Théo e a Maldição das Cores

Théo e a Maldição das Cores Anaté Merger




Théo e a Maldição das Cores





Os Cinco Reinos ficam em um local encantado onde apenas a imaginação pode alcançar.

Em Azurium, o azul domina a paisagem em um céu sem nuvens que se reflete nos olhos quase transparentes dos habitantes.

Em Lux, o amarelo brilha em diversos tons quando o vento brinca nos campos de trigo.

Em Viridis, o verde se estende por quilômetros a perder de vista em florestas fechadas.

Em Lilac, é o roxo da lavanda que predomina nas construções e principalmente nos campos quando as pequenas flores em forma de estrela se abrem durante o verão.

Em Dracoon, o marrom das escamas do dragão, símbolo do reino, é o mesmo tom que os habitantes têm nos olhos, cabelos e pele.

Pele.

Nos Cinco Reino, a cor da pele era coisa mais importante que existia. Tão importante, que uma lei muito estranha e severa afirmava que aqueles que nascessem diferentes deveriam ser banidos.

Diferentes como Théo, o príncipe herdeiro de Dracoon.

Filho único do rei mais rico e poderoso dos Cinco Reinos, Théo tinha tudo para se tornar um monarca sábio, leal e justo, mas antes de completar dez anos, os pais dele lhe contaram um segredo: ele nasceu diferente e para que permanecesse no reino usaram uma poção mágica que, infelizmente, só fez efeito por uma década.

Agora, o príncipe Théo deve atravessar os Cinco Reinos até chegar na Floresta das Almas Perdidas onde mora Blanche, a bruxa, para receber de novo a poção, e nesse caminho que vai lhe mostrar quem realmente ele é, Théo vai contar apenas com um cavalo, um gato falante, um monstro azul, muita coragem e a sua torcida.

Fantasia / Infantojuvenil

Edições (1)

ver mais
Théo e a Maldição das Cores

Similares

(15) ver mais
O Quarto Reich
Anjos Mortais
Crônicas de Markus
Trevas

Resenhas para Théo e a Maldição das Cores (7)

ver mais
Apaixonada pelo Théo
on 27/2/16


Título: Théo e a Maldição das Cores Autora: Anaté Merger Ano: 2016 Número de páginas: 258 Théo é o príncipe herdeiro do reino de Dracoon e com apenas sete anos foi enviado ao reino vizinho de Azurium, e ao chegar lá sentia-se mal, excluído pela forma como era tratado pelo príncipe Agostim, que era seu mestre. Em seu reino Théo sempre foi muito bem tratado e amados por todos, não conseguia entender de jeito nenhum porque era vítima de tanta hostilidade vinda de Agostim e dos amigos des... leia mais

Estatísticas

Desejam3
Trocam1
Avaliações 4.7 / 13
5
ranking 69
69%
4
ranking 31
31%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

4%

96%

Priscila
cadastrou em:
26/01/2016 10:51:00
barbaravitoriaauthor
editou em:
24/08/2017 17:48:02