A Lua de Mel

A Lua de Mel Sophie Kinsella




Resenhas - A Lua de Mel


202 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


MiCandeloro 14/11/2013

Hilário!
Quem aqui nunca teve uma irmã impulsiva, ou uma irmã super protetora? Quem aqui nunca teve um namorado que destruiu os seus sonhos ou então um ex-namorado que te trouxe a esperança de volta? Quem aqui nunca fez uma escolha infeliz da qual se arrependeu amargamente?

Lottie é uma mulher de 33 anos, cheia de vida e sonhos malucos. Ela namorava Richard fazia três anos e tinha certeza de que ele era o homem da sua vida. Certo dia, Richard a chamou para um almoço num restaurante especial, dizendo que precisava fazer uma pergunta importante. Lottie tinha certeza, seu momento de glória havia chegado. Richard ia pedi-la em casamento. Mas as coisas acabaram não tomando o rumo que ela esperava. A pergunta que Richard queria fazer não era assim tão importante e ficou nítido de que ele não tinha planos de se casar, ter filhos, uma casa na praia e um cachorro fofo com Lottie.

Lottie estava arrasada. Nenhum homem prestava, afinal. O problema é que Lottie sempre foi muito durona. Nunca se permitiu se abater ou ser amparada. Sempre quando a vida lhe tirava o tapete, ela não afogava suas mágoas ou se queixava, não, ela mudava de rumo e tomava decisões impensadas das quais sempre acabava se arrependendo. Essas decisões eram chamadas de Escolhas Infelizes por sua irmã, a Fliss, a responsável por sempre juntar seus cacos.

Fliss, por sua vez, era a irmã mais velha de Lottie. Cresceu acostumada a tomar conta da irmã mais nova, assumindo cedo demais seu papel como mãe. Fliss estava passando por um momento muito crucial na sua vida, seu divórcio com Daniel, pai de Noah. Fliss havia se tornado uma mulher amarga e rancorosa de tanto Daniel fazer da sua vida um inferno e negligenciar o coitado do Noah que tanto o idolatrava. Fliss ficou arrasada quando soube da separação de Lottie e Richard, mas em se tratando de Lottie, ela sabia que não podia demonstrar piedade. Precisava esperar sua irmã se recuperar, ou explodir de vez e rezar para que a próxima Escolha Infeliz não fosse tão devastadora.

Mas ela devia imaginar que Lottie não deixaria por menos. Grandes desilusões praticamente exigem Escolhas Infelizes Supremas, e Lottie não decepcionou neste quesito. Como que por ironia do destino, Lottie reencontrou Ben, seu ex-namorado de 15 anos atrás. Ben continuava lindo e gostoso, tão maravilhoso quanto ela imaginava. O que ela não adivinharia, nem em mil anos, é que Ben ainda era apaixonado por ela e, num impulso extremamente romântico, a pediu em casamento de súbito, pedido este que ela prontamente aceitou.

Fliss quase morreu quando soube e, mancomunada com Lorcan, padrinho de casamento de Ben, decidiu que não deixaria sua única irmã passar por um divórcio trágico como ela havia passado. Não deixaria Lottie ser punida por uma atitude impensada de se casar com Ben. Só havia uma alternativa para Fliss: boicotar a Lua de Mel de Lottie e Ben e impedir que eles consumassem essa união. Mas será que os planos de Fliss darão certo, ou ela arruinará de vez a vida de Lottie?

***

Palmas para Sophie Kinsella, minha querida Diva do chick-lit que não me decepciona jamais! Desde que soube do lançamento deste livro, no início do ano, fiquei contando os dias, ansiosa para lê-lo. Não sei o que está acontecendo com Sophie, pois, curiosamente, seus últimos três livros foram relacionados a casamento, mas para mim tudo bem. Mesmo assim, ela não está sendo repetitiva ou cansativa, pelo contrário, em cada um dos livros tratou de maneira única e peculiar o tema Casamento.

Uma novidade que gostei muito em A Lua de Mel é que neste livro, diferentemente das outras histórias escritas por ela, nós temos duas protagonistas, e os capítulos são narrados de forma intercalada e em primeira pessoa por cada uma delas. Além disso, também temos algumas histórias paralelas de personagens secundários que deixam a trama ainda mais rica e complexa.

