Diário Póstumo de Charlotte

Diário Póstumo de Charlotte Jairo Sarfati




Resenhas - Diário Póstumo de Charlotte


10 encontrados | exibindo 1 a 10


Débora 21/11/2020

- Não chore. Seja qual for o motivo, ninguém merece suas lágrimas.
- Mas dói tanto.
- Eu sei que pode doer, mas você vai ser forte e passar por isso. Chorar pode fazer bem quando se tem alguém para amparar. Mas chorar sozinha é a pior coisa.
comentários(0)comente



Gi 03/07/2020

História engraçada que te envolve a todo momento! Muito bomm
comentários(0)comente



Vasconcelos 01/01/2016

Diário Póstumo.
Um livro maravilhoso, com trilhas sonoras incríveis. Jairo conseguiu me fazer chorar do início ao fim do livro. Simplesmente, perfeito.
comentários(0)comente



EuVocê&oslivros 15/12/2015

Estava na Bienal do RJ, quando entrei no stand da Novo Século e conheci o autor de Diário Póstumo de Charlotte. Só o título, que é ultra convidativo, já aflora nossa curiosidade, não é mesmo? Jairo Sarfati, muito simpático, me apresentou o livro contando um pouco do seu enredo. Eu sou a favor de colaborarmos com nossos escritores nacionais, e que um dia possamos nos livrar de tal preconceito.

Logo, adquiri um livro, e posso afirmar para vocês que tive uma grata surpresa. Com a história que ele havia mencionado, me senti meio perdida e apostava que ele também havia se perdido durante a história, mas felizmente não foi o que aconteceu e, apesar de alguns defeitinhos, com certeza recomendo a leitura.

Charlotte é uma adolescente de 16 anos, bastante pobre e que mora com sua mãe, sua irmãzinha e seu padrasto. O principal desafio de sua vida é sobreviver aos preconceitos e olhares que lhe são lançados todos os dias. Muito inteligente, a garota conseguiu uma bolsa para estudar em uma das melhores escolas de Londres, onde a história se passa.


Mas Charlotte não foi e continua não sendo bem recebida por sua classe, além de não se encaixar no quesito padrão financeiro que os demais alunos estão, a menina também não tinha o padrão estético considerado pela sua turma, o que gerava inúmeras piadas e apelidos como por exemplo balofa, os quais ela tinha que aguentar e conviver todos os dias.

Mas tudo estava prestes a mudar com a chegada do menino mais lindo e fascinante que Charlotte já havia visto. Victor tem uma beleza particular, seus cabelos negros e seus olhos cor de safira hipnotizavam qualquer uma. E o garoto ocupou a cadeira ao seu lado, onde todos até então haviam ignorado o assento, e lhe tratou da maneira que nunca ninguém antes havia lhe tratado. Finalmente Charlotte encontrara um amigo.

Cada dia era ainda melhor que o outro, a garota estava realmente vivendo sua melhor época, nunca antes tivera um convívio com alguém daquela maneira, na verdade ela nunca tivera um amigo. E agora ela tinha o melhor de todos, que demonstrava carinho e afeto por ela, uma gordinha de baixa-estima.

Não demorou muito para tal sentimento se mostrar confuso para a garota, o que ela sentia era amizade realmente? Ou estava apaixonada por Victor? Não podia ser, não era possível, esse menino nunca lhe corresponderia. Era o que se passava pela sua cabeça e o que ela confessava para seu diário, seu primeiro amigo, mesmo que não seja real, mas era para quem ela confidenciava tudo.

Foi quando a menina teve uma resposta da vida, ela achava que o bullying que sofria havia cessado, e que as pessoas finalmente haviam esquecido dela e lhe deixado em paz. Mas infelizmente não foi exatamente isso que aconteceu, e após um ato de covardia, o qual causou uma dor gigante em Charlotte, a garota sofreu um grave acidente. E morreu.

