Dizem Por Aí

Dizem Por Aí Ali Cronin




Resenhas - Dizem Por Aí


20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Yasmin 06/06/2013

Melhor do que se antecessor, um ritmo agradável e um protagonista forte

Quando conheci a série nos lançamentos da Seguinte não sabia se queria ler, afinal não é um gênero que leio muito e principalmente porque romance jovem geralmente é sempre a mesma coisa. O que despertou minha atenção foram os comentários que descreviam o livro. Um retrato mais crível do final da adolescência com sexo, bebedeiras e festas, sem os limites que observamos na literatura. Um grupo de amigos e as experiências do último ano antes da universidade.

No primeiro livro tivemos Sarah, neste segundo volume a história é contada por Ashley, a mais festeira do grupo e a mais liberal em relação ao amor, a namoros e a ficantes. Ashley sempre fez o que deu vontade, seja beber até causar ou dormir com quem quiser. Mas desde que conheceu Dylan a situação mudou. Foi apenas um filme com Donna e os amigos do primo dela. Dylan mal falou três palavras e Ashley sabe que garotos como ele nunca andam e muito menos namoram com garotas como ela. Mas Donna insiste que Dylan gostou dela e só é tímido demais. Ashley não consegue parar de pensar em Dylan, mas na primeira festa que eles se encontram ela faz burrada tentando esquecer de vez o assunto e acaba piorando a situação. A escola inteira está falando pelas costas dela e propagando a piadinha maldosa que alguém escreveu no banheiro. Dos mais novos aos mais velhos todo mundo está comentando da forma mais maldosa possível o assunto. Ashley tenta parecer indiferente, mas já não consegue agir dessa forma. O natal e o fim das aulas estão chegando e Ashley ainda não conseguiu entender Dylan. Além disso tem que lidar com sua irmã mais velha "perfeita" e sua mãe que não para de soltar frases feitas. Se não fosse por Donna e seus outros amigos Ashley já teria explodido com tudo.

Essa é a premissa da história. O final das aulas antes do Natal e o clima de final de ano permeia a história que na voz de Ashley ganha ritmo e principalmente uma história mais acentuada, mais interessante. Ao invés do simples conflito amoroso com Ashley temos um retrato mais complexo do final de uma fase. Ali Cronin mergulha nas dúvidas e nos medos da personagem de forma mais acertada nos mostrando uma garota extremamente forte, mas muito frágil. Misturado com um pouco de humor negro Ashley nos conquista por sua simplicidade e pela premissa de que todos nós erramos, e todos nós merecemos novas chances.

Gostei da forma gradual como a autora desenvolveu a personagem e o entendimento que ela chega ao final da história. Um acerto muito diferente de livros jovens comuns. Outro ponto que achei interessante é a visão de Ashley tem do grupo de amigos. Bem diferente de Sarah, mais sincera e despreocupada, ao mesmo tempo que mais descomprometida. A relação de Ashley com a irmã mais nova e seus comentários sobre a fase da irmã também foi outro ponto refrescante do livro. Ashley é mais do que aparenta e conquista o leitor de forma única. Tem algo mais nela, algo sincero que envolve o leitor. O final não me surpreendeu, mas gostei da forma que aconteceu. Espero ter mais notícias do casal nos outros livros.

Leitura rápida, bem-humorada, gostosa ao mesmo tempo em que desenvolve bem temas sérios, com uma boa reflexiva para jovens que se encontram em situações bastante similares. Ali Cronin evoluiu nesse segundo volume e nos trouxe uma história bem amarrada que vai conquistar de vez os leitores. A edição da (...)

Termine o último parágrafo em: http://www.cultivandoaleitura.com/2013/05/resenha-dizem-por-ai.html

comentários(0)comente



Lygia 20/03/2013

Melhor que o seu antecessor...
'Dizem por Aí' é o volume 2 da série 'Garota (L) Garoto', e se passa algumas semanas após os acontecimentos de 'Nada é Para Sempre'. Só que o volume 1 é narrado pela Sarah, garota certinha e que ficou apaixonada por um garoto mais velho nas férias de verão (veja a resenha aqui --> http://www.brincandocomlivros.com/2013/01/resenha-promocao-nada-e-para-sempre-ali.html).

Dessa vez, a narradora-protagonista é Ashley. Até havia comentado que seria interessante acompanhar a história da garota, que é a mais espevitada do grupo de amigos. Se por um lado temos a visão de Sarah sobre o comportamento e a pessoa de Ashley de forma geral, ter a visão da própria é muito diferente. Mesmo demonstrando ser forte e não ligar pelo seu jeito de ser, percebemos que a garota tem suas inseguranças, como qualquer outro adolescente, só não deixa transparecer tanto.

Acostumada a ter relacionamentos apenas de momento, Ash realmente não se importa com a opinião dos outros. Ela fica com quem quer, a hora que quer e diverte-se à sua maneira, e vemos até que ela usa esse artifício como "fuga" da sua mãe para quem tem que trabalhar de graça na loja de noivas e da sua irmã mala mais velha Sasha, que faz o papel de filha perfeita.

Diferente do primeiro volume, além das festas e grupo de amigos, temos como foco a família da protagonista e os problemas que a cercam. Muitas das atitudes de Ashley estão ligadas ao seu meio familiar, e acredito que ela tenta ser o oposto de sua irmã mais velha, enquanto ama incondicionalmente sua irmãzinha mais nova, Frankie, de 12 anos. Com ela Ash consegue ser verdadeira dentro de casa.

Paralelamente aos conflitos em casa, Donna, que é a melhor amiga da Ash, apresenta a garota à Dylan. Dessa vez, nossa querida protagonista não quer somente uma ficada de uma noite, e se vê, pela primeira vez, realmente atraída e quase apaixonada por ele. Só que a fama de Ash a precede e ela não sabe se Dylan tem interesse nela e pior, se sabe da sua fama de garota fácil que anda pela escola. Ashley vai ser obrigada a repensar todas as suas atitudes até então.

Curti muito mais esse volume e o li em pouco mais de 2 horas. Ashley é muito mais descontraída que Sarah, o que contribuiu para a fluidez da narrativa, sem contar que ela é muito mais desencanada e engraçada. Ali Cronin não perde o tom juvenil da sua escrita e continuo achando que a série é realmente realista e de vem de encontro com todas as inseguranças e episódios típicos da idade. Muito bom!
Zach Motta 02/08/2013minha estante
Nossa! Apenas duas horas? Você deveria ganhar algum prêmio de "livro lido em menos tempo"...




Luh 08/04/2013

Um pouco melhor que o primeiro, mas ainda não me conquistou.
Nota: Essa resenha NÃO contém spoilers do primeiro livro da série.

A Trama: Desde o livro anterior, Ashley me parecia uma personagem divertida, então foi ótimo conhecê-la melhor. Gostei muito mais desse livro que do primeiro, pois a autora explorou problemas além das relações amorosas da protagonista. Um dos focos principais foi a família da garota, suas brigas com a mãe e a irmã mais velha e sua relação carinhosa com a mais nova. Outro ponto importante foram as dúvidas de Ashley sobre seu futuro, a indecisão em relação à faculdade e qual carreira seguir.
A série é bem moderna e retrata a realidade atual dos adolescentes, uma boa parte da comunicação é feita por mensagens de telefone ou pelo Facebook, além de a família da protagonista sofrer as consequências da crise econômica da Europa.
O final é extremamente previsível e sinto que a autora está começando a seguir um padrão bem claro que espero que não se repita no próximo livro.

A ProtagonistaÉ fácil gostar de Ashley e se identificar com a garota. Ela tenta ser diferente dos outros em tudo o que é possível, mas acaba se encaixando no esteriótipo de "vadia" ao ingerir muito álcool e ter casos de uma só noite com estranhos. Ashley consegue aproveitar esse estilo de vida por um tempo, até que sua fama fica realmente fora de controle e ela precisa aprender a respeitar melhor a si mesma. Ela faz o possível para aparentar ser 'durona' e não se importar com a opinião alheia, mas no fundo Ashley é só outra adolescente insegura. Não gostei muito de sua repentina e inexplicável paixão por Dylan mas, em um sentido de opostos que se atraem, eles até que combinam. Ashley me fez rir alto com seus comentários sarcásticos e gostei muito de seu amadurecimento claro, então espero que ela volte a ser a protagonista em algum dos livros.

Os Personagens SecundáriosFoi ótimo poder acompanhar os mesmos personagens, mas senti que não eles não se desenvolveram muito. Rich conseguiu se manter enigmático sobre sua sexualidade, mas pude ver o lado companheiro e protetor do garoto sempre que ele estava com a protagonista. Me sinto como se só agora realmente soubesse quem é Donna, ela parecia não ter muita personalidade no início, mas se tornou uma personagem agradável e bem divertida. Dylan, o interesse amoroso, é fofo e tímido, o oposto de Ashley, mas acho que isso os tornou um casal perfeito. Cass continua me irritando com seu namorado babaca, o que me deixa um pouco apreensiva, já que ela é a narradora do próximo livro. Jack, Ollie e Sarah não receberam muito espaço e, portanto, continuo sem conhecê-los bem.

Capa, Diagramação e Escrita: Adorei a imagem escolhida para o fundo da capa, apesar de ela não aparecer direito. Gostei da ideia de fazer uma capa de cada cor (estou torcendo para a próxima ser verde), deixou a coleção ainda mais bonita na estante e a lombada continua sendo legal. Achei a letra um pouquinho pequena, mas AMEI aquelas estrelinhas que apareciam aleatoriamente no texto e não encontrei nenhum erro de revisão.
Sinto que a escrita da Ali melhorou um pouco, ela conseguiu descrever melhor os ambientes e transmitir muito bem os sentimentos da protagonista.

Concluindo: O livro é divertido, muito atual e a protagonista se desenvolveu bastante, mas ainda é preciso explorar os personagens secundários um pouco melhor para a série me conquistar. No geral foi uma leitura prazerosa, e repleta de cenas emocionantes, então recomendo a todos.

Quotes:
Tipo, onde diabos estava Dylan? E então, como se estivesse escrito no script, ele e Marv apareceram na porta, como caubóis entrando em um bar. Hum, onde estão o gelo seco e a música dramática quando precisamos?

Podem me chamar de piranha se quiserem, mas não há amiga mais leal que eu.
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 06/05/2013

Dizem Por Aí - Ali Cronin
Em Dizem Por Aí, segundo volume da série Garota ♥ Garoto, de Ali Cronin, conhecemos a história de Ashley, a personagem mais descolada da turma. Diferente das outras garotas, ela não sonha com o príncipe encantado e quer mais é se divertir, seja em festas, baladas e até mesmo em relacionamentos casuais. Porém, sua rotina de bon vivant muda de figura quando ela vai ao cinema com a sua amiga Donna e conhece Dylan. Dylan é um garoto muito bonito, de olhos verdes e poucas palavras, causando profunda atração em Ashley.

Ashley não tira Dylan dos seus pensamentos, e quando menos percebe, se vê completamente encantada pelo rapaz. Porém, os encontros entre os dois acontecem de forma bastante diferente: quando eles estão sozinhos, ele é extremamente simpático, atencioso e demonstra bastante interesse pela moça; quando estão em um grupo de amigos, parece evitá-la a todo instante. Tais atitudes colocam a cabeça de Ashley em parafuso. Ela não sabe se Dylan age assim por timidez ou por ter vergonha dela, já que ela sempre teve (e ainda tem) uma vida sexual desregrada, sendo considerada como fútil por algumas pessoas.

Essa situação acaba trazendo insegurança e confusão para a vida de Ashley, que passa a tomar atitudes precipitadas, e na maioria das vezes, erradas. Tentando esquecer Dylan, ela acaba se envolvendo com outros garotos, na busca por sexo casual, e acaba se arrependendo depois. Ela nunca gostou de ninguém antes, e não sabe como lidar com isso...

Confesso que gostei muito mais de Dizem Por Aí do que de seu volume anterior, Nada é Para Sempre. Neste livro temos mais ritmo, mais aventuras e uma personagem divertida, descolada, totalmente sem pudor. Nos deparamos com os seus conflitos, tanto no campo amoroso quanto no campo familiar, e a sua necessidade de ser amada, de receber atenção daqueles que lhe são especiais. Narrado em primeira pessoa pela Ahsley, de forma bastante coloquial, temos uma vasta dimensão do seu cotidiano, dos seus anseios e de suas mazelas.

Ashley nunca quis saber de compromisso sério e sempre prezou mais do que tudo a sua liberdade. No que concerne a sexo, ela sempre o classificou como uma relação espontânea, desprovida de sentimentos e envolvimento; apenas prazer casual. Tal atitude fez com que sua imagem não fosse muito benquista por algumas pessoas, principalmente no colégio onde estuda. O seu relacionamento com a família é meio complicado também. Sua irmã mais velha, Sasha, passa a imagem de ser toda certinha, indefectível, atraindo todos os holofotes para si, enquanto Ashley é vista como a "ovelha negra" da casa. Fica evidente o quanto ela sente uma carência afetiva nesse âmbito, e o quanto ela quer chamar a atenção, ter um pouco mais de carinho dos seus entes queridos, e isso, por si só, justifica muitas das suas atitudes irrefreáveis. A sua irmã caçula, Frankie, é uma fofa e me conquistou logo de início, pelo seu jeitinho doce e meigo e sua maturidade em diversas ocasiões.

A autora descreve o universo adolescente com clareza e exatidão, de forma nua e crua. Ao contrário de muitos livros juvenis, que maquiam muitas coisas para soarem suaves, aqui tudo acontece de forma bem natural, muitas vezes com um linguajar bem agressivo, norteado por gírias e palavrões. Creio que o fato da autora trabalhar muitos anos diretamente com os adolescentes contribuiu bastante para que a sua visão a respeito fosse bastante apurada e lúcida.

Em suma, Dizem Por Aí é um livro que retrata com maestria a época juvenil, com todos os seus sabores e dissabores, e que nos traz uma personagem marcante e forte, apesar de todos os conflitos sentimentais que a cercam. A capa segue o mesmo padrão da anterior, com um leve toque aveludado e uma imagem bem teen. A diagramação foi bem caprichada, com pouquíssimos erros de digitação e com ilustrações fofas no início de cada capítulo. Recomendo.

http://www.newsnessa.com/2013/05/resenha-dizem-por-ai-ali-cronin.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Dé (@livroturista - insta) 25/10/2020

Dizem por aí - Garota.Garoto 2
O livro dessa vez vem na perspectiva de Ashley, uma garota que gosta de aproveitar a vida, não liga para opinião alheia e faz o que bem entende. Curte os amigos, festas e aproveita tudo ao máximo. Os amigos são sua companhia e válvula de escape para os problemas de casa, pois não se dá bem com a mãe e nem com a irmã mais velha, mas ela tenta não se abalar e seguir sua vida o mais longe possível desses problemas.
No quesito relacionamentos, é bem resolvida e não está interessada, até conhecer Dylan um rapaz lindo que mexe com a cabeça dela, mas parece que ele não está interessado e para piorar, no colégio ela passa a sofrer ataques ofensivos devido boatos que foram espalhados ao seu respeito. Apesar de afetá-la, ela tenta não se abalar e seguir firme, só que todo mundo por mais forte que seja tem seus momentos delicados.

O segundo livro é bem melhor que o primeiro, a história é mais interessante de acompanhar. Vemos a força de Ashley para não se deixar abater e seguir em frente diante das ofensas e obstáculos que aparecem, porém fazendo algumas escolhas erradas até ter um choque de realidade do amigo a faz perceber os erros que estava cometendo e aprender principalmente que antes de tudo precisamos nos valorizar.
comentários(0)comente



tiagoodesouza 01/05/2013

Dizem por aí | @blogocapitulo
O segundo livro da série "Garota ~coração~ Garoto" conta a história de Ashley Greene, uma garota bem mais legal que sua amiga Sarah, que protagonizou Nada é para sempre. Portanto, se você não gostou muito de Sarah, corre dar uma chance para Ashley.

(...) O que os meninos querem de mim e o que eu quero (da maioria) deles é diversão e uns amassos. Não há nada de errado nisso.
Página 68.

De seu grupo bem eclético de amigos, Ashley é a que leva a vida mais descolada, não se interessando muito em manter um relacionamento a longo prazo com nenhum garoto. Mas quando ela vai ao cinema com sua amiga Donna, ela conhece Dylan, um cara simpático e quieto que, aos poucos, ocupa seus pensamentos. Porém, quando eles se encontram em festas Dylan parece evitá-la. No entanto, quando estão sozinhos ele a trata normalmente. O que faz com que Ashley se questione se ele tem algum problema com o jeito livre dela viver ou que ele é só tímido.

Somos apresentados à família de Ashley e seu relacionamento complicado com praticamente todos. Ela acredita que a mãe não a conhece de verdade e que prefere todas as bizarrices da irmã mais velha, Sasha - essa personagem me lembrou muito a Bree Van de Kamp da primeira temporada de Desperate Housewives, só que com vinte e quatro anos. Com Frankie, sua irmã mais nova e bem perto de entrar nas confusões da adolescência, Ashley é bastante carinhosa; é uma personagem carismática.

(...) Não tinha me escapado o fato de que Ollie não tinha sido alvo de toda aquela pichação e daquela fofoca também, já que ele curtia sexo sem compromisso tanto quanto eu. Incrível como ter um pênis pode fazer diferença nesta vida.
Página 164.

Acredito que Ashley é bem humana, porque ela não está errada em curtir a vida do jeito que ela bem quiser. Para ela, é normal sair com um cara e acabar fazendo sexo casual. A gente sabe que, pelo menos aqui no Brasil, é mais aceitável que um homem pegue quantas mulheres ele quiser e condenável que uma mulher faça o mesmo. O que é irônico, uma vez que temos o Carnaval e a exploração do corpo feminino... mas isso é assunto para outro momento.

Quando as pessoas começam a falar sobre sua reputação, que ela não sabia que tinha, Ashley algumas vezes se questiona se é realmente errado curtir a vida daquele jeito. Se seu melhor amigo Ollie pode, então por que ela não pode?

Não gostei muito do Dylan. A verdade é que ele é muito apagado e sem atitude. É praticamente o oposto de Ashley. Ela brilha e toma a cena, com erros e acertos, e ele fica no fundo da plateia observando sem interagir. Eu duvidei muito dos sentimentos dele em relação a ela. Os outros caras a julgam, picham xingamentos e inverdades a respeito dela e ele não a defende, apenas questiona o por quê de ela fazer as coisas que faz. Quem a defende e a apoia são seus amigos.

Ashley, você merece coisa melhor. Cai fora desse cara aí!

Ali deixou várias pontas soltas para nos deixar curiosos a respeito dos próximos livros. Como o relacionamento de Adam e Cass e o que realmente houve com Rich naquela festa. Ela nos mostra, também, que nossas escolhas geram consequências e que precisamos estar preparados para o que vier delas. Estou bastante empolgado pelo próximo, Três é demais!

(...) Faço porque gosto. É divertido, e na hora H consigo me esquecer de tudo. Não me acho tudo de bom só porque faço muito sexo, mas ao mesmo tempo não me considero uma vadia. Sou apenas eu. Ashley Greene. E nunca fingi ser outra coisa.
Páginas 77 e 78.

Sorteio rolando no blog até o dia 20/05: http://ocapitulodolivro.blogspot.com.br/2013/05/resenhasorteio-dizem-por-ai.html
comentários(0)comente



Psychobooks 08/05/2013

- Premissa do livro (a.k.a. - conhecendo Ashley)

A série Garota < 3 Garoto tem uma premissa superinteligente e que fisga o leitor desde a leitura da ideia central.
A grande sacada da autora Ali Cronin é acompanhar um grupo de amigos que está para se formar no colegial e se preparando para o ingresso em faculdades. São 4 meninas e 3 garotos. No primeiro livro da série acompanhamos a história de Sarah, a mais tímida do grupo e a sua primeira experiência sexual e relacionamento. O primeiro livro é mais uma introdução da série como um tudo, e se vocês lerem minha resenha desse primeiro enredo verão que é bem isso, mesmo. Sarah não tem muita coisa pra contar e é uma protagonista até bem irritante.
Então conhecemos Ashley.
Desde a visão de Sarah, Ashley já ganha corpo no enredo por ser superdespojada. Encara o sexo com o ar superblasé. Ao contrário de Sarah, sabe o que quer e vai fundo em seus relacionamentos, mas será que essa é a verdadeira faceta da garota? Isso que saberemos quando após uma festa, ela começa a ser apontada na escola como "fácil", bem no momento em que está super a fim de um carinha de outro colégio, o Dylan.

- A narrativa e sua fluência

Ali Cronin sabe escrever para o público jovem-adulto. É perceptível a desenvoltura que ela tem para falar dos problemas e angústias do adolescente que está entrando na vida adulta.
A narrativa, mais uma vez, é em primeira pessoa. Dessa vez sob a visão da Ashley. A protagonista tem um humor bem sarcástico e recheado de baixa autoestima disfarçada de confiança, que é tão comum em adolescentes.
A questão das diferenças entre a visão da sociedade frente a um menino superliberal com o sexo e de uma menina, são bem focadas e questionadas durante a narrativa. Ashley ao mesmo tempo que quer continuar sendo de seu jeito, passa a se questionar se essa é a melhor maneira de agir e para onde isto vai levá-la.
O amadurecimento da personagem é óbvio durante o decorrer do enredo. A relacionamento familiar da personagem também é bem abordado e cativante. Em especial sua relação com a irmã Frankie, de 12 anos.

- Continuação da série e apanhado geral da leitura

A proposta do livro é conhecermos a Ashley e a acompanharmos em sua jornada de questionamentos. A personagem, por ser superdivertida, dá um tom mais cômico a tudo o que passa, mas sem esquecer de nos mostrar o peso de algumas ações.
A relação dela com o grupo cresceu muito aos meus olhos e foi sem dúvida uma narrativa que me cativou muito mais do que o primeiro livro da série.
O próximo livro terá enfoque em Cass, que é a única das meninas que namora firme com um carinha que já está na faculdade. Estou supercuriosa para descobrir o que a Ali planejou para ela.
O mais legal na série, é a possibilidade de aberturas que a trama deixa. Por se tratar do enfoque de um grupo de amigos, alguns personagens podem deixar suas vidas "abertas" em seus livros, e retomarem alguma relação ou criarem novas nos próximos enredos.

- Vale a pena, Alba?

Dentro do seu gênero, Ali inova por apresentar a realidade de adolescentes que estão entrando na fase adulta. Ela não tem medo de abordar sexo, bebidas e relacionamentos familiares e de amizade. A série fica com uma cara bem verdadeira, e a habilidade da autora em mudar o tom de sua narrativa para englobar a personalidade da personagem da vez é encantadora.
Recomendo para quem curte jovem-adulto com uma "pimentinha" a mais.
comentários(0)comente



Liachristo 16/06/2013

RESENHA - DIZEM POR AÍ - SÉRIE GAROTA AMA GAROTO - ALI CRONIN - SEGUINTE
Dizem por Aí, é o segundo livro da Série Garota < 3 Garoto da escritora inglesa Ali Cronin, que traz como protagonistas seis adolescentes ingleses com seus problemas pessoais e vida típica de adolescentes.
Infelizmente não li o primeiro livro desta série, sendo assim não posso dizer, que isto tenha atrapalhado minha leitura. O que li em algumas resenhas, é que são livros independentes e que cada livro, conta a história de um dos personagens da série.
Espero em breve ler o primeiro livro, para que então possa ter uma ideia melhor sobre a série.

A narrativa do livro é em primeira pessoa, o que não costumo gostar muito. O foco é totalmente em Ashley e Dylan, e algumas vezes me ressenti um pouco de não ter uma visão mais ampla dos outros personagens. Pois, alguns me agradaram bastante, e achei que poderiam ter sido mais desenvolvidos.

Ashley é uma personagem que eu achei interessante. Ela é inteligente, divertida e eu adoro a forma como ela não se importa com o que os outros pensam dela. Ela não tem namorado, mas faz sexo com ... Bom para ser franca, com qualquer um que lhe dê vontade, mesmo um desconhecido numa festa. Sua maneira de levar a vida sem compromisso, é o resultado de sua vida familiar difícil - ou seja ter sido abandonada pelo pai, a deixando com sua mãe e duas irmãs, quando ela era jovem e sua mãe desde então ter sido incapaz de estabelecer relações duradouras com outros homens, devido à sua incapacidade de esquecer o ex-marido. Eu confesso que não achei este um motivo tão válido para que ela levasse uma vida assim, tão desregrada e levasse o sexo com tão pouca seriedade.
Eu também gostei de como houve crescimento da personagem neste livro; Ashley comete alguns erros bastante estúpidos, mas ela é capaz de perceber onde ela errou e consegue mudar isso, se tornando uma pessoa melhor. Ela se verá apaixonada pela primeira vez e rejeitada por este garoto. Isto fará com que ela comece a repensar algumas de suas atitudes. Ao final do livro, passei a gostar dela um pouco mais!

Quanto ao Dylan, ele está aberto ao amor, e ele é incrivelmente doce! O típico jovem de escola secundária, bonito, sexy e que deixa as meninas suspirando...
Ele faz com que Ashley fique mais equilibrada, e ele tem uma boa influência sobre ela, o que eu achei adorável! Eu realmente espero que eles aparecem no terceiro livro, pois eu gostaria de saber mais sobre eles!

A sinopse, já mostra um bom teor da história e por isso não irei me alongar aqui na resenha.
A autora soube desenvolver muito bem a história, e tem grande facilidade de escrever sobre o universo dos adolescentes.

A capa nacional, em minha opinião ficou mais bonita que a original. O livro tem uma boa diagramação, com uma fonte de bom tamanho e a cor das páginas facilita a leitura. Não encontrei erros de revisão, e no todo a Seguinte está de parabéns por seu trabalho com o livro.

Eu acho que este livro é um ótimo entretenimento, para quem curte uma leitura engraçada, leve, e fácil. Eu recomendaria aos jovens maiores de 16 anos, por alguma cenas mais ousadas, que são narradas no livro.
Bjus

Aproveito para agradecer a Cia das Letras, pelo envio do livro.
comentários(0)comente



rafazaakar 30/06/2013

ZaaKar.com Resenha - Dizem Por Ai
Bom, como esse é o Unico livro em que eu não consigo publicar a Resenha, por motivos ainda não inteligiveis para mim, deixo link ai pra vocês acessarem! Comentem, sigam, e devolvo o favor ok! ;)

http://zaakarcom.blogspot.com/2013/06/resenha-dizem-por-ai.html

site: http://zaakarcom.blogspot.com/2013/06/resenha-dizem-por-ai.html
comentários(0)comente



Raquel Moritz 23/07/2013

Dizem por Aí é divertido, original e melhor que o antecessor
Ashley é uma das meninas do grupo de amigos que iniciou as histórias no primeiro conto da série Garota ♥ Garoto. A garota é desbocada e leva o carpe diem ao pé da letra. Ela realmente aproveita as oportunidades que aparecem. Aqui conhecemos uma menina apaixonada por cinema, que trabalha de graça para a própria mãe em um emprego que odeia, que tem problemas de relacionamento com a irmã mais velha, e que ama a irmã mais nova incondicionalmente.

A vida de Ash é marcada de relacionamentos instantâneos, amor de balada, e sexo casual com qualquer cara que demonstre interesse no estilo alternativo dela. Ela não dá a mínima para o que os outros pensam e faz o que quer, a hora que bem entende.

Até o momento em que ela conhece Dylan, amigo do primo de Donna, sua melhor amiga. Ele é bonito, charmoso e “com certeza é bom de cama”, o que faz com que Ashley comece a pensar em ter, finalmente, um relacionamento duradouro. Mas quando um não quer, dois não se relacionam, e Ash é perseguida pela fama de “garota fácil” (logo no início do livro, um garoto diz, depois de transar com ela, que Ash “é realmente tão boa quanto dizem”). Por fora, Ash não se abala com o que dizem por aí (ela é chamada de piranha pra baixo no colégio), mas é claro que as ofensas e as fofocas começam a atingi-la.

O livro, narrado de forma descontraída e muito mais divertida do que o antecessor, mostra o amadurecimento de Ashley, o relacionamento dela com a mãe e as irmãs, e o desejo secreto de cursar cinema, que faz com que ela se empenhe ao máximo em um documentário do colégio e se destaque pela qualidade da peça.

Alguns aspectos interessantes: a Sarah, no ponto de vista da Ashley, parece uma menina muito mais segura, atenciosa e organizada do que o primeiro livro (Nada é para Sempre) demonstrava. Pode ser uma evolução da personagem, é claro, mas acredito que tenha a ver com a forma como a Sarah se via e como ela realmente é. Dizem por aí também trouxe mais detalhes sobre os amigos do grupo: Donna é divertida e super companheira, Rich é enigmático e protetor, Ollie continua sendo uma gracinha, e Adam é um babaca completo.

Dizem por aí também tem um título que justifica sua história. Aqui, a gente vê como é difícil passar bem pelo colegial quando as pessoas insistem em espalhar fofocas sobre você e seus amigos. A leitura deste volume é muito tranquila, e as capas continuam lindas demais. :)

site: http://pipocamusical.com.br/2013/06/10/resenha-livro-dizem-por-ai-serie-garota-ama-garoto-livro/
comentários(0)comente



Cathi 01/09/2013

Dizem Por Aí - Ali Cronin - Livro 2
A personagem principal, Ashley, aparece no primeiro livro também, e desde o primeiro ela sempre foi a mais "atirada" e que não liga para o garoto dos sonhos e não faz questão de um namorado, só quer saber de sexo sem compromisso. É uma adolescente super bonita e atraente, mas com fama ruim.
Mas no segundo Dizem Por Ai, onde ela passa a ser a protagonista da história, tudo muda quando Dylan aparece. Ela se apaixona por ele, mas percebe que ele não sente o mesmo. Ashley poderia ter qualquer garoto quisesse nas mãos, mas é Dylan que ela realmente deseja.
Ashley retrata no livro o seu dia a dia e a indignação de que enquanto as mulheres ficam com fama por transar com garotos desconhecidos, os garotos ficam como garanhão. Ela também retrata o fato de se sentir excluída da família muitas vezes, por causa de sua irmã mais velha, que sempre foi a certinha e perfeita. E é assim que a história vai se passando. Com a insegurança e o amadurecimento da personagem.

Bom, diferente do outro livro, o assunto não foca tanto assim em sexo, apesar de ter sim alguns assunto que falam bastante, mas nada comprado com o primeiro, na minha opinião.
Não tenho como entre os dois livros, porque os dois são bons e mostram pensamentos de duas garotas com personalidades diferentes. Mas assim como o primeiro, quando for pegar esse livro para ler, não espere nada demais, só algo para passar o tempo.
A narrativa é bem gostosa de acompanhar e a história é bem fácil de acompanhar, um daqueles livros que dá para ler um um dia e se divertir.
Os personagens são os mesmos do primeiro livro, e foi muito bom rir novamente com eles.

"Eu não tinha nada a perder além da minha dignidade, que na verdade já tinha se perdido havia muito tempo."

"Podem me chamar de piranha se quiserem, mas não há amiga mais legal do que eu."

"Meu Deus, é só a pessoa admitir que gosta de um menino para que de repente toda a situação vire um suspense tipo Agatha Christie."

site: http://realityofbooks.blogspot.com.br/2013/08/resenha-dizem-por-ai-ali-cronin.html
comentários(0)comente



brendacr 18/09/2013

Resenha do ConversaCult
"Diferentemente de Sarah, Ashley é bem menos apegada ao cara e não fica falando dele o tempo todo. Como nesse livro a história tinha outros assuntos interessantes para abordar, não ficou focada somente no cara pelo qual ela era apaixonada. Isso foi um ponto alto do livro.
Além disso, Ash é uma personagem bem mais interessante. É engraçada, despreocupada com as coisas e bem sarcástica, o que rendeu diálogos divertidos e ótimas citações.

Ali Cronin novamente fez sua mágica e criou uma personagem com a qual você se identifica de alguma forma. Eu tomei totalmente as dores dela em relação ao seu amor não correspondido...

"Resumindo, eu estava tão afim dele que poderia ter chorado com a frustração de não poder tê-lo".

"Quanto mais pessoas soubessem que eu gostava dele, menores as chances de acontecer alguma coisa. Matemática Masculina Para Iniciantes".

Adorei também ver o desenvolvimento dos outros personagens: Vemos uma Sarah muito mais segura de si mesma e (finalmente!) deixando o babaca do Joe pra lá; podemos conhecer um pouco mais sobre Donna, Rich e Ollie; Cass e Jack não tiveram tanto destaque, mas acho que terão no próximo livro."

Leia mais em:

site: http://www.conversacult.com.br/2013/09/resenha-dizem-por-ai.html
comentários(0)comente



AndyinhA 17/10/2013

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Apesar da série falar sobre um grupo de amigos que vive as aventuras e desventuras do último ano, além de amores, paixões, famílias, escolhas e etc. a autora acaba focando um pouco cada personagem em seus livros, não que ela exclua os outros, mas no anterior tivemos a Sarah como protagonista, agora é a vez da Ashley mostrar sua cara.

Apesar de ser um pouco repetitiva (a autora acaba enrolando um pouco para contar as mesmas coisas), curto a forma como ela trata seus adolescentes, eles não parecem pessoas que vivem em bolhas, e sim pessoas, que tentam acertar e às vezes (muitas) erram, trocam os pés pelas mãos como todo mundo. Talvez seja porque a autora já escreveu para revistas famosas e ajude em uma série tão badalada e polemica.

Ash é daquelas que agem primeiro e perguntam o que era para fazer depois e isso pode ser bom ou ruim, a personagem tem ótimos momentos, mas intercala com momentos mega chatos que jurava que a autora estava querendo fazer terapia conosco. Sabe quando você quer alguém para ouvir os seus problemas? Mesmo que não possa resolver? Mas sabe que falar vai ajudar? Tem uma parte que é assim, um falatório irritante sobre a vida dela que poderia ter sido editado muita coisa.

Para saber mais, acesse:

site: http://www.monpetitpoison.com/2013/10/poison-books-dizem-por-ai-ali-cronin.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2