A Felicidade é Fácil

A Felicidade é Fácil Edney Silvestre




A Felicidade é Fácil





Um dos maiores desafios para um autor é lançar um novo livro depois de um primeiro retumbante sucesso. Cria-se enorme expectativa e essa pressão pode inibir o escritor. Edney Silvestre enfrentou esse problema: Se eu fechar os olhos agora mereceu importantes prêmios literários e despertou o interesse do mercado estrangeiro. Sem se abalar por essas questões circunstanciais, Silvestre trabalhava uma nova narrativa, essa que temos em mãos.

A felicidade é facil comprova que Silvestre veio ocupar um lugar de destaque no quadro literário brasileiro. Com engenho, ele subverte a forma vencedora do primeiro romance, em que a macro-história (o conturbado período pré-ditadura militar) servia como pano de fundo a um relato de violência e mandonismo. Neste novo livro, os destinos pessoais estão indissoluvelmente ligados à macro-história, o governo Collor. O autor une as duas pontas da história recente do Brasil: se em Se eu fechar os olhos agora havia ainda uma certa inocência, por meio do olhar das crianças, em A felicidade é fácil ingressamos na era do cinismo, do despudor, do salve-se quem puder.

Tecnicamente, Silvestre nos dá uma lição: com alguns elementos típicos da narrativa policial, cria um romance político, gênero difícil e quase inexplorado no Brasil. Tudo transcorre, em capítulos intercalados, em menos de 24 horas, a partir da cena de um sequestro. Ficamos conhecendo então Olavo e Ernesto, publicitários envolvidos com a alta corrupção do governo federal; Mara, uma ex-acompanhante de executivos; Irene e o marido, além do filho, empregados domésticos; Major, motorista particular, e sua filha, Bárbara; e os membros de uma quadrilha internacional de sequestradores.

Impressionante como Silvestre penetra nos universos distintos de cada um desses personagens. O narrador trafega com desenvoltura pelos gostos consumistas de Olavo e Mara, pelos meandros da sangria de dinheiro do Brasil para o exterior, pelo mundo de desejo e frustração do casal Irene-Stephan e do Major e sua filha e, ainda, pelo linguajar e modos de delinquentes de alto coturno.

Ao fim e ao cabo, em meio à lama que parece avançar sobre tudo, Silvestre encontra esperança. Como no poema de Drummond, em que uma flor fura “o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio”. Sublime.

Edições (1)

ver mais
A Felicidade é Fácil

Similares

(4) ver mais
Se eu fechar os olhos agora
Boa Noite a Todos
Outros Tempos
Vidas Provisórias

Resenhas para A Felicidade é Fácil (14)

ver mais
A Felicidade é Fácil, mas nem tanto!!
on 30/11/11


A Felicidade é Fácil é o segundo livro escrito pelo jornalista da Rede Globo Edney Silvestre. Pra falar a verdade, tenho um certo preconceito em relação a escritores brasileiros, mas por ser bem indicado o primeiro livro resolvi arriscar nesse lançamento do autor. Vou ter que confessar que o começo me empolgou, com um escrita acessível e sem floreios, Edney começou um história envolvente e interessante, mas ao longo do caminho foi-se perdendo aos poucos na história. Posso resumir A FEL... leia mais

Estatísticas

Desejam29
Trocam15
Avaliações 3.6 / 169
5
ranking 24
24%
4
ranking 29
29%
3
ranking 33
33%
2
ranking 12
12%
1
ranking 2
2%

42%

58%

valmendes
cadastrou em:
02/11/2011 11:46:57