Maria Bonita

Maria Bonita Adriana Negreiros


Compartilhe


Maria Bonita


Sexo, violência e mulheres no cangaço




A mulher mais importante do cangaço brasileiro, que inspirou gerações de mulheres, ganha agora sua biografia mais completa e com uma perspectiva feminista. Embora a mitificação da imagem de Maria Bonita tenha escondido situações de constante violência, ela em nada diminui o caráter transgressor da Rainha do Sertão.

Desde os anos 1990, quando Vera Ferreira, filha do casal de cangaceiros mais famoso do Brasil, cravou como data de nascimento de sua mãe o 8 de março, Maria Bonita é celebrada no Dia Internacional da Mulher. Com o tempo, transformou-se em uma marca poderosa.

Enquanto a companheira de Lampião viveu, no entanto, essa personagem nunca existiu. A cangaceira que teve a cabeça decepada em 28 de julho de 1938 era simplesmente Maria de Déa: uma jovem de 28 anos que morreu sem jamais saber que, um dia, seria conhecida como Maria Bonita.

Nos anos em que viveu com Lampião e nos subsequentes à sua morte, despertou pouco interesse em pesquisadores ou jornalistas. E foi essa lacuna de informações sobre sua vida e a das outras jovens que viviam com o bando que contribuiu para que se criasse a fantasia de uma impetuosa guerreira, hábil amazona do sertão, uma Joana D'Arc da caatinga. Essa versão romântica e justiceira de Maria Bonita, rapidamente apropriada pela indústria cultural, tornou-se um produto de forte apelo comercial — e expandiu seus limites para além das fronteiras do sertão. Neste livro, Adriana Negreiros constrói a biografia mais completa até então daquela que é, sem dúvidas, a mulher mais importante do cangaço.

Biografia, Autobiografia, Memórias / História / Não-ficção

Edições (2)

ver mais
Maria Bonita
Maria Bonita

Similares


Resenhas para Maria Bonita (7)

ver mais
Resenha: Maria Bonita
on 25/10/18


Maria Bonita - Sexo, Violência e Mulheres no Cangaço é a mais completa biografia daquela que entrou para a história como a rainha do cangaço, Maria Bonita. O livro, recentemente publicado pela editora Objetiva - que nos cedeu um exemplar para a resenha - é a obra de estreia da jornalista Adriana Negreiros. Assim que vi a notícia de que a Objetiva iria publicar o livro, fiquei completamente empolgada. A figura de Maria Bonita e Lampião é tão mistificada e romantizada pela cultura pop... leia mais

Estatísticas

Desejam135
Trocam1
Avaliações 4.5 / 32
5
ranking 56
56%
4
ranking 38
38%
3
ranking 6
6%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

22%

78%

Pedro
cadastrou em:
12/07/2018 13:11:18
Albert
editou em:
25/09/2018 15:25:43