Os personagens são extremamente HILÁRIOS. Sempre quando eu achava que nada mais louco podia acontecer na história, lá vinha a Sophie aprontar algo a mais com os pobrezinhos. Se alguém aqui quiser saber como boicotar de maneira eficiente uma lua de mel, contratem Sophie Kinsella, pois ela tem ideias geniais.. kkk

Como sempre, me identifiquei demais com as protagonistas, Lottie e Fliss. No início, fiquei um pouco irritada com Lottie, por ser tão infantil e inconsequente, e com Fliss, por ser tão enxerida e por vezes a dona da verdade, mas no fundo, nenhuma das duas estava completamente certa ou errada. Eu acho que tanto teria agido como Lottie em me casar às pressas com Ben (é bem minha cara fazer isso), quanto teria agido como Fliss, ao tentar de tudo para boicotar a lua de mel de ambos, afinal, tenho um instinto protetor aguçadíssimo.

Sophie Kinsella sempre escreveu histórias de humor, com uma pitada de romance e incluía como pano de fundo temas do cotidiano para nos fazer pensar. Desta vez, Sophie tocou num ponto delicado, as Escolhas Infelizes, atitudes impensadas e impulsivas que geralmente tomamos ao longo da nossa vida. Quem tem o direito de nos dizer se esta ou aquela escolha que tomamos é certa ou errada? Alguém tem o direito de interferir nas nossas vidas, mesmo que para o "nosso bem"?

Sinceramente, eu acho que não. Pelo menos, por todas as situações que já passei, eu realmente só tirei alguma lição vivendo-as e quebrando a cara. Não adianta alguém me dizer que eu ia me machucar ou me arrepender, eu simplesmente não entendia ou processava a informação. Portanto, acho que devemos sempre decidir por nós mesmos, pois pelo menos assim, caso nos arrependamos, não teremos como culpar alguém se não a gente mesmo.

Para quem tiver interesse, escrevi um texto baseado em A Lua de Mel. Vocês podem ler AQUI.

Fora isso, o que posso dizer é LEIAM A Lua de Mel se vocês estão à procura de um livro leve, muito divertido e maluquinho, bem escrito e que, ainda de quebra, nos faz pensar sobre a vida.

Resenha originalmente postada em: http://www.recantodami.com/2013/11/resenha-a-lua-de-mel.html
comentários(0)comente



Ale 20/09/2020

Bom esse foi um dos livros da Sophie kinsella que eu menos gostei.
A protagonista não é lá muito cativante e as vezes um pouco chata. O cara que ela arruma e no mínimo infantil. As vezes os capítulos que ela narrava se arrastavam infinitamente.
Panda irmã eram muito mais divertidos e eu achei a personalidade dela muito mais interessante.
Não posso negar que apesar de tudo foi um dos livros mais engraçados que eu li na vida. Sério. Não quero dar spoilers, mas as coisas que acontecem na viagem para a Grécia são hilárias.
Com toda a certeza não lerei esse livro de novo. Mas também não falaria para não o ler. Ele é bem escrito, como todos da Sophie, eu só não achei a história tão cativante como as outras dela. Mas também não considerei que perdi meu tempo enquanto lia.
Pra quem gosta de romance vale a pena.
comentários(0)comente



Adriane.Peres 30/09/2020

Sabe quando você está querendo espairecer a mente, desestressar e ter uma dose de humor na sua vida? Então, esse é um desses tipos de livro!! A lua de mel da Sophie Kinsella é um livro divertidíssimo, que te leva a dar altas risadas sozinha (o) enquanto lê ??.
Eu já tinha ouvido falar muito bem dos livros dela mas nunca havia lido. E já até separei outros livros dela no Kindle para ler no futuro ?.
É um livro pra rir, se divertir, se apaixonar e deixar o coração mais quentinho ??.
Super recomendo se estiver procurando uma leitura mais light e divertida.
comentários(0)comente



Baah 02/02/2014

Fiquei mais interessada na Fliss e no Lorcan do que no triangulo amoroso
Aline Lázaro 14/04/2014minha estante
Eu também! Acho que faltou um final para eles...


Tayná Pionteke 11/07/2014minha estante
pois eh... o final da lotti ja era previsivel.
o ben era um canalha desses que vivem por ai rs
fiquei esperando o fim do lorcan com a fliss, tao lindo ele... rs


Tayná Pionteke 11/07/2014minha estante
um livro muito bom é amigas (im)perfeitas


Joylande 17/08/2017minha estante
RT




Paloma Araújo 01/11/2020

O pior da Sophie
Eu amo Sophie Kinsella! Acho os livros delas bem humorados, com personagens cativantes e histórias muito envolventes. Mas, Lua de Mel não foi bem assim.
Eu acho que a Sophie estava fumando droga quando escreveu esse livro, porque essa história beira o absurdo.
Lottie tem 33 anos e se comporta como uma adolescente de 15. Incrivelmente, ela é uma mulher super bem sucedida no emprego, inteligente, mas se comporta de uma maneira muito imatura e isso me deu nos nervos. Ben é a versão homem da Lottie, cheio de birras e atitudes impulsivas.
E esse livro é resumido nos dois querendo transar e não conseguindo e eles só pensam nisso, sendo que faz 15 anos que eles não se viam. Sério que não tem assunto pra conversar?
A outra protagonista, Fliss, foi muito mais interessante, apesar dela se meter muito na vida da irmã, mas isso não me incomodou. Amei ela com o Lorcan e o filhinho dela, Noah, é um cristalzinho, que deve estar com escoliose, pois carregou esse livro nas costas.
Richard foi ok.
Enfim, dou graças a Deus que li vários livros da Sophie antes desse, porque senão ia achar a autora muito superestimada.
Juju 01/11/2020minha estante
Paloma então Pfv me indica que livro eu leio dela pq eu li uma boa parte de "fiquei com o seu número" e foi exatamente isso que eu pensei dela antes de abandonar.


Paloma Araújo 01/11/2020minha estante
Ju, lê O Segredo de Emma Corrigan! Esse é o meu favorito dela (apesar que eu gostei bastante de Fiquei com seu número rs).


Juju 02/11/2020minha estante
Ok muito obrigada! Já coloquei na minha meta de leitura?




Ferdy 12/09/2020

Pra mim a Sophie Kinsella é a melhor autora de chic-lit. Ela consegue colocar piadas e situações que por mais que muitas vezes sejam absurdas, ainda dá pra gente se identificar e rir. E por mais que nesse gênero sempre tenha romance, ela nunca deixa as "mocinhas" idiotizadas. Amo!
comentários(0)comente



Daniela 20/08/2014

Escolha infeliz...
Deixe eu começar esse texto dizendo que eu AMO a Sophie Kinsella. Eu li a maioria dos livros que lançou. Comecei com a série da Becky Bloom, que teve livros ótimos, e outros nem tantos (por exemplo, Mini Shopaholic… a série poderia ter terminado sem esse desastre). O Segredo de Emma Corrigan e Eu Fiquei com o Seu Número estão entre os meus livros favoritos. São os tipos de livros que fazem eu dizer a amigas: você TEM que ler!

Enfim, como eu disse, sou super fã da autora. Considero a Sophie Kinsella uma ótima escritora. Ela é capaz de criar personagens carismáticos, e situações surreais. Seus livros divertem os leitores, mas também os enchem com uma sensação doce de romantismo. Para mim, Sophie Kinsella sempre esteve no topo das autoras do gênero chick-lit.

Mas então, existem os bons chick-lit, e existem os chick-lit ruins. Infelizmente, A Lua de Mel pertence a última categoria. Eu normalmente leio os livros da Sophie Kinsella super rápido – porque eles são em sua maioria entretenimento deliciosos. Porém por muito pouco não abandonei essa leitura. Terrível, simplesmente terrível.

Vamos a história. A Lua de Mel é contada pelo ponto de vista de duas personagens. A primeira é a Lottie. Lottie já passou por diversas decepções amorosas, pois seus ex-namorados fugiam de qualquer compromisso sério. E quando Richard, o seu namorado de longa data, a convida para um “almoço especial” Lottie tem certeza de que seu momento chegou: Richard irá pedi-la em casamento. Ela tem tanta certeza que o pedido irá acontecer que até mesmo comprou uma aliança de noivado para Richard usar. Logo ela percebe que está completamente errada.

Depois de um drama danado – Lottie se sente rejeitada e humilhada com toda a situação – ela acaba caindo nos braços de seu antigo amor de verão, o Ben. Os dois não se falam há 15 anos, mas o reencontro acende uma chama forte do passado. Eles acabam se casando – apesar de praticamente não se conhecerem – e decidem passar a lua de mel na Grécia, onde eles se conheceram e seu romance de verão começou há anos atrás.

O outro ponto de vista da história é o da Fliss, a irmã mais velha de Lottie. A Fliss desde jovem cuidou de sua irmã caçula, e é super-protetora. Ela entende as emoções de Lottie e também sabe que sempre há alguma reação impulsiva quando Lottie rompe relacionamentos. Fliss chama esses impulsos de Lottie de ‘escolhas infelizes’. Para Fliss, o casamento de Lottie com Ben não passa de mais uma escolha infeliz.

Fliss vive um momento conturbado. Ela mesma passou por um divórcio doloroso, e tem de conviver com o descaso de seu ex-marido com seu filho. Por isso ela está determinada a evitar que Lottie passe pela mesma experiência.

Lottie conta para Fliss que ela o e Ben não fizeram sexo antes do casamento. E é daí que Fliss tem a ideia para terminar essa escolha infeliz de Lottie sem grandes consequências: ela tem de evitar que Lottie e Ben consumam o casamento. Assim, Lottie poderá anular seu casamento com Ben, e não terá de passar por divórcio algum.

A Fliss faz de tudo para boicotar qualquer chance de Ben e Lottie de fazerem sexo. Enquanto isso, Fliss, seu filho e Lorcan – o qual trabalha com Ben e também está super insatisfeito com esse casamento (ele acha que esse casamento com Lottie será um desastre para os negócios) – viajam para a Grécia para colocar um fim nessa situação.

Então, a história segue alternando os pontos de vista de Lottie e Fliss. E o que segue são vários momentos em que Lottie e Ben tentam de todas as maneiras consumar seu casamento, mas toda oportunidade acaba sendo frustrada. E Fliss usa de todos os recursos possíveis para evitar com que sua irmã consuma seu casamento com seu novo marido.

Eu tive um forte impulso em pular as páginas com todos os momentos do ponto de vista de Lottie. Foi difícil aguentar. Tudo era sobre sexo, sexo e sexo. Ou melhor, a tentativa de fazer sexo. E quanto mais tempo Lottie passava com Ben, mais ficava claro de que os dois não tem nada em comum. Mesmo assim, ela insistia em acreditar que Ben era o amor de sua vida. E houve alguns momentos com Fliss – especialmente os momentos com seu filho fofo e o Lorcan – que dei algumas risadinhas e acreditei que o livro não estava totalmente perdido. Mas essa esperança não durou muito tempo.

A verdade é que eu detestei tanto a Lottie quanto a Fliss. Algumas das atitudes da Lottie são as mesmas de outras personagens criadas pela Sophie Kinsella. Mas não consegui sentir nenhuma simpatia por ela. E a Fliss… eu detesto esse tipo de pessoa que se acha no direito de interferir na vida de outros, pois pensam que sabem quais são as melhores escolhas.

Esse livro me deixou com a impressão de que foi escrito por alguém completamente diferente, e não pela tão adorada Sophie Kinsella. No final, achei que A Lua de Mel foi a minha escolha infeliz.
Patricia 05/03/2015minha estante
eu concordo muito contigo... pensei q tava sozinha nessa... hahahaha! achei terrível esse livro. terrível! ótima resenha. adorei ?


Patricia 05/03/2015minha estante
era uma exclamação no fim. rs. bjs


Bruna Correia 01/02/2016minha estante
concordo plenamente... Sophie Kinsella não precisava ter lançado esse livro. Simplesmente ruim, não parece ela ao escrever algo assim... A Lottie não cativa a ninguém e não passa de uma mimada... Triste isso porque AMO a autora e seus livros, mas esse é uma grande exceção :(




Eduarda Sampaio 24/02/2014

Tinha potencial para ser muito mais do que é
Os livros de Sophie Kinsella são ótimos para espantar o mau humor, e não é diferente com "A Lua de Mel". As situações que ela cria são tão absurdas que chegam a ser cômicas e imagino que todos os livros da escritora facilmente seriam transformados em roteiros de filmes do gênero comédia romântica. Eu sinto necessidade de intercalar leituras difíceis com leituras bobinhas e Sophie Kinsella é uma ótima representante dessa última categoria.

