Dash & Lily

Dash & Lily's Book of Dares Rachel Cohn
David Levithan




Resenhas - Dash & Lily's Book of Dares


19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Leticia 04/07/2021

??
Se você espera uma história que te surpreenda, esse livro não é pra você. Mas a história não é ruim, é apenas um romance calmo, eu gosto de chamar livro de transição, quando você precisa de um livro tranquilo como uma pausa entre dois livros ?furacões?. É um romance fofinho que aquece o coração.
comentários(0)comente



Mano 20/06/2021

Uma história gostosinha até
Quando eu vi a série na Netflix eu achei tão bom de assistir que fiquei curioso para saber como era o livro. Essa é uma daquelas histórias que não precisa pensar muito, não precisa grandes envolvimentos, apenas sentar, descansar e curtir a leitura.

Não dá para esperar um super livro, mas entre um livro pesado e outro, entre uma história que te impactou e outra, é uma ótima pedida. A história em si me convenceu muito mais na série do que no livro; as situações na série - que não houveram grandes modificações, mas pra fins de entretenimento visual é justificável - são mais dinâmicas, mais rápidas, te convencem mais. Inclusive alguns pontos das personalidades de ambos, visualmente, ficam mais fáceis de assimilar e entender.

No todo, é um bom livro pra ler na semana do Natal, acompanhar esses dois protagonistas pensando naquele sonho do Natal nova-iorquino. O inglês do livro não é difícil, tem umas sacadas no inglês geniais, que com certeza, pra quem gosta, são ótimos meios de estudo. Ademais, a forma como o livro termina não me deixou intrigado para querer continuar lendo os próximos livros ou querer saber o que acontece com Dash e Lily. Para mim, ficou aquele sensação de "conheci dois seres humanos curiosos durante um tempo e bastou para mim". Mas, acredito que um pouco mais de enjoyabilidade de alguns vai surtir esse desejo de saber por onde anda esses dois seres tão exquisites.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Cecília 11/04/2021

Do you dare?

What a 'Dashing' book! The sweetest one I've read in a very long time. For English language lovers, it's a must!!!!
comentários(0)comente



Babi | @porvezesleitora 24/03/2021

Dash e Lily o Dream couple mais improvável impossível
Sério, eu não pensei que fosse gostar tanto do livro, mesmo tendo engolido a série rapidinho em um dia só, o livro trouxe todo o sentimento de volta que no natal de 2020. A série com certeza vai entrar na minha lista de favoritos.
Pra quem quer treinar o inglês, é uma ótima pedida, tanto audiobook quanto o ebook são maravilhosos.

Lily as vezes me deixou um pouco irritada, mas aí eu lembrava que ela só tem 16 anos kkk e só estava agindo conforme a idade, agora o Dash não me decepcionou nenhum instante!!!!

O plot do final valeu muito mais a pena do que o final da série ?
comentários(0)comente



Jojo 13/01/2021

Por mais que seja um livro bem tranquilo pra relaxar a mente, confesso que não gostei tanto. Achei a história meio parada, mas a interação dos personagens pelo caderninho foi o que salvou.
comentários(0)comente



Fabi | @peripecias__literarias 13/01/2021

Uma leitura leve, justamente o que eu precisava no final do ano de 2020. Acabei conhecendo essa história através da série, que eu acabei gostando muito.

Eu gostei muito do livro, super divertida e gostosa... a história se passa em Nova Iorque e no natal. Imaginar os cenários do livro foi nostálgico pra mim, por ter passado o natal lá em 2019. Ri bastante em certos momentos e adorei a construção dos personagens (até mesmo de Dash que é meio chatinho na minha opinião).

Recomendo muito esse livro, principalmente se você está a procura de uma leitura super leve e gostosa.
comentários(0)comente



Julia.Santana 28/12/2020

Livro ótimo pra ler na época natal - virada de ano, da um quentinho no coração, bem fofo
comentários(0)comente



marci 31/10/2020

dash & lily
"Mas meu presente para mim mesmo naquela véspera de Natal era um retiro completo do mundo. Não liguei a TV. Não liguei para nenhum amigo. Não verifiquei meu e-mail. Nem olhei pela janela. Só o que fiz foi apreciar a solidão. Se Lily queria acreditar que havia alguém lá fora só para ela, eu queria acreditar que poderia ser alguém aqui dentro só para mim."

Eu passei o livro inteiro pensando nisso que é tudo que eu to precisando fazer no momento. Sobre o livro, é bom porém eu esperava mais, quando eu comecei a gostar de verdade o livro acabou do nada. (Eu fiquei assim????????)
comentários(0)comente



Amanda 23/03/2020

A história é fofa, porém a personagem da Lily me pareceu muito infantil. Acho que a ideia de enredo funcionária melhor com personagens mais velhos
comentários(0)comente



Juliane 23/07/2016

Opinião
Eu gosto de livros contemporâneos, mas situações irreais e absurdas não me convencem muito. Gostei do livro, mas algumas coisas foram um pouco exageradas pra mim...

site: https://www.instagram.com/ju_reads/
comentários(0)comente



Izabela 12/05/2015

Esse livro é mega-ultra-blaster especial para mim, de verdade. Tudo porque eu ganhei de presente de uma leitora, o quão demais é isso? Eu expliquei melhor o presente no Book Haul de Março, então se você quiser ver nos detalhes é só vir aqui. A leitora (Ana) escolheu esse livro porque ela achou que combinava muito com meu estilo (acertou!!) e porque ele é em inglês. É muito amor junto e misturado. O livro é uma delícia de ler e você nem percebe o tempo passando, o que pode ser um perigo, rs. O inglês é um pouco mais complicadinho (para mim foi tranquilo, mas sei que vocês gostam de saber isso, digamos, então, que é um livro bom para quem já passou do nível intermediário), mas não tem muitas gírias, o que pode ajudar. Ah, o livro ganhou cinco estrelas e mereceu muito cada uma delas. A história é contada (e escrita!) por duas pessoas diferentes, mas vou explicar isso (e todo o resto) nos detalhes aqui na resenha. Então, se quiser conhecer melhor o livro é só continuar lendo!


O livro conta a história do Dash e da Lily (jura? rs), dois adolescentes que moram na mesma cidade, mas que nunca se viram na vida. A cidade em questão é New York e a história se passa em uma das épocas mais mágicas do ano, o natal. Dash sempre detestou essa data, ele acha que tudo é falso demais e que as pessoas ficam ainda piores nesse feriado. Enquanto que Lily é apaixonada pela data. Ela conta os segundos até o dia do natal, participa de grupos de corais (de músicas natalinas), gosta de preparar comidas típicas e tudo mais. O problema é que exatamente no mesmo mesmo ano, mês e dia a vida dos dois resolve mudar o padrão do feriado. Os pais de Dash, que são separados, viajaram e cada um acredita que o filho está com o outro, ou seja, ele está sozinho... Mas porque quis isso, por mais que os pais não saibam. E aí temos Lily, cujo os pais, muito bem casados, estão em outro país comemorando uma lua de mel atrasada. Por mais que o irmão dela tenha ficado, ele está mais ocupado com o namorado dele, ou seja, ela também está sozinha. Dois adolescentes sozinhos no natal em New York. Espera, mas a cidade é gigante como eles se encontrariam? Com um livro de desafios, é claro.


"You take down the red notebook and open it.

And then you do whatever it tells you to do." - Página 1


Como Lily estava muito chateada com essa história de não ter o natal dos sonhos, seu irmão resolveu criar um livro com desafios para colocar ao lado do livro favorito dela em uma biblioteca que ela sempre vai. Ou seja, na lógica dele, só acharia o livro o par ideal dela. A pessoa com os mesmos gostos e vontades. E não é que deu certo? Enquanto andava pela biblioteca Dash achou o tal livro (que era, na verdade, um caderninho vermelho) e resolveu encarar os desafios. Os primeiros eram relativamente simples, juntar algumas palavras que estavam espalhadas entre outros livros, mas depois foram ficando mais criativos. Isso porque Dash resolveu que duas pessoas podiam jogar aquele jogo, essa era a lógica. Se Lily podia desafiá-lo, ele também podia desafiá-la. E nessa troca de desafios e caderninho vermelho eles vão fazendo muita coisa na cidade mais movimentada do mundo na época mais movimentada do ano. É claro que nem tudo é só desafios e flores, alguns problemas sempre surgem aqui ou ali, mas a resposta para tudo pode estar em um desafio de um caderninho vermelho. E você, aceitaria o desafio?



"I dare you." - Página 249


A escrita do livro é genial. Como comentei ali em cima, o livro é narrado por dois personagens diferentes (Dash e Lily), mas ele também foi escrito por duas pessoas diferentes! Exatamente, os capítulos narrados pela Lily foram escritos pela autora Rachel Cohn, enquanto que os capítulos narrados pelo Dash foram escritos pelo David Levithan. Os dois foram escrevendo de acordo com o que o outro escrevia. Na contra-capa do livro eles explicam que escreviam o capítulo e mandavam para o outro por email. Aí o outro escrevia mais um capítulo e mandava por email de volta e por aí foi. Até que terminaram o livro. É genial. Eu me diverti muito com os personagens principais, mas, ao mesmo tempo, Dash me irritou bastante. Lily tem as crenças dela, mas entende que as pessoas podem pensar diferente e que ela tem direito sim de ser mais feliz no natal, enquanto que Dash só sabe reclamar, criticar e (querendo ou não e direta ou indiretamente) falar mal de algumas religiões. Dei uma pesquisada e vi que isso é algo comum na escrita do Levithan, mas isso não muda o fato de que me incomodou muito. Você tem todo direito do mundo de não acreditar (no que quer que seja), mas você tem a obrigação de respeitar que não pensa como você. Tirando isso, eu gostei muito do Dash, mas Lily é minha personagem favorita do livro (por mais que em alguns momentos ela pense um pouco na onda do Dash).


O livro é um young adult bem levinho e gostoso de ler. Como comentei antes, a leitura é rápida e quando você percebe o tempo já passou correndo. Se gosta de histórias fofas, divertidas e cheias de desafios esse livro é para você. Eu me diverti de verdade com os desafios e me senti dentro do livro, fica a dica. Não sei se tem previsão para o livro em português, mas existem outros livros dos autores (separadamente) publicados em português. Ah, a dupla dinâmica publicou outros dois livros assim (nesse estilo de cada capítulo um escreve) e um deles até virou filme, fiquei com muita vontade de ler e de ver! Se já leu algum livro de um desses autores, ou até mesmo esse livro, comenta aqui em baixo o que achou! Ah, comenta também se já teve vontade de ler esse livro! Vou adorar conversar com vocês!

site: http://www.brincandodeescritora.com/
Margarida 09/06/2021minha estante
Eu comprei só por sua resenha pois parece incrível , mas não chegou ainda ? quando eu ler vou dizer oq achei ??




Ana 05/01/2014

Eu peguei esse livro porque The Knife of Never Letting Go me deixou deprimida. Eu queria um livro feliz e fofinho, e esse parecia ser tudo isso, e eu já queria lê-lo a algum tempo (David Levithan!). Ele se passa na época de Natal, e eu ainda tô no clima de Natal, então por quê não?
O livro é realmente bem fofinho, bem feliz. A família de Lily e suas mini-estórias me deixaram feliz e equilibraram as estórias tristes que o Dash contava sobre seus pais. Boomer, Langston, o avô, e até Sophia, foram ótimos personagens secundários que só fizeram do livro melhor ainda.
Eu AMEI Lily. Ela é tão otimista, tão alegre, tão boa, que não tem como não amá-la. E eu gostei bastante de Dash apesar de achar que ele é um pouco presunçoso. Nenhum adolescente fala do jeito que ele fala, David, mesmo que eu queira muito encontrar um homem assim. Vi muita gente reclamando do Dash no goodreads e falando que ele é inacreditável como pessoa porque usa palavras grandes e conversa de um jeito que ninguém conversaria, mas essas são as mesmas pessoas que tem The Fault In Our Stars como livro favorito, então não entendi o problema delas. (Hazel e Augustus também tem umas conversas bem atípicas pra jovens da idade deles, e o livro não deixa de ser maravilhoso.)
Apesar de tudo isso, eu sou obrigada a dar ao livro apenas 3 estrelas. Apesar de ter gostado, de ter lido bem rápido, e dele ter me deixado feliz, ele não tem aquela coisa... inesquecível, ou muito boa, que alguns livros pros quais eu dei 4 ou 5 estrelas tem. Me parecia injusto com os outros livros, mesmo que eu odeie compará-los. Se eu acho um livro muito bom, eu dou 5 estrelas pra ele, mesmo que ele não seja tão bom quanto, digamos, Lobos de Calla, um dos meus livros favoritos. Não é justo com o livro.
Mas esse livro foi bem... esquecível. Ele é uma boa leitura, me tirou da depressão literária, mas no final desse ano, eu vou me lembrar de alguma coisa da sua estória? Não. Ele serve como algo pra levantar seu humor, mas se você tem outras coisas na sua lista, eu definitivamente te recomendaria ler essas outras coisas primeiro.

Beijos, etc.

site: http://atravesdaestante.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Carol D. Torre 28/12/2013

Quem me conhece sabe que eu sou completamente maníaca por Natal, daquele tipo que passa a semana antes do dia 25 só vendo filmes, ouvindo músicas e lendo livros de Natal. Ano passado eu li Let It Snow (publicado esse ano por aqui como Deixe a Neve Cair) e esse ano resolvi me arriscar em Dash & Lily's Book of Dares que se passa entre o Natal e o Ano Novo. Não me arrependi nenhum pouco da escolha.

Lily ama o Natal, total e completamente. Porém esse ano tudo veio abaixo, seus pais resolveram comemorar o aniversário de casamento em Fiji e seu avó viajou para o outro lado do país, deixando Lily sozinha com o irmão que só quer saber de de ficar com a namorada. Vendo todas as suas tradições de Natal serem perdidas a garota começa a ficar desesperada o que leva seu irmão a ter uma brilhante ideia. Querendo dar a Lily algo para fazer, ele resolve escrever, em um caderno vermelho, desafios e o colocar na prateleira do autor favorito de Lily em uma das maiores livrarias de Nova York.
Dash odeia o Natal e tudo que vem junto com ele. Por isso enganou seus pais para poder ficar sozinho em Nova York enquanto eles viajam para comemorar o feriado, o que fica fácil já que seus pais não conversam há anos. Tentando fugir de tudo que o lembre do Natal, Dash se refugia no seu lugar preferido do mundo, a livraria Strand, e na prateleira do seu autor favorito encontra um caderno vermelho com desafios estranhos e intrigantes. Determinado a entrar nessa brincadeira e conhecer mais da garota por trás daquelas palavras, Dash vai colocar os dois em uma divertida busca por Nova York.

Eu logo de cara me identifiquei muito com a Lily por causa do seu amor por Natal, suas razões por amar tanto essa época, sua paixão por manter intactas todas as suas tradições, a excitação por cada parte especial desse dia, tudo isso me lembra demais dos meus sentimentos. Por isso entendi o desespero e a tristeza dela em ver sua data favorita do ano ser destruída, pode ser que alguns a achem um pouco irritante por causa disso, mas eu, felizmente, a compreendi.
A Lily é uma personagem muito divertida, cômica até, suas divagações, sua forma de lidar com as coisas, é tudo muito divertido e engraçado. Até mesmo quando tudo estava dando errado e/ou ela estava deprimida por causa de toda a situação, a Lily conseguia passar para mim uma atmosfera leve e bem humorada.

Já o Dash é o oposto da Lily. Ele até tem uma humor gostoso, principalmente por causa da ironia, mas ele aparenta ser, a todo momento, um personagem mais pesado. Apesar de ter amigos - mais que a Lily, que não tem nenhum, na verdade - ele parece ser uma pessoa muito solitária o que se deve muito ao relacionamento dos seus pais. Fica muito claro também, durante a leitura, a sua paixão por livros e a forma como eles se tornam seu refugiu. O Dash é cheio de citações literárias e uma personalidade nerd encantadora, o que me fez gostar ainda mais dele.

O livro é um tributo a Nova York é deliciosa a forma como a Rachel Cohn e o David Levithan fizeram essa viagem pelos principais pontos da cidade. Os desafios que eles criaram, a forma como foram entrelaçando personagens e situações, foi tudo tão bem feito e diferente que é praticamente impossível não se fascinar por essa característica da estória.

O relacionamento entre o Dash e a Lily também foi igualmente bem pensado e intrigante. É legal perceber que o que os conectou primeiro não foi um interesse amoroso, mas sim que através das páginas daquele caderno eles conseguiam se abrir completamente e dizer tudo que sentiam e pensavam e foi essa sinceridade que os ligou. O romance surgir ali só pareceu, simplesmente, normal e certo. Acho que vocês já perceberam que eles não são nenhum um pouco parecidos, mas mesmo assim conseguem se identificar e é uma delícia acompanhar essa jornada.

O Natal não é o destaque do livro, mas as características e peculiaridades da época estão presentes a todo momento da estória o que, obviamente, só me fez amar tudo ainda mais. Não é novidade que em outros países, como o EUA, por exemplo, se comemora de forma ainda mais intensa do que aqui e depois de ler tudo que foi dito nesse livro eu só fiquei ainda mais louca para visitar Nova York nessa época do ano. Tem uma coisa mágica sobre a época que traz uma aura totalmente diferente e encantadora para o livro.

As narrativas da Rachel Cohn e do David Levithan são leves, fluídas e gostosas de acompanhar. Eles conseguem escrever de forma simples, mas dizer muito com as palavras, o que torna tudo especial. O nível de inglês é fácil e a minha leitura foi muito tranquila, só tive dificuldades em pouquíssimas palavras.

Dash & Lily's Book of Dares é um livro divertido, fofo, romântico e encantador que traz á vida a magia do Natal. Não é nada excepcional, brilhante ou maravilhoso, mas foi uma leitura deliciosa e que cumpriu muito bem o seu papel. Eu super indico para qualquer um que queira, como eu, entrar no clima do Natal ou do Ano Novo, ou para quem quiser esquecer da vida e cair de cara em uma estória deliciosa.

"Eu acordei na manhã da véspera de Natal, e meu primeiro instinto foi de pura emoção: Yay! É finalmente o dia antes do Natal — Um dia antes do melhor dia do ano! Minha segunda reação foi uma patética lembrança: Ugh, e eu não tenho ninguém para compartilhar."

"Eu quero acreditar que há um alguém lá fora, só para mim. Eu quero acreditar que eu existo para estar lá para esse alguém."

"As pessoas importantes em nossas vidas deixam marcas. Elas podem ficar ou ir no plano físico, mas elas estarão sempre lá em seu coração, porque foram elas que ajudaram a formá-lo. Não há como superar isso."

site: http://rehabliteraria.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR