Brejo das Almas

Brejo das Almas Carlos Drummond de Andrade


Compartilhe


Brejo das Almas





Publicado em 1934, mesmo ano em que Carlos Drummond de Andrade deixaria Belo Horizonte em direção ao Rio de Janeiro - onde desempenharia funções no ministério de Gustavo Capanema -, Brejo das Almas traz um conjunto consistente - e hoje perene - de poemas. Antecedendo o registro mais político e social de Sentimento do mundo e A rosa do povo - publicados na década de 1940 -, este livro mostra um Drummond interessado nos mistérios de eros, observando as engrenagens do amor e do desejo com uma ironia autodestrutiva e uma nonchalance tipicamente modernista.
Enfileirando clássicos drummondianos como “Boca”, “Soneto da perdida esperança”,
“O amor bate na aorta” e “Hino nacional”, entre outras pedras de toque do nosso modernismo, Brejo das Almas tem a particularidade de trazer, pela primeira vez na obra do poeta mineiro, um soneto - algo que as hostes modernistas rechaçaram de forma enérgica. Mais uma demonstração de ironia e espírito livre deste grande poeta.

Edições (2)

ver mais
Brejo das Almas
Brejo das Almas

Similares

(13) ver mais
A Rosa do Povo
A Paixão Medida
Sentimento de Mundo
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE (4 VOLUMES)

Resenhas para Brejo das Almas (4)

ver mais
Melancolia Drummondiana
on 12/4/14


Publicado em 1934, no mesmo ano em que Drummond deixaria Belo Horizonte em direção ao Rio de Janeiro, "Brejo das almas", segundo livro do poeta itabirano, é um conjunto de versos tristes e desesperançados, em que a poesia é classificada como incomunicável e o indivíduo Carlos parece sofrer de um embotamento lânguido e insolúvel. É difícil imaginar que "Brejo das almas" anteceda "Sentimento do Mundo" (1940), livro em que Drummond procura no outro a resposta para as dúvidas e crueldade... leia mais

Estatísticas

Desejam44
Trocam1
Avaliações 4.1 / 287
5
ranking 41
41%
4
ranking 36
36%
3
ranking 21
21%
2
ranking 2
2%
1
ranking 0
0%

43%

57%

Marcos
cadastrou em:
02/09/2013 15:21:44