É então que acontece toda a reviravolta na história, Charlotte que agora estava acompanhada de seu anjo, não se conformava em deixar Victor e perguntava se não havia uma outra alternativa, ela não queria morrer, não assim. Acatando seu drama, o anjo lhe mostrou que sim, que tinha uma alternativa e que de fato não havia chegado ainda a hora dela. Ela ainda tinha coisas a fazer.

E então Charlotte, já em espírito, entra no corpo de Sophia, que estava quase morrendo no hospital.

Será que o anjo ajudará Charlotte? Será que ela conseguirá se reencontrar com o amor da sua vida? Quais seriam as coisas que ela teria que fazer? Como de fato isso acontecera, e se alguém descobrisse? Bom eu já sei, e convido você para descobrir através do Diário Póstumo de Charlotte.

E deixo super assinado aqui que estou ansiosíssima para o próximo livro, espero que não demore muito Jairo Sarfati ;)

Comentários:

Então, a história é bem instigante e curiosa, realmente imaginei que ele se embolaria e ficaria algo extremamente vago e perdido na mente do leitor, mas não foi o que aconteceu. Ele conseguiu separar e detalhar bem o que queria passar, de uma forma despretensiosa mesmo que detalhada.

Há erros? Há! Mas pelo que parece é seu primeiro livro, e tenho certeza que se o primeiro foi essa grata surpresa, a tendência é que ele nos surpreenda ainda mais nos próximos.

Não curti a narração em primeira pessoa, parece que enrola a história sabe, pensamentos descritos desnecessariamente e outros claramente repetidos várias vezes, o que cansava.

Nos personagens, desejaria um pouco de amadurecimento, não pareciam a idade que tinham. E meu personagem favorito acabou sendo a Nina, melhor amiga de Sophia (ou Charlotte, já que nessa época é ela quem já estava no corpo de Sophia), e que para minha surpresa provavelmente é a personagem principal do próximo livro.

=D

Ah, além disso, no final do livro tem algo bem legal, contém a playslist que o autor indica para cada capítulo. E que é bem legal escutar enquanto vai lendo, dá um tcham na história ;)

Então é isso,
Beijos e até a próxima ;)
Acessem: www.euvoceeoslivros.com

site: www.euvoceeoslivros.com
comentários(0)comente



Katharine 28/06/2015

Excelente livro, gostei muito! O autor é um fofo, tive o prazer de conhecê-lo na Bienal de Fortaleza. A história é bem interessante, a leitura é fluida e os personagens são apaixonantes. É impossível não se apaixonar pelo Victor, ele é um amor. E por falar em amor, morrerei shippando Charlie&Victor, um amor tão puro
comentários(0)comente



Zilda Peixoto 01/06/2015

Diário Póstumo de Charlotte
Ganhei o livro Diário póstumo de Charlotte em um sorteio promovido pelo próprio autor em sua página no Facebook. Ao ver o anúncio do sorteio fiquei imediatamente curiosa para conhecer a obra. A primeira coisa que me chamou a atenção foi à belíssima capa do livro. Uma combinação singela de cores e imagens bucólicas tornava-o muito atraente. Mas e a história? Bem, eu nada sabia a respeito sobre o livro. Minha única referência era a sinopse. Seria um tiro no escuro, deveria confiar puramente na esperança de que a história tivesse algo mais a dizer. Bem, infelizmente, as coisas não saíram como eu esperava.

Jairo Sarfati poderia ter alcançado o sucesso com sua narrativa senão tivesse cometido erros grotescos, tais como: escrever a história em primeira pessoa. Esse talvez tenha sido o seu maior erro. Particularmente gosto bastante de narrativas em primeira pessoa, mas são poucos os autores que conseguem tal façanha. Para escrever sobre a perspectiva do personagem principal é preciso que o autor tenha muito cuidado, pois é muito comum vê-lo repetir inúmeras vezes o mesmo pensamento, ou seja, colocar frases repetidas. Muitas vezes o personagem passa tempo demais divagando, conjecturando ideias pífias que só servem para deixar a narrativa lenta e cansativa. E foi exatamente isto que aconteceu durante toda a leitura do livro.

Outra coisa que me incomodou bastante foi o comportamento demasiadamente infantil por parte de Charlotte. Gente! A garota tinha dezesseis anos, mas tinha uma mentalidade e se comportava como uma garota de 7 anos. Pelo amor de Deus! Seus pensamentos, suas frases melódicas, tudo em Charlotte soa tão falso como uma nota de três reais.
E em terceiro lugar, o enredo e o desenvolvimento da narrativa deixam muito a desejar. Inicialmente tentei me conectar com a história e compreender um pouco a cabecinha de Charlotte, mas conforme a história ia sendo construída as coisas se tornavam ainda mais difíceis.

Charlotte era uma menina (de 16 anos) muito pobre que sofria muito com a rejeição dos colegas da escola. Charlotte sofria porque era pobre e gorda. Mesmo sendo muito inteligente isso não fazia de Charlotte uma pessoa benquista no colégio. Todos a perseguiam e insultavam-na sempre que possível. Charlotte era bolsista na Academia de Cambridge, a melhor escola de ensino médio de Londres. Charlotte era uma menina muito estudiosa. Apesar de toda sua dedicação, Charlotte sofria com a escassez de recursos de sua família. Ela morava na periferia de Londres junto com a mãe, sua irmã caçula Melaine e seu padrasto. Mesmo passando por dificuldades financeiras Charlotte não se deixava abater. A única coisa que lhe fazia sentir mal era ser perseguida e humilhada por seus colegas de classe.

Mas em meio todo o desconforto causado pelo bullying, Charlotte tinha um motivo para ter esperança. Ela se apaixonara por Victor, um garoto lindo e de olhos azuis que sentava ao seu lado na sala de aula. O início da amizade entre Charlotte e Victor foi como um conto de fadas, só que às avessas. Charlotte amava Victor que não sabia do sentimento de Charlotte. e, isso consumia toda a energia de Charlotte. Como se declarar a Victor? Eu sou gorda e pobre e feia! (isso cansa minha beleza).

Depois de ambos ficarem amigos, as coisas se tornaram um pouco mais fácil para Charlotte que deixara de se preocupar com a perseguição das meninas que a insultavam. Porém, a maldade de Katherine e Maggie, suas antagonistas não tinha fim. Graças à perversidade de Katherine, Charlotte é atropelada no momento em que a malvada Katherine lança o diário de Charlotte pela janela da sala de aula. A humilhação de ver todos os colegas caçoando de seu amor por Victor, já que Katherine lera em voz alta as confissões de seu diário foi um momento terrível para Charlotte. Atordoada, Charlotte sai correndo desesperadamente da sala de aula para recuperar seu diário e morre atropelada em frente à escola.

Isso tudo parecer extremamente chocante, mas a morte de Charlotte não causa nenhum sofrimento por conta da falta de continuidade da história. Ao fazer a passagem Charlotte reencarna inexplicavelmente no corpo de Sophia, uma menina da mesma idade que está em coma num hospital da cidade. Tudo acontece muito superficialmente. Um anjo leva Charlotte até o hospital onde está Sophia e diz a Charlotte que ela tem uma nova chance.

Charlotte tem a missão de continuar a seguir sua vida só que habitando o corpo de outra pessoa. Sem as memórias de Sophia, Charlotte terá de descobrir qual é a missão que o anjo lhe dissera. Em seu novo corpo, Charlotte terá a oportunidade de conhecer o luxo, a riqueza, a facilidade que o dinheiro pode lhe oferecer, coisa que jamais poderia sonhar quando era pobre. Agora como Sophia, Charlotte terá de descobrir uma maneira de se reaproximar da mãe, da irmã e de seu amado Victor sem que ninguém desconfie da verdade.

Fiquei extremamente decepcionada com o livro por diversos motivos. Não gostei da manobra ou seja lá qual for o nome que o autor tenha dado ao fato de trazer a reencarnação para a história. Mesmo se tratando de uma ficção é inadmissível aceitar que um corpo habite outro sem um mero preparo ou pelo menos que algo seja explicado. Charlotte ocupa o lugar de Sophia sem mais nem menos. Um anjo surge com metáforas e frases que não tem sentido algum, nem pra Charlotte, nem pra nenhum ser que tenha um mínimo de compreensão. Os diálogos trocados entre Charlotte e o anjo são confusos, cheios de mensagens sublinhares que, mas parece algum tipo de contato alienígena.

Sophia, por exemplo, coitada, morre sei lá de quê. Nós não temos esse conhecimento e tudo fica sem ser explicado até o final da história. Podemos saber um pouco sobre a personagem somente após o término do livro quando o autor decide dar uma prévia do segundo livro, já que o diário póstumo de Charlotte é o primeiro livro de uma série.

Victor é outro personagem extremamente chato e desnecessário no livro, caso ele não fosse o personagem principal. O garoto de (17 anos) é tão bobo, confuso e imaturo quanto Charlotte. O pouco diálogo proferido por ele não agrega em nada. Assim como Charlotte, Victor é um menino inseguro que não sabe lidar com seus sentimentos.

Uma das coisas que me deixaram bastante curiosa foi o fato de Charlotte contar seus sentimentos através de seu diário. Eu gosto de narrativas que incluam este tipo de recurso, mas até nisso o autor estragou tudo deixando a narrativa ainda mais cansativa e infantil. As confissões de Charlotte são muito infantis, suas frases e colocações são repetitivas. Óh vida! Oh céus! Ainda bem que o diário não podia responder as suas lamúrias.

Em relação à escrita pude perceber a falta de experiência do autor. São muitos parágrafos, às vezes períodos inteiros repetindo a mesma coisa. Em alguns casos, o uso de frases de efeito tornou o capítulo ainda mais amador e cansativo. É uma pena porque a história em si poderia ter sido mais bem aproveitada.
Uma das mensagens do livro é reforçar a ideia de que para ser feliz nós não precisamos de muito. Mesmo quando pobre, Charlotte tinha o amor e atenção de sua mãe diariamente. Charlotte aprendera que o amor era o bem mais valioso. Já no corpo de Sophia, Charlotte percebe que mesmo morando em uma mansão, sendo linda e rica, a felicidade pode custar bem caro. Sua mãe atual é uma estilista muito poderosa e que não tem tempo para se dedicar a filha. De nada adiantava tanta riqueza se Charlotte não tinha o amor de seu amado e a atenção de sua mãe.

Diário póstumo de Charlotte é um livro romântico muito açucarado que pode causar diabete crônica aos desavisados. Sua narrativa um tanto lenta pode causar dormência cerebral e sua escrita simplória e redundante pode causar traumas irreversíveis.

Para leitores menos exigentes e que curtam histórias fofinhas pode ser uma boa pedida. Infelizmente comigo não funcionou muito bem. História fraca, personagens apáticos, narrativa lenta e cansativa. No final do livro temos uma playlist bem interessante. Deu pra salvar alguma coisa.

site: http://www.cacholaliteraria.com.br/2015/05/resenha-diario-postumo-de-charlotte.html
Priscila Nonato 19/03/2016minha estante
Transmitiu tudo que senti lendo esse livro .A premissa era ótima mas uma autor não souber desenvolver a idéia.O romance ganhou mais destaque do que o relacionamento dela com a mãe e a irmã.E tudo terminou de forma abruta e açucarada demais para meu gosto hahha


Tainara 07/04/2017minha estante
Zilda Peixoto a senhora já escreveu algum livro ?


Tainara 07/04/2017minha estante
Zilda Peixoto a senhora já escreveu algum livro ? Sei que a história é sobre Charlotte mas precisa mesmo repetir tanto o nome dela... A senhora já ouviu falar dos Pronomes ? Pra mim o que ficou cansativo foi ler sua resenha.


Paula Aono 14/04/2019minha estante
Definiu tudo que eu senti. E as frases do tipo: "falar-te-ei" "quero-te", que jovem de 16/17 anos fala assim? Eu tenho 30 e não falo! Decepcionante




Luh 24/04/2015

Diário Póstumo de Charlotte - Jairo Sarfati
" ela estuda no melhor e mais caro colégio de Londres, porque é bolsista.
Charlotte sofre bullying, no colégio por causa de suas roupas, as mesas dos alunos são para serem usadas em duplas, mas Charlie a usa sozinha e não tem nenhuma amiga ou amigo... ainda."
Leia mais no meu blog!

site: http://castelodelivr0s.blogspot.com.br/2014/11/diario-postumo-de-charlotte-jairo.html
comentários(0)comente



Walber 11/01/2015

A primeira resenha de 2015 não podia ser diferente.
Diário Póstumo de Charlotte merece todos os créditos de meu segundo livro de romance favorito. Sim, atrás apenas de A Culpa É das Estrelas (e não, não sou fã modinha do João Verde).
Confesso que quando conheci o livro, o que me chamou a atenção foi a capa (afinal, olhem só que beleza de capa!) e o fato de o escritor, Jairo Sarfati, ser um jovem do meu estado, Ceará.
Comprei Charlotte na Bienal do Ceará, em dezembro, e passei algumas semanas nas primeiras páginas, enrolando a leitura... Tinha planos de lê-lo antes do fim do ano, mas não consegui. Estava empenhado em outras leituras.
Mas, foi só dedicar-me inteiramente ao livro, que o li muito rapidamente.
Diário Póstumo de Charlotte conta a história de uma garota humilde e fora dos padrões estéticos, que mora em um bairro pobre de Londres mas estuda numa escola de ricos através de uma bolsa.
Sem amigos, Charlotte conta apenas com seu diário, onde desabafa tudo o que sente... Até um aluno novo chegar na escola. Victor era tudo o que Charlie admirava em um rapaz e logo ela percebeu-se apaixonada por ele.
Mas acontece algo que interrompe sua vida repentinamente... Charlie morre em um acidente logo no começo do livro (e por isso sua morte não é nenhum spoiler!).
Como sua morte não estava nos planos do destino, a alma da menina reencarna no corpo de uma garota linda e muito rica, o que faz com que sua segunda vida seja totalmente diferente da primeira.
E assim, Charlotte, agora no corpo de Sophia, tem que reconquistar o triste e em luto Victor, além de realizar outras missões.
Com personagens apaixonantes (leia-se Nina) e alguns de "dar nos nervos" (o anjo), o livro é repleto de cenas amáveis, cômicas, tristes e emocionantes. Jairo Sarfati me proporcionou durante a leitura uma enorme quantidade de sentimentos...
E sobre o final

site: http://blogleitorcompulsivo.blogspot.com.br/2015/01/bras-cubas-do-seculo-xxi.html
comentários(0)comente



Alexsandra 31/12/2013

Resenha do Blog Em Cia dos Livros
Este livro faz parte da série ''Os diários de Londres'' e me conquistou logo pela capa, com traços tão lindos e com cores tão vivas, foi o ponto inicial para começar a lê-lo. Mas o livro não é só lindo pela capa, a história também é incrível.
O livro aborda desde o bullying até a falta de auto-estima, e ainda se passa em Londres, um dos lugares mais lindos do mundo, na minha opinião. Acho que descobri um lado meu que não sabia que tinha, acho que gosto dos livros que abordam assuntos sérios, principalmente o bullying, afinal como já disse em outra postagem, palavras também machucam, então tomem cuidado com o que falam, porque mesmo que não tenha sido a sua intenção, o ouvinte pode compreender errado, então fica a dica.
A história é narrada por Charlotte, que através de um diário, ela nos conta os momentos mais importantes que acontecem em sua vida, ela é bolsista da maior escola de Londres, a academia de Cambridge, e está acima do peso e por isso é ridicularizada na escola, até o dia em que Victor Phills aparece em sua sala, transferido da Escócia, e adivinhem onde ele se senta? Isso mesmo, bem do ladinho dela, é paixão à primeira vista, mas ela é muito insegura, tímida, e não tem muita experiência com amigos, nem muito menos com um garoto lindo como Victor. Mas o garoto está decidido a se aproximar de Charlotte... Continue lendo no blog:

site: http://emciadoslivros.blogspot.com.br/2013/12/diario-postumo-de-charlotte-jairo.html#more
comentários(0)comente



Vanessa Meiser 20/12/2013

balaiodelivros.blogspot.com.br
A primeira coisa que chama a atenção neste livro é a capa linda. Quando mostrei ele na minha postagem de Caixinha de Correio todo mundo comentou sobre ela, e não é para menos, pessoalmente é ainda mais bonita.
Mas nem só de capa bem feita vive um livro não é mesmo? E este além de caprichado é muito fofo, uma história encantadora de amor que ultrapassa todas as barreiras e resiste até mesmo à morte. Falando assim sobre morte, você pode pensar que o livro é forte e tal, mas na verdade é uma história leve e emocionante.
"Diário Póstumo de Charlotte" aborda temas como baixa autoestima, bullying, depressão, amor, amizade, confiança e superação, e ainda por cima se passa em Londres, o lugar mais lindo do mundo!!!! Hehe.
Charlotte é uma garota de família humilde que vive com a mãe, a irmã bebê e o padrasto que ela detesta e só o tolera porque ele é pai de sua amada irmãzinha. A família é bastante pobre e passam por muitas necessidades. Charlotte e a mãe tem uma relação muito bonita, de amor puro e verdadeiro. Na escola a menina é ridicularizada por estar acima do peso e por não ser considerada bonita como as outras meninas da escola. As cenas de bullying são bem revoltantes, mas não é apenas pela aparência que Charlotte é agredida, tem também o fato dela ser bolsista na Cambridge, a melhor escola de Londres. A garota conseguiu esta bolsa por ser muito inteligente e esforçada.
Seu destino muda quando Victor entra pela porta de sua sala de aula e senta ao seu lado. Victor é o aluno novo. Ele não conhece ninguém na escola e usa a proximidade com Charlotte para estreitar uma amizade com ela. Os dois passam a ser melhores amigos e fazem tudo juntos, estudam, passeiam, se divertem....não demora para que ela se sinta apaixonada por ele já que Victor além de simpático é lindo. Estranhamente ele parece não se importar com os 'defeitos' de Charlotte e não se intimida com as pessoas que a incomodam, Victor gosta mesmo dela e se sente bem em sua companhia.
Porém, num dia ruim na escola em que suas colegas estão empenhadas em lhe agredir, um acidente fatal vitimiza Charlotte e a princípio põe fim em seus sonhos de dias melhores com Victor. O menino fica bastante abalado com a perda e é neste momento que percebemos o quanto ele gostava de sua amiga. O que ninguém imaginava é que ao que parece Charlotte poderia ter uma segunda chance de ser realmente feliz.
Conforme a história vai correndo, vamos tendo acesso ao diário de Charlotte. Ela possui o costume de escrever todas as passagens mais importantes do seu dia a dia, principalmente seus momentos com Victor, aliás, este diário é parte do acidente que ela sofre, ele infelizmente cai em mãos erradas.
Enfim, temos aqui um livro emocionante de um jovem autor que mostra que tem talento para prender o leitor. É o livro certo para horas relaxantes e descontraídas, com uma narrativa convidativa e agradável.
Recomendo a leitura!

“ – Uma hora você irá entender. Tudo tem seu tempo certo. Mas nunca se esqueça de quem você é, independente das mudanças que acontecerem em sua vida. É como a árvore que ficou coberta de neve, que ficou seca e que depois ficou florida, mas nunca deixou de saber quem ela é. Seja você. Nunca se esqueça de quem você é.”
comentários(0)comente



10 encontrados | exibindo 1 a 10