Cypherpunks

Cypherpunks Julian Assange


Compartilhe


Cypherpunks


Liberdade e o futuro da Internet




"Cypherpunks - Liberdade e o Futuro da Internet" é o primeiro livro de Julian Assange, editor chefe e visionário por trás do Wikileaks. O livro é resultado de reflexões de Assange com um grupo de pensadores rebeldes e ativistas que atuam nas linhas de frente da batalha em defesa do ciberespaço (Jacob Appelbaum, Andy Müller-Maguhn e Jérémie Zimmermann). A edição brasileira terá a colaboração do filósofo esloveno Slavoj Zizek e tradução de Cristina Yamagami.

Apesar de a internet ter possibilitado verdadeiras revoluções no mundo todo, Assange prevê uma grande onda de repressão no mundo online, a ponto de considerar a internet como uma possível ameaça à civilização humana devido à transferência do poder de populações inteiras a um complexo de agências de espionagem e seus aliados corporativos transnacionais que não precisarão prestar contas pelos seus atos. Em contrapartida, propõe o lema "privacidade para os fracos e transparência para os poderosos".

O livro reflete sobre a vigilância em massa, censura e liberdade, mas o principal tema é o movimento cypherpunk, que faz uso da criptografia como mecanismo de defesa dos indivíduos perante a apropriação e uso bélico da internet pelos governos, Estados e empresas. Os cypherpunks defendem a utilização da criptografia e métodos similares como meios para provocar mudanças sociais e políticas. O movimento teve início em 1990, atingiu o auge de suas atividades durante as "criptoguerras" e, sobretudo, após a censura da Internet em 2011 na Primavera Árabe. O termo cypherpunk, uma derivação (criptográfica) de cipher (escrita cifrada) e punk, foi incluído no Oxford English Dictionary em 2006.

Edições (1)

ver mais
Cypherpunks

Similares

(8) ver mais
WikiLeaks
Sem lugar para se esconder
Os Arquivos Snowden
Quando o Google encontrou o WikiLeaks

Resenhas para Cypherpunks (9)

ver mais
Conhecimento para o despertar…
on 15/5/13


Se você se deixar levar pelo tom alarmista dessa conversa entre Julian Assange, Jacob Appelbaum, Andy Müller-Maguhn e Jérémie Zimermann, todos envolvidos com o Wikileaks, com certeza desenvolverá uma paranoia sem tamanho em relação a tudo envolvendo internet e seus processos. O tom alarmista tem seu argumento, mas o livro deve ter outra função, muito além da paranoia: o despertar para a necessidade de um conhecimento mínimo de tecnologia e comunicação, para, assim, entender como o d... leia mais

Estatísticas

Desejam68
Trocam5
Avaliações 3.9 / 252
5
ranking 30
30%
4
ranking 40
40%
3
ranking 25
25%
2
ranking 5
5%
1
ranking 0
0%

67%

33%

Rony Marques
cadastrou em:
05/02/2013 07:25:42