A Lua de Mel é, pelo menos para mim, um chick lit regular. É divertido, repleto de momentos engraçados, a leitura é leve e rápida e há um toque de romantismo. É um livro ótimo para quem se distrair e esquecer um pouco os problemas da vida. Sophie Kinsella escreve muito bem e o ritmo de seus livros é muito bom. Ela é especialmente boa com os diálogos.

O grande problema de "A Lua de Mel" é o desenvolvimento dos personagens e do enredo. As duas irmãs, Lottie e Fliss, estão na casa dos 30 anos e são muito bem sucedidas profissionalmente, mas comportam-se a maior parte do tempo como adolescentes. Lottie, apesar de já ter sofrido diversos rompimentos amorosos, é incapaz de agir racionalmente após o término do namoro, não hesitando em casar apressadamente com um homem que ela não vê há 15 anos, mesmo tendo testemunhado o complicado divórcio da irmã. Já Fliss não vê problema algum em retirar seu filho de 7 anos da escola para acompanhá-la em uma viagem que tem o único objetivo de boicotar a lua de mel da irmã. Ben é a caricatura perfeita do rico homem incompreendido em crise de meia idade e Lorcan tem sua vida completamente revolucionada pelos rápidos conselhos de Fliss. A relação entre Richard e Lottie nunca é explorada e todo o potencial do relacionamento entre Fliss e Lorcan nunca chega a se concretizar. Tudo soa artifical, forçado e exagerado, especialmente o enredo. Beira o ridículo acompanhar as peripécias de Fliss para impedir a consumação do casamento de Ben e Lottie e a explicação para tanto esforço - é mais fácil anular um casamento não consumado do que obter um divórcio - soa ainda mais inverossímel.

Um dos méritos do livro é, sem dúvida, a forma como Sophie Kinsella explora a idealização do passado e da juventude. Quem nunca visitou um lugar que achava maravilhoso na infância e ficou decepcionado? Lottie casa com Ben porque deseja reviver todos os momentos felizes que passou com ele quando tinha 18 anos e não é diferente para o próprio Ben, que confessa:

Quando eu tinha 18 anos, eu sabia o que eu queria. Eu tinha lucidez. Mas você começa a vida e de repente tudo fica corroído. Corrompido. Tudo se fecha ao redor de você. Não tem fuga. Não tem como dizer "Pare um momento, porra. Me deixe descobrir o que eu quero".

A Lua de Mel é um livro que tinha potencial para ser muito mais do que é. Infelizmente, Sophie, apesar de nos proporcionar uma boa diversão com seu novo livro, exagerou nas doses de inverossilhança, impedindo que o leitor compre verdadeiramente seus personagens e sua história.

Link para a resenha completa:

site: http://maquiadanalivraria.blogspot.com.br/2014/02/a-lua-de-mel-sophie-kinsella-e-um.html#more
Tayná Pionteke 11/07/2014minha estante
o segredo de emma corigan é ótimo!




Gabi 21/05/2020

o pior da autora, na minha opinião. passei muita raiva com a lottie e a fliss, uma extremamente infantil e a outra extremamente controladora. sem falar que chega uma hora que o livro se torna muito repetitivo, eu tava quase pulando tudo pro final só pra ver mesmo como seria a resolução e pronto. não gostei.
comentários(0)comente



Roseane Suelen 17/10/2020

Engraçado
Adoro essa autora.
Apesar desse livro ultrapassar o limite do ridículo, eu gostei ?
comentários(0)comente



Vanessa.Leao 10/07/2020

Livro que te entrega muitas risadas logo nas primeiras páginas. No final a história se estendeu um pouco além do necessário. Ótima pedida pra quem está afim de um livro leve e divertido.
comentários(0)comente



Luana 12/03/2020

Gostei
Adorei o livro, bem leve e divertido. Recomendo
comentários(0)comente



Letícia 12/02/2020

foi o maior livro que li da Sophie Kinsella, mas passou voando! me senti envolvida com a trama e com os personagens desde o início, e a escrita da autora é incrível!
comentários(0)comente



Nara 16/07/2020

Gostei muito do livro. História leve e divertida sobre duas irmãs e seus relacionamentos amorosos e escolhas infelizes.
comentários(0)comente



jhuly.lara.7 05/07/2020

A Sophie Kinsella nunca decepciona! Super recomendo pra quem quer ler um livro leve e divertido nessa quarentena. :)
Naine 06/07/2020minha estante
Vou começar, agora!


jhuly.lara.7 06/07/2020minha estante
???




202 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |