As Trevas de Sethanon

As Trevas de Sethanon Raymond E. Feist




Resenhas - Mago: As Trevas de Sethanon


27 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Luke 15/08/2016

O título da série é bem enganador, pois como se cria uma série de livros com o nome Mago e deixa o mago como personagem secundário e muitas vezes terciário?
Fazer uma série com esee nome e focar 2 livros da série quase que exclusivamente no príncipe é o mesmo que escrever Harry Potter e focar a história no Arthur Weasley.
comentários(0)comente



Café & Espadas 09/02/2015

Resenha: As Trevas de Sethanon
E chegamos a mais um desfecho. Temos aqui o fim de mais uma saga que foi escrita para ficar na história e no nosso imaginário. Raymond E. Feist soube cativar cada um de seus fãs com as suas descrições de tirar o fôlego e sempre com essa capacidade de nos fazer imaginar cada detalhe de cada uma de suas cenas.

As Trevas de Sethanon traz o fim da tetralogia da saga intitulada de "Mago" e, mais uma vez somos inseridos em mundos fantásticos onde o bem sempre tenta superar o mal, onde lendas movem povos e onde batalhas épicas são travadas a fim de nos deixar ainda mais presos à narrativa.

A história deste quarto livro começa com o Festival de Apresentação, onde o Príncipe Arutha e a Princesa Anita iriam mostrar ao povo de todas as classes que seus herdeiros haviam nascidos imaculados. Os príncipes Borric (homenagem ao falecido pai de Arutha) e Erland (homenagem ao falecido pai de Anita) eram dois bebês saudáveis e bonitos, e eles fizeram a festa da população ao serem apresentados.

Embora precisassem passar por toda essa festividade, pois o Festival de Apresentação era uma tradição para qualquer membro da família real, os nobres da realeza sabiam que o perigo rondava a região. Afinal todos sabiam que Murmandamus queria pôr um fim à vida de Arutha, pois só assim ele poderia reinar sobre aquelas terras.

E então a história começa de fato. Jimmy, fiel escudeiro de Arutha, como sempre, percebe que algo não estava saindo bem. Logo de início vemos uma batalha se formando, afinal, muitas respostas ainda não foram respondidas e o Senhor do Ocidente ainda precisava enfrentar o poder das Trevas.

Krondor é novamente alvo de ataques e o príncipe precisa viajar novamente para confrontar o mau que ronda sua vida e ameaça a todos, tanto no mundo de Midkemia quanto no mundo de Kelewan. O Inimigo busca poder e, cada vez mais, consegue aliados fortes.

Pug volta de Elvardein - o Refúgio dos Elfos, lar dos antigos elfos Eldar - e pede ajuda a Tomas, seu amigo de infância e agora consorte da Rainha de Elvandar. Os dois saem em busca de respostas sobre como derrotar o Inimigo.

Em meio a isso, novas alianças são feitas, antigos personagens reaparecem e surpreendem em suas mudanças. Novos personagens ganham destaque e se tornam indispensáveis para a trama se desenrolar. Arutha reencontra Guy du Bas-Tyra - o antigo Senhor da Guerra - que lhe conta com se tornou inimigo de seu pai, o Duque Borric conDoin. É aqui onde vemos como Guy se tornou um respeitado comandante e que, no final das contas, ele não era verdadeiramente o grande inimigo do reino.

Em As Trevas de Sethanon, Raymond dá destaque às emoções de seus personagens. Antes tínhamos uma visão superficial sobre eles, mas neste livro, ele fez com que o leitor pudesse conhece-los mais a fundo. Tomas mostrou suas dores e fragilidades em Espinho de Prata, assim como o Príncipe Arutha. Já Pug acompanhamos desde o início, e Martin vem se mostrando aos poucos. O que achei interessante nos livros de Feist foi essa separação nas histórias. Cada livro traz um foco em um personagem específico e no final todos se completam.

Guy e Arutha lutam juntos durante a batalha em Armengar e trazem grandes perdas ao Inimigo. Os últimos momentos da trama são surpreendentes e muita coisa é revelada. Mais uma vez Feist termina um livro com maestria, embora este último merecesse um final mais elaborado e menos previsível.

Apesar dos pesares, a "Saga do Mago" deve ser lida e relida. Recomendo a todos os amantes da literatura fantástica.

E para encerrar muito bem esta resenha, uma ótima notícia: a Saída de Emergência Brasil anunciou, em outubro de 2014, que irá lançar a "Saga do Império", escrita por Raymond E. Feist em parceria com Janny Wurts.

A “Saga do Império” será composta por três livros e terá um tom político, sem deixar de lado a fantasia que permeou a saga de Pug, Tomas e Arutha. Apesar de se passar no mesmo universo, a saga poderá ser lida de forma independente da “Saga do Mago”. O primeiro livro, "A Filha do Império", tem lançamento previsto para o primeiro semestre de 2015.

Agora só nos resta ter saudade desses personagens marcantes e esperar por mais obras de Raymond E. Feist acompanhadas com as belíssimas edições da Saída de Emergência Brasil.

site: http://cafeeespadas.blogspot.com.br/2015/02/resenha-as-trevas-de-sethanon.html
comentários(0)comente



@APassional 09/01/2015

Mago: As Trevas de Sethanon * Resenha por: Rosem Ferr * Arquivo Passional
Com As Trevas de Sethanon chegamos ao fim da tetralogia do Mago, e mais uma vez somos tragados ao mundo fantástico, repleto de aventuras, magia e batalhas épicas de Feist, e sob a temática da luta pelo poder, acompanhamos a inesquecível jornada de três jovens, suas descobertas, perdas e vitórias neste e em outros mundos, para enfim tornarem-se com louvor senhores de seu destino.

A Saga do Mago, teve como inspiração o fabuloso mundo de Midkemia, criado por 14 jogadores de RPG como observamos nos agradecimentos do autor, e logo nas primeiras páginas deste tomo, temos um resumo bem oportuno dos três livros anteriores, já que nos posiciona para o tão esperado desfecho da saga de nossos heróis.

A trama tem início com atividades corriqueiras de uma corte à véspera de um grande festival, entretanto sabemos que uma ameaça coloca em perigo Krondor, ou mais especificamente o Príncipe Arutha jurado de morte por Murmandamus, um poderoso demônio ancestral. Assim ao ser surpreendido por notícias dos falcões negros em Krondor e após mais um atentado contra sua vida, Arutha decide partir para o norte e confrontar seu inimigo, para tanto pede apoio a Martin e Baru, e será acompanhado por Jimmy, Laurie, Roald e Locklear, então senta que lá vem muita aventura...

Reencontros com velhos amigos e inimigos, armadilhas, fugas, confrontos, tensão e Jimmy como sempre causando muiiiito, afinal ele é o estrategista do grupo:

“Durante mais de um ano vira o trapaceiro, o patife, o sedutor, mas agora via alguém que nunca esperara encontrar, o frio e cruel veterano da vida, um jovem que já havia matado e que mataria de novo...”

Seguindo o estilo dos livros anteriores, temos dois núcleos de ação, que intercalam os capítulos entre as façanhas de Arutha, degladiando com elfos negros, trolls, gigantes, goblins, etc... E Pug, que junto com Tomas, irá desbravar mundos desconhecidos, graças a magia que ambos possuem, a fim de descobrir como salvar Midkemia do inimigo ancestral de mundos. E neste ponto a habilidade de Feist na finalização dos capítulos quase nos faz pular de um para outro, é necessário muiiiiiiiiiiito esforço para resistir a dar aquela espiadinha hahaha!

Surpresas, revelações, reviravoltas, os garotos tornaram-se homens sábios, valentes e poderosos. E Martin... encontra Briana:

“Eu não preciso falar, mas você conhece minha necessidade e meu desejo – ele disse depois de beija-la com grande paixão – Esperei tempo demais por você.”

Por outro lado, os mundos paralelos adentrados magicamente por Pug e Tomas são de uma criatividade ímpar e magníficos, entre o dantesco e o etérico, com uma miscelânea de mitologia grega e nórdica pontuada.

Mais uma vez me encantei, Arutha é meu protagonista prediletíssimo e Jimmy é meu super queridinho, mas gente o falado Guy du Bar Tyra arrassou hein, só mencionado nos outros tomos, neste mostrou por que era tão temido, ele é o “cara”, a batalha em Armengar é sensacional, Guy é “O Senhor da Guerra” que todo rei cobiça hahaha!

Os últimos momentos são repletos de revelações surpreendentes e dois duelos arrebatadores concluem a jornada com maestria, finalizando com aquele gostinho de quero mais... inesquecível. Amei, amei, amei! By.:. Rosem Ferr

Resenha publicada no Blog Arquivo Passional em 06/01/2015.

site: http://www.arquivopassional.com/2015/01/resenha-mago-as-trevas-de-sethanon.html
comentários(0)comente



Rafa Mello 20/01/2015

Resenha original do blog Eu + Livros
Mesmo após todo o incidente em Espinho de Prata, Arutha pensa que enfim vão deixar ele ter sua vidinha em paz com sua mulher e, agora, com dois filhos. Mas parece que na vida de Arutha isso não é possível, principalmente após Jimmy ficar sabendo que Murmandamus quer a linda e formosa cabeça do meu principezinho querido.

Do outro lado da estória, Pug e Tomas vão à uma missão fora do nosso espaço e tempo, e não sabem o quanto essa missão será bem sucedida.

Ainda temos Martin, que, por ser Duque de Crydee, está sendo muito cobrado para arranjar uma companheira logo, afinal, isso é necessário e o tempo está passando. Mas, Martin tem seu jeitinho peculiar de ser e não quer menina fresca de jeito nenhum. Será que enfim ele irá encontrar alguém para ocupar o seu coração e sua mente?

Grandes aventuras e surpresas você terá ao ler MAGO: As Trevas de Sethanon, o último e majestoso livro da Saga do Mago.

Leia a resenha completa no blog Eu + Livros

site: http://www.eumaislivros.com.br/2015/01/mago-as-trevas-de-sethanon-raymond-e.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Raniere 28/01/2015

Desfecho Épico!
Sabe quando você fica totalmente sem palavras após ler um livro? É exatamente isto que senti quando terminei de ler “As Trevas de Sethanon”, quarto e último livro da Saga “Mago”, de Raymond E. Feist.

Lançada no Brasil pela Saída de Emergência, a saga “Mago” é um presente para qualquer fã de literatura fantástica! Com uma forte influência de J.R.R. Tolkien, usando o artifício de viagem para mundos fantásticos de C.S. Lewis e com um suspense avassalador, característico de “A Torre Negra”, de Stephen King, esta quadrilogia épica prende o leitor da primeira página de “Aprendiz” até a última de “As Trevas de Sethanon”.

A saga acompanha os personagens Pug e Thomas, da infância (em “Aprendiz”) até a idade adulta, relatando todas as suas transformações. Não esquecendo dos demais personagens principais, claro, como o Príncipe Arutha e Jimmy, A Mão (este só a partir de “Mestre”). Os personagens da saga são fortes, carismáticos, intrigantes e envolventes. Sim, mesmo os personagens secundários conquistam o leitor.

A história é complexa! Em “Aprendiz”, descobre-se um portal em Midkemia. Este portal leva a outro mundo, outra dimensão, e seres provenientes deste estranho lugar, os tsurani, desejam conquistar Midkemia. A história continua em “Mestre”, onde a guerra entre Midkemia e Tsuranuani continua. Em “Espinho de Prata”, a guerra entre os dois mundos terminou e o portal foi destruído. Porém, descobre-se uma força maligna que foi libertada pela existência do portal entre Midkemia e Tsuranuani e, provavelmente, induziu a criação deste portal. Neste livro, muitas dúvidas existentes nos dois primeiros volumes da série são respondidas! E, em “As Trevas de Sethanon”, temos o desfecho eletrizante contra este Inimigo, que faz mortos voltarem à vida e tem um poder inimaginável.

Algo que me agradou demais nesta série e, em especial, em “As Trevas de Sethanon”, foi o quando Raymond E. Feist explora os sentimentos, tanto os maus quanto os bons, dos seus personagens. Isso nos faz enxergá-los como humanos, e não como heróis que só tem qualidades e nada mais. O Universo criado pelo autor também é bastante explorado e, neste último livro da série, o passado é bem explicado.

Bom, terminei a saga e a saudade ficou! Saudade dos personagens Arutha, Pug, Thomas, Carline, Kulgan, Laurie, Jimmy, Roald, etc. Saudade de Midkemia, de Tsuranuani e das incríveis batalhas que participei, neste livro (pois Raymond não faz o leitor apenas ler sobre as batalhas, e sim participar delas e lutar junto com seus personagens favoritos!). A Saga “Mago” marcou minha vida, e tenho certeza que marcará a de milhares de pessoas.
comentários(0)comente



Nat 26/01/2016

Todos achavam que não havia mais Falcões Negros. Após um ano de calmaria, o reino está comemorando a apresentação dos dois filhos de Arutha e Anita e o povo está em festa. Até que descobrem que o perigo ainda não passou e que não, os Falcões Negros não sumiram. Arutha parte para luta e um atentado contra sua vida leva a um plano audacioso de perseguição a Murmandamus. Só que ele não consegue mentir para Jimmy, seu escudeiro fiel, e assim partem ambos, Martin, Baru, Laurie, Roald e Locklear para o norte, em direção as terras após as cordilheiras. Enquanto isso, Pug, que havia viajado para o extremo norte do império e aprendeu muito com os eldar, elfos anciões há muito julgados desaparecidos. Junto a Thomas, eles partem em uma viagem perigosa e fora do tempo na tentativa de salvar Midkemia de uma vez por todas.

Finalmente, terminei. Uma série que me interessou somente pela capa e porque as pessoas falavam muito bem e recomendavam. Como eu disse antes, a história não é ruim, só perdeu o encanto por causa de alguns personagens. Agora que li toda a história, acho que o que faltou realmente foi um pequeno glossário para falar um pouco sobre os lugares e personagens, pois eles são, à primeira vista, complexos, somente para facilitar a leitura, porque eu tive a sensação, desde o início, de ser jogada num mundo diferente sem nenhuma introdução, o que me confundiu um pouco. Talvez isso seja somente uma desculpa para o meu desgostar da série, não sei. Não quero ser injusta. Só que a história, mesmo com esse último livro completamente eletrizante, não me prendeu. No entanto, eu recomendo aos fãs de fantasia.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2016/01/mago-as-trevas-de-sethanon-raymond-e_13.html
comentários(0)comente



Levi 25/07/2017

Simplesmente maravilhoso!!
Resenha Saga MAGO
Livros:
Aprendiz – Livro 1
Mestre – Livro 2
Espinho de Prata – Livro 3
As Trevas de Sethanon – Livro 4
Autor: Raymond E. Feist
Tradução de Cristina Correia
Editora Saída de Emergência

A resenha que pensei em escrever, tinha a intenção de falar separadamente sobre cada livro, mas achei que ficaria muito chato, então optei por um texto único, falando sobre o que achei da história, sem mais delongas, vamos lá!

O meu primeiro contato com a Saga do MAGO foi pela capa, admito, ele me prendeu atenção só pela capa desta edição e achei elas muito bem elaboradas e bonitas.
Após isso eu li a sinopse e pronto, o feitiço foi lançado e me lasquei, mais uma obra para ler, e como não bastasse, lá ia eu entrar em mais uma SAGA, preciso aprender a ler livros únicos e parar um pouco de ler sagas e trilogias, mas o que posso fazer se as histórias são boas.

Fui apresentado a PUG, nosso personagem principal, e admito, achei o nome muito engraçado, pois me lembrava pulga, aqueles bichinhos que tem nos nossos animais de estimação.

Um jovem ambicioso, que almejava se tornar escudeiro e ter grandes posses, claro que seu destino da uma reviravolta quando demonstra uma certa aptidão para magia e acaba se tornando aprendiz do mago Kulgan. Calma que nada disso é spoiler, tem na descrição de capa a maioria das coisas que estou trazendo, então fique tranquilo.

O mundo criado por Raymond E. Feist se chama Midkemia, é aquela velha história de cavaleiros, princesas, reinos em guerra, magia e tramas que nos levam a vibrar de expectativas, mas que vai além do nosso imaginado em alguns momentos, explorando também o espaço tempo e outros mundos, se você gosta desse tipo de leitura, fique à vontade para ler.

A história é bem desenvolvida, os personagens são bem construídos e tudo em questão de pouco tempo se torna apaixonante.

A forma de escrita é fácil, não cansa você, a abordagem que foi usada é bem filha da mãe, já explico o motivo.

Sabe quando você está lendo bem tranquilo e acha que está ficando entediado e do nada rola aquele momento de ação que você não consegue acreditar e nem parar de ler? É isso mesmo, todos os quatro livros da saga têm essa pegada, estão bem tranquilos e quando você está quase desistindo ele te puxa novamente, como lançar um anzol e morder a isca, e você lê três capítulos como se fossem apenas um.

Aí você deve se perguntar, mas então os capítulos são curtos? Não meu caro amigo, são grandes, alguns duram até uma hora inteira de leitura, mas valem cada minuto investido.

A Saga do MAGO não me decepcionou em nada, amei cada personagem que me foi apresentado, cada laço que foi se formando ao longo da história, as amizades, os romances, as perdas, cada lugar que foi sendo explorado, foi uma imersão a um mundo cheio de aventuras e mistérios.

Sobre pontos negativos, não consigo pensar em nada, pois são tão pequenos que nem ficam na sua memória.

Sentirei falta de Midkemia e de todo o pessoal, pois cada livro lido, são novos amigos que encontramos, novas inspirações, novos amores, pois ler nos faz viajar, entrar em mundos inteiramente mágicos, pois tudo é criado na nossa imaginação e essa não tem limites.

A minha dica é, se você gosta de jogos de RPG, deve ler, se você gosta de uma boa aventura, deve ler, se você gosta de fantasia, deve ler, se você gosta de ler, pode investir que vai valer a pena.

Assim eu concluo a SAGA do MAGO, que voltaria a ler sem nenhuma dúvida.

Resenha de Douglas Moizés Alves – 24/07/17


site: https://levigarian.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Moreira 14/05/2018

Mago - As Trevas de Sethanon
Logo após salvarem a vida da princesa, Krondor parecia em paz novamente, mesmo nossos protagonista sabendo que não, que o terror estava apenas começando.
O Ultimo livro de Mago traz ua trama de roer as unhas (mesmo que eu não o faça), pois o perigo esta sempre aos calcanhares daqueles com quem viajamos durante a aventura. A História te prende do começo ao fim, pois tudo é um mistério e o que você tem em mãos é; uma guerra esta por vir, só isso.
Mago (em geral) não é pra ser lido de uma maneira rápida, mas com atenção.
Apesar de eu ter achado Murmundamus um vilão que não seja digno de ser lembrado como Sauron ou Voldemort, Murmundamus é sim um vilão horripilante, ele não liga se ta perdendo ou se ta ganhando, ele tem apenas um objetivo e para chegar nele, ele vai usar todos que se unir a ele como peões.
Enquanto vemos o crescimento de Pug e de Tomas com a ajuda do feiticeiro. Apesar de terem uma das melhores cenas/capítulo nesse livro, eu esperava mais de Pug e de Tomas, afinal, Mago só começou por causa deles.
Ver Arutha nesse livro e Jimmy ao seu lado é sem igual, esses dois formam uma dupla perfeita entre um Nobre e um Ladrão.
O livro deixou coisas em aberto, e do meio para o final ficou bem corrido, mas não deixa de ser uma experiência ótima.
Se você espera uma fantasia com um pouco de romance, sinto-lhes dizer, mas o romance de Reymond é fraco, acho que seja proposital, pois no livro se passam meses ou semanas. Mas o que Reymond mostra em seus 4 livros é o amor e a amizade, que vale a pena lutar por isso.
As Trevas de Sethanon é um dos meus favoritos entre os 4, e se você procura uma aventura que te deixe preso na história, com um arrepio no último fio de cabelo, Mago é recomendável.
Mas tem um Porém, eu acho que o final deveria ter sido melhor, não sei, ou eu acho que eu esperava um final e recebi o final que o livro da. Mas mesmo assim, Mago é obrigatório para leitores de fantasia e que são amantes de uma aventura bem perigosa e linda.
comentários(0)comente



Thais.Grigorio 02/05/2017

A Conclusão de Uma Saga Épica

E eis que chegamos ao último volume da Saga do Mago. Uma Saga que, foi maravilhosa em todos os sentidos.



E neste volume, é que todas as lutas chegam ao fim.



O que posso dizer que este livro é surpreendente em todos os sentidos e que me fez sentir as mais diversas emoções. Viajamos com Pug e Tomas para multiversos, em uma busca para impedir o triunfo das forças do mal.


Aqui, é onde tudo termina. Aqui, é onde mistérios são revelados. E posso dizer que os desfechos da saga é simplesmente maravilhoso, e que foi muito bom ler sobre as aventuras que se iniciaram em Mago Aprendiz.


O desenvolvimento da trama segue de forma acelerada, onde cada página vem cheia de surpresas e revelações. E o final, é simplesmente fantástico, em que nos despedimos destes personagens tão ricos e cativantes.


As batalhas são únicas, muito bem escritas, e, aqui, entendi mistérios que ficaram nos livros anteriores.Personagens mostram o seu melhor, lutando com todas as forças em nome daquilo em que eles acreditam.


Para os fãs de Fantasia Medieval, esta é uma saga que vale muito a pena ser lida e, que ficará guardada em um cantinho especial no meu coração.


E espero, sinceramente que a Editora Arqueiro traga Os Filhos de Krondor para o Brasil.

site: http://cantinhodeumaescritora.blogspot.com.br/2017/05/resenha-mago-as-trevas-de-sethanon.html
comentários(0)comente



João Vitor Gallo 16/09/2015

Por quase um ano a paz reinou no reino desde os acontecimentos do livro anterior, e agora Arutha e Anita apresentam ao povo seus dois filhos gêmeos, Borric e Erland, e apesar do aparente clima de tranquilidade, o Príncipe de Krondor sabe que seus inimigos apenas esperam o momento certo para voltar a atacá-lo. Jimmy está ainda mais atento a essa possibilidade e quando avista um Falcão Noturno idêntico a Arutha logo percebe que os servos de Murmandamus finalmente saíram das sombras para agir contra o “Senhor do Ocidente”, aquele a qual a profecia anunciava como a Ruína das Trevas, e mais uma vez acaba frustrando o plano dos Falcões Noturnos de matar Arutha.

Ao ver que a o período de paz chegara ao fim, o Príncipe de Krondor tenta caçar e acabar com todos os Falcões Noturnos que estavam na cidade, chegando até o ponto de decretar lei marcial, o que acaba gerando um grande descontentamento na população, já que por conta disso passou-se a deter qualquer suspeito, bem como bloquear a entrada e a saída de pessoas da cidade, e com isso também a entrada de mercadorias, causando desabastecimento e aumento de preços, além de um toque de recolher. Essa condição colocava não apenas a população no seu limite, mas também Arutha, pensando sobretudo na segurança da sua família, o que o leva a tomar medidas urgentes para descobrir os Falcões Noturnos e pôr logo um fim em tudo isso. Usando o corpo do seu sósia, Arutha forja a própria morte para enganar Murmandamus e assim poder ir ao seu encalço no norte sem ser incomodado, porém ele não vai sozinho, Martin, Laurie, Baru, Roald, Jimmy e Locklear também participam da missão.

Ao chegarem mais ao norte, o grupo de Arutha acaba sendo capturado e levado a uma misteriosa cidade chamada Armengar, e dentro de suas quase inexpugnáveis muralhas são surpreendidos por dois encontros improváveis. Agora, juntamente com um velho amigo e um inimigo que retorna como aliado, Arutha deve resistir ao cerco dos exércitos de Murmandamus à cidade contando com apenas uns poucos para resistir aos seguidos ataques dos inúmeros goblins, trolls e moredhels que compõem as fileiras inimigas.

Em paralelo a essa história acompanhamos Pug, que após voltar de seu treinamento com os eldar em Elvardein vai atrás de seu amigo de infância Tomas, já que precisa da ajuda dele que herdara os poderes de um valheru, a antiga raça conhecida como os Senhores dos Dragões, para combater o Inimigo. Os dois acabam viajando para outros mundos nas costas do dragão Ryath, indo procurar um oráculo que ficava em outro planeta, o Oráculo de Aal. O oráculo os orienta a procurar por Macros, o negro, o que os leva a atravessar o Mar Interminável rumo aos Salões dos Mortos, localizado no misterioso continente de Novindus. A parte correspondente aos Salões dos Mortos na Necrópole é uma das mais legais do livro, diga-se de passagem, e também expande muito a mitologia dentro do livro, com um pouco mais de informações sobre os deuses desse mundo.

Os dois núcleos vão aos poucos convergindo par a batalha final que acontecerá na cidade de Sethanon, que guarda um segredo que pode decidir o rumo da guerra e o destino de vários mundos.

Alguns personagens conseguem cativar bastante, outros nem tanto, mas há que se mencionar o desenvolvimento que alguns tiveram nesse livro, especialmente por contar mais sobre a origem e motivações de Macros, do Inimigo e de Ashen-Shugar, que, aliás, além de ser fundamental dentro da história, também deu a base para todo o desenvolvimento de Tomas.

Tenho algumas críticas a como as coisas poderiam ter sido melhor aproveitadas, mas também o livro merece vários elogios em diversos pontos, como a construção do universo fantástico da série. Já falei que algumas culturas e povos do nosso mundo são inspirações claras para A Saga do Mago, como são os tsuranis com as culturas orientais de América Central e até mesmo com a inspiração árabe dos keshianos, e neste livro fica muito claro que os escoceses inspiraram os hadatis. Gostei muito como o Raymond E. Feist usou essas referências reais para dar vida aos povos desse universo. Porém a melhor coisa dos livros sem dúvidas é a mitologia e toda a cosmogonia da série. É de encher os olhos as partes que exploram toda essa coisa da criação e dos deuses, e de longe foram essas as partes que mais gostei. Toda a parte “cósmica” é digna de nota, assim como toda a religião criada e como as pessoas enxergam os deuses, e até mesmo os deuses em si.

No início do primeiro livro achei que essa seria mais uma série de livros bem genérica, com arquétipos de personagens e criaturas extremamente comuns dentro do universo fantástico, porém queimei a língua, ela se mostrou bem única e encontrou rapidamente seu próprio tom, com suas peculiaridades que a diferenciam dos demais livros do gênero, o que é sempre bom de se ver.

Ao terminar essa resenha fico com a sensação de que não tenho apenas que falar se recomendo ou não As Trevas de Sethanon, mas também da minha percepção sobre A Saga do Mago como um todo, e digo que podem ler ambos sem medo, esse livro é o melhor dos quatro e a própria série é muito boa, tendo uma evolução clara de livro para livro. Apesar do começo meio infanto-juvenil, o tom logo muda, apesar de ainda manter essa pegada mais leve, inclusive é excelente para ler depois de leituras mais densas e cansativas, já que a escrita é bem fluída. Recomendo.


site: https://focoderesistencia.wordpress.com/2015/09/16/as-trevas-de-sethanon-saga-do-mago-vol-4-raymond-e-feist/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Hoje é dia de Livro 24/03/2017

Resenha - Hoje é dia de Livro
Depois dos acontecimentos em "Espinho de Prata", volume três da saga de Raymond E. Feist, nos deparamos com uma guerra iminente! O mal permanece à espreita, o inimigo está mais próximo do que o povo de Midkemia imagina e o confronto final é iminente. Arutha, Pug, Tomas e vários outros velhos conhecidos, voltam suas atenções novamente para o terror que combateram anteriormente. Murmandamus está chegando e com ele todo o caos.

Toda a ajuda será necessária. Pug e Tomas partem por multiversos, atravessando fronteiras entre mundos, trilhando um caminho repleto de perigos, para buscar auxílio e o conhecimento necessário para tal batalha e para o próprio amadurecimento. Arutha, Martin, Jimmy e vários outros personagens, partem em busca da destruição de Murmandamus e de seu exército, para garantir a proteção de seu mundo e também de vários outros. Velhos inimigos se tornarão aliados e dois mundos se unirão mais uma vez em uma batalha decisiva contra àqueles que do passado buscam retomar a glória! A guerra apenas começou!

Ficar sem fôlego com o desenrolar dessa história é pouco! Somos colocados em campo, lutando ao lado de guerreiros, ou viajando por vários mundos no lombo de um dragão dourado. Feist apresentou novas informações, necessárias para um melhor entendimento das ações de vários personagens e sua maneira de organizar a história, hora no ponto de vista de um personagem, hora em outro, te faz remoer de ansiedade pela próxima página.

O desenvolvimento dos personagens, para mim, é muito significativo, ainda mais quando a história em questão, independente de quantos livros ela é formada, consegue superar-se a cada novo arco, tornando-se algo surreal e incrível de se acompanhar. Feist conseguiu isso em sua saga e mostrou seu diferencial, que o torna um autor de grande reconhecimento.

Como leitora e grande fã do gênero, foi muito importante o contato com esse universo tão rico e único. A escrita do autor é singular, é fluída e muito contagiante! Quem dera eu ter algumas páginas desse livro a mais para me prender só mais um pouco a esse universo.

"Mago: As Trevas de Sethanon" fecha com chave de ouro toda a história iniciada em "Mago: Aprendiz", nos presenteando com um final à altura, sem pontas soltas! Sem sombra de dúvida, essa é uma saga obrigatória para todo amante da literatura fantástica.

site: http://www.hojeediadelivro.com.br/2017/03/resenha-mago-as-trevas-de-sethanon.html
comentários(0)comente



Deia 21/09/2017

Guerra
Muita guerra mesmo nesse livro, com muita estratégia, muita bom. A viagem de Pug e Tomas pelo conhecimento tbm foi ótima, dragões, drago né te, ele os, anões, capa e está a é muito mistério, td de ótimo num livro. Recomendo!
comentários(0)comente



Patricia Paiva 17/10/2015

E chega ao fim a saga de Midkemia e eu até agora não entendi a sinopse desse livro 4. O temido necromante Macros, o Negro? Bem, vou ignorar essa informação bizarra, e vocês deveriam fazer o mesmo. Mormandamus (o verdadeiro necromante) está pronto para lançar seu gigantesco exército contro o reino após 1 ano de espera. E é claro que ele ainda não desistiu de matar Arutha, afinal ele parece levar a sério aquela profecia de Ruína das Trevas. E não só isso, ele precisa matar Arutha para manter o apoio dos líderes moredhel.

Enquanto isso Pug está reunindo conhecimento para poder enfrentar o Inimigo, mas chega um momento que ele precisa consultar a maior fonte de conhecimento que conhece, Macros. Porém Macros está morto, mas isso não poderá ser um empecilho. Pug então parte em busca de Macro, porém para conseguir encontrá-lo ele precisará de ajuda. E quem melhor do que o Tomas para ajudá-lo? Mas para que Tomas possa realmente possa ajudar nessa busca ele precisará finalmente aceitar o seu lado valheru. E nesse jornada eles precisaram desbravar vários universos.

E Arutha, por sua vez, fará tudo que pode para segurar o poder Mormandamus, mas será que ele conseguirá conter tal poder com tão poucos recursos. Será que finalmente Midkemia e outros universos encontrarão o seu fim? E quem é afinal esse terrível Inimigo?

Esse último livro é recheado de ação do início ao fim, seja com Pug e Tomas em sua jornada através dos universos, seja com Arutha e seus amigos batalhando Mormandamus. A guerra final irá enfim acontecer, não há mais como escapar dessa batalha e agora tudo que resta é se preparar para derrotar o maior inimigo que Midkemia já conheceu. Temos muito mais do Pug e do Tomas nesse livro do que no terceiro. Nós finalmente descobrimos o final dessa incrível saga e o destino de seus personagens. Sem dúvida deixará saudade, mas felizmente a Saída de Emergência está lançando os outros títulos do autor (eu espero que todos), então poderemos matar a saudade muito em breve.

Sem dúvidas essa saga é leitura obrigatória para todos os fãs de fantasia.

site: http://ciadoleitor.blogspot.com.br
comentários(0)comente



27 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2