As Rosas do Sobrado Azul

As Rosas do Sobrado Azul Zeli Scheibel




Resenhas - As Rosas do Sobrado Azul


3 encontrados | exibindo 1 a 3


jumorgensten 12/03/2020

Achei que fosse um romance "normal", porém, dei uma olhada nas resenhas, vi que tinha espiritualidade junto, resolvi me aventurar e que surpresa maravilhosa.

O livro é um romance atual-antigo, passa-se em Porto Alegre, conta a história de três mulheres da mesma família e tem Leonor como protagonista.

A mesma nunca se deu bem com a mãe e a sua vida vira do avesso quando ela morre e Leonor se depara um bilhete inacabado no caixão em meio ao velório. Além disso, encontra Gustavo, seu amor de adolescência e descobre que ele esteve nos últimos dias da mãe por ser médico.

Ao longo dos dias depois do enterro, a protagonista vai se deparando com o seu passado e muitas descobertas jogadas embaixo do tapete enquanto vó e mãe eram vivas. Ou seja: Resolva as suas pendências sempre para a vida dos entes a sua volta não virar um caos depois. :)

Leonor possui uma forte de mediunidade e sente que tudo precisa ser descoberto para seguir em frente, principalmente para montar o tão sonhado bistrô. E as respostas vem através das caixas deixadas pelas duas e Heitor, antigo funcionário da casa e que ajuda de todas as maneiras.

A protagonista descobre quem é seu verdadeiro pai, os motivos da avó não aceitar a culinária na família, a submissão e culpa da mãe e o quanto o perdão é importante para libertar a todos os envolvidos.

Além disso, o livro também aborda a importância de cada um descobrir por si o próprio caminho. Gustavo se afasta para ela entender melhor tudo todas as situações ao seu redor e se descobrir como mulher, filha e profissional.

É através de Heitor, que a moça fica conhecendo a Doutrina Espírita, o quanto os espíritos tentam se comunicar conosco e nos auxiliar de algum jeito e o entendimento de um acontecimento estranho em Sintra em Portugal.

O livro também aborda a culpa, reencarnação, os assuntos que ficam pendentes e o quanto isso afeta aqueles que ficam e a ligação do trio com as rosas.

As questões espirituais e mediúnicas são bem sutis ao longo de toda a narrativa. É um processo de auto-conhecimento e abrir os olhos espirituais tão gente como a gente que é impossível não rolar uma identificação.

O livro tem menos de 200 páginas e é mega envolvente. O texto é fluída e você vai lendo e quando viu terminou.

Eu fiquei bastante surpresa, principalmente com a delicadeza da autora e foi cada reviravolta que minha nossa. Incrível! Lerei mais obras da Zeli com toda a certeza.

site: http://hidratarvicia.com.br/2020/03/12/as-rosas-do-sobrado-azul-zeli-scheibel/
comentários(0)comente



Mariana (@livroscomcha) 05/07/2019

Emocionante e inspirador
Quando Leonor vai ao enterro de sua mãe, tudo muda. Ela não tem mais a mãe que sempre a criticou.
E quando Gustavo, seu amor do passado retorna, Leonor vai descobrir segredos do passado, que envolve nao só ela, mas sua mãe e avó!
.
No começo da leitura achei Leonor muito infantil, fria, insensivel. Mas depois de ler e refletir, pude entender o que estava por trás de uma mulher tão ressentida.
.
Tive pena dela, por toda a critica e insensibilidade que sofreu de sua mãe na infancia, adolescencia e ainda quando adulta.
.
E depois de descobrir segredos, até mesmo da pessoa que sempre adimirou, a sua avó.
Um passado que todos esconderam dela, e quando pensou que estava sozinha, aparecem pessoas que a ajudam a entender o sentido do perdão.
.
Muito espiritual e emocionante, voce vai ver o crescimento de Leonor, em cada capitulo.
No amor, profissão e familiar ?.
.
A autora está de parabéns pela escrita, sensibilidade em abordar tantos temas importantes! Um enredo envolvente e emocionante.
comentários(0)comente



Ana Claudia 15/06/2019

As Rosas do Sobrado Azul
Leonor é uma mulher forte e cheia de ideais.
Gostava de cozinhar e, embora fosse promotora de eventos, sempre sonhara em ter seu próprio restaurante, entretanto, lembrava-se dos comentários de sua mãe _ Rosa _ a respeito desse prazer nutrido apenas internamente por ela.
Certa manhã, mais especificamente em 14 de março de 2015, recebera a triste notícia do seu falecimento. No velório, diante do caixão, observou que um bilhete estava atrelado às mãos de sua mãe, o que a deixou intrigada e curiosa. Nele, Leonor vê que sua mãe, poucos instantes antes de falecer, diz da tristeza que sentia pelas diferenças entre as duas e da necessidade de lhe contar três coisas. Contudo, não consegue, vindo a óbito.
O que afinal ela queria lhe revelar?
Gustavo era o seu amor de infância. Outro fato de sua história de vida também reprimido por sua mãe. Tempos depois, nessa data de tristeza a todos, eles se reencontram...
Ainda assim, reavendo seu grande amor, tormentas do passado a rondavam. Era necessária uma espécie de remição interna da personagem para que conseguissem desatar elos que a prendiam, para conseguir seguir em frente.
Sonhos - bilhetes de Gustavo - resgates - passado - revelações...
...uma alma repleta de expectativas e de esperanças!
Uma história tão simples de ler, com fatos tão bem ajustados, que não nos dá vontade de ousar pular qualquer frase da trama!
[...]
(resenha completinha lá no blog!)

site: https://www.cafecomleitura.com/2019/06/2619-as-rosas-do-sobrado-azul.html
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3