A onda

A onda Todd Strasser


Compartilhe


A onda


O experimento que foi longe demais




Baseados em fatos reais, o livro que inspirou a série “Nós somos a Onda”, da Netflix, e o filme alemão homônimo, lançado em 2009. O que acontece quando um professor de história tenta recriar o movimento nazista em sala de aula?

A turma do último ano do Colégio Gordon deveria estar estudando a Segunda Guerra Mundial, mas os alunos parecem um tanto quanto céticos em relação ao nazismo. Afinal, parece impossível para eles que a juventude alemã tenha apoiado um regime com ideias tão deturpadas, que causou a morte de tantas pessoas. Mas Ben Ross, o professor de história da escola, parece ter a ideia perfeita para engajar a classe. Ele começa um movimento estudantil focado no discurso de “disciplina” e “comunidade”, bastante semelhante às premissas que inspiraram a juventude de Hitler.

A ideia era mostrar para a turma que, com um líder carismático e um discurso inflamado, é fácil se deixar levar; mas, em pouco tempo, a Onda varre toda a escola. Atraídos pela ideia de “igualdade” que propõe o movimento, os alunos veem na Onda a solução para problemas como bullying, desatenção e até mesmo o baixo rendimento do time estudantil em campo. Mas quando alguns alunos se recusam a se juntar à Onda, a pressão popular aumenta, e eles se veem vítimas da intolerância dos colegas.

Baseado em fatos ocorridos em 1969 em um colégio na Califórnia, A Onda traz questionamentos bastante atuais sobre o fascismo e a intolerância, explorando de forma brilhante o papel da juventude idealista na consolidação desses discursos.

“Nunca na vida li um livro tão contundente, instigante e emocionante quanto A Onda.” - The Guardian

Ficção / Literatura Estrangeira

Edições (1)

ver mais
A onda

Similares

(1) ver mais
The Wave

Resenhas para A onda (2)

ver mais
Impactada
2 weeks, 4 days ago


Eu confesso que tem alguns minutos desde que terminei essa leitura. Claro que ser baseado em fatos reais ajuda a aumentar a expectativa e te deixa ainda mais apreensivo, mas a questão não é somente essa. A questão é perceber o quanto você é suscetível a se deixar ser liderado, quão fácil é se tornar um extremista em um movimento com a justificativa de que você "se sente parte de algo". Eu acredito seriamente que se esse experimento ocorresse hoje, com a facilidade digital que temos, ... leia mais

Estatísticas

Desejam29
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.3 / 23
5
ranking 54
54%
4
ranking 38
38%
3
ranking 8
8%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

20%

80%

cinthia
cadastrou em:
28/05/2020 10:48:42
cinthia
editou em:
28/05/2020 10:56:29