Bem Mais Perto

Bem Mais Perto Susane Colasanti




Resenhas - Bem Mais Perto


221 encontrados | exibindo 76 a 91
6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 |


Aninha 07/06/2013

Bem mais perto
Brooke ama Scott. E o fato de ela nunca ter tido uma conversa de verdade com ele não muda isso. Sua sábia intuição lhe diz que ambos nasceram um para o outro. Então cabe a ela, depois de dois anos apaixonada, contar isso para o garoto. Mas uma notícia terrível a impede: ele vai se mudar para Nova York!

A única solução para esse dilema é a escolha da garota: decide ir morar junto com o pai, com quem não tinha contato há seis anos. Se muda para o mesmo colégio que ele para que, com sorte, tenham alguma aula juntos neste último ano de ensino médio. E, então, ela poderá cumprir seu plano de fazê-lo notar que ela é a garota certa para ele. Alguns poderiam chamar de perseguição, mas para Brooke, é apenas a força do amor...

Esta resenha pode estar parecendo meio irônica, mas o que no início do livro me pareceu meio forçado e improvável vai adquirindo mais clareza e entendimento para o leitor de que a garota está simplesmente obcecada e completamente determinada em se aproximar do garoto por quem tem essa afeição. Porém não é algo doentio, apenas cômico e muito bem descrito.

A garota que nunca se apaixonou pela idealização de um lindo colega de escola atire a primeira pedra! A diferença é que Brooke leva isso à um outro nível e aceita mudar totalmente sua vida apenas pela esperança de que seu “verdadeiro amor” a reconheça da mesma maneira.

Achei muito bom a autora não se focar somente no enredo principal de “garota encontra garoto“ e explorou muito bem a personagem. Seu sentimento de pertencer a uma família destruída, a sempre presente insegurança de que o jardim do vizinho é mais verde, a vontade de passar despercebida e o medo de ser notada por suas qualidades são traços marcantes que, sem se tornar incessantemente dramáticos, tornam a história muito mais gostosa de se viajar e deixar encantar.

Comigo, foi uma daquelas histórias que prendem e por mais que não tragam uma reviravolta ou uma surpresa, o final não decepciona. Acho incrível quando um autor consegue, em menos de 300 páginas, fazer o leitor ter a sensação de que conhece a personagem de forma tão íntima, que percebemos gradativamente as mudanças do mesmo. Foi essa a sensação que Bem Mais Perto me trouxe. Esse amadurecimento de Brooke foi algo muito bom de presenciar, pois a vida nos cerca de tais desafios: confiança, perdão, amizade e a descoberta do que significa o verdadeiro amor.

Leia mais em: http://muchdreamer.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Linny 06/06/2013

Agradável
Comecei a ler esse livro sem muitas expectativas, pois imaginei que seria mais do mesmo, mas me enganei; foi agradável e até mesmo um pouco diferente.
Bem Mais Perto conta a história de Brooke, uma garota que teve um trauma familiar depois do divórcio de seus pais e que ainda não decidiu que carreira seguir depois que se formar no Ensino Médio. Além disso, ela possui o costume de se isolar dos amigos e da família, como também esconde os seus talentos. No entanto, há uma coisa que ela tem certeza; que Scott Abrams é a sua alma-gêmea.
Scott é o amor da vida de Brooke , mas ele não sabe disso. Então quando ele e sua família se mudam para Nova York no verão, antes do terceiro ano. Brooke toma uma decisão: seguir Scott e provar que eles se pertencem. Assim, já na cidade ela passa a conhecer muitas coisas surpreendentes, ao mesmo tempo em que passa a se tornar uma pessoa que nunca imaginou que seria. Mas será que somente a realização do seu sonho de amor bastará para completá-la?

Essa é uma típica história de amor platônico e de amadurecimento, onde os personagens ao decorrer da história vão de desenvolvendo aos poucos. Achei interessante a proposta da autora, pois ela soube criar um universo com aspectos bem verdadeiros; o drama vivido pela personagem principal não foge muito da realidade em que vivemos, pois há muitos adolescentes que passam por situações parecidas e por isso vivem quase da mesma maneira que Brooke. Outro ponto que gostei foi o fato de explorar profundamente os sentimentos dos personagens e de também mostrar como uma pessoa com um alto QI possa se sentir em meio à sociedade.
As únicas coisas que me desagradaram um pouco foram algumas atitudes da protagonista; a achei imatura e impulsiva em muitas ocasiões, só o fato dela mudar de cidade para seguir o amor de sua vida, que nem mesmo a conhecia, já demonstra o quanto ela agia sem pensar. Não digo que isso é algo errado, acho que é importante arriscar e ir atrás dos nossos sonhos, no entanto para isso é preciso ter cautela e bom senso, coisa que Brooke não tinha. Também me desanimei com a evolução da história, em certa parte notei que esta não estava se desenvolvendo como deveria, ficou algo monótono, até um pouco cansativo. Entretanto logo depois de alguns capítulos, tudo voltou ao normal e fez com que eu me interessasse novamente.
Quanto aos personagens estes foram legais. Não teve nenhum que me desagradou e gostei principalmente do John, ele possui uma personalidade carismática e um modo de ver a vida tão peculiar, que fica evidente o quanto ele foi fundamental para o desenvolvimento da Brooke, como também da história. Creio até que se não fosse por aqueles pequenos detalhes da vida e da cidade que ele tanto apreciava e o amor por esta, a história não teria me agradado J
Em resumo gostei de Bem Mais Perto e pretendo conhecer outros títulos da autora. Deixo a recomendação desta obra para todos aqueles que apreciam ler histórias leves e simples.
comentários(0)comente



Suellen-san 04/06/2013

Incrível. Li em dois dias o livro. E sinceramente gostei da trama apesar de achar que tem umas coisas ilógicas na história como você morar com um pai que nem ta ai para você. E sua mãe é meio to na fossa porque ele me deixou e tenta motivar a filha a fazendo ficar mais depressiva. Affe! Eu não entendi isso, viu.

Mas tirando isso ou a minha ideia maluca, o livro é bom. Recomendo como leitura pra quem gosta de uma descoberta porque teoricamente a meu ver Brooke – a personagem principal – se descobriu após ir a trás do tal Scott que acho sem sal. Não vou disser que eu seria como ela, sair da minha vida para ir atrás de um cara que nem sabe que eu existo, mas em compensação Brooke acabou evoluindo após o trauma da separação dos pais.

Acho que a mudança da cidade pequena para uma cidade grande modificou o modo de pensar de Brooke que nem mesmo ela sabia, pois a vida dela era Scoot. Já falei como tenho ódio dele? Em todas as cenas que ele aparece eu tenho certo ódio com relação a pessoa. Eu não sei o que é, mas essa criatura não entra na minha cabeça parece um daqueles meninos que sempre se acham o foda. Desculpa o palavreado, mas é mesmo assim que o vejo.

Agora na cidade de Nova York, ela conhece pessoas legais que mudam a vida dele significativamente. Sem contar que adorei a ideia da autora de colocar a personagem contra ao sistema de ensino. Até que ia bem a ideia de Brooke ser contra o sistema por alguns motivos que sinto na pele como a forma que os professores ensinam, mas no final a personagem percebe que se tivesse sido diferente talvez a bolsa de estudo ou as opções de faculdade fossem outras. Mas ai me questionou como? Se ela estava perdida numa escola que parecia tradicional num ambiente sem oportunidades. É coisa de Pedagoga...

A mudança de áreas a fez crescer em alguns aspectos, mas Scott – o chato – a fez fechar os olhos para quem realmente ela deveria ser e as pessoas que se importa realmente com ela. Teoricamente é um livro legal que passam muitas mensagens legais e outras nem tanto.

Ainda fico pensando como uma pessoa recebe amigos em casa ou sai de casa no meio da noite e o pai de Brooke não dá um troço e chama a policia. Porque o cara nem ta ai para a filha, mas tenta um reaproximação meio que estranha.

Bem a personagem vai morar com o pai para ficar perto do carinha que não suporto na história. Além deles dois tem dois personagens legais que modificam o modo de pensar dela como a Sadie a nova amiga e uma pessoa que mega legal. E John que tem uma dificuldade de aprendizado a qual Brooke se torna a monitora dele.

Gostei da trama e do final. Recomendo a leitura porque é leve e simples de se entender. Apesar de que acho Scott uma mala sem alça. Eu não gostei dele e nem sei por que ela se apaixonou por ele, preferiria mais o John ou o garoto do café expresso.

Acho que por ela viver em função da vida perfeita – não tão perfeita do chatinho porque na trama você descobre que a vida dele não é tão linda assim – ao lado do príncipe, esqueceu-se dos outros e de que viver uma vida só sua. Percebi isso quando ela escrevia numa caixinha a qual esqueci o nome agora os desejos que ela queria e a maioria não era para ela, mas para o chato do Scott. Affe! Vou parar por aqui porque senão falou mais do que deveria.

Beijos e boa leitura!
comentários(0)comente



Jung Angel 15/05/2013

Resenha Bem Mais Perto
Desta vez a novo conceito criou um kit simples e difícil (sim eu acho,pois não sei fazer dobraduras). O Kit vêm acompanhando de uma caixinha personalizada com temas da estória do livro, como marcador personalizado e um pacote de folhas, com um manual para você fazer os seus origamis.

[...] Está é a parte em que a garota conta ao garoto que está apaixonada por ele, e o garoto diz algo como: "Porque você demorou tanto tempo?" e, depois, acontece o primeiro beijo, aquele que você está esperando o tempo todo, e ele é tão perfeito quanto você esperava que seria.[...]

A estória não é ruim, o fato de ter dado poucas estrelinhas é que ela ´é diferente de muitos romances que eu chamo de frufru (aqueles romances para meninas mais novinhas), têm alguns que me conquistam e me fazem voltar a anos atrás e outros que apenas se tornam uma boa leitura em uma tarde chuvosa, o que aconteceu com este romance. Ele é bonzinho, mas não faz parte dos romances frufrus, que me conquistaram!

