Desafiadores do Destino: Disputa por Controle: 1

Desafiadores do Destino: Disputa por Controle: 1




Resenhas - Desafiadores do Destino: Disputa por Controle: 1


11 encontrados | exibindo 1 a 11


Paulo 06/10/2018

Os quadrinhos nacionais tem se destacado muito pela qualidade nos últimos tempos. Ao invés de exportarmos nossos talentos para fora sem que eles ganhem notoriedade no Brasil, editoras indies tem buscado apostar no trabalho deles. Aqui temos um exemplo da Avec ao pegar um nome consagrado como o do Felipe Castilho e é colocado ao lado de um desenhista talentoso como o Mauro Fodra e uma colorista de mão cheia como a Mariane Gusmão. O resultado disso é Desafiadores do Destino, uma HQ extremamente divertida e que consegue tocar em alguns temas bem curiosos escondidos em sua narrativa que parece despretensiosa.

A edição da Avec está muito bacana e eficiente naquilo que se propõe: uma edição bonita colocada no mercado a um bom preço final. A capa tem uma arte bacana mostrando todos os membros dos Desafiadores do Destino feita em papel cartão de boa qualidade e as páginas do interior são em um papel couché fosco. No final da HQ ainda temos um posfácio escrito pelo Felipe Castilho onde ele conta como surgiu a ideia para a criação da narrativa e como se deu o seu encontro com o Mauro Fodra.

O roteiro é bem redondinho. Como eu havia dito na resenha de A Ordem Vermelha, o Felipe Castilho cresceu muito na maneira como ele compõe suas histórias. Mesmo em 64 páginas, ele consegue apresentar uma história eficiente onde ele apresenta o mundo e os seus personagens. Isso ao mesmo tempo em que consegue deixar no ar alguns mistérios instigantes, ou seja, teremos mais histórias destes personagens no futuro. A narrativa é contada em três atos e uma virtude é conseguir dar espaço a todos os personagens para brilharem um pouco. Talvez esta tenha sido a grande dificuldade nesta edição e eu me pego imaginando o Felipe se perguntando como ele poderia criar uma história atrativa sendo que ele precisava mostrar ao leitor muita coisa em um curto espaço. Nesse quesito ele foi muito bem sucedido.

Pode parecer estranho eu dizer isso (talvez até o Mauro estranhe) mas eu achei a arte dele muito parecida com a do Rafael Albuquerque. No formato corporal, nas composições de cena e até na ação. Claro que o Mauro tem um estilo bem particular com uma excelente noção de proporção e fundo. Eu adorei algumas cenas em que ele coloca vários detalhes no Marine. Aliás, quando o Marine sofre aquela transformação eu quase dei um salto do sofá onde eu estava lendo. O autor conseguiu captar muito bem o clima steampunk proposto pelo Felipe e tudo transborda máquinas e engrenagens. Claro que provavelmente o artista teve muito espaço para viajar e criar suas sequências. Só achei algumas páginas um pouco confusas com excesso de coisas para onde olharmos. Eu preferia várias páginas simples que ele compôs em que ele se focava nos personagens e nos cenários. Tem um momento no final em que duas criaturas muito poderosas se encaram (não posso explicar o que é porque eu daria spoiler) que é demais. Uma cena simples, porém sensacional.

Já aprendi que com o Felipe Castilho a gente precisa olhar além do óbvio. Claro que o leitor pode ser feliz e apenas curtir a narrativa (volto nisso lá embaixo). Mas, se você é um leitor que está buscando um algo a mais, o autor te entrega isso muito bem. Escondido por trás de uma simples disputa de território, temos uma narrativa em que duas raças ancestrais disputam um lugar e no meio temos nativos da ilha que estão sofrendo com a disputa entre estes dois. É possível fazer tantas associações que dá para nos perdermos nelas. São dois lados extremistas que desejam impor seu domínio enquanto aqueles menos favorecidos são os que sofrem. Até o momento em que estes menos favorecidos resolvem revidar. Dá para relacionar à situação política no Brasil, à guerra entre palestinos e israelenses, à Guerra Fria.

O lado diversão também é demais. A história consegue entreter na medida do possível. Claro que ela sofre por ser um volume de apresentação e precisar contar bastante. Mesmo assim eu achei que o autor soube equilibrar ação e informação. As cenas de ação são bem construídas e o quadrinho tem momentos incríveis do início ao fim. A gente não consegue parar por um segundo sequer. É quase como se fosse uma enorme cena de luta com alguns momentos para explicar as motivações dos heróis. Ao final o autor deixa alguns pequenos pedaços de mistérios a serem desenvolvidos depois.

Desafiadores do Destino é um projeto muito competente de um grupo de pessoas dedicadas a colocar um material para fãs. Um quadrinho que consegue ser divertido ao mesmo tempo em que vai buscar inspiração em histórias de aventura e em pulps. Tem alguns momentos emocionantes com combates entre criaturas lendárias, navios que se transformam, seres com poderes inacreditáveis. Recomendo a todos!

site: www.ficcoeshumanas.com
comentários(0)comente



Brena 21/12/2018

A aventura de um supergrupo feita por uma superequipe <3
(...)
A aventura se passa num mundo em que a Atlântida existe e evoluiu de maneira diferente. A ORU (Organização dos Reinos Unidos) convoca Lune, uma guerreira com uma entidade aprisionada dentro dela (coloração esplêndida, Mari!) para liderar uma equipe com o objetivo de dar fim a uma disputa territorial nas Ilhas Falkland. A equipe é formada por Redhawk, um índio Sioux; Lockwood, o bilionário mestiço dono da embarcação Marine; Dr. Loberstein, um cientista bastante peculiar; e Nay, a indestrutível (literalmente), com sede de vingança por uma entidade que descobriremos qual é no desenrolar da estória. É um quinteto disfuncional, mas que terá que vencer as diferenças em prol de algo maior.
A narrativa viaja entre o presente e o passado, conta uma aventura onde há flashbacks que explicam as motivações dos personagens e dão identidade a eles. Porém, não há tempo para se afeiçoar aos membros da equipe, pois o desenvolvimento da estória é direto, com muita ação e tensão; ainda há espaço para bom humor e referências históricas, políticas, literárias, e claro, de HQs gringas.

“Desafiadores do Destino: Disputa” por Controle cumpre o intuito de nos divertir e imergir nesse universo steampunk cheio de magia, tecnologia e criaturas lendárias. Há algumas surpresas que nos fazem cair da cadeira, como a transformação da Marine, e a revelação do que há dentro da Lune, além de ter muitos plot twists (o final me deixou sem ar). É uma estória fechada, mas que deixa ganchos para outros volumes, para trabalhar mais os personagens e acompanhar outras aventuras anteriores, como as de Redhawk e Lune.
Esta é uma obra nacional que não pode faltar na sua estante: a edição primorosa da AVEC fez o trabalho da equipe brilhar mais ainda. A competência do Felipe Castilho em nos entregar uma estória enxuta, coesa e divertida; o traço de Mauro Fodra e sua perspicácia para cenários, que obriga a prestar mais atenção que o comum e fisgar todos os detalhes; as cores da Mariane Gusmão, que surpreendeu em seu primeiro trabalho com quadrinhos e deu uma identidade visual única a HQ, com uma paleta de cores diferente da maioria das obras de steampunk, cheia de vida.
(...)

site: https://cronicasfantasticas.com/2018/11/26/desafiadores-do-destino-disputa-por-controle/
comentários(0)comente



Wesnen Tellurian 10/02/2019

O DEFEITO DESSA HQ É TER FIM | Resenha Sem Spoilers
E quem nunca ficou indignado porque uma boa história chegou ao fim? Essa HQ, com uma pegada steampunk fantasy, vai gerar uma legião de órfãos que vai desejar ensandecidamente por mais. Minha resenha está completa, inclusive isso é corroborado por participantes da HQ, e você pode conferir no link disponível. Tudo muito didático, cheio de referências e mesmo com tudo isso é SEM SPOILERS. Confere lá resenha!

site: https://www.youtube.com/watch?v=YbAucnCrRxA&t=175s
comentários(0)comente



Douglas MCT 14/08/2019

O jeito tupiniquim de se fazer uma superequipe
Conhecido na literatura principalmente por saber explorar o folclore nacional em contextos criativos, Felipe Castilho constrói aqui uma típica história de super-heróis, mas fora da pegada batida norte-americana, ao emprestar as nações lendárias de Mu e Atlântida – aqui em guerra –, mitos africanos (Qandisa é uma versão da Raposa de Nove Caudas de Naruto), ameríndios e até, claro, os clássicos europeus (que vão do Nautilus a contrapartes de Frankenstein), tudo com uma roupagem singular de steamfantasy, num período de revolução industrial, com vastas raças dos mundos de fantasia. Criaturas estas emprestadas ao autor pelos criadores Marcelo Campos e Ronaldo Barata. Intercalando passado recente com o presente diplomático, Felipe consegue ao mesmo tempo apresentar seus heróis, suas motivações e background, e colocá-los em ação, com habilidades interessantes, em uma trama repleta de emergência, o que deixa um gostinho de quero mais.

A arte de Mauro Fodra tem um peso único, com personagens expressivos, algo que transita entre o realista e o caricato, com boas composições de páginas e construção de ambiente, mas é nas splash pages que ele se esbalda, entregando um cem números de figuras diversas, das pequenas até as de grande escala, aumentando a escala épica já proposta no enredo. E as cores de Mariane Gusmão não só dão vida e textura para personagens e cenários, como também, aliadas ao traço de Fodra, transmitem os ares de um típico quadrinho europeu a obra, tornando-a muito mais do que apenas mais um gibi de super-herói. Desafiadores é assim algo como “X-Men encontra Liga Extraordinária em uma publicação da Glénat”, com heróis de personalidade bem definida, silhuetas marcantes e diálogos certeiros e divertidos, que mesmo em uma trama redonda, parece que ainda tem muitas outras aventuras para contar.
comentários(0)comente



Diego Araujo 19/08/2019

“Você nem imagina o que estes olhos já viram, pirralha”
Uma das maiores riquezas presentes em nosso mundo é a cultura de todos os povos, esta ainda aprimorada pela imaginação de ótimos criadores. A cultura estende a até comunidades e lugares imaginados, na especulação de ambientes a partir de tecnologias criativas e remetentes a determinada época; e tudo isso ainda reimaginado pela equipe de roteirista e quadrinistas, todos empenhados a colorir as ideias nesta obra original a partir de um “e se?”…

Desafiadores do Destino: Disputa por Controle é o volume de estreia da HQ de aventura steampunk misturada com elementos da fantasia. Publicado em 2018 pela editora Avec sob o Roteiro de Felipe Castilho, desenhado por Mauro Fodra e colorido por Mariane Gusmão, a HQ mostra o grupo composto por membros multitarefas e multinacionais em busca de remediar a paz nas Ilhas Falkland.

“Com o tempo, prisões viram nações. E vice-versa”

A ORU — Organização dos Reinos Unidos — é composta por seres oniscientes, responsáveis por atribuir missões de interesse mundial, dentre eles a tentativa de impor a paz na guerra entre os lemurianos e atlantes, salvando inclusive os gorgs, criaturas residentes nas Ilhas Falkland e vulneráveis por conta deste conflito.

Os membros da equipe desta missão são escolhidos a dedo pela Organização. Atribui a liderança a Lune Lefevre, uma garota ruiva cheia de sardas e sempre com os óculos goggle sobre os olhos. Ela mantém dentro de si a entidade africana Qandisa, cujo poder pode superar as maiores dificuldades da missão, ou então criar problemas maiores. Com ela segue um inventor e o seu autômato que nunca devem permanecer distantes por muito tempo; a guerreira africana de resistência sobre-humana; o guerreiro indígena dotado de conhecer todas as artes de batalhas das tribos americanas e acompanhado da sua ave mecânica; e o meio-atlante com recursos financeiros extraordinários e portador do navio de certos mistérios.

“Pessoas são tediosas. Máquinas? Jamais”

O começo da história alterna entre apresentar a missão da equipe e flashbacks sobre cada membro, apresentando as capacidades de cada um e o contexto de eles estarem presentes. Esta abordagem acelera a introdução das muitas informações presentes nesta proposta singular dos criadores da HQ, cada quadro explicando elementos pontuais de cada integrante e da missão, agiliza ao montar o quebra-cabeça deste enredo e prossegue a história sucinta de sessenta páginas.

Entre lemurianos, atlantes e gorgs, a riqueza de criatividade na representação deles é de impressionar. A composição das equipes, equipamentos distintos por grupo e protagonistas, e os monstros usados por eles no combate; a ilustração de tudo isso nos convida a parar a leitura e vislumbrar os detalhes desta composição. Seja nos traços ou pelas cores, os criadores esbanjaram a variedade conforme o contexto apresentado. Tantos detalhes repassados apenas nos recursos visuais da HQ poupa o trabalho das descrições e diálogos nos balões, os deixando responsáveis apenas por situar o essencial ao enredo. A quantidade de páginas é pequena, e o conteúdo apresentado pelo conjunto contido nelas compensa a diversidade do mundo e personagens envolvidos.

site: https://xpliterario.com.br/xp-leitura/desafiadores-do-destino-disputa-por-controle/
comentários(0)comente



Mila Morelli 10/10/2019

Há um tempo estamos divulgando o lançamento dessa HQ que é uma aposta da nossa editora parceira, Avec. E posso dizer que fiquei bem feliz ao receber em casa um exemplar desse primeiro volume.
Gostaria de dizer desde já que todo o trabalho do Felipe Castilho, Mauro Fodra e Mariane Gusmão é excelente. Como ilustradora e alguém que já fez algumas pinturas digitais para HQ e trabalhei como flatter, posso dizer com felicidade que a obra inteira é absurdamente bem feita, com detalhes maravilhosos que fazem a leitura ser bem prazerosa.
E não é apenas da parte artística que iremos falar. O enredo da história me cativou bastante de um jeito que eu não esperava.

Com uma narrativa que vai para o lado de steampunk, temos uma equipe que acabou sendo reunida pela ORU (Organização dos Reinos Unidos) para tentar ajudar a resolver um problema territorial entre dois reinos. Nessa equipe, temos todo tipo de personagens que vão sendo apresentados com calma durante o enredo. O que é um ponto positivo para mim porque enquanto temos a equipe se preparando para tentar levar paz aos reinos, temos pequenos pedaços de como a ORU juntou cada um, o que lhes foi proposto assim como pequenos momentos de suas vidas e personalidades.

Acho sempre incrível como uma HQ precisa mostrar com poucas páginas tanta coisa e ainda não desviar do foco da história (ou problema a ser resolvido);
Aqui temos um pouco mais de 60 páginas que fico muito feliz em dizer que foram totalmente bem trabalhadas. Somos apresentados com pequenos detalhes dos personagens, que foram bem dosados de uma maneira que nos faz começar a entender e analisar quem eles são, ao mesmo tempo em que já nos deixam ansiando por mais.

A história é repleta de momentos de tensão tanto quanto de humor.
Eu amo quando estou lendo algo e a personalidade de algum personagem, seja ela leve ou intensa, me faz apreciar tudo de um jeito mais engraçado. E Desafiadores do Destino possui isso em quase todos os personagens. Lembrando que não digo que todos são engraçados, mas suas personalidades são bem particulares e importantes.

Sobre o enredo, insisto em dizer que apesar de achar que muita coisa ficaria em aberto, a história se fecha de uma maneira muito boa para o problema que foi apresentado no começo, mostrando que é apenas um início para essa equipe que foi reunida rapidamente, com algumas intenções não reveladas ainda pela ORU. O que me faz sentir que ainda teremos mais momentos bem importantes.

No todo e querendo evitar dizer muitas coisas para não estragar a experiência de vocês, a HQ é ótima. Fui surpreendida de maneira bem positiva e admito estar mega ansiosa para ler a continuação e poder acompanhar mais dos personagens que parecem esconder todo um passado.
Recomendo a HQ para quem já tem costume de ler e quer apoiar uma obra nacional, ou para quem ainda não tem se aventurou nesse mundo.
A história é tranquila de ler, as imagens não nos deixam confusas e toda a pintura atrai nossa atenção de maneira calma. É uma boa forma de começar a entrar no mundo dos quadrinhos e aguardar o próximo volume tão ansiosos quanto eu =D

Resenha no blog Sob Encomenda

site: http://sobencomendaa.blogspot.com/2018/10/desafiadores-do-destino-1-disputa-por.html
comentários(0)comente



Andrus ( @andrus05 ) 16/02/2020

Fantasia brasileira de primeira
Mais um conto lido do Felipe Castilho (li A Ordem Vermelha anteriormente) e ele não cansa de me surpreender. Mais uma história com um universo muito bem criado e contado.
comentários(0)comente



CT dos Livros 14/07/2020

Resenha do @ctdoslivros !
Obra: Desafiadores do destino: Disputa por controle
Roteiro: @felcastilho
Desenhos: @maurofodra
Cores: @marypotts
Editora: @aveceditora
Gênero: HQ de Fantasia

As Ilhas Falkland estão mergulhadas em uma sangrenta disputa territorial entre dois reinos: Lemúria e Atlântida. Muitos inocentes já morreram ao longo do conflito, incluindo os gorgs, moradores originais do lugar. Liderados pela misteriosa Lune Lefevre, uma equipe é montada às pressas: uma mulher indestrutível, um gênio excêntrico que usou o próprio cérebro em um experimento envolvendo autômatos, um meio-atlante bilionário e um homem treinado nas artes de combate de todas as tribos indígenas das Américas. Do meio deste grupo improvável poderá surgir a solução para o fim do conflito ou o evento que desencadeará uma destruição muito maior que a disputa territorial.

Uma história clássica de apresentação, onde primeiro vamos conhecer o contexto do mundo onde a história vai se passar, e depois somos apresentados individualmente a cada personagem, seja por meio de um flash back ou um simples diálogo, mas isso acontece de forma natural e não cansa o leitor, pois enquanto essas apresentações estão sendo feitas a trama principal vai acontecendo.

Essa fluidez na história só é possível pois texto e imagem casam perfeitamente e as vezes as coisas são ditas sem a necessidade de palavras.
Sobre a trama principal, ela sofre uma grande plot twist o que aumenta o ritmo da história e isso é fundamental para essa HQ ser tão magnifica. A trama usa o elemento da guerra para nos prender nos primeiros momentos, depois ela usa “política” e ainda consegue falar de temas mais profundos como até onde o fanatismo religioso pode levar civilizações a decadência.

Agora falando da parte artísticas, ela é simplesmente impecável, desde o desenho das paisagens até as expressões faciais, e falando em expressões faciais elas trazem tanto peso, que em certos momentos você consegue saber o que determinado personagem fala mesmo que nesse momento ele nem esteja falando nada! É incrível!

Não vou falar muito para não estragar a experiência da leitura. Você precisa ler! Disponível no site da @aveceditora
Avaliação: ★★★★★

site: https://www.instagram.com/p/B8G_7tvhVUr/
comentários(0)comente



Paula.Lemos 06/09/2020

Hq bem escrita e ilustrada e o melhor de tudo: é brasileira!
Com roteiro de Felipe Castilho, arte de Mauro Fodra e cores que combinam muito bem de Mariane Gusmão, temos uma Hq muito bem escrita e ilustrada e o melhor de tudo, é brasileira!!!
Em um universo steamfantasy temos uma Hq de ação, onde as ilhas FAlkland estão sendo disputadas pelos reinos da Lemúria e Atlântida, vendo essa disputada que já dura por muito tempo, a organização dos reinos unidos envia uma equipe montada as pressas para tentar por um fim nessa guerra sangrenta que está atormentando os moradores locais da ilha, os gorgs, mas algo inesperado acontece...
Em meio a aventura, o autor vai contando um pouco sobre cada personagem da equipe, seu passado, poderes e eventuais ligações que eles possam ter entre si, uma batalha envolvendo magia de deuses antigos, demônios e robôs de tecnologia avançada.
O enredo é muito bem trabalho e redondinho, a arte é de cair o queixo, muito linda e bem feita, as cenas de ação são maravilhosas e as cores casaram muito bem em cada quadro.
Sobre a edição, mais uma vez a editora Avec acertou e manteve o padrão, capa com papel cartão e miolo com papel couchê de boa gramatura e colorido.
Essa Hq ainda não comprei física, só li através do Kindle unlimeted pelo celular e me apaixonei pelo que vi, já quero e irei comprar minha versão física, mas deixo mais uma vez minha crítica as versões digitais das HQS da Avec, essa é mais uma que não está com a resolução boa, não está bem configurada ao formato, quando ampliamos, em alguns momentos, perdemos totalmente a nitidez dos textos, infelizmente o mesmo capricho da edição física não se repete na digital, a Avec precisa dar mais atenção aos arquivos que coloca no Kindle.
Em resumo: Hq nacional excelente, mostrando que sabemos sim, fazer boas histórias de ação e temos autores e artistas talentosos demais, parabéns a Avec pelo incentivo e apostar nesses materiais.
Ps.: Só não dei 5 estrelas, por esse pequeno problema na versão digital,mas espero muito ver um segundo volume dessa Hq com a mesma equipe que fez esse projeto dá certo, em uma nova aventura.
comentários(0)comente



Crônicas Fantásticas 14/09/2020

Desafiadores do Destino: Disputa por Controle
Resenha por Brena Gentil

Título: Desafiadores do Destino: Disputa por Controle / Autor: Felipe Castilho / Editora: AVEC / Gênero: texto em quadrinhos, steampunk, fantasia / Páginas: 64 / Ano: 2018 / Nota: 4,8 / 5,0

A última obra resenhada em nosso “esquenta CCXP” não só trata de uma missão a ser realizada por um supergrupo, como também foi feito por uma superequipe!

O quadrinista Marcelo Campos (Quebra-Queixo) e o desenhista Ronaldo Barata (Sobrenatural Clube) criaram a ideia central da HQ e os personagens, e colocaram nas mãos do Felipe Castilho a criação do roteiro. O Castilho acrescentou uma personagem, a Nay (ótima sacada!), e se juntou ao ilustrador Mauro Fodra (Justiça Sideral) e a colorista Mariane Gusmão (Reparos, de Brão Barbosa) para lançar esta incrível HQ pela AVEC Editora.



As Ilhas Falkland estão mergulhadas em uma sangrenta disputa territorial entre dois reinos: Lemúria e Atlântida.

Muitos inocentes já morreram ao longo do conflito, incluindo os gorgs, moradores originais do lugar. Liderados pela misteriosa Lune Lefevre, uma equipe é montada às pressas: uma mulher indestrutível, um gênio excêntrico que usou o próprio cérebro em um experimento envolvendo autômatos, um meio-atlante bilionário e um homem treinado nas artes de combate de todas as tribos indígenas das Américas.

Do meio deste grupo improvável poderá surgir a solução para o fim do conflito ou o evento que desencadeará uma destruição muito maior que a disputa territorial.

Desafiadores do Destino: Disputa por Controle é uma aventura em que a magia de deuses antigos e monstros esquecidos encontra as engrenagens e autômatos de mentes muito à frente de seu tempo.

A aventura se passa num mundo em que a Atlântida existe e evoluiu de maneira diferente. A ORU (Organização dos Reinos Unidos) convoca Lune, uma guerreira com uma entidade aprisionada dentro dela (coloração esplêndida, Mari!) para liderar uma equipe com o objetivo de dar fim a uma disputa territorial nas Ilhas Falkland. A equipe é formada por Redhawk, um índio Sioux; Lockwood, o bilionário mestiço dono da embarcação Marine; Dr. Loberstein, um cientista bastante peculiar; e Nay, a indestrutível (literalmente), com sede de vingança por uma entidade que descobriremos qual é no desenrolar da estória. É um quinteto disfuncional, mas que terá que vencer as diferenças em prol de algo maior.

A narrativa viaja entre o presente e o passado, conta uma aventura onde há flashbacks que explicam as motivações dos personagens e dão identidade a eles. Porém, não há tempo para se afeiçoar aos membros da equipe, pois o desenvolvimento da estória é direto, com muita ação e tensão; ainda há espaço para bom humor e referências históricas, políticas, literárias, e claro, de HQs gringas.

“Desafiadores do Destino: Disputa” por Controle cumpre o intuito de nos divertir e imergir nesse universo steampunk cheio de magia, tecnologia e criaturas lendárias. Há algumas surpresas que nos fazem cair da cadeira, como a transformação da Marine, e a revelação do que há dentro da Lune, além de ter muitos plot twists (o final me deixou sem ar). É uma estória fechada, mas que deixa ganchos para outros volumes, para trabalhar mais os personagens e acompanhar outras aventuras anteriores, como as de Redhawk e Lune.

Esta é uma obra nacional que não pode faltar na sua estante: a edição primorosa da AVEC fez o trabalho da equipe brilhar mais ainda. A competência do Felipe Castilho em nos entregar uma estória enxuta, coesa e divertida; o traço de Mauro Fodra e sua perspicácia para cenários, que obriga a prestar mais atenção que o comum e fisgar todos os detalhes; as cores da Mariane Gusmão, que surpreendeu em seu primeiro trabalho com quadrinhos e deu uma identidade visual única a HQ, com uma paleta de cores diferente da maioria das obras de steampunk, cheia de vida.

Interessou? Corre para a Artists’ Alley na CCXP 2018, que ocorrerá entre os dias 6 e 9 de dezembro. O Castilho estará na mesa B17-18, enquanto o Fodra estará na D44, além da Gusmão na mesa B25.

Você ainda pode adquirir seu exemplar na Amazon e na loja da AVEC.

Leia mais resenhas em cronicasfantasticas.com.br

site: https://cronicasfantasticas.com.br/2018/11/26/desafiadores-do-destino-disputa-por-controle/
comentários(0)comente



Amigol 29/01/2021

Desafiadores do destino
Escrito por Felipe Castilho, ilustrado por Mário Fodra e colorida por Mariane Gusmão, Pro Alanis e Brendda Lima, Desafiadores do destino, hq nacional, foi publicada em 2018 pela Avec em capa cartonada com verniz opaco e miolo em couchê.

Uma fantasia/aventura steampunk com personagens interessantes que deixa uma vontade de "quero conhecer mais desse mundo e personagens".

Pontos negativos: Paleta de cores um pouco apática para uma fantasia.
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11