Love Story

Love Story Jennifer Echols




Resenhas - Love Story


34 encontrados | exibindo 31 a 34
1 | 2 | 3


House of Chick 26/05/2012

Em "Love Story", conhecemos Erin, uma garota rica que morava com sua avó em uma grande fazenda de cavalos em Kentucky, até que resolveu abandonar os planos de sua avó (que consistiam em Erin estudar administração para, futuramente, assumir os negócios da família), para ir atrás de seu próprio sonho: estudar escrita criativa em NY. Mas sua avó não fica nem um pouco contente com sua decisão e resolve que não vai ajudá-la a se manter na faculdade e nem na nova cidade. E o pior de tudo é que resolve que Hunter, o cavalariço, iria assumir o lugar de Erin, tanto na faculdade de administração com as contas pagas, quanto nos negócios da família, e de quebra ainda iria ficar com toda sua herança.

Erin vai embora da fazenda, brigada com sua avó, e precisa trabalhar em uma cafeteria para poder se manter em NY, enquanto estuda para conseguir um estágio bem conceituado e muito desejado pela protagonista. Acompanhamos as aulas de escrita criativa de Erin, que passa a ser o cenário mais frequentado pelos personagens durante toda a história.

A narrativa é intercalada por acontecimentos reais e cenas das histórias criadas por Erin e Hunter (o que me fez lembrar de Diário da Princesa 10, onde podíamos acompanhar a vida de Mia e a história criada por ela), que na verdade não passam de seus passados com algumas mudanças imaginadas pelos autores. Logo nas primeiras páginas conhecemos uma história sexy entre uma garota e seu cavalariço, que na verdade foi inspirado em Hunter. E o pior, ele começa a frequentar a mesma aula na qual ela está lendo essa história.

Depois de algumas tentativas frustradas de tentar convencê-lo a não admitir para ninguém que ele é o personagem masculino de sua obra, Hunter decide criar sua própria vingança, escrevendo coisas ainda mais sensuais que são expostas na mesma aula. Começa, então, um joguinho entre eles, despertando algumas gargalhadas no leitor enquanto se provocam mutuamente. Acompanhar essa história com ar de “gato e rato” sexy deu um ar mais divertido à trama.

Continuação: http://www.houseofchick.com/2012/05/love-story-jennifer-echols.html
comentários(0)comente



Jacqueline 02/05/2012

Publicado originalmente em www.mybooklit.blogspot.com
Erin é uma jovem de 18 anos que está realizando seu grande sonho: estudar escrita criativa em Nova Iorque.
Mas nem tudo são flores no começo. Após recusar o desejo de sua avó - uma rica senhora dona de uma fazenda no Kentucky - de cursar administração, ela perde o direito à herança. Para sobreviver em NY, Erin precisa trabalhar até tarde em uma cafeteria e lutar para conseguir um estágio oferecido na faculdade.

Em sua primeira história compartilhada com a turma, o enredo baseia-se em sua vida: onde uma jovem se apaixona pelo cavalariço de sua fazenda. O que ela não esperava, era que Hunter Allen - o cavalariço que trabalhou na fazenda de sua avó e a quem ela transferiu todo o direito da herança de Erin - entraria para sua turma.
Temendo que Hunter revele ao professor que ele é o cavalariço citado na história, Erin tenta persuadí-lo a não contar nada. Mas Hunter já tem sua vingança em mente: ele começa a escrever suas próprias histórias carregadas de sensualidade, deixando toda a turma curiosa e fazendo com que Erin se apaixone por ele ainda mais.

"Eu odiava a forma como meu corpo respondia, como se ele fosse meu namorado, não como meu colega, nem como meu pior inimigo. Talvez o calor subisse pelo meu peito porque Hunter era bonito e confiante, uma força da natureza, mas eu tinha medo de ter feito esse estrago comigo mesma. Na vida real nós não conversávamos amigavelmente desde o verão antes da sétima série, exceto em uma noite de maio, mas na minha mente eu já tinha escrito "Quase uma Dama", o romance inteiro. Na minha mente, nós dormimos juntos" (pág. 69)

Echols nos presenteia neste romance, com uma premissa inovadora e personagens verossímeis que nos conquistam à primeira vista.
A autora insere as histórias criadas pelos personagens, e assim temos a narração em primeira pessoa feita por Erin, e as histórias narradas em terceira pessoa, feitas por Hunter e Erin. É através delas, que o leitor passa a conhecer o passado de ambos, criando uma identificação imediata com o enredo. As histórias são carregadas de "alfinetadas" - revelando os sentimentos trancafiados por tantos anos - com a intenção de provocar um ao outro. Eu diria que Erin e Hunter é o verdadeiro casal "cão e gato".

Erin vive um conflito de sentimentos: não sabe se ama ou odeia Hunter. A confusão que sua vida se torna após a chegada de Hunter, é transmitida ao leitor da forma mais leve e engraçada possível. Mesmo tendo crescido com todo conforto e cercada de dinheiro, ela passa longe de ser uma adolescente chata e mimada. Sua relação conturbada com a avó, poderia ter sido melhor explorada. Senti que faltou conhecer o outro lado da história, para entender o porquê da avó ter tomado uma atitude tão drástica de deserdar a neta.
Hunter no início é bastante retraído e indecifrável, como Erin mesmo o descreve. Mas através de suas histórias, aos poucos descobrimos sua personalidade. Os dois não formam um casal meloso, e isso foi o que mais me agradou na história.
A turma da aula de escrita é um show a parte. Destaco o Manohar, que vivia implicando e pegando no pé de Erin, esculhambando as suas histórias.
Apesar de ser um romance, o livro me fez dar boas risadas e entrou para a lista de favoritos.

O que atrapalhou um pouco a leitura, foi a quantidade de erros de tradução e também digitação que encontrei nesta edição. Em muitas partes o texto ficou desconexo.
A capa traduz perfeitamente a história, e sim, Erin tem um piercing no nariz como representado na capa.

Para quem está querendo ler um romance diferente, Love Story é uma boa pedida.
Silene C. Nogueira 04/09/2012minha estante
Concordo com vc quanto a tradução.




Jullie 30/03/2012

Love Story - Jennifer Echols
Resenha publicada em http://julianagiacobelli.com

----

Bom, já fazia um tempinho que eu queria ler um livro da Jennifer Echols e, quando vi a sinopse de Love Story, decidi que era por ele que ia começar.

Erin é uma aspirante a escritora cursando Escrita Criativa em uma universidade em Nova Iorque. Ela sabe que essa é sua grande oportunidade de iniciar a carreira em uma editora, ter um estágio respeitável, se manter sozinha – longe do dinheiro de sua avó – e, talvez esquecer seu passado perturbado.

Aliás, é sobre um pedacinho de seu passado que Erin escreve sua primeira história para o curso, fazendo menção a uma rica dona de fazenda e seu cavalariço. O que Erin não esperava era que o cavalariço de verdade fosse aparecer e se tornar um aluno da turma.
Agora ela e Hunter – o tal cavalariço – começam a escrever um sobre o outro, se provocando, se cutucando na frente de todos… Mesmo que somente os dois consigam entender os reais significados nas entrelinhas. A questão é… será que a história dos dois pode ter um final feliz?

Bom… Confesso, a sinopse desse livro é MUITO legal. Mas teve alguma coisa que não me envolveu totalmente.

A escrita da Jennifer é muito gostosa, muito simples e muito rápida de ser lida, então essa questão técnica realmente não foi o problema. Por ser narrado em primeira pessoa, é muito fácil entrar nos pensamentos de Erin, e ela é uma daquelas poucas personagens que eu não tive muita vontade de descer o bambu no lombo.

Talvez uma das razões por eu não ser totalmente fisgada pela história, é o fato dela envolver muito a questão do campo. Não estou habituada a fazendas, cavalos, fazendeiros ricos, jóqueis e essas coisas todas. Então, pra mim, era meio desinteressante, porque parecia que eu estava vendo aqueles programas de pessoas ricas na tevê. Ou então aquelas novelas da 6 que se passam no campo. Sabe, que sempre tem o fazendeiro rico, a mocinha pobre e tudo mais? Meio por esse caminho. Se o enredo tivesse um foco mais urbano, acho que teria me identificado mais com a história.

Não que a temática do campo isso seja algo ruim, claro. É só que pra mim não funcionou muito bem.

Outra questão é que, apesar da Erin ser uma personagem muito fácil de gostar e muito divertida, eu senti que faltou uma certa química com o Hunter. Não sei, o passado perturbado deles, o modo como Hunter apareceu de repente e como tudo acontece relativamente rápido… Não senti que a relação foi realmente construída. Não senti que os dois combinavam muito.

Apesar disso, gostei demais das histórias que tanto Erin como Hunter escreveram nesse joguinho de provocação. Eram as partes que eu esperava ansiosa, só para saber qual seria a alfinetada da vez. E, preciso falar, gostei bem mais das histórias do Hunter: muito mais instigantes e muito menos melosas que as da Erin. Ele tem futuro! Haha

O final também… Não sei, achei que faltou alguma coisa para fechar com chave de ouro. Me pareceu que ficou meio em aberto e, às vezes, esse tipo de final combina com o livro, mas para romances em geral, eu prefiro um final fechadinho.

Do mais, encontrei alguns errinhos de digitação e até algumas palavras faltando, mas acho que é um problema que a Pandorga deve resolver na próxima edição. Ah, e a Erin tem até um piercing no nariz como a menina da capa!

Sei que a Jennifer tem muito fãs por aí, e por isso quero ler mais algum livro dela para ter uma segunda experiência e ver qual é o veredito final. Alguém tem alguma sugestão?

Como eu disse, o problema pode foi comigo, por causa dos meus gostos. Mas pra quem curte esse tipo de ambiente, fazendas e cavalos, o livro pode ser uma ótima pedida!
Jacqueline 01/05/2012minha estante
Esse foi o primeiro livro que li, mas já comprei Longe Demais, por conta das resenhas positivas :)


Amanda 15/05/2012minha estante
Já li três livros dela, e, apesar de ter gostado deste, ela leva a medalha de bronze.
Como Fui Esquecer Você é muito bom, mas Longe Demais me fisgou completamente, indico bastante, e o tema é BEM urbano, com todas as características positivas que você citou. Acho que iria gostar :)




Lisse 07/03/2012

Eu quero ler você!
Quando li a sinopse fiquei pensando em como a Jennifer iria montar esse livro, e fiquei muito tensa achando que o resultado seria ruim. Porém, não foi nem um pouquinho! Graças a Deus, uffa!

Uma dica: se você leu "Longe Demais" e "Como Fui Esquecer Você" e está querendo encontrar uma história parecida com aquela, tire seus cavalinho da chuva. "Love Story" foi o enredo mais diferente que já vi na minha vida. E quando digo "diferente" não quero dizer ruim, péssimo não tá. Só que é surpreendente, intenso e muito reflexivo (o que me faz amar cada vez mais um livro!).

Comecei achando a Erin muito tensa, muito certinha e dando uma de coitadinha. Já Hunter é um cara difícil de se ler, nem a Erin consegue. Passam muito longe de ser aquele casal fofo e super apaixonado.

Partindo desse ponto já dá pra perceber o esforço que fiz para isso. Foi muito diferente para mim não ver os sentimentos dos personagens que eu queria tanto conhecer estar ali exposto e à mostra. Nem eles se conheciam, nem sabiam o que queriam nem da vida, e ainda tinha a incerteza do futuro. Mas esses fatores não deixa o leitor alienado não, pois com o transcorrer da leitura Erin vai se mostrando mais e vamos decifrando tudo que aconteceu entre eles. E tudo vem à tona quando os dois estão numa mesma sala de aula escrevendo sobre tudo o que está entalado e oculto um do outro há anos.

"Love Story" foi sobre se conhecer, revelar seu interior, resolver problemas do passado, se re-apaixonar. E não posso deixar de comentar a paisagem maravilhosa de Nova York descrita. É como se o leitor tivesse de férias nessa linda cidade: Estátua da Liberdade, Empire State Building e a Quinta Avenida. E não tem como deixar de citar personagens maravilhosos como a Summer, Manohar, Jordin e o professor Gabe.

Os livros da Jennifer Echols sempre serão para mim aquele tipo de livro que deve ficar sempre por perto para você reler quando tiver muito afim, ou de repensar sobre algo. "Love Story" foi ESPECIAL e com certeza estará com várias estrelinhas fofas e um coração lindo como FAVORITO. Ela mostrou mais uma vez que consegue surpreender o leitor com uma história criativa e com conteúdo, sem ser clichê e cômoda.

Quote: "Eu queria muito bater nele. Ou beijá-lo. Mas não deixávamos transparecer nada de emoção que havia entre nós, camada sobre camada, as de cima esmagando as de baixo com uma enorme pressão [...] mas eu teria que desvendar essas camadas quando estivesse sozinha com ele."

Somente um ponto negativo para a Editora Pandorga que precisa colocar o livro novamente na revisão. Existem muitos pontos em que a leitura se torna desconexa e diálogos que precisam ser melhorados e muitos erros gramaticais.

Estou aqui mais que preparada para o próximo livro dela que sai esse ano: Such A Rush!
Leandro 27/03/2012minha estante
Só uma dúvida: Você disse ter gostado muito do livro, mas porque só deu apenas três estrelas?


Lisse 27/03/2012minha estante
Oie Leeoh!
Eu gostei mesmo do livro, mas sabe quando vc espera muito, muito, muito mais?
Então, foi isso! Eu amo as histórias da Jennifer Echols, e minha empolgação era extrema, mas o livro não atingiu minhas expectativas. E isso, é um peso grande na hora de dar as estrelas. Eu penso em tudo: nos personagens, no ambiente em que vivem, nos diálogos, na narrativa em si e tbm na minha expectativa.
Mas não deixe de ler por causa da minha opinião e das minhas poucas estrelas ok? Tire suas próprias conclusões sobre "Love Story".

Bjks e muito obrigada pelo comentário na resenha. da Lisse




34 encontrados | exibindo 31 a 34
1 | 2 | 3