O Amor Que o Siciliano Não Quis

O Amor Que o Siciliano Não Quis D. A. Lemoyne


Compartilhe


O Amor Que o Siciliano Não Quis (Paixões Sicilianas #1)





Aviso: O Amor Que o Siciliano Não Quis, livro 1 da série Paixões Sicilianas, é um volume único. Os seguintes desta série poderão ser lidos separadamente, mas é provável que contenham spoilers dos anteriores.

Aviso 2: Pode conter gatilhos.

Ele é um poderoso CEO siciliano.
Ela é uma doceira que possui uma receita de chocolate secreta.
Ele é orgulhoso e desconfiado.
Ela é batalhadora e acredita em "felizes para sempre".

Tropes:

AGE GAP.
Fast burn.
Segunda Chance.
Filha desconhecida.
Convivência forçada.
Grumpy X Sunshine.

Rafaelle Parisi Trovato, um CEO que, entre muitos negócios, comanda uma empresa multinacional de automóveis de luxo, não tem qualquer intenção de manter um relacionamento a longo prazo, não apenas porque o pai destruiu a vida da família com suas traições, como também por ele mesmo ter se decepcionado quando estava prestes a chegar ao altar.
Para o magnata italiano, mulheres são diversão e tudo o que deseja com elas, é satisfação mútua.

Allyson Blanchard desde cedo aprendeu a lutar por si mesma e pelo pai, afinal, sua mãe a fez prometer no leito de morte que cuidaria dele.
A jovem e talentosa doceira possui uma receita secreta que é passada de geração a geração para as descendentes mulheres e que faz com que seu chocolate seja considerado por quem o prova como o melhor do mundo.

O destino trabalha para que o caminho dessas duas pessoas de realidades tão distintas se cruze e a partir de então, por mais que resistam, não há nada que possam fazer para impedir que uma paixão sem limites os envolva.

Mas a inveja e a maldade estão a postos para destruir esse amor e eles terão que lutar muito para ficar juntos, formando com a filhinha Belle, um “felizes para sempre”.

Ficção / Literatura Brasileira / Romance

Edições (1)

ver mais
O Amor Que o Siciliano Não Quis

Similares


Resenhas para O Amor Que o Siciliano Não Quis (48)

ver mais
Experiências
on 5/2/24


Até que ponto podemos tomar decisões baseadas em fatos passados? Acho que a premissa, muito usada e ouvida, que estar feliz demais dá medo porque algo ruim vai acontecer é mais arraigada em nossas mentes do que gostaríamos de admitir. É quando estamos felizes que nos tornamos suscetíveis a ataques, afinal estamos com as barreiras abaixadas e sem guardas de proteção. E o ?mal? se aproveita.  Rafaelle é a prova viva disso. Sempre tive muito mais medo da maldade humana que qualquer ou... leia mais

Estatísticas

Desejam2
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.3 / 192
5
ranking 58
58%
4
ranking 28
28%
3
ranking 13
13%
2
ranking 2
2%
1
ranking 0
0%

0%

100%

Samantha.Pinho
cadastrou em:
05/02/2024 12:30:48
Samantha.Pinho
editou em:
05/02/2024 12:32:15

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR