A Paixão Segundo G.H.

A Paixão Segundo G.H. Clarice Lispector


Compartilhe


A Paixão Segundo G.H.





Considerado por muitos o grande livro de Clarice Lispector, A paixão segundo G.H. tem um enredo banal. Depois de despedir a empregada, uma mulher vai fazer uma faxina no quarto de serviço. Mal começa a limpeza, depara com uma barata. Tomada pelo nojo, ela esmaga o inseto contra a porta de um armário. Depois, numa espécie bárbara de ascese, decide provar da barata morta. Ao esmagar a barata, e depois degustar seu interior branco, operou-se em G.H. uma revelação. O inseto a apanhou em meio a sua rotina "civilizada", entre os filhos, afazeres domésticos e contas a pagar, e a lançou para fora do humano, deixando-a na borda do coração selvagem da vida. Esse desejo de encontrar o que resta do homem quando a linguagem se esgota move, desde o início, a literatura de Clarice. Mesmo sem ser um livro de inspiração religiosa, G.H. tem, ainda, um aspecto epifânico. Ao degustar a pasta branca que escorre da barata morta, a protagonista comunga com o real e ali o divino - a força impessoal que nos move - se manifesta. E só depois desse ato, que desarruma toda a visão civilizada, G.H. pode enfim se reconstruir. O escritor argentino Ricardo Piglia disse certa vez que toda a literatura pode ser reduzida a dois gêneros fundamentais: as narrativas de amor e as narrativas de mistério. Em G.H., essas duas claves básicas da ficção se entrelaçam. Pois é justamente a mistura letal de amor e mistério que chamamos de paixão. José Castello - jornalista, escritor e mestre em Comunicação

Ficção / Literatura Brasileira / Romance

Edições (13)

ver mais
A Paixão Segundo G.H.
A Paixão Segundo G.H.
A Paixão Segundo G.H.
A Paixão Segundo G.H.

Similares

(11) ver mais
Macunaíma
Gabriela Cravo e Canela
Grande Sertao - Veredas - Edicao Comemorativa
A poética da perseguição em Clarice Lispector e Julio Cortázar

Resenhas para A Paixão Segundo G.H. (225)

ver mais
Esse livro sou eu!
on 9/3/09


"Em uma outra vida que tive, aos 15 anos, entrei numa livraria, que me pareceu o mundo que gostaria de morar. De repente, um dos livros que abri continha frases tão diferentes que fiquei lendo, presa, ali mesmo. Emocionada, eu pensava: mas esse livro sou eu!". Clarice estava se referindo a Katherine Mansfield, nascida na Nova Zelândia, filha de pais ingleses e que abandonou o clima agradável, a vida abastada na bela ilha para entregar-se com paixão a seu intuito de tornar-se es... leia mais

Estatísticas

Desejam1.368
Trocam27
Avaliações 4.2 / 5.448
5
ranking 51
51%
4
ranking 28
28%
3
ranking 15
15%
2
ranking 4
4%
1
ranking 3
3%

25%

75%

C
editou em:
27/11/2019 10:57:54