Quero andar de mãos dadas

Quero andar de mãos dadas Victor Lopes




PDF - Quero andar de mãos dadas


Johnny e Nicholas não se conheciam, mas desde que se encontraram pela primeira vez, viram que momentos bons podem existir em meio a sentimentos ruins e a uma vida onde nada parece estar do jeito certo.
Para Johnny seria só mais uma sexta-feira à noite comendo pizza com sua melhor amiga. Para Nicholas seria só mais uma sexta-feira à noite comendo pizza com sua prima. Acontece que a melhor amiga de um é prima do outro e foi assim que eles se conheceram. À partir desse encontro quase sem querer, surge uma amizade e um desejo adolescente que só cresce com as conversas, as opiniões musicais compartilhadas e os segredos confessados.
O que dois garotos adolescentes com um sentimento em comum um pelo outro podem fazer para se sentirem livres e viverem algo bom quando tudo ao redor parece conspirar contra? Mais do que isso, como lidar com os próprios pensamentos e opiniões indo de encontro aos seus desejos mais profundos e verdadeiros?
Uma história sobre um amor adolescente, a importância da família e a necessidade de lidar com coisas muito maiores que a própria vontade para que se possa ser feliz.





Quero andar de mãos dadas

O PDF do primeiro capítulo ainda não está disponível

O Skoob é a maior rede social para leitores do Brasil, temos como missão incentivar e compartilhar o hábito da leitura. Fornecemos, em parceira com as maiores editoras do país, os PDFs dos primeiros capítulos dos principais lançamentos editoriais.

Resenhas para Quero andar de mãos dadas (26)

ver mais
Necessário


Não estava preparada pra essa leitura, pensei que fosse mais um romance lgbt adolescente, daqueles bem clichês, mas não foi nada disso. Claro, tem o romance fofo, mas a história é sobre mais que isso, é sobre autoaceitação, sobre depressão, sobre o medo de não atingir as expectativas que criam sobre nós e muito mais! Por vários momentos me senti na pele dos personagens e acredito que isso foi o que mais me tocou, pois consegui sentir a dor deles. Confesso que achei pesado em alguns m...