Mentiras Genuínas

Mentiras Genuínas Nora Roberts




PDF - Mentiras Genuínas


Com quase 680 milhões de exemplares vendidos no mundo, traduzidos para mais de quarenta idiomas, em que, somados, permaneceram quase mil semanas na lista de mais vendidos do The New York Times, Nora Roberts apresenta um de seus maiores sucessos: Mentiras Genuínas.

Eve Benedict fez de quase tudo na vida. Foi uma das maiores atrizes da história de Hollywood, ganhou dois Oscar e um Tony, teve quatro maridos e uma legião de amantes. Sua beleza é estonteante, seu poder, inigualável. Não há segredo ou mentira de Hollywood que ela não conheça. Após cinquenta anos sob os holofotes, ela quer passar sua vida para o papel. Mas todos estão a seus pés, implorando para que ela não faça isso. Até que ponto a renomada biógrafa Julia Summers estará disposta a arriscar a própria vida pelos segredos de outra mulher? Mentiras genuínas traz uma história eletrizante de suspense, intriga e romance.

Para isso, Nora Roberts criou um cenário vívido de Hollywood, centro cinematográfico mais importante do mundo, onde muitos mistérios pairam no ar. No fim, por meio de muitas reviravoltas, o leitor terminará o sem acreditar no desfecho.





Mentiras Genuínas

O PDF do primeiro capítulo ainda não está disponível

O Skoob é a maior rede social para leitores do Brasil, temos como missão incentivar e compartilhar o hábito da leitura. Fornecemos, em parceira com as maiores editoras do país, os PDFs dos primeiros capítulos dos principais lançamentos editoriais.

Resenhas para Mentiras Genuínas (20)

ver mais
Emoções fortíssimas


Comecei a ler Nora Roberts com 17 anos e, atualmente com 23, já li muita coisa dela. Costumo dizer que leria com prazer até sua lista de supermercado, mas nenhum livro me marcou como Mentiras genuínas. Vamos começar pela capa. Inicialmente seria outra (e eu até preferia ela) mas quando comprei o livro, notei que essa capa é melhor, ela nos da uma sensação de mistério, algo que tem muito na história. Originalmente, o livro foi publicado em 1991 e, depois de 22 anos, chega até nós. Mas ...