Matei Meu Pai e Foi Estranho

Matei Meu Pai e Foi Estranho André Diniz


Compartilhe


Matei Meu Pai e Foi Estranho





Zaqueu começa com Z, a última letra do alfabeto. Deslocado por natureza e vocação: Zaqueu nasceu albino, de cabelos e pele mais que brancos, em meio a uma família de gente morena. Nasceu artista, embora a sua família nem imagine o que seja isso. É pobre, mas estuda em escola de rico - o patrão do seu pai é mesmo um sujeito generoso. Conhecemos e tornamo-nos Zaqueu nos seus momentos triviais e também nos marcantes: a descoberta de que seu pai tem uma outra família, os atritos com o irmão metido a marginal, as tentativas patéticas de desvendar o sexo oposto. Mesmo em em uma cidade de 12 milhões de habitantes, Zaqueu procura o seu lugar, talvez em vão, mas procura. Ele sabe que São Paulo vai devorá-lo vais cedo ou mais tarde. Pois que venha, então.

Fonte: https://www.lojamarsupial.com.br/matei-meu-pai-e-foi-estranho

HQ, comics, mangá

Edições (1)

ver mais
Matei Meu Pai e Foi Estranho

Similares


Vídeos Matei Meu Pai e Foi Estranho (1)

ver mais
Papo Zine | Matei Meu Pai e Foi Estranho

Papo Zine | Matei Meu Pai e Foi Estranho


Estatísticas

Desejam7
Trocam
Informações não disponíveis

João gregorio
cadastrou em:
16/12/2017 01:39:12
Thiago Lins
editou em:
16/02/2018 21:27:24