Carrie, a Estranha

Carrie, a Estranha Stephen King




Resenhas - Carrie, A Estranha


277 encontrados | exibindo 256 a 271
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 18 | 19


Psychobooks 21/07/2014

'Carrie, a estranha' é o primeiro livro publicado do autor, a edição que li é de 2013 e traz uma introdução do autor contando um pouco sobre o processo de criação e publicação da obra.

Quando eu comecei a leitura, procurei ter em mente que essa história foi publicada em 1974 e era a primeira do autor, ainda assim, fiquei surpresa pela qualidade da escrita do mestre. A maior diferença que percebi ao ler Carrie depois de ter lido obras mais recentes do autor, é que agora ele passa mais tempo desenvolvendo os personagens secundários, aspecto que me agrada muito.

Já comentei em outras resenhas que nenhum personagem dos livros do King são meramente secundários, cada um tem sua própria história e papel a ser desempenhado dentro do enredo, ninguém está ali para fazer figuração ou 'número'.

- Enredo

Carrie White vive na pequena cidade de Chamberlain no estado do Maine, sua mãe - Margaret White -, é uma fanática religiosa que criou a filha de forma restrita e severa. Carrie sempre foi motivo de chacota para seus colegas na escola. Aos dezesseis anos, ela passa por um evento traumático no chuveiro coletivo da escola, algumas medidas disciplinares são tomadas e a garota mais popular da escola não gosta nem um pouco da punição recebida. Carrie tem poderes telecinéticos que estavam latentes e eram mal compreendidos por ela até o momento.

O Baile da escola está chegando e todos na cidade estão se preparando para o evento, um ato de bondade faz com que Carrie sinta-se parte do grupo, mas essa sensação não irá durar muito tempo e ela se vingará da forma mais tempestuosa que conhece.
carrie a estranha

- Narrativa e desenvolvimento

O livro é dividido em três partes: Brincando com Sangue, A Noite do Baile e Os Escombros. A maior parte da ação se dá em A Noite do Baile, mas a tensão criada em Brincando com Sangue e a finalização em Os Escombros são sensacionais.
A narrativa é feita em terceira pessoa e acompanha o ponto de vista de vários personagens. Também há trechos de estudos, entrevistas, livros que estão relacionados ao estudo do 'caso Carrie'.

Quando Carrie descobre que pode controlar seus poderes e começa a praticar algumas coisas, tive aquela sensação de 'vai dar merda' e a tensão só foi aumentando até culminar a vingança da garota.

O autor inseriu no enredo temas como fanatismo religioso, bullying, vingança e os desenvolveu de forma magistral. Nos dias de hoje, esses temas são comuns, mas imaginem essa discussão em 1974! O autor ainda levanta questionamentos sobre Carrie estar certa ou errada, afinal ela perdeu o controle por consequência de todo bullying que sofreu, por causa da sua criação severa, mas ao mesmo tempo, quem tem o direito de tirar a vida de outra pessoa? Deixando essas questões morais de lado, a vingança da Carrie foi a mais assustadora e sensacional que já vi na literatura.

- Concluindo

'Carrie, a estranha' é uma estreia sensacional do autor e uma ótima indicação para quem quer entrar no mundo de King, um livro tenso, cheio de sangue, mas não tem aquele terror nível hard de outras obras e vai muito além de elementos fantasiosos e assusta o leitor com a crueldade da natureza humana perante ao diferente e desconhecido.
Filmes

Em 1976 o livro foi adaptado para o cinema por Brian de Palma, em 1999 veio a sequência que se passa vinte e três anos após o primeiro filme. Em 2002 foi feito uma refilmagem sob a direção de David Carson. Em 2013 Carrie, a estranha foi levado às telonas mais uma vez, com a direção de Kimberly Peirce.

"- Mas quase ninguém descobre que seus atos, na verdade, magoam realmente os outros! Ninguém fica melhor, as pessoas só ficam mais espertas. Quando fica mais esperto, você não para de arrancar asa de mosca, só imagina um motivo melhor para fazer isso. Muita gente está dizendo que tem pena de Carrie White, as meninas principalmente, e isso é uma piada, mas garanto que nenhuma delas sabe o que é ser Carrie White cada segundo do dia. E, no fundo, estão pouco ligando."
Página 76


site: www.psychobooks.com.br
comentários(0)comente



Carol Helena 31/07/2016

Onde tudo começou
Carrie é uma jovem no último ano do colegial com uma vida pacata abalada pelo fanatismo religioso vindo de sua mãe - e, anteriormente, seu pai -, mas logo a jovem descobre novos poderes e com eles, novos perigos.
O livro se passa no Maine, logo você vai perceber que isso se tornou marca registrada do King, na década de 70. o estilo do autor é simples, marcante e visual, além de ser um dos livros mais imersivo que eu já li (com um começo lento? sim, porém imersivo). O problema é que o mistério foi estragado pela cultura pop, estamos soterrados de filmes com vinganças adolescentes, protagonistas oprimidas... que toda a reviravolta perde a graça, não considero que isso altere o valor da obra pois nos permite ver a construção de história e personagens que é impressionante .
comentários(0)comente



Tauan 22/09/2015

O início
O primeiro livro publicado por Stephen King conta a história de Carietta "Carrie" White, uma adolescente estigmatizada e dotada de poderosos dons telecinéticos, educada por sua mãe, Margaret White(uma fanática religiosa de dar ódio), com brutalidade e ameaças de condenação.
Na escola Carrie, que sempre enfrentara a perversidade das outras crianças por causa das loucuras de sua mãe, vê tudo se tornar pior quando tem sua primeira menstruação, enquanto toma banho após uma aula. Ela não fazia ideia do que se tratava, pois sua mãe jamais falara com ela a respeito. Suas colegas usam a situação como o supra-sumo da chacota.
Ela começa a se lembrar de incidentes em sua vida que podem ser atribuídos à telecinese, por exemplo, uma chuva de pedras em sua casa quando tinha apenas três anos. Ela pratica os seus poderes em segredo, até obter total controle.
Sue Snell, que, antes, também caçoara de Carrie, arrependida pelo que fizera à ela, convence o seu namorado, o popular Tommy Ross, a chamá-la para o Baile da Primavera.
Chris Hargensen, a líder das que tiram a paz de Carrie, faz com que seu namorado prepare uma armadilha de forma que dois baldes com sangue de porco caiam sobre Carrie quando ela for coroada rainha do Baile da Primavera, o que seria arranjado por Chris.
Carrie ensopada de sangue de porco. Todos riem dela, que então, abandona o ginásio onde ocorre a festa e decide usar seus poderes de telecinese como vingança.
O resultado é uma destruição sem fim que valhe a pela ler para saber!
Pra mim este é o melhor livro do King.

site: http://pausaparaaleitura.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Luvanor N. Alves 03/08/2016

MARCADOR EXPRESSO - CARRIE, A ESTRANHA
Há, no Maine, nos E.U.A,
Uma mãe religiosa condenando o mundo ao inferno;
Garotas asquerosas prontas a “estancar” aquilo que consideram anormal;
O sonho do Baile de formatura pronto a surgir na esquina...

E uma garota “estranha” capaz de torcer sua alma com o poder da mente.

Pessoal, continuem lendo no blog Marcador Expresso!
Restava essa para concluir meu amor por King!
Ficou bem legal!
Se gostarem de nossa escrita, sigam-nos no Blog (link) e em nossa página no Facebook!
Brigadãooooooooo!


site: http://marcadorexpresso.blogspot.com.br/2016/08/carrie-estranha-de-stephen-king.html
comentários(0)comente



Marcia Cogitare 25/07/2012

Trash
Na minha humilde opinião - livro bagaceira, trash, bem lado B, me fez lembrar de alguns filmes do Tarantino.
Acho que é só.
Gláucia 26/07/2012minha estante
Deve ser por isso que gostei :)
Trash é lindo, como diria Caetano.






Marcia Cogitare 27/07/2012minha estante
Ah tua cara esses trash da vida,rsrsrs




spoiler visualizar
comentários(0)comente



milacavalcante 02/06/2013

Carrie, a estranha - Resenha para o blog welcomettjungle.blogspot.com.br
Nunca tinha lido um livro do Stephen King mas como todo amante de histórias de ficção, já tinha ouvido falar sobre seus livros e até já tinha pesquisado sobre eles. Mês passado tive a oportunidade de ler Carrie, a estranha e não posso dizer que o livro me encantou de primeira.

Carrieta White é uma adolescente nada comum. Vive em Chamberlain com sua mãe, Margaret White, uma fanática religiosa que atormenta Carrie de todas as formas com seu estilo de vida devoto. Não estou querendo criticar religiosos ou algo do tipo, mas que mulherzinha chata. Se alguém tem culpa do fatídico final do livro esse alguém é Margareth White.

Carrie sofre constantes humilhações na escola e é uma garota solitária. No vestiário da escola, ela tem a sua primeira menstruação e por nunca ter sido informada de que isso acontecia, ficou desesperada achando que estava se esvaindo em sangue. Obviamente, isso rendeu mais humilhações de seus colegas de classe, entre eles Sue Snell e Chris Hargensen, personagens importantes do desenrolar da história.


Leia mais em: http://welcomettjungle.blogspot.com.br/2013/05/carrie-estranha.html
comentários(0)comente



Marcador Expresso 03/08/2016

MARCADOR EXPRESSO - CARRIE, A ESTRANHA
Há, no Maine, nos E.U.A,
Uma mãe religiosa condenando o mundo ao inferno;
Garotas asquerosas prontas a “estancar” aquilo que consideram anormal;
O sonho do Baile de formatura pronto a surgir na esquina...

E uma garota “estranha” capaz de torcer sua alma com o poder da mente.

Pessoal, continuem lendo no blog Marcador Expresso!
Restava essa para concluir meu amor por King!
Ficou bem legal!
Se gostarem de nossa escrita, sigam-nos no Blog (link) e em nossa página no Facebook!
Brigadãooooooooo!


site: http://marcadorexpresso.blogspot.com.br/2016/08/carrie-estranha-de-stephen-king.html
comentários(0)comente



Sarah 04/05/2014

Resenha no blog Sincerando.com, escrita por Sarah Sindorf
Stephen King sempre foi um escritor meio desconhecido para mim, pois não estou acostumada a ler o gênero Terror e raramente leio suspenses também. O único que tinha lido era Insônia, que gostei muito. Já assisti aos outros dois filmes de Carrie, e sempre achei a história intrigante, e como será lançado um novo filme que aparentemente será mais fiel ao livro, resolvi lê-lo.

A história se passa com Carrie White, uma jovem no último ano do colégio, que sofre o que chamamos hoje em dia de bullying por ser considerada esquisita, pois é uma menina introspectiva, sem amigos, e que se veste de uma maneira diferente, sempre de blusa de manga comprida com gola fechada, suéteres largos e saias longas.

Carrie é orfã de pai, e a mora com sua mãe, uma mulher fanática religiosa, que vê pecado em tudo que existe, e por isso quando sua menstruação chega extremamente atrasada no meio do vestuário, durante o banho, a reação de Carrie é a de pavor, achando que está morrendo. Como é uma reação no mínimo inesperada, e ainda por cima por sofrer bullying, suas colegas aproveitam a situação para mais uma vez, humilhá-la.

O que ninguém sabe é que Carrie tem poderes telecinéticos, e quando em descontrole emocional, eles se ativam independente de sua vontade. E isso pode ser muito perigoso.

O livro é muito diferente das duas versões do filme. Tanto quanto à personagem quanto à história. No livro temos mais contato com as emoções, pensamentos e aflições da principal, pois temos vários pedaços narrados por vários personagens, além fragmentos de livros e notícias ficcionais para amparar e ajudar a contar a história, nos dando a sensação de que ela realmente existiu.

Acho interessante no livro a lição contra o bullying, o perigo do fanatismo religioso e o que a falta de amor e amizade acarreta numa pessoa. O livro é bem curto, e de uma leitura fácil e rápida. Recomendo!

site: http://www.sincerando.com/2013/02/carrie-estranha.html
comentários(0)comente



Leila 13/11/2014

Livro e filmes
Este foi o primeiro livro de Stephen King que li (ainda não tive coragem de ler os outros, mas quero ler!). A narrativa de King é maravilhosa. Já assisti a vários filmes baseados em seus livros, um dos meus preferidos é "Um sonho de liberdade". Também assisti a duas temporadas de Under the Dome, estou adorando a série!
Já faz um tempo que li esse livro, mas, como me marcou muito, resolvi resenhar. Também aproveito para falar um pouco sobre os filmes baseados no livro.
Carrie é uma garota tímida e fechada que sofre bullyng constante na escola por ser diferente das outras meninas. É impossível não se imaginar no lugar dela. Acho que é por isso que gosto tanto da história. O fato de você pensar que uma pessoa que sofre com a maldade dos outros possa desenvolver poderes paranormais e se vingar de todos é bem interessante (é cruel, mas é interessante...).
Como gosto muito da história de Carrie, assisti às três versões do cinema (não sei se existem mais versões, só conheço essas). As três versões são bem fiéis ao livro nos principais pontos. Mas todas tem algumas diferenças em relação à obra de King. Eu particularmente gosto do final da 2ª versão (2002), onde Carrie tem um final diferente do livro.
Mas gostei de todos os filmes. Adoro a cena em que ela vai caminhando pela rua e tudo explode ao redor. Também gosto da cena em que o casal “malvadinho” tenta atropelar Carrie (coitados, não sabem o que os espera!).
E vocês? Assistiram a algum desses filmes? De qual versão gostaram mais?

Resenha publicada no blog Meus Livros e Sonhos:

site: www.meuslivrosesonhos.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Anne M. 07/04/2013

Carrie, a estranha...? Ela não era estranha, apenas uma vítima do fanatismo religioso da mãe. Carrie tentava sair da "bolha" imposta por sua mãe e sofreu muito por isso. Uma adolescente reprimida, que só desejava ser como as outras.
Tive pena tanto de Carrie quanto da mãe. Apesar de tudo, acho que seus poderes foram muito bem utilizados.
Essa foi minha primeira leitura de Stephen King, e achei fantástico. Com certeza lerei muitas outras obras desse mestre.
comentários(0)comente



Tiago Ribeiro 11/03/2010

Bom, o que falar desse livro que pra mim foi mais que um livro, foi um modo de ver como pessoas podem ser tão hipócritas e sei que realmente isso existe porque já vi com meus próprios olhos: Pessoas querendo ser mais que outros. Stephen King como sempre me surpreendendo com seus livros. Carrie não é tão estranha que aparenta ter no filme, ela parecia uma autista no filme... é filme né? E filmes baseados em livros nunca dá certo. Acho que a culpada era a mãe dela que era completamente biruta. Eu senti tanta pena da Carrie ao longo do livro e gostei bastante quando ela queimou todos!!! Gostei como o SK retratou o horror que foi a cidade ardendo em chamas e ADOREI a cena da Carrie a mãe, melhor parte do livro! Ótimo livro, recomendo!
comentários(0)comente



Carol 16/05/2016

Eu x Stephen King
Segundo livro que leio do autor, e ainda não consegui estabelecer uma "ligação" com ele. Fico frustrada por não enxergar seus livros como vejo seus fãs enxergarem.
Pretendo tentar um terceiro livro do autor, pois me recuso a achar que "ele não faz meu tipo".
Por isso dei 3 estrelas.
Gilles Vieira 27/07/2016minha estante
O primeiro e único livro que li foi "O Iluminado". Também não me identifiquei muito, mas pretendo ler outro para tentar mudar de opinião.




Aline 30/12/2012

"I wish I could write you a melody so plain/That would save you, dear lady, from going insane."
O que seria de nós, fiéis e ávidos leitores, se o mestre houvesse optado por tornar-se um médico, advogado ou, quem sabe, um corretor de seguros? O que seria de nós se ele jamais houvesse descoberto esse talento ou se sua mulher não tivesse insistido pra que continuasse essa obra incrível?
comentários(0)comente



Israel 26/01/2014

Uma obra atemporal.
Recentemente chegou o remake de "Carrie, A Estranha" nos cinemas. Eu estava muito curioso para assistir, nunca havia lido o livro nem visto o clássico filme de Brian De Palma. Não querendo vê-lo antes ler o livro e assistir as outras versões, decidi fazê-los antes. Está é então minha primeira imersão nos livros de Stephen King. E que bela imersão.

Sempre tive interesse em ler livros de horror, como O Exorcista ou contos do Edgar Allan Poe, mas desejava passar bem longe de qualquer livro do Stephen King. Por duas razões: a) eu o achava (e ainda acho) arrogante demais para merecer minha atenção, apesar de ser um gênio; e b) quase todos os seus livros possuem uma sinopse com uma pegada trash. Com exceção de "O Iluminado" (graças á espetacular adaptação de Stanley Kubrick), "Sob a Redoma" e "Carrie", não fazia questão ler os outros livros. Agora sinto que devo-lhe dar uma chance.

Para os leigos, uma sinopse rápida: Carrie White, uma adolescente de aparência desagradável, filha de uma doente mental perdida no fanatismo religioso, possuindo poderes telecinéticos que vão se desabrochando no percorrer do livro, é vitima de contate abusos de suas colegas de sala, que a tratam com uma crueldade absurda. Ao ter sua primeira menstruação em uma idade já bem tardia, enquanto ela e suas colegas estavam no vestiário, acreditou estar se desvaindo em morte e entrou em desespero, estando completamente alheia à realidade do fato. Com isso, acabou se tornando piada para as outras garotas, que de maneira hedionda lhe arremessaram absorventes e toalhas. Mas a "brincadeira" não fica impune, sendo que todas as que participaram de tal ato foram punidas com detenção, e o não-cumprimento do mesmo seriam impedidas de participar do Baile de Primavera. Sendo Chris Hargensen a única de se opor à detenção, logo obrigada à ser impedida de participar, se consome de ódio e vingança pela Carrie planejando pregar-lhe uma peça tão humilhante que a fará se arrepender de tê-la humilhada. Em contrapartida Sue Snell, com grande remorso pelo que fez e cheia de inseguranças, cede sua ida ao baile para que seu namorado Tommy leve Carrie em seu lugar.

Para mim, acima de todo o horror e fantasia, eu vi um livro sobre seres-humanos. Tratando de assuntos como bullying que está tão presente e todas as épocas. Mostra que todos temos um limite, que ultrapassado e corrompido, pode causar graves consequências. Com personagens tão instigantes, da perturbada Carrie, tão abalada pelos maus-tratos das pessoas a sua volta, à sua insana mãe, Margareth, que possui um passado misterioso, passando por Sue, com suas inseguranças e dilemas sobre sua vida "perfeita", até Chris e seu namorado Billy, onde a natureza de seu relacionamento é demasiado obscuro.

É um livro diferente que tudo que já li. Narrado em terceira pessoa com o ponto de vista oscilando entre os personagens, também está incluso notícias, trechos de livros fictícios que tratam sobre a tragédia final, depoimentos, cartas e muitos outros meios, deixando a leitura mais ampla, dinâmica e gostosa.

Os momentos finais são alucinantes e bem exploradas. Você se prende ao livro sem conseguir piscar. E a escrita de Stephen é excepcional, e só de saber que este foi sua primeira obra dele me deixa ávido por mais. Este é um livro que terminamos decepcionados conosco por não aproveitá-lo mais.

O que está esperando para lê-lo? Um dos livros mais icônicos de todos os tempos que nunca vai se tornar obsoleto, leitura obrigatória. E não deixem de conferir as sua adaptações, o igualmente excelente clássico de 1976 com Sissy Spacek, que rendeu duas nomeações ao Oscar®, o ignorado de 2002 que foi o mais fiel (exceto pelo final) e o novo remake que foi razoavelmente bom.
comentários(0)comente



277 encontrados | exibindo 256 a 271
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 18 | 19