Um Abismo Atrai o Outro

Um Abismo Atrai o Outro Gabriel Yukio Goto


Compartilhe


Um Abismo Atrai o Outro





Os poemas de Um abismo atrai o outro atraem pela espontaneidade. As formas ocupam lugar secundário, estando presentes em pontos específicos para embelezar a brincadeira, mas de modo algum ditando as regras. Ninguém se deve deixar enganar pela singeleza dos versos, porém. Onde é maior a singeleza, mais crua é a sinceridade, e por isso mesmo nos afeta de surpresa. As profundezas em que o autor nos incita a mergulhar são as de sua própria alma. O leitor atento percebe que se trata de um abismo cavado a dentes trincados, com a pá furando camada atrás de camada de terra até encontrar o lençol freático onde ele, leitor, pode enxergar o próprio reflexo com nitidez assustadora. Talvez seja por isso que, nas palavras de Nietzsche, “se você olhar longamente para um abismo, o abismo também olha para dentro de você”. É Narciso que te olha lá de baixo. A identificação é inevitável. E, como a chave para curar Narciso é justamente encontrar seu eco na individualidade do outro, Um abismo atrai o outro carrega, sem dúvida, as propriedades terapêuticas da Arte.

Literatura Brasileira / Poemas, poesias

Edições (1)

ver mais
Um Abismo Atrai o Outro

Similares

(1) ver mais
A água que cai do céu.

Resenhas para Um Abismo Atrai o Outro (9)

ver mais
Profundo e reflexivo

Nos faz refletir sobre nossa vida cotidiana e momentos aos quais todos estamos sujeitos, profundo, em partes triste, mas uma ótima pedida para um dia de chuva.... leia mais

Estatísticas

Desejam2
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 3.5 / 50
5
ranking 20
20%
4
ranking 34
34%
3
ranking 30
30%
2
ranking 16
16%
1
ranking 0
0%

21%

79%

João gregorio
cadastrou em:
24/12/2019 15:56:01
Érika
editou em:
11/01/2020 01:03:26