A Ordem

A Ordem Nohane Carvalho




Resenhas -


5 encontrados | exibindo 1 a 5


CSGois 28/11/2018

Mimimi
Logo nas primeiras páginas me deparo com o discurso feminista, reclamando de misóginos, machistas e mimimi, abandonei. Não me interessa esses discursos.
comentários(0)comente



Pâm Possani 03/11/2017

Incrivelmente bem escrito e bem pensado! QUERO MAIS
Desde que me conheço por blogueira, eu sigo várias dicas de algumas blogueiras e uma delas, é a  Alê, nossa amiga do Estante, e essa era uma que ela já tinha dado no Facebook.
Em A Ordem é hora de conhecermos um pouco da história da princesa Arissa que vive no reino de Terycen após a 4ª Guerra Mundial - sim, meus cupcakes, acredite que isso não é difícil de acontecer, hein... A ONU precisou intervir e modificar um pouco as coisas, criando a Ordem, de fato, um sistema político para unificar e dividir - a tal da história de dividir para conquistar - o mundo em trinta e cinco reinos, onde a própria Terycen está com seu destino já traçado.

A filha do Rei Keplan, nossa Arissa, é jovem e tem seus 20 anos - o que se espera, basicamente, que a menina queira ter sua liberdade além de suas aulas especiais e extras para o cargo de princesa, afinal é ela mesmo que irá governar após seu pai e não necessariamente precisa de um marido para tal - não é uma visão extrema feminista, caro amigo conservador, Arissa tem vontade de governar por si só assim como príncipes são capazes de fazer sem uma mulher ao seu lado... E não está errada.  Mas, apesar de seguir a linha completamente durante o dia, na noite (há, te peguei) ela busca um pouco de "liberdade" com sua amiga Triene, saindo para um passeio e uma passadinha no bar Delirium, onde não precisa mostrar o rosto e se deixar saber quem é. Até aí tudo bem. 
MAS.
Sempre tem um "mas".

Ás vezes tudo o que nós precisamos é ter um pouquinho de fé nas coisas que não parecem possíveis para que se tornem realidade.

O que ela não esperava é que, numa dessas noites, ela fosse encontrar um rapaz que faria sua cabeça girar com tantas dúvidas sobre o reino do próprio pai. Mas se o reino é tão bom por que ele estaria dizendo aquelas coisas? E, afinal, quem é ele na verdade? Essa questão fica mais evidente depois que ele aparece em sua casa (castelo, mas vocês entenderam...) ao lado de um dos ministros que conhece e está com sua família há tempos... Mas o que ele quer, afinal? O rapaz de humor ácido e passado misterioso pode ser mesmo tão ruim quanto ela imagina? E essas coisas que ela parece sentir ao lado dele são só coisas da sua cabeça?

 É incrível como a história vai te prendendo nos detalhes - por não ser tão difícil de entender algumas coisas, não quer dizer que elas não sejam complexas e sejam tratadas dessa forma. É lindo, é forte, é abrasador. Ao mesmo tempo que é uma história que você fica com o coração contente por ser cheia de pontas mas que se conectam e deixam algumas aberturas de alguns personagens e enredo para o próximo livro - sente aí o gancho! - você fica com o coração apertado absolutamente pelo mesmo motivo. Ao mesmo tempo que trata de política, trata de família, ao mesmo tempo que existe o desespero por querer que as coisas se resolvam rápido, elas precisam se resolver no seu tempo onde, apesar da história ser curta (MEU DEUS O LIVRO TEM MENOS DE 200 PÁGINAS E EU NÃO CONSEGUIA PARAR DE LER E QUERER MAIS!) ela é bem recheada, bem escrita, tem intrigas entre reinos, uma princesa independente (mas dependente em alguns aspectos como a família em si, do carinho e da confiança que tem neles) mas que tem um poder com as palavras e de ir atrás do que realmente quer sem ser forçado ou algo muito exagerado; um rapaz que conquista a gente mesmo quando faz que a gente fique na dúvida se ele realmente é bom partido ou não mas que mostra que ele busca o que é melhor tanto para o bem daqueles que gosta quanto para um bem maior da população.

Continua no blog.

site: http://www.interruptedreamer.com/2017/10/resenha-ordem-1-de-nohane-carvalho.html
Nohane 05/11/2017minha estante
Muito obrigada!!!!!




Larissa.Gomes 17/10/2017

Minha nova distopia queridinha
"Após a 4ª Guerra Mundial, a ONU teve que intervir e criou A Ordem, o novo sistema político mundial que apagaria as cicatrizes do passado para gerar um novo futuro, um futuro melhor para cada ser humano da Terra. Isso foi o que Arissa, princesa de Terycen, o maior dos trinta e cinco reinos, aprendeu ainda muito nova. Mas a chegada de um homem ao reino desencadeou uma série de acontecimentos. Infelizmente, ela descobriu que tudo em que sempre acreditou era uma mentira e que estava no meio de uma guerra em que teria que escolher entre lutar contra ou a favor de quem mais ama."

Eu AMO distopias! São super envolventes, nos fazem pensar em tudo que há de errado no caminho que a humanidade está trilhando e para onde esses erros podem nos levar. Nohane Carvalho, autora de Devaneios de uma famosa em apuros, soube como nos conduzir por este caminho com maestria, criando um novo mundo, o dividido em reinos e misturando o antigo ao novo de forma super natural.
Eu em senti super envolvida com a história! Enquanto a princesa Arissa, com seus 20 anos, descobria todos os podres da Ordem e percebia o quão corrupto era esse sistema de governo, eu me decepcionava junto a ela.
Tudo parecia bem, o reino de Terycen, o maior da nova Ordem, estabelecida após a 4a Guerra Mundial, governado pelo Rei Keplan, prosperava e os cidadãos estavam satisfeitos. Porém, em uma de suas idas clandestinas ao bar Delirium com sua melhor amiga, Triene, ela encontra Adrian, um arruaceiro que incita a população contra os governantes, criticando a monarquia e exigindo a queda do Rei.
Seu discurso entra na mente de Arissa, a deixando muito intrigada, já que nada daquilo tinha sido passado a ela, que seria a próxima governante de Terycen. Assim sendo, resolve investigar. E o que ela descobre não é nada, nada bom.

A história é narrada em primeira pessoa por Arissa e traz as doses certas de ação, drama e romance. Eu adorei a química que existe, desde o início, entre Adrian e Arissa. As provocações e o humor ácido do casal dão uma aliviada na tensão política.
Uma coisa que me agradou muito foi a personalidade da protagonista. Ela é doce e ingênua mas, ao mesmo tempo, forte e resiliente. Ela, com certeza, não é o tipo de princesa que espera sentada em seu trono enquanto seus súditos vão à guerra. Afinal, todas aquelas aulas de tiro e lutas com espadas não foram à toa, né? Sem falar em seu amadurecimento durante a trama!
A leitura flui fácil, com bons ganchos e capítulos que não são cansativos.
A ordem é o primeiro volume dessa série distópica, lançado nas plataformas digitais dia 14 de Outubro e com evento de lançamento programado para dia 25 de Novembro na Unibes Cultural ao lado do metrô Sumaré. Seu final nos deixa roendo as unhas e esperando ansiosamente pela continuação, O Caos, que tem previsão de lançamento para o meio de 2018.

Recomendo muito a leitura e espero encontrá-los no evento de lançamento dia 25!

Mas vocês não precisam esperar até o mês que vem para adquirirem seus exemplares: Clicando aqui já reservam Livros autografados + marcadores oficiais. Ou, se preferirem E-book: http://amzn.to/2gaq75W

Agradeço à autora pela confiança e por ter cedido o livro para esta resenha.

Leia os primeiros capítulos gratuitamente: http://w.tt/2xhXjQy 📚

Confira 7 curiosidades sobre o livro: https://youtu.be/DFvv9-mUsRk

VENHA FAZER PARTE DO #MovimentoAORDEM !!

Selo Lariteratura de Qualidade 💕


site: http://lariteratura.blogspot.com.br/
Nohane 05/11/2017minha estante
Muito obrigada!!!!




Luana Moraes 14/10/2017

Uma distopia incrivel!
Seres humanos dificilmente aprendem com os erros, ainda mais quando se trata de guerra, o mundo passou pela 4°Guerra Mundial, a ONU(Organização das Nações Unidas), precisou intervir novamente para que uma próxima guerra não aconteça e destruía o restante do planeta e para isso criaram A Ordem, um sistema político de unificação em todas as vertentes.
Agora o mundo está dividido em trinta e cinco reinos, sendo o maior reino, Terycen governado pelo Rei Keplan, pai da princesa Arissa, que está prestes a ter seu futuro mudado.
Arissa princesa de Terycen é apenas uma garota normal aos 20 anos, bom tão normal quanto se pode ser quando se faz parte da monarquia, ao lado de sua melhor amiga, Triene ela consegue algumas noites de "Liberdade" não assistida, sim ela foge. E sempre vão ao bar Delirium onde sua aparência não importa, em uma dessas noites ela vê um homem falando sobre a farsa que é o sistema da monarquia e pedindo a queda do rei, no dia posterior ao bar, encontra este homem ao lado de um dos ministros, ele é Adrian. A partir deste ponto tudo muda, a visão que Arissa possuía de seu reino, está em cheque, enquanto busca informações sobre Adrian verdades serão reveladas.
– Você não tem outra pessoa para torturar com sua presença, Adrian?–
– A única me torturando nesse momento é você, princesa.– Não vejo como.

Esqueça todas as distopias que leu. A Ordem possui todos os elementos essenciais para uma boa distopia, que são, uma história única, crítica política e social e um raio de esperança. Nohane criou um mundo único, a forma como a Ordem funciona, e ao colocar uma princesa conseguimos ver o lado de quem está no poder e como ele funciona. O que é muito legal e além disso o enredo possui detalhes de cenários e características dos personagens que são essenciais para uma clareza ao imaginar e vivenciar A Ordem.
Os personagens são muito bons, Arissa é uma mulher independente, sabe como usar uma espada e armas, ela é preparada para entrar em guerra e ser Rainha, uma mulher à frente do seu tempo, apesar de ser após a 4° Guerra Mundial, o mundo regrediu um pouco, nos outros reinos as princesas só são rainhas ao lado de um homem – Alerta Arcaico – Mas, em Terycen, não é assim. Amo muito!. Todos os personagens deste livro são muito bem caracterizados, amei a Tri que é uma menina fantástica, louquinha, uma amiga daquelas que todos nós precisamos.

A narrativa da autora é em primeira pessoa pela visão da princesa Arissa, mas conseguimos entender o que está acontecendo, vamos descobrindo junto com ela, fiquei irritada com algumas reações dela, mas que são perfeitamente normais. O par romântico dela é Adrian um homem misterioso, com um senso de humor ácido e as vezes estranho, alto e de quem não sabemos muitas coisas. E qualquer coisa que falar sobre ele pode ser spoiler.
A Ordem é uma distopia fantástica com as doses certas de ação, drama e claro o romance entre os personagens Adrian e Arissa, que possuem um química imbatível. Um livro que possui um enredo que flui fácil, com bons ganchos e capítulos do tamanho ideal, não são cansativos e o final do livro é de enlouquecer, deixara o leitor querendo O Caos, segundo livro da duologia que deve sair no meio de 2018.

Nohane conseguiu me prender e me deixar enlouquecida com o enredo, com os personagens e eu quero matar ela e ao mesmo tempo quero abraçar. E vocês quando lerem vão entender.

TRECHOS:
"A obsessão pelo poder é capaz de fazer até o melhor dos homens destruir um planeta inteiro."

"Não era esse o princípio da nova Ordem Mundial? Dar ao mundo um recomeço onde cada pessoa pudesse viver bem, com dignidade e ajudar a todos?"

"Quando eu te disse que você era a esperança da qual os refugiados necessitavam, eu também quis dizer que você era a minha esperança, Arissa."

"As pessoas precisam disso, Arissa. Mesmo que elas não saibam que precisam. A maioria das pessoas não sobreviveria a verdade nua e crua do mundo."

"Eu o senti mais do que o vi, para ser sincera. Ele usava preto dos pés à cabeça, como eu, e bebia o conteúdo de seu copo sem tirar os olhos de mim. Sentado no mesmo lugar, senti-o me observar por horas e até cheguei a pensar que havia me reconhecido, mas era impossível com a máscara e a capa. Ignorei seu olhar a noite inteira, até que quase na hora em que íamos embora ele desapareceu. Pensei que ele mesmo já tinha partido."

Até mais,

site: http://blogduasmentesliterarias.blogspot.com.br/2017/10/resenha-ordem-nohane-carvalho.html
Nohane 05/11/2017minha estante
Muito obrigada!!!!!!




Mari Follador 06/10/2017

História que prende, surprende e faz querer mais!
Um livro que mescla amor e guerra perfeitamente bem, que apresenta uma protagonista mulher forte e independente. Que te faz achar uma coisa e no decorrer da história te supreende com um 'boom' maior ainda. E que final surpreendente ?
Nohane 05/11/2017minha estante
Muito obrigada!!!!!!




5 encontrados | exibindo 1 a 5