Acompanhe as resenhas/críticas completas no blog "Lendo com a Angel". Se puder siga e comente que ficarei muito feliz por sua companhia!

site: https://lendocomaangel.blogspot.com/
comentários(0)comente



Thatis.Teixeira 12/05/2013

Bem mais perto
Resenha no Blog da Thati:
http://blogdathatis.blogspot.com.br/2013/05/bem-mais-perto.html
comentários(0)comente



Sarah Martins 09/05/2013

MAIS RESENHAS EM: http://paraisoempapel.blogspot.com.br
De uma hora para outra, Brooke está se mudando de New Jersey para Nova York, indo cursar seu último ano do ensino médio lá. Ela está tão animada! Mas como ela poderia imaginar que qualquer dia sairia de casa e iria morar com seu pai? Mas Brooke, corajosa como é, foi atrás do amor de sua vida: Scott Abrams. Quando Brooke soube que Scoot se mudaria para Nova York, não custou fazer planos e mais planos para segui-lo e encontrá-lo na cidade que nunca dorme. Ela tinha certeza que se Scott a notasse, perceberia o que estava óbvio.

No entanto, não será nem um pouco fácil conseguir realizar a missão de sua vida. Pelo caminho, Brooke encontrará muitos obstáculos, como seu pai e o trabalho constante dele, que não o deixa ficar com ela. Ou, até mesmo, um novo interesse amoroso. Será que Scoot não compreendia que ele e Brooke eram feitos um para o outro? E se o fato de Brooke ter vindo para Nova York não tenha sido só por causa de Scott, mas por que sua vida iria acontecer a partir daquele momento? Ela estava pronta para viver o melhor tempo de sua vida? Em meio a um mundo jovem, Colasanti nos apresenta uma personagem sonhadora e determinada, seguindo seus sonhos e projetos para construir outra vida. E, provavelmente, uma stalkeadora nata.

Não consigo me acostumar com "Bem Mais Perto", porque quando eu conheci este livro, foi pelo título em inglês "So Much Closer". Quando soube que este livro (não só esse, mas outros também!) da Colasanti iria ser lançado no Brasil, quis muito ler. Adorei a oportunidade de saciar a minha curiosidade, já que há tempos eu desejava saber o por que de Susane ser tão elogiada nos EUA. Eu tenho uma história com os livros dela, mas não cabe no contexto da resenha (fiquem curiosos!).

A narrativa do livro é simplista e fluída como livros jovem adultos discorrem a ser. Os personagens de Colasanti, apesar de não serem completamente tangíveis e reais, são humanos jovens que cometem erros e aprendem com suas próprias decisões, o que é um ponto positivo por que estou cansada de personagens que adoram insistir no mesmo erro milhões de vezes. A autora utiliza a cidade de Nova York muito bem como cenário, demonstrando o quanto é íntima do lugar, transpassando esse sentimento de amor pela cidade para as personagens.

Os problemas familiares são visíveis na vida de Brooke, elemento que a autora desenvolve no livro e aproxima o leitor da personagem. Apesar de ser inteligente, a garota não consegue desenvolver seu potencial, pois seus pais têm pouco tempo para ela e por falta de cobrança ela acaba se desleixando na escola, problema de muitas famílias hoje em dia passam, sejam os pais separados ou não. Colasanti apostou em uma trama sobre descobertas, amor, amizades e se tornar um ser humano melhor, transformando Brooke em uma garota mais dependente de si própria do que dos outros e desenvolveu sua história dentro dos parâmetros.

Vocês devem me achar muito exigente com os livros, mas acho que por serem objetos tão importantes para o aprendizado, merecem essa consideração. Minha nota final para "Bem Mais Perto" se resume não ao fato de eu não ter gostado do livro, pois eu gostei tanto da história quanto do desenvolvimento do plot, mas sim nos quesitos em que a autora pecou que, em minha opinião, são primordiais: na apresentação e profundidade das personagens, mencionando ainda o fato de alguns personagens parecerem caricatos, exagerados demais (!).

Embora cada personagem, mesmo sendo tão diferentes entre si, têm um papel importantíssimo na história, muitas vezes os momentos drama queen de Brooke tornavam a narrativa cansativa e sem dinamismo. Se a autora tivesse explorado mais as histórias de vida dos amigos da protagonista, o livro teria ganhado um incremento a mais e partes enfadonhas poderiam ter sido dispensadas.

"Bem Mais Perto" é uma leitura de entretenimento. Se você é apaixonado(a) por Nova York como eu, com certeza você vai querer, pelo menos por um minuto, ser Brooke e sentir como é descobrir não apenas uma nova cidade, mas também uma nova vida com pessoas, escolhas e descobertas diferentes. Isso é o chamamos de "coming of age": descobrir que podemos crescer e que crescemos e amadurecemos a cada dia de nossas vidas. Talvez Broke tenha sido precipitada, stalker e estranhamente apegada, mas quem de nós não fomos um dia assim? Esse fato trás veracidade a personagem, nos permitindo pensar que se fossemos ela, o que faríamos? A proximidade entre a ficção e a realidade é uma linha tênue entre o que é e entre o que pode ser. E Brooke é uma amostra de que podemos ser o que quisermos, estando bem mais perto não do que se quer por egoísmo, mas sim pela sinceridade, nas conquistas do dia a dia.
comentários(0)comente



Driely Meira 09/05/2013

Bem mais perto
Brooke é apaixonada por Scott, e quando descobre que ele está se mudando para Nova York, vai atrás.
Seus pais estão separados desde muito tempo, e ela mora com sua mãe em Nova Jersey, enquanto seu pai vive em Nova York. Essa é a desculpa que ela usa para estar perto de Scott: vim morar com meu pai.
O que é, na verdade um fato real, tirando que ela e seu pai não se falam desde que ela tinha 11 anos.
Achando que Scott é o amor de sua vida, e que eles estão destinados a viverem juntos para toda a eternidade, Brooke acaba virando sua melhor amiga, começa a gostar das coisas que ele gosta ( ou finge gostar ) para ter algo em comum.
Mas ela acaba conhecendo John, um garoto que tem muitas dificuldades na escola, e ela vira sua monitora.
Esse jeito meio possessivo de “Vamos viver felizes para sempre” e “ Nada nem ninguém vai nos separar” já estava me dando nos nervos.Primeiro, essa garota não percebe que não está apaixonada por Scott?
Não gostei muito de Scott já no comecinho do livro. Ele é um daqueles garotos super-populares jogadores de futebol, e Brooke nunca falou com ele.
Desde sempre, Brooke foi organizada, escrevia seus sonhos em papéis e os colocava em uma caixa dos desejos, suas notas nem sempre foram altas o suficiente para conseguir entrar em uma das melhores faculdades, mas isso porque ela não queria se esforçar.
Além de John, ela também acaba virando amiga de Sadie, uma garota que adora presentear as pessoas com warm fuzzies( papéis coloridos com frases bonitas e carinhosas)
Brooke “evoluiu” muito desde que chegou a Nova York, e percebemos essa mudança nas suas atitudes, o comportamento dela também mudou muito, e ela passou a se importar mais com as pessoas e mais importante, consigo mesma.
Esse livro me ensinou muitas coisas, entre elas, que podemos ser melhores do que já somos, é só querer.
Brooke no começo pareceu bem boba, seguindo um carinha pra outra cidade só porque achava que estava apaixonada por ele, mas acontece que essa viagem mudou a vida dela, e ela não teria mudado nadinha se não tivesse ido para Nova York.
Gostei muito desse livro, apesar de esperar um pouquinho mais.
comentários(0)comente



Eri Guimarães 06/05/2013

Bem mais que apenas uma historia de amor juvenil...
Quem nunca teve um amor proibido na adolescência? Uma “paixonite” por um garoto que nem sabia da sua existência? É bem assim que começa a trama escrita por Susane Colasanti que aborda um tema bastante juvenil, mas que qualquer pessoa já vivenciou. Em “Bem mais perto” Susane Colasanti nos apresenta a Brooke, uma adolescente que estava prestes a iniciar o último ano do colégio. A jovem nutria uma paixão por Scott Abrams, o bonitão da escola, mas ela era tímida, nunca revelara seus verdadeiros sentimentos para o rapaz. Então eis que um dia ela cria coragem para tal ato, mas ele a surpreende com a notícia que se mudará para Nova York e cursará o último ano em um colégio lá.
Brooke fica arrasada, justo agora que estava tão próxima de revelar a Scott que eles eram feitos um para o outro acontece isso. A jovem vivia com a mãe, elas não se davam muito bem, e seu pai morava em Nova York, então ela tem a brilhante ideia de ir morar com seu pai, e tentar a sorte de se matricular na mesma escola que Scott e lá revelar e mostrar a ele que eram almas gêmeas.
Para tanto ela deixa suas amigas, mãe, e vai viver com seu pai. Por sorte acaba entrando no mesmo colégio que Scott, só que as coisas não são tão simples assim. Ela terá que enfrentar muitos desafios. O primeiro deles, aliás, é saber se Scott realmente gosta dela. E como lidar com seu pai, quando parece que ele nem percebe que a filha está em sua casa, vivendo como se não tivesse outra pessoa ali com ele.
Aí fica a pergunta: como lidar com mudanças nessa fase?
“Bem mais perto” tem como foco o público juvenil, é um livro leve e fácil de ser lido, em algumas horas você o lê tranquilamente. Entretanto não podemos esperar deste uma grande história, uma grande aventura, ou algo parecido. Ele já começa estranho, com essa obsessão de Brooke por Scott, acredito que na vida real as coisas não sejam bem assim, você não deixa tudo do nada para ir atrás de um garoto(a) que nem sabe que você nutre uma paixão platônica por ele(a), não muda para outra cidade assim num piscar de olhos. Isso soa estranho ao leitor, parece perseguição.
Outra coisa que nos incomoda já nos primeiros capítulos são os diálogos, eles parecem automáticos, não há naturalidade, não há um desenvolvimento maior nesse quesito.
Brooke era uma “gênia” na escola, ela tinha muita facilidade em aprender, mas tirava notas baixas de propósito, não queria ser taxada como “a esquisita” ou algo do gênero, nesse ponto conseguimos sentir pena da personagem e esquecer um pouco seu surto de stalker, ela só queria manter suas amizades.
A protagonista é interessante, mas todos os pensamentos sobre como Scott é lindo, maravilhoso e perfeito começam a irritar no decorrer da trama. É como se ela não tivesse uma vida e vivesse a sua em função de um garoto que nem sabe da sua existência.
O que me levou a ter um carinho especial pelo livro foi – sem sombra de dúvidas – o John. John é personagem cativante com as suas qualidades e defeitos, sem se tornar extremamente clichê ou entediante. John tem disgrafia, que é a dificuldade de passar para o papel aquilo que se pensa. A pessoa com essa deficiência formula um pensamento, mas na hora de escrever sua letra fica ilegível. Fiquei tocada com a dificuldade que o John tem em lidar com isso e com as questões de interação com os outros alunos. Nem preciso dizer que ele me encantou, né?
Gosto muito do fato da Brooke fazer origamis como forma de relaxar. Esse seu talento nato para as coisas faz com que ela crie coisas interessantes e a mensagem por trás desses origamis também é muito legal, pois muitos ali são símbolos da mudança interior da própria personagem.
O cenário de Nova York é belíssimo, a autora explora diferentes locais e realmente nos faz imaginar o cenário. Nesse ponto ela foi ótima. Entretanto faltou mais desenvolvimento da história, a qual também é totalmente previsível. Não há surpresas para o leitor, e isso desanima com a leitura.
Colasanti quis trazer para suas páginas situações ou reflexões corriqueiras da fase adolescente, como primeiro amor, amizades, relação com os pais, etc. Mas é um livro que também traz uma mensagem sobre mudança, não é fácil mudar, ou se adaptar a um novo lugar, e essa mensagem é positiva, é algo bacana no livro.
O livro é recomendado para quem quer uma leitura leve, algo que possa ler em poucas horas, a capa está linda e toda a diagramação. Talvez para nós adultos, que já passamos pelas conturbações da adolescência, esse livro soe como fofinho ou bobinho, mas talvez para alguém bem mais novo, ou alguém que precise de uma boa mensagem ele soe diferente. O livro não é ruim, tem pontos positivos e negativos, é legal você também ler e criar também sua opinião.


Essa resenha pode ser vista e comentada no blog: http://memoriesoftheangel.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Vivian San Juan 25/04/2013

Resenha feita para o blog Saleta de Leitura - Vivian San Juan
Existem livros que caem no momento e na hora certa em nossas mãos, o "Bem Mais Perto" caiu em minhas mãos justamente quando eu mais precisava ler algo que falasse de mudanças que precisamos fazer para buscarmos a nossa felicidade. Aparentemente lendo a sinopse, não achei que o livro me agradaria tanto e acabou me surpreendendo pela doçura que envolve toda a trama, fazendo com que o leitor se delicie a cada página, conseguindo ver um pouco de você na personagem principal, Brooke, pois não importa a idade que se tem, afinal todos passam por fases na qual temos que fazer escolhas que irão modificar completamente nossas vidas.

No início da leitura Brooke precisa falar com Scott Abrams, o menino que estuda no mesmo colégio que ela, o quanto é apaixonada por ele. Porém Scott não sabe de nada, nem conhece Brooke direito e muito menos faz idéia dos sentimentos da menina. Logo quando mal conseguem trocar algumas palavras, Brooke descobre que Scott vai se mudar para Nova York. Foi então que ela decide ir atrás dele, mesmo ele não sabendo de seu grande amor, pois afinal, como Brooke diz várias vezes durante o livro “nós nos pertencemos um ao outro”. A menina muda de cidade e vai morar com seu pai que estava sem falar já há algum tempo. Brooke passa por diversas mudanças, novo colégio, novos amigos e principalmente morar na exuberante Nova York, na qual tudo é diferente e mágico. Seu objetivo principal de namorar Scott ainda permanece forte, porém quando descobre que ele já tem uma namorada, acaba se tornando uma grande decepção.

“Lá em Nova Jersey nunca me senti verdadeiramente em casa. Eu vivia irrequieta, precisando de agitação da vida na cidade grande. Agora estou cercada de tudo que sempre desejei. E, o melhor de tudo : eu me sinto como se, finalmente, tivesse encontrado meu lugar” (página 139)

“Sorte não é exatamente do que preciso. O que quero é ter certeza de que não tumultuei minha vida inteira por nada” (pagina 29)

“Pode ser que nunca tenha todas as coisas que quero , mas uma coisa que realmente tenho é uma vida nova. E eu decido o que acontecerá depois” (página 34)

Brooke também possuí uma inteligência acima da média, mas esconde esse talento para poder se relacionar melhor com as pessoas e desse modo acaba não se aceitando exatamente como é. Para piorar, precisa decidir logo qual carreira pretende seguir, pois falta pouco para a faculdade e todos a sua volta já sabem o que quer.

No decorrer da leitura, muitas coisas acontecem com Brooke em sua vivência na cidade grande, fazendo ela amadurecer e ver a vida, Scott, o pai, as pessoas e principalmente ela mesma com outros olhos.

“A única pessoa com quem posso contar sou eu mesma. Criar a vida que quero só depende de mim. Não posso culpar meus pais, Scott ou qualquer outra pessoa pelo jeito que as coisas são. Agora que sei para onde esta vida esta indo, é hora de decidir como quero chegar lá” (página 204)

Os novos amigos são especiais para o crescimento de Brooke, principalmente John, um menino que possui disgrafia, ou seja, tem dificuldade de se expressar por meio da escrita.

“Bem Mais Perto” é um livro de mudanças e descobertas que fazem parte dessa nossa caminhada. Recomendo a leitura tanto para os adolescentes como para os adultos, mesmo o livro sendo direcionado mais para o público jovem. Eu gostei bastante e fiquei satisfeita com a maneira como a autora conduziu a trama, deixando-a leve, romântica e ao mesmo tempo reflexiva, principalmente quando deparamos com os dilemas pessoais de Brooke.

Link postagem Saleta de Leitura
http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2012/12/resenha-do-livro-bem-mais-perto-de.html
comentários(0)comente



Rafaela Regis 16/04/2013

O livro Bem mais Perto de Susane Colasanti lançado pela Novo Conceito é um daqueles livros que enganam pela capa, o que aconteceu comigo foi que eu o escolhi para sair de uma ressaca literária justamente porque estava atrás de uma leitura leve e divertida e como a capa é super fofa achei que não tinha erro, ledo engano.

Brooke é uma menina que mora com a mãe e tem duas melhores amigas e é apaixonada por Scott Abrams, um garoto que nem sabe da existência dela. Então quando Scott está se mudando com a família para Nova York o que Brooke faz? Reorganiza toda a sua vida para ir morar com o pai em Nova York, que ela não tem contato com ele há tempos apenas para ficar perto de Scott.

Sim eu sei que parece loucura , e na verdade é uma grande loucura, mas eu gostei da ideia e queria saber o que aconteceria com a Brooke depois que ela fizesse essa loucura para ficar perto do seu amado e se eles ficariam juntos no fim das contas.

Susane Colasanti tinha tudo para ter um livro leve e divertido e ainda por cima acontecendo num cenário fascinante, Nova York, mas sinceramente não entendi o que ela quis passar. Achei a personagem principal fraca e superficial e ainda por cima com uma noção um tanto quanto extremada sobre algumas coisas, uma delas sendo o sistema de ensino nas escolas.

Uma coisa que me incomodou bastante foi a relação que Brooke mantinha com a mãe e com suas amigas, sei que as vezes nossas relações com os pais são complicadas, mas no caso de Brooke ela não aceitava nem mesmo os conselhos da mãe que apenas queria o melhor para a filha.

Scott foi outra decepção para mim, mesmo sabendo que Brooke fez essas mudanças de vida para estar perto do amado, que ele nem sabia que ela existia, não me convenceu, para mim pareceu que como o Scott ficou tão vazio ela tentou fazer com que um terceiro personagem entrasse em cena para tentar conquistar a Brooke, o que também não me convenceu.

Susane conseguiu enrolar e brincar com a vida dos personagens de uma forma que eu nunca havia visto, tentou criar conflitos e dar uma nova visão de certos pontos de vista que me confundiram e eu realmente gostaria de saber porque os autores de hoje insistem em solucionar todos os mistérios "insolúveis" que aparecem no decorrer no ultimo minuto do segundo tempo.

Bem mais Perto foi um livro que conseguir terminar de ler aos troncos e barrancos, creio eu que foi porque eu não me identifiquei com nenhum dos personagens e não gostei do rumo que eles estavam seguindo, ou seja não me senti cativada pela história, mas ele teve sim seus pontos positivos, sendo um deles os fofos "warm fuzzies" e animação da Sadie e sua paixão por cupcakes, a arte dos origames que Brooke domina com perfeição e é claro todo o charme da Big Apple.

Um livro que tinha tudo para ser uma história leve e fascinante, não sei se foi por causa da falta de empatia com os personagens ou porque eu não gostei da escrita da autora, mas mesmo com esses percalços nos faz refletir sobre as decisões que já tomamos e que acabaram influenciando nossas vidas: seja temporária ou definitivamente.
comentários(0)comente



Allana 13/04/2013

Minha opinião sobre o livro Bem Mais Perto
Muitos podem pensar que esse livro é apenas mais um romance adolescente, que fala sobre amor, mas não é, esse livro mostra que muitas vezes nos escondemos, para não mostrar o nosso potencial por medo das pessoas nos julgar estranhas ou anormais.
Quando Brooke ajuda John, mostra que nem sempre as notas que tiramos ao fazer avaliações são mais importantes do que o conhecimento que adquirimos ao longo da vida, e o amor que demonstramos pelas outras pessoas.
Achei esse livro realmente inspirador, pois mostra a vida conturbada de uma adolescente que não se conhece tão bem, mas que com ajuda dos amigos, consegue vencer os medos e os desafios que a vida empoe. Um motivo não muito correto a levou a conhecer pessoas boas que a ajudaram a trilhar um caminho melhor. Mostrando assim que se a vida nos der limões não devemos chorar pelo presente recebido e sim fazer uma limonada. E foi isso que ela fez mesmo o relacionamento com o garoto que ela amava não dando certo, ela aproveitou o lugar e as pessoas que estavam ao seu redor para se tornar uma pessoa melhor.
(O final ficou um pouco vago, espero que tenha o 2° livro, estou ansiosa para lê-lo )
comentários(0)comente



Douglas Brandão 05/04/2013

Quando estamos apaixonados fazemos coisas consideradas bobas, agimos de forma diferente e bem esquisita, sem contar que tomamos as atitudes mais desastrosas possíveis. Brooke é uma dessas pessoas. Apaixonada por Scott há algum tempo, leva sua vida formulando planos de como poderia se declarar para ele. Tendo uma personalidade invejável com uma inteligência formidável e uma notável paixão por origamis, leva sua vida tendo como “amiga-cúmplice-Scott” a April, do qual podem ficar horas e horas conversando sobre o garoto que ama Lacrosse.
Após uma conversa com Scott, Brooke descobre que ele está se mudando para Nova York. Brooke fica desesperada, e num impulso de apaixonada, resolve se mudar para casa de seu pai em Nova York. Uma atitude que a levará a enfrentar a si mesma sobre o que realmente quer diante do que já conseguiu. Fará novos amigos e procurará um jeito de resolver a situação com seu pai, já que ele não para em casa e ambos não têm uma relação tão amigável. Sinta-se à vontade para conhecer a dramática vida de Brooke!

Bem Mais Perto é um livro totalmente despretensioso que você lê em uma tarde de domingo. É um livro leve, engraçado em certo ponto, e tímido, poderia dizer assim. Susane Colasanti tem uma narrativa clássica de qualquer outro escritor. Ela consegue prender você, ti incita a querer ler o livro e só. Não é o pior livro, tampouco o melhor do mundo. É uma estória boa. Os personagens são legais, todos têm características que poderíamos assemelhar a qualquer pessoa que conhecemos, e alguns me fizeram rir bastante.
O final do livro achei um pouco corrido, e senti a falta de mais páginas. Senti até que o livro pode ter uma continuação, só não posso dizer se isso é concreto. Sei que adorei a forma tranquila que a Susane Colasanti escreve e estou ansioso pra ler seu segundo livro que sai este mês pela Novo Conceito.
Livro recomendado para aqueles que adoram livros leves com um romance bem água com açúcar. Boa leitura!
comentários(0)comente



Sayane 23/03/2013

Leitura para relaxar, despretensiosa, que flui suave
Faz dois anos que Brooke é apaixonada por Scott, ela o observou por todo este tempo, acreditando que um pertencia o outro. Durante o pique-nique do 2º ano, Brooke decide se declarar para Scott, mas antes que consiga criar coragem, fica sabendo que ele vai se mudar para Nova York. Com receio de perdé-lo, ela deixa amigos, escola, até sua mãe, para ir atrás dele, mesmo que tivesse que ir morar com seu pai. Brooke sempre sonhou em morar em NY e agora estava realizando-o, faltava um outro sonho realizar, ter Scott ao seu lado, mas as coisas não aconteceram como ela imaginava...


No começo, achei a Brooke uma doida de pedra por ir atrás de um garoto, que ela mais observava do que conhecia. Mas conforme a história vai se desenrolando, começei a gostar dela, pois, até mesmo suas escolhas loucas e consideradas "idiotas" a levaram, ao lugar onde ela deveria estar.

"Não adianta ficar com raiva de coisas que não podem ser desfeitas.
Não consigo acreditar que estou realmente aqui. Depois de todo aquele tempo desejando morar em Nova York um dia, agora é real. A empolgação borbulha dentro de mim e faz com que me sinta viva de um modo que nunca senti antes. Pág. 21"


É fácil se identificar com algumas coisas que acontecem com Brooke, pois a desilusão, os obstáculos, a inveja estão retratados de forma cotidiana, mostrando que na vida, todos podem fazer escolhas erradas, mas também todos podem vencê-las e olhar/tornar algo de bom.
A maior burrice de Brooke, foi acreditar em um ideal, que segundo ela, a deixava invísivel, normal, o ideal de ser a garota que tem as notas sempre na média, não queria ser a garota esperta, só queria ser aquela que passaria de ano. E esse erro custou caro no final, o que reforçou meu pensamento de que "Não devemos nos importar com o que vão achar da gente, temos é que ser nós mesmos".

"- Você quer ouvir alguma coisa simples? Você poderia ter tirado A em tudo, com muito pouco esforço. Poderia ter sido a melhor aluna da turma, mas jogou tudo fora. E para quê? Para fazer uma declaração radical que ninguém está ouvindo? Para demonstrar um pont de vista que não beneficia ninguém? Acorda Brooke! Niguém se importa. Pág. 120"



Sobre os personagens, não teve nenhum que me deixou fula da vida, todos tiveram seu devido proposito.
Candice, foi uma que apareceu pouco, mas nas poucas vezes que apareceu foi um tonta, ciumenta e invejosa, que só por que não teve coragem de fazer o que Brooke fez, fica com invejinha pela amiga ter tomado a iniciativa.

"Pode ser que esta seja a resposta que procuro. Esperar minha vida real começar não é desculpa para desperdiçar a vida que tenho no momento. Só estou com Scott por que assumi o controle da minha vida e a modifiquei para conseguir realizar as coisa que quero. Eu mesma criei essa mudança. Por que não posso fazer a mesma coisa para descobrir qual carreira seguir? Pág. 164"


Já Sadie e John, pelo contrário, são animadores, diria até fofos!Sadie se mostrou uma amiga de verdade para Brooke, diferente das que ela acabou deixando na sua antiga cidade. John, foi uma pessoa de grande importância para ela, mal sabia que, no momento em que aceitou se monitora, sua vida começaria a caminhar pela estrada correta, e que John, o garoto esquentado, que tinha dificuldade em aprender as matérias, seria aquele que lhe ajudaria a encontrar seu verdadeiro caminho.

"O objetivo desta joranada não foi ficar com determinado garota. Foi descobrir quem eu sou, perceber o que eu poderia ser. Mudar para Nova York foi mais importante que seguir Scott. Estar com ele foi muito importante, mas ele era apenas um catalisador. Ele era uma maneira de manter meu sonho vivo. Pág. 184"


É uma leitura para relaxar, despretensiosa, que flui suave e rapidamente, não achei cansativa nem metódico, apesar de ver que algumas pessoas não gostaram do livro, eu gostei, não amei, mas acho uma leitura valida, por mostrar que devemos, tanto arriscar, como também encarar os obstáculos e as coisas negativas em nossas vidas, pois só assim sairemos vitoriosos.


Outras resenhas e muito + em:
http://samgirl-arts.blogspot.com.br

Visite, Comente, deixe sua opinião, se gostar siga =D

Obrigada!
comentários(0)comente



Eli 20/03/2013

Ler um romance de vez em quando faz bem para a alma gente. Ajuda a gente a esquecer os problemas, nos faz ver que a adolescência, que é a época mais difícil da nossa vida nos fez chegar até aqui, então, o que vier, é lucro. No primeiro momento, achamos que é mais um romance clishê, onde a protagonista do ensino médio se apaixona pelo garoto popular e vai atrás dele, querendo concretizar esse amor (alguém lembrou de Felicity?). Broke está cursando o último ano do Colegial, e sempre foi apaixonada por Scott. Ela descobre que ele está indo morar em Nova York e parte para lá, para ficar com o "seu amado", com a desculpa de que os estudos lá podem lhe dar mais oportunidades. Ao chegar a cidade, ela faz dois amigos que serão crucias nessa sua nova jornada: John e Sadie, que trarão a Brooke uma nova visão de si mesma. Ela se considera comum e sem graça, e se prende a esse sentimento por considerar que é a única coisa real que ela tem, já que, com seus pais separados e vivendo em conflito, Brooke fica bem no meio da situação, se sentindo pressionada e empurrada de todos os lados. Não é uma aluna nota 10, e sempre se considerou meio burra (quem nunca?). Apesar de ser um livro de adolescentes, acho que pode ser lido por qualquer pessoa, seja para lembrar "os velhos tempos" ou para compreender que o que consideramos grandioso hoje, pode ser apenas uma fase, que servirá para o nosso amadurecimento, e que as pessoas não são tudo que a gente imagina. Na verdade, muito é aquilo que projetamos sobre elas. Acho que de um modo geral, Brooke aprendeu a lição. Ela percebe que o seu príncipe só existia em sua cabeça, mas antes disso, ela terá que passar por alguns percalços, juntamente com seus novos amigos, para perceber que crescer pode ser sim doloroso, mas que no final, vale a pena...
comentários(0)comente



19/03/2013

Mega fofo!
Quando o livro foi lançado pela Novo Conceito fiquei super ensiosa para ler, mais como não consegui comprar o livro logo toda essa vontade foi ficando de lado, até que em uma promoção maluca no site Submarino consegui finalmente compra-lo. Bom, e mesmo assim não o li quando o tive em mãos. Sabe quando você ainda não sente aquela vontade de ler aquele livro mesmo querendo? Meses depois foi que isso aconteceu, e a única coisa da qual eu me arrependo, foi de não ter pegado ele antes para ler.

Brooke parece uma típica adolescente, tem seus defeitos e suas qualidades, ama fazer origami, é super inteligente e tem um grande potencial que ela não gosta de explorar. Seu pai saiu de casa quando era jovem e ela mora com a mãe em Nova Jersey, mas as duas não se dão tão bem assim. Ela é apaixonada por Scott Abrams e está se preparando para se declarar para ele quando descobre que ele vai se mudar para Nova York. Então ela arruma uma desculpa e vai morar com o pai em NY para ir atrás do garoto dos seus sonhos. Quando começa a estudar na mesma escola descobre que ele tem namorada, mas nem assim desiste de tentar mostrar a ele que eles pertencem um ao outro.

"Não quero que ninguém me olhe daquele jeito novamente. Se isso significa que devo esconder quem eu sou, posso viver com isso. Passar despercebida é muito mais fácil que lidar com as consequências."

Sabe aquelas coisas que nós sentimos e não sabemos explicar? E que se tentamos explicar outras pessoas vão achar que somos loucos? É exatamente isso, confesso que fiquei assustada ao ver o quanto me identifiquei com a personagem principal do livro, com "o sentir", com as coisas que ela fez, sobre si mesma.
"Bem Mais Perto" não é apenas mais um livro sobre uma garota que quer encontrar um amor, e vive-lo de forma intensa, vai muito além disso.
Super recomendo!

PS: Peço desculpas por nao ter dado mais detalhes sobre a história, pois se fizesse isso não conseguiria me controlar e seria muito spoiler...
comentários(0)comente



221 encontrados | exibindo 76 a 91
6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR