A invenção da solidão

A invenção da solidão Paul Auster


Compartilhe


A invenção da solidão





Nesse livro de memórias, o americano Paul Auster (nascido em 1947) alia seus notáveis talentos de poeta, tradutor, ensaísta e ficcionista. As recordações da infância e dos primeiros anos como escritor se entremeiam com uma profunda reflexão sobre a paternidade, o acaso e a literatura.

Paul Auster (nascido em 1947) é um dos autores mais apaixonantes da literatura americana atual. A invenção da solidão, um livro de memórias, é especialmente adequado para quem deseja se iniciar em sua obra, pois aqui ele exercita também seus notáveis talentos de poeta, tradutor, ensaísta e ficcionista. Construído na forma de um mosaico poético, o livro alterna recordações pessoais com comentários argutos sobre literatura, pintura e filosofia. O tema de base é a paternidade. Na primeira parte do volume, "Retrato de um homem invisível", Auster, abalado com a morte do pai, tenta examinar o mistério desse homem frio, esquivo, cujo enigma só começa a se desvendar por um lance de sorte. Chega ao conhecimento do escritor a notícia de um assassinato, ocorrido em sua família sessenta anos antes. Um trauma capaz de dobrar a vida de um homem em uma face visível e outra invisível. Auster relaciona essa experiência à literatura, arte que ensina a ver por trás de cada coisa uma outra, que só se vislumbra quando encarada do ângulo da ficção. As coisas têm uma vida dupla, no mundo e na nossa mente. Eis a raiz da solidão que Auster deseja investigar: o pensamento e a linguagem, que nos projetam para fora de nós mesmos, erguem ao mesmo tempo a barreira que nos isola do mundo e dos outros.

Na segunda parte, "O livro da memória", Auster inverte as posições e põe em foco sua relação com o filho. Experiências e situações se repetem, em um sutil jogo de coincidências, que deixam Auster frente a frente com as limitações inerentes ao papel de pai e com a solidão que também envolve seu filho. No curso dessa exploração poética, Paul Auster faz valer seus atributos de crítico literário e analisa obras como As aventuras de Pinóquio, As mil e uma noites, a poesia de Hölderlin, Mallarmé e Marina Tzvetáieva, o pensamento de Proust e Freud, além da pintura de Vermeer e Van Gogh. Entrelaça essas diversas obras, de forma irresistível, em torno do tema das relações entre pai e filho, ficção e vida, linguagem e solidão.

Biografia, Autobiografia, Memórias / Ficção

Edições (1)

ver mais
A invenção da solidão

Similares

(9) ver mais
O Complexo de Portnoy
As brasas
Terapia
O Bigode

Resenhas para A invenção da solidão (7)

ver mais
Livro necessário
on 8/5/21


O livro das memórias de Paul Auster - A invenção da Solidão - é um convite para que revisitemos as nossas próprias memórias da infância. Ao ler sobre a relação dele com o pai e, depois, com o filho, é impossível não trazer à tona as nossas próprias experiências. O livro é sobre a vida do autor, mas as anotações que fiz são sobre a minha vida. Essa magia está presente em todos os bons livros, mas, aqui, ele te pega pela mão e explica esse poder que está presente na literatura. Ele fal... leia mais

Estatísticas

Desejam101
Trocam3
Avaliações 4.0 / 132
5
ranking 36
36%
4
ranking 38
38%
3
ranking 20
20%
2
ranking 4
4%
1
ranking 2
2%

35%

65%

Justi
cadastrou em:
25/01/2009 21:23:05
Alê | @alexandrejjr
editou em:
07/05/2021 14:57:47

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR