Icebreaker

Icebreaker A.L. Graziadei




Resenhas - Icebreaker


9 encontrados | exibindo 1 a 9


lune 18/01/2022

* desça a página para ler a resenha em inglês!

Obrigado à NetGalley e ao editor por me fornecerem um ARC digital em troca da minha opinião honesta.

Foi um livro complicado pra mim. Não consegui me conectar com o fato deles serem adolescentes ainda, quando li sobre como se passava na faculdade e todo o problema com a carreira eu imaginei que seriam mais velhos.
Ler sobre primeiros anos de faculdade é algo que gosto, são normalmente os passos de se descobrir, tomar decisões por si mesmo e tudo mais. Aqui fica ainda mais complicado: na verdade o personagem já vive sozinho há anos, ele já não é tão dependente de adultos como normalmente são nessa idade mas esse é o problema do livro pra mim: tudo ficou muito raso.

A gente não vê um crescimento, porque não tem grandes nem sequer pequenas decisões do dia dia onde seja possível a gente aproveitar o amadurecimento do personagem. Não temos detalhes do que acontece antes, como ele se virava e mesmo dentro da faculdade a gente mal vê nada.

Quando ele começa a mostrar as dúvidas sobre ficar os quatros anos porque está se conectando com o time, não funciona muito. Tanto porque a atração dele por outro personagem já está muito forte e presente quanto pelo fato de que ele nem sequer tem boas conexões com os outros colegas de time, não mostra coisas como treinos e ele conhecendo os outros jogadores. O único momento que ele tem com um colega ficou muito óbvio pra mim que usou só pra construir mais da jornada dele com a depressão.

Eu esperei o livro inteiro para ele conseguir ajuda, e quando ele consegue é resumido a medicamento. E claro que todo tratamento é válido, mas ele é auto diagnósticado durante o livro inteiro e toda menção a depressão vem seguido ou antes de menção dos pais dele, então me faz pensar.
Então a gente não vê a evolução da saúde mental dele, no final do livro em uma frase ele diz que muita coisa mudou depois da medicação e só.

Sobre a rivalidade e romance: O começo me deixou muito incomodada, mesmo que seja um esporte de contato o quão agressivo começou me preocupou de ser um bully romance, mas a evolução deles também não funcionou pra mim. Achei muito rápido, de como Jaysen foi de estar empurrando ele de um lado pro outro pra tá dando em cima dele e tal.
A rivalidade também não me moveu, acho que porque ambos estão no mesmo time e toda construção da batalha dos dois é só feita pela mídia que quem está o tempo todo passando pra gente é o próprio Mickey então não funcionou.

A questão de ficar muito na superfície se aplica a várias coisas: Como ele está sempre falando sobre machismo no esporte e como as irmãs dele são maravilhosas e não recebem o reconhecimento: mas em todo momento que isso vem a tona ele associa sempre as irmãs e a gente vê muito pouco da relação deles e mesmo que não fosse só pela relação, só tem uma cena onde a irmã está jogando e volta pra questão de pontos novamente.
Alguns momentos eram muito vergonha alheia até, de como ele olha para a riqueza dos pais e reclama, dizendo que daria para pagar isso e aquilo, como o pai dele é só "branco e rico" e não precisa de tanta segurança sendo que ele fala o tempo todo o quanto os pais dele são uma lenda no esporte. Sem contar o fato de ele usar uma bolsa de estudos, que cobriria toda universidade para um aluno que precisa, e eu não entendi o porquê dele fazer isso.

Eu amei a amizade entre o colega de quarto do Mickey e o outro jogador, foi a coisa que mais gostei do livro.

Eu acho importante como trouxe o recado que depressão acontece com qualquer pessoa, independente de trauma.
Pressão de escolhas sobre o futuro em adolescentes. Só acho que foi mal executado porque tentou deixar tudo leve com "muita" coisa acontecendo.

E aí ao invés de ir fazendo uma coisa lenta e bem executada, acumulou pro final e todos os problemas foram fechados de forma clichê e não resolvendo de forma boa os próprios problemas que foram trazidos.

/


Thanks to NetGalley and the publisher for providing me with a digital ARC in exchange for my honest opinion.

It was a complicated book for me. I couldn't connect with the fact that they were teenagers yet, when I read about how it was in college and the whole career problem I figured they would be older.
Reading about the early years of college is something I enjoy, it's usually the steps of discovering yourself, making decisions for yourself and all that. Here it gets even more complicated: in fact, the character has been living alone for years, he is no longer as dependent on adults as they normally are at this age, but that is the problem with the book for me: everything became too shallow.

We don't see growth, because there aren't big or even small day-to-day decisions where we can enjoy the character's maturation. We don't have details of what happened before, how he managed and even inside the college we barely see anything.

When he starts to show doubts about staying the four years because he's connecting with the team, it doesn't really work. Both because his attraction to another character is already very strong and present and the fact that he doesn't even have good connections with the other teammates, it doesn't show things like training and him getting to know the other players. The only moment he has with a colleague was very obvious to me that he used it just to build more on his journey with depression.

I've waited the entire book for him to get help, and when he does, it boils down to medication. Of course, every treatment is valid, but he's self-diagnosed throughout the entire book and every mention of depression comes before or after his parents' mention, so it makes me wonder.
So we don't see the evolution of his mental health, at the end of the book in one sentence he says that a lot has changed after the medication and that's it.

On rivalry and romance: The beginning made me very uncomfortable, even though it's a contact sport how aggressive it started worried me about being a bully romance, but their evolution didn't work for me either. I thought it was really quick, how Jaysen went from pushing him from one side to the other to hitting on him and stuff.
The rivalry didn't move me either, I think because both are on the same team and all the construction of the battle between the two is just done by the media that Mickey is the one who is passing on to us all the time, so it didn't work.

The issue of being too much on the surface applies to a lot of things: How he's always talking about machismo in sport and how his sisters are wonderful and they don't get the recognition: but whenever it comes up he always associates the sisters and we see very little of their relationship and even if it wasn't just for the relationship, there's only one scene where the sister is playing and comes back to the point again.
Some moments were a lot of embarrassment, even, of how he looks at his parents' wealth and complains, saying that he could pay for this and that, as his father is just "white and rich" and doesn't need so much security when he talks all the while how much of a legend his parents are in the sport. Not to mention the fact that he used a scholarship, which would cover the entire university for a student in need, and I didn't understand why he would do that.

I loved the friendship between Mickey's roommate and the other player, it was my favorite thing about the book.

I think it's important how  brought the message that depression happens to anyone, regardless of trauma.
Pressure of choices about the future in adolescents. I just think it was poorly executed because it tried to lighten up with "too much" going on.

And then instead of doing something slow and well executed, it accumulated towards the end and all the problems were closed in a cliché way and not solving in a good way the very problems that were brought.
comentários(0)comente



Loohreadings 25/01/2022

Amei demais
Recebi uma ARC em troca de uma review honesta no net galley.

Mesmo o livro girando em torno de um esporte q eu não conheço muito, eu amei. Amei o mickey, e toda vez que ele falava dos sentimentos dele eu queria botar ele num pontinho e o proteger de todo o mal. Esse enemies to lovers foi mto bom. E omg que final aberto foi esse... Eu amei. Achei que abordou a depressão e uma forma resumida, mas não deixou de ser uma menção importante. Foi uma leitura muito gostosa de fazer
comentários(0)comente



letícia 30/01/2022

Eu AMEI esse livro, a história é muito boa e foi muito gostoso de ler!!

Gostei muito dos personagens e torci por eles, o romance é apaixonante e eu amei a forma que os assuntos sérios foram tratados, me emocionei diversas vezes.

Amei o desenvolvimento da história, como as coisas foram se resolvendo e o final do livro no geral!!

Mas o final, final mesmo, eu ODIEI, porque os autores fazem essa merda?? Quem gosta disso?? Importa mais é o meu cú!!!!
Eu ia dar 5 estrelas, mas por causa desse final eu TIVE que diminuir!!
O pior é que eu já sentia que o autor ia fazer isso, mas eu tava com uma esperança de que ele não fizesse!!

Em fim eu recomendo muito, mas tô puta!!
comentários(0)comente



Luka 02/02/2022

Pra aquecer o coração
Uma história divertida e fofa, pra dar aquela acalmada. Me deu umas boas risadas e uns surtinhos de amor. Me identifiquei bastante com o Mickey em muitas situações, pra mim mostrou bem o lado da depressão em que apesar de tudo apontar que "você não tem motivo para estar assim", não é tão simples e deve ser levado a sério como qualquer outra doença.

O único defeito foi ser curtinho demais, queria mais deles juntinhos e dos jogos de hóquei. Fiquei na vontade de curtir mais um pouco do livro.
comentários(0)comente



Ronan 23/02/2022

Acho que 3.5 ⭐

Eu acho que é um livro divertido de se ler, o romance é interessante, eu gostei dos personagens, adorei ler o livro, mas mesmo assim sinto que faltou algo.
comentários(0)comente



mimi 24/02/2022

aftg sem drogas e facçoes
Eu comecei sem ter ideia alguma do plot, mas, Icebreaker está dentro de um dos meus subgêneros favoritos: gays no esporte. Mesmo isso sendo um enredo que eu goste, eu não tenho conhecimento algum de hockey, então toda vez que faziam uma referência ao jogo (o tempo todo) eu ficava completamente perdido, principalmente nas cenas onde um partida era descrita, mas acredito que isso não tenha atrapalhado na minha compreensão geral do livro.
Mickey já nasceu com seu futuro planejado para ele, foi premeditado que seria um profissional do hockey antes mesmo de ter nascido, e desde o início vemos como toda essa pressão corrói ele por dentro. Tudo isso da abertura para abordar (não muito profundamente) sobre a depressão e ansiedade que ele sofre, mesmo sendo ?extremamente privilegiado? como ele diz, e como isso não invalida o que ele sente.
Este livro aborda vários assuntos mas não se aprofunda de verdade neles, e eu não acho que isso seja, necessariamente, algo negativo. Icebreaker é um livro leve, com um romance rivals to lovers para passar a tarde e esse papel ele cumpre muito bem. Acredito que fãs de All for the Game e Running with lions irão gostar muito dessa leitura (mas não substitui a terapia que vocês precisam foxes)
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



gustav0 23/04/2022

amei o romance, a tensão entre os protagonista, e as discussões sobre saúde mental. a parte de hockey foi bem desinteressante pra mim, e as questões familiares foram meio batidas. mas no geral gostei bastante!
comentários(0)comente



Brubs 05/05/2022

Necessário e perfeito
Me conectei de verdade com o livro, foi muito importante ler um livro que fala sobre a depressão dessa forma tão íntima. O livro, ao mesmo tempo que desenvolveu um romance tão fofo, mostrou como é difícil descobrir quem vc é, e como a depressão torna td mais pesado. Amei ler o livro, me ajudou a sentir menos sozinha, foi incrível
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR