Sexta-Feira 13

Sexta-Feira 13 David Grove




Resenhas - Sexta-feira 13


12 encontrados | exibindo 1 a 12


Doug 31/03/2019

Um documentário sangrento
[Possui spoiler do filme Sexta-feira 13 de 1980]

Em Outubro de 1978 o cineasta Sean Cunningham, após dois fracassos de bilheteria, resolveu retomar o trabalho com filmes de gênero, já que alguns anos antes sua parceria com seu amigo de longa data Wes Craven havia lhe rendido bons resultados com a produção de Last House On The Left (1972).

O lançamento e consequentemente sucesso mundial de Halloween (1978) de John Carpenter, plantou em Sean a ideia de que ele estava no caminho certo e esta seria a fórmula para o seu sucesso.
Ao longo dos anos, e ainda hoje muito se fala sobre o quanto Sexta-feira 13 (1980) bebeu da fonte de Halloween, mas a verdade é que o filme de Carpenter serviu apenas de matriz para que Cunningham desse o pontapé inicial à este projeto que viria a, assim como sua obra inspiradora, se tornar uma grande franquia de sucesso mundial.

Com roteiro de Victor Miller, o filme original de Sexta-feira 13 acompanha um grupo de jovens monitores do acampamento Crystal Lake que pouco a pouco são assassinados por um misterioso serial killer. A trama é simples, e não possui o icônico Jason Vorhees que acabou se tornando o emblema da saga. Mas sua qualidade é garantida por meio do suspense e dos magistrais efeitos visuais criados pelo mago Tom Savini, que havia trabalhado anteriormente em Despertar dos Mortos Vivos (1978) de George A.Romero, e trouxe de sua experiência na guerra toda a realidade do horror que vivenciou por lá.

Este livro de David Groove, é um grande arquivo documental de todo o processo de criação nos bastidores do longa de 1980, desde a captação de recursos, pré-produção, produção, pós-produção e até à venda de direitos de distribuição e bilheteria, abrangendo a carreira do Diretor e Produtor Sean Cunningham, dos Produtores Executivos, Roteiristas, Diretores de arte e fotografia, equipe técnica e os atores envolvidos na obra, até as mínimas dificuldades enfrentadas no set de filmagem.
Acompanhamos todo o processo e desenvolvimento de um longa metragem por trás das câmeras, entendemos as dificuldades de produção e como o cinema é muito mais um mercado que simplesmente um campo da arte.
O livro serve como um bom workshop de produção audiovisual, pois nos permite entender como tudo acontece, muitas vezes de forma inesperada, dentro do set e de filmagem e fora dele. Como o projeto inicial pode ser, e será, alterado muitas vezes até chegar em sua forma final que chegará nas telas de cinema. Acompanhamos o processo criativo de seus realizadores e vemos de perto como pequenos detalhes foram influenciados por obras anteriores e também pela influência majoritária do dinheiro, seja positiva ou negativamente.
Arquivos de Crystal Lake nos apresenta ainda como grandes obras são espremidas ao máximo até que não se possa mais tirar sumo delas, gerando assim sequências que se diferenciam cada vez mais de seu original, entretanto valendo-se de seu nome para garantir os royaltes desta indústria milionária.

Sexta-feira 13 é também envolto por contradições, desde o fato de que no primeiro filme Jason está morto, e a verdadeira assassina é sua mãe vingativa Pamela Vorhees, mas que à partir da sequência final do longa, que era para ser apenas um sonho de Alice, permitiu que Jason fosse trazido de volta em Sexta-feira 13 Parte II (1981) e se tornasse o grande ícone da franquia, até o desejo de Sean Cunningham de que não fosse feito uma sequência de seu longa, mas que retornou à franquia em 1992 como Produtor de Jason Vai para o Inferno (1993) e sua sequência Jason X (2001), antes de enfim conseguir concluir seu desejo de produzir o sonhado Freddy VS Jason (2003), com o icônico Freddy Krueger, personagem criado por seu grande amigo Wes Craven da franquia A Hora do Pesadelo (1984).

É fato que a produção de Sexta-feira 13 foi precária e de baixíssimo orçamento, mas alcançou a marca de R$ 37.7 milhões de dólares em renda ao redor do mundo, e cravou de vez o sucesso dos filmes Slashers e deu início a uma franquia que, apesar da decadência com a sequência cada vez pior de filmes que se distanciam do seu predecessor, segue viva e influente na cultura pop até os dias de hoje.

Esta é uma obra necessária para estudantes de cinema, amantes do gênero ou fãs da saga do serial killer mais brutal do cinema.

Além de tudo, a Bloody Limited Edition da Darkside está com um trabalho gráfico primordial que simula sangue escorrendo pelas laterais das páginas, e está recheada de fotos dos bastidores da produção.

Jason Lives.


site: @douglaskurt
Carol.Santos 12/04/2019minha estante
Eu gostaria muito de ler esse livro.Espero gostar dele, gostei da sua explicação, me deu mais vontade de ler.


Doug 05/05/2019minha estante
Muito obrigado! Fico feliz que tenha gostado.

Creio que se você gosta muito de cinema, se identifica com o gênero e tem curiosidade sobre como funcionam os bastidores, irá aproveitar esta leitura sim.




TheusFreitas25 22/12/2018

Para fãs da franquía (ou quase)!!
Bom, pra quem gosta de livros técnicos pra saber diversas curiosidades sobre a produção de filmes é um livro completo, fazendo bem em detalhar os bastidores, a vida do diretor e as dificuldades de se fazer um filme de baixo orçamento.

Eu particularmente achei algumas partes bem cansativas de se ler, com entrevistas do elenco e produção repetindo praticamente as mesmas palavras tais como: "é ótimo trabalhar com Sean (diretor e produtor), ele é gentil, calmo etc etc". "Trabalhar com Sean foi muito incrível, ele é super gentil, carismático etc etc"...

E o fato de ter um "quase" entre aspas no título da minha resenha é por conta de que o livro é totalmente focado apenas no primeiro filme da série, e este é considerado o mais afastado do restante da franquía por não ter como assassino o Jason, apesar de ser um ótimo filme ainda e bem melhor que alguns outros cujo protagonista é o mascarado.

Enfim, é uma ótima leitura para os interessados e fãs tanto do primeiro filme quanto da franquía em si, adorei!
comentários(0)comente



Vivi 03/12/2018

Amei a capa...
Comprei pela capa. Sou fã da franquia e não pensei duas vezes e comprei. Mas pensei que era a história do filme contada no livro. Me enganei kkkkkk. Mesmo assim amei o livro. Saber sobre os bastidores e como tudo aconteceu pra q o filme fosse feito. Foi muito legal!
comentários(0)comente



Victor 01/04/2018

Quem fez Sexta-feira 13?
Ganhei este livro em um amigo secreto e fiquei positivamente surpreso ao ver que se tratava dos bastidores do filme e não era um script do filme.

Dito isso, o livro pecou pra mim ao relatar muito pouco sobre como o filme foi feito, no sentido de técnicas de cinema e coisