Discurso da Servidão Voluntária

Discurso da Servidão Voluntária Etienne de La Boétie


Compartilhe


Discurso da Servidão Voluntária





O Discurso da servidão voluntária de Étienne de La Boétie é uma análise política sobre a obediência. Afirma que estados e governos são mais vulneráveis do que as pessoas imaginam e podem entrar em colapso em um instante: assim que o consentimento dos governados é retirado. Esta é a fascinante tese defendida por La Boétie.
Em tempos que corporações e governos ampliam de forma nunca antes imaginada o controle e poder sobre a população, este livro, escrito há quase 500 anos, é verdadeiramente o traço profético de nossos tempos.
O conciso texto tem uma importância vital para o leitor moderno – uma importância que vai além do puro prazer de ler uma grande obra original sobre filosofia política, ou, para o libertário, de ler o primeiro filósofo político dessa escola. O autor antecipou Jefferson, Thoreau, Arendt, Gandhi e Luther King. O ensaio tem profunda relevância para a compreensão da história sendo o grande inspirador da desobediência civil.

Como é possível ir de um mundo de tirania para um mundo de liberdade? Exatamente devido a sua metodologia abstrata e atemporal, La Boétie oferece perspectivas vitais sobre este eterno problema, afirmando que os estados e governos são mais vulneráveis do que as pessoas imaginam. Podem entrar em colapso em um instante: assim que o consentimento dos governados é retirado.

Edições (3)

ver mais
Discurso da Servidão Voluntária
Discurso Sobre a Servidão Voluntária
Discurso sobre a servidão voluntária

Similares

(3) ver mais
Ensaios
Discurso sobre a servidão voluntária
Discurso sobre a servidão voluntária

Resenhas para Discurso da Servidão Voluntária (46)

ver mais
on 22/1/16


Étienne de La Boétie, no Discurso sobre a Servidão Voluntária, mostra que na modernidade as coisas que possuímos acabam nos possuindo e só nos resta à ilusão da escolha. “Acaba por ser natural tudo o que o homem obtém pela educação e pelo costume; mas da essência da sua natureza é o que lhe vem da mesma natureza pura e não alterada; assim, a primeira razão da servidão voluntária é o hábito: provam-no os cavalos sem rabo que no princípio mordem o freio e acabam depois por brincar com ... leia mais

Estatísticas

Desejam30
Trocam2
Avaliações 4.2 / 208
5
ranking 47
47%
4
ranking 35
35%
3
ranking 17
17%
2
ranking 1
1%
1
ranking 1
1%

46%

54%

Cezar.Tosta
cadastrou em:
15/05/2021 16:11:33
Cezar.Tosta
editou em:
15/05/2021 16:12:03

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR