Senhora Dona do Baile

Senhora Dona do Baile Zélia Gattai


Compartilhe


Senhora Dona do Baile





Em Senhora dona do baile, Zélia Gattai retrata o período de exílio da autora e seu marido, o escritor Jorge Amado, quando ele teve os direitos políticos cassados por ser membro do Partido Comunista Brasileiro. Em 1948, Zélia deixou o Brasil com o filho João Jorge para encontrar-se com Jorge Amado na Europa, onde viveu durante cinco anos, participando intensamente da vida cultural européia, ao lado de personalidades como Pablo Neruda, Nicólas Guillén, Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir, Aragón, Paul Éluard, Picasso, Ilya Eremburg, entre outros. O cotidiano do casal é repleto de aventuras pouco comparáveis às experiências dos turistas convencionais em terra estrangeira: eles conhecem personalidades da política e do cenário cultural internacional, vivenciam o entusiasmo da classe intelectual que ainda acredita piamente no Socialismo e encaram com coragem uma Europa em reconstrução após os estragos provocados pelo Nazismo. Com bom humor e uma dose de erudição, Zélia conduz o leitor por Lisboa, Paris, Praga e a antiga URSS. Apesar do encanto exercido pelas excentricidades culturais de cada lugar, o casal sofre com a saudade dos entes queridos deixados no Brasil e do próprio João Jorge, quando Zélia e Jorge precisam se separar do filho para cumprir compromissos em outros países. Embora a partida de ambos tenha sido motivada por contingências políticas, as amizades adquiridas nesses cinco anos e os diversos apelos pela paz que foram endossados pelo casal dão a impressão de que o exílio foi tão frutífero para a família Amado quanto para aqueles que os acompanharam em terra estrangeira.

Literatura Brasileira

Edições (5)

ver mais
Senhora Dona do Baile
Senhora Dona do Baile
Senhora Dona do Baile
Senhora Dona do Baile

Similares

(7) ver mais
Crônica de uma Namorada
Um chapéu para viagem
Chão de Meninos
Città di Roma

Resenhas para Senhora Dona do Baile (3)

ver mais
Senhora Dona do Baile
on 28/7/17


Aviso: os livros de memórias da Zélia Gattai são altamente viciantes. Zélia conta neste livro suas memórias a partir de 1948, período em que ela e seu marido Jorge Amado estavam exilados na Europa com o filhinho João. A narrativa, como sempre, é agradável e despretensiosa, em tom de bate-papo. Mas neste livro pode-se apreender muitas informações sobre a situação política no mundo de então. Zélia e Jorge eram membros do Partido Comunista e estavam vivendo no auge da Guerra Fria, sent... leia mais

Estatísticas

Desejam24
Trocam9
Avaliações 4.0 / 200
5
ranking 37
37%
4
ranking 31
31%
3
ranking 27
27%
2
ranking 6
6%
1
ranking 1
1%

11%

89%

Kemi
cadastrou em:
16/01/2009 17:07:29