prepara o psicológico para ler coisas que irão me abalar. Não sou masoquista nem nada, mas é a verdade. Não vou dizer que fui surpreendida pelas escolhas da autora, na realidade comecei a deduzir algumas coisas ainda no meio do livro, mas isso não me deixou menos feliz com a escolha da autora. Audrey Carlan está prometendo fortes emoções para o desfecho dessa história e eu não irei perder por nada!

site: http://www.maisquelivros.com/2018/01/resenha-mente-audrey-carlan.html
Marina 04/02/2020minha estante
Como assim hematomas? Ele chega a machucar ela? Terminei de ler o primeiro e estou na dúvida se leio o segundo, achei problemático demais a relação deles




Naiana 04/04/2018

Decepcionante
O primeiro livro dessa série me surpreendeu de forma positiva, apesar de não ser perfeito. Com esse a surpresa foi bem diferente. Gillian passa por situações inimagináveis para alguém que tem tantos seguranças. O perseguidor - que não foi surpresa nenhuma - qualquer um que prestar atenção descobre sua identidade bem no começo do livro, faz e acontece, coloca escutas em todos os lugares, invade quartos de hospital e o escritório dela na torre do poderoso Chase sem que nenhuma câmera o capture. Todo mundo sabe que alguém do passado a persegue, mas não se lembraram de fazer uma investigação um pouquinho mais cuidadosa? Chase só sabe dizer que irá protegê-la de tudo, mas fica só na teoria. Tenho medo de começar o terceiro e me depararam com uma enrolação sem fim com o que aconteceu no final. Mortes chocantes e desnecessárias foram uma tentativa de tornar o livro mais ?sério??
comentários(0)comente



Meu Vício em Livros 15/05/2018

se gosta de Toda Sua e 50 tons leia
Este é exatamente uma mistura dos dois livros, o mocinho é possessivo e faz questão de mostrar quanto dinheiro tem, me irritou mais este esnobismo dele do que a possessão, a trama tem cenas eróticas em excesso (até onde não encaixa) e os dramas dos protagonistas são intensos.Deus me livre o tanto de desgraça que acontece, teve uma cena que quase infartei. UFA! Neste segundo livro temos o ponto de vista da mocinha e do psicopata que inferniza a vida do casal e apesar de muita coisa me incomodar na história ela é viciante, tanto que já estou passando pro último que narra o desfecho deste casal e estou animada porque nele tem o ponto de vista do mocinho. Ai ai vamos ver o que me aguarda!
Kelly.Leite 15/05/2018minha estante
Sim! Essa série é praticamente cópia de Gideon Cross hahahahaha




Pâmela 15/02/2019

Depois do Corpo, entendemos a Mente...
Depois de um confronto no finalzinho do primeiro livro, nos deparamos com a ideia de um segundo livro que deveria ser totalmente apaixonante. Maaaaaas, supresaaaa.

Gillian realmente tinha um dedo podre para os homens, de tal maneira que quando encontra o verdadeiro amor, o "príncipe encantado", parece que toda a podridão do passado não desiste em resurgir. E esse mal está totalmente convencido que a melhor forma de ter Gillian de volta, é machucando quem ela mais ama.

Não vou negar que fiquei angustiada em várias cenas, porque parece que devemos sempre esperar o pior. Mas a autora, para nossa alegria, consegue mesclar momentos apaixonantes e fofos, onde o amor das amigas Bree, Maria e Kat, e claro do magnífico Chase, fortificam nossa Gillian, e dão a força que ela, por vezes, precisa.

Vemos nesse livro a importância do amor em nossas vidas e como um perseguidor anônimo pode transformar uma vida tão drasticamente. Preparada para o terceiro livro. ??
comentários(0)comente



26 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2