Chão em chamas

Chão em chamas Juan Rulfo


Compartilhe


Chão em chamas





“Aqui a gente fala, e as palavras ficam quentes dentro da boca por causa do calor que faz lá fora, e vão se ressecando na língua da gente até a gente ficar sem fôlego.”

Assim iniciada a jornada de Chão em chamas que guia o leitor através da árida paisagem do estado de Jalisco, oeste mexicano. Ambientados nesse lugar da primeira infância de Juan Rulfo, os escritos aqui reunidos transitam entre a crueza de um realismo e a fantasia própria da existência latino-americana.

A construção deste livro foi por si só foi uma peregrinação. Os primeiros contos de Rulfo foram publicados nas revistas literárias Pan e América e, graças a sua qualidade, o autor logrou receber uma bolsa do Centro Mexicano de Escritores, quando escreveu mais sete histórias, e assim publicou a primeira versão de Chão em chamas em 1953. Ainda não satisfeito, Rulfo impôs ao livro mais revisões, adições e cortes, tanto de trechos e como de contos, até que, em 1970, assumiu uma forma final – sendo esta a versão a considerada para a presente edição brasileira. Nas palavras do amigo e tradutor Eric Nepomuceno: “Juan Rulfo era um obcecado pelo corte, pelo polimento final, pelo secar de um texto até reduzi-lo à mais rigorosa exatidão.”

Tanto zelo e precisão são tão trabalhados que quase passam despercebidos ao leitor. Os contos de Chão em chamas são repletos de marcas de oralidade, de introspecção ao ambiente agreste e duro, mas mesmo assim, encantador de Jalisco. Considerado uma obra regionalista, a realidade mexicana pode fazer soar como a brasileira e reverbera a condição humana universal e ao mesmo tempo que os dramas particulares latino-americanos. A morte, o conflito de terras, o amor, a doença, a sexualidade, a miséria, a fé, a violência, a injustiça e a indignação, são alguns temas que os personagens de Rulfo, homens e mulheres brutos, inflamados ou melancólicos, conduzem o leitor e se misturam em meio de desertos e chuvas da imensa chapada.

Chão em chamas é o primeiro e único de livro de contos de Juan Rulfo, este escritor mexicano maior, referenciado por nomes como Gabriel García Márquez, Jorge Luis Borges e Susan Sontag.

Obra aparentemente simples, porém, sem dúvida, profundamente desconcertante. Em sua unidade formal repousa uma grande diversidade de linguagens, registros e tons com os quais Rulfo aborda o problema de uma violência multifacetada – ora desencadeada, ora insidiosa –, a tal ponto naturalizada que não é mais reconhecida como tal.

Contos / Ficção / Literatura Estrangeira

Edições (3)

ver mais
Chão em chamas
A Planície em Chamas
Chão em chamas

Similares

(5) ver mais
De Castelo em Castelo
Concerto barroco
O Marcador de Página
Pedro Páramo

Resenhas para Chão em chamas (7)

ver mais
Contos Latinos
on 2/6/21


Nesse livro Juan Rulfo, autor mexicano premiado por suas obras, nos brinda com contos que nos mostra a dureza da vida no México do começo do século XX. Com uma escrita escorreita e precisa nos transporta para regiões pobres daquele México onde a morte, conflitos de terras, desamparo dos governantes, injustiças e violência são presentes. Através de personagens somos transportados para uma realidade duríssima conduzidas por homens e mulheres brutos e moldados pelas dificuldades do meio o... leia mais

Vídeos Chão em chamas (2)

ver mais
ELE ERA APENAS UM RAPAZ LATINO AMERICANO

ELE ERA APENAS UM RAPAZ LATINO AMERICANO

Chão em Chamas de Juan Rulfo

Chão em Chamas de Juan Rulfo


Estatísticas

Desejam70
Trocam1
Avaliações 4.2 / 68
5
ranking 43
43%
4
ranking 43
43%
3
ranking 13
13%
2
ranking 1
1%
1
ranking 0
0%

43%

57%

Jenifer
cadastrou em:
21/04/2021 12:09:17
Jenifer
editou em:
21/04/2021 12:09:30

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR