A Hora do Diabo

A Hora do Diabo Fernando Pessoa


Compartilhe


A Hora do Diabo





Depois do baile de Carnaval, numa rua cheia de luar, o Diabo fala com Maria, para quem este é apenas um rapaz mascarado de Mefistófeles. Autodenominando-se “Deus da Imaginação”, a quem Maria deve os seus pensamentos com o Príncipe Encantado, bem como os seus sonhos com o Homem Perfeito ou o amante interminável, o Diabo descreve-lhe as suas melhores criações, o luar e a ironia, explicando-lhe como os crentes tremem do seu nome e as igrejas o abominam. Mas, em vez de impressionar Maria, esta demonstra-lhe a imensa pena que por si sente, e observa a expressão de angústia que perpassa pelo rosto e olhos do homem vermelho, ao deixar de súbito cair o braço que enlaçava o dela.
Refere Teresa Rita Lopes, no posfácio a esta obra, que A Hora do Diabo, juntamente com Fausto, o poema dramático que Pessoa foi escrevendo ao longo da vida, é um dos mais longínquos projectos do jovem Pessoa, correspondendo este texto, não a uma curiosidade literária, mas a um tema que o poeta sempre desejou desenvolver.

Fonte: http://www.almedina.net/catalog/product_info.php?products_id=6303

Edições (1)

ver mais
A Hora do Diabo

Similares


Estatísticas

Desejam6
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.1 / 32
5
ranking 44
44%
4
ranking 38
38%
3
ranking 9
9%
2
ranking 9
9%
1
ranking 0
0%

37%

63%

Luiz.M
cadastrou em:
16/03/2013 18:23:50