o charuto apagado de Churchill

o charuto apagado de Churchill Thomas Brussig


Compartilhe


o charuto apagado de Churchill





Em meados de 1945, representantes dos países vitoriosos na Segunda Guerra Mundial decidiram, na Conferência de Potsdam, o destino da derrotada Alemanha. A certa altura das discussões sobre a divisão de Berlim, o charuto de Winston Churchill, o premiê britânico, apagou-se. Josef Stálin, líder da União Soviética, apressou-se em oferecer-lhe fogo. Em retribuição, Churchill cedeu um pouco mais na negociação e concordou em traçar a linha divisória ligeiramente mais para o Oeste, permitindo que 60 metros da longa Alameda do Sol (com mais de quatro quilômetros no total) ficassem em Berlim Oriental. Ou seja, do lado soviético. Esta é a explicação ficcional de Thomas Brussig para o destino do trecho mais curto da Alameda do Sol (que de fato existe) e, ao mesmo tempo, o ponto de partida para este comovente e divertido romance.

O charuto apagado de Churchill conta a história do jovem Mischa Kuppisch e sua geração, que nasceu e cresceu sob o comunismo, morando no lado oriental da Alameda do Sol. Cara a cara com o muro, eles brincam, descobrem o sexo, esboçam atitudes rebeldes, procuram desesperadamente os últimos LPs de rock ocidental, carrinhos de brinquedo, carrões de verdade, viagens, uma vida melhor e outros produtos inacessíveis. O charuto apagado de Churchill revela de modo irônico e satírico como era a vida das pessoas no lado de lá do muro de Berlim durante os últimos anos da Guerra Fria. Sucesso de público e crítica na Europa, foi comparado com O apanhador no campo de centeio. Um romance pleno de graça e humor, que relembra os anos que antecederam a 9 de novembro de 1989, data da queda do muro de Berlim.

Edições (1)

ver mais
o charuto apagado de Churchill

Similares

(21) ver mais
História Viva Ed. 08
O Charuto de Churchill
A loucura de Churchill
A Guerra de Winston

Resenhas para o charuto apagado de Churchill (1)

ver mais
A vida dividida por um muro
on 24/11/14


Freud dizia que às vezes um charuto é só um charuto. Os personagens centrais do romance O charuto apagado de Churchill (L&PM, 149 páginas, R$ 25), do alemão Thomas Brussig, discordariam. Para eles, um charuto foi a diferença entre a liberdade e vida na Cortina de Ferro. O livro, primeiro do autor publicado no Brasil, conta a história do adolescente Mischa Kuppisch e de seu crescimento e formação em uma via de Berlim chamada Alameda do Sol. Com quatro quilômetros de extensão, a rua foi... leia mais

Estatísticas

Desejam4
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 3.7 / 11
5
ranking 27
27%
4
ranking 18
18%
3
ranking 55
55%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

44%

56%

Narzisse
cadastrou em:
26/09/2009 12:07:02