O Mal-Estar na Civilização

O Mal-Estar na Civilização Nina Saroldi


Compartilhe


O Mal-Estar na Civilização


As Obrigações do Desejo na Era da Globalização




Segundo Nina Saroldi, em O mal-estar na civilização de Freud, a renúncia à satisfação pulsional, pressuposta como estrutural à constituição do processo civilizatório, é o que nos retira do estado-de-natureza e o que nos faz ingressar no estado-de-cultura. A autora acrescenta que o pensar freudiano colocou o princípio de prazer como fundamental para o funcionamento dos processos psíquicos, mas também articulou ao princípio de realidade, diante do qual o prazer deve ceder lugar para que a cultura possa existir.
Uma questão fundamental, reiterada diversas vezes ao longo do livro, é tanto saber se as considerações de Freud sobre a relação entre o sofrimento dos indivíduos e a cultura em que vivem ainda se sustentam, quanto perguntar se tais considerações podem nortear uma avaliação crítica de nossas vidas, nossos sofrimentos e nossa cultura nos dias atuais. A resposta da autora é que a reflexão dos tempos de Freud é, sim, muito importante para pensarmos também sobre os tempos em que vivemos.

Edições (2)

ver mais
O Mal-Estar na Civilização
O Mal-Estar na Civilização

Similares

(21) ver mais
Totem e Tabu
As Duas Análises de uma Fobia em um Menino de 5 Anos
Histeria
Compulsões e Obsessões

Estatísticas

Desejam14
Trocam1
Avaliações 3.8 / 35
5
ranking 31
31%
4
ranking 23
23%
3
ranking 46
46%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

34%

66%


cadastrou em:
16/08/2011 11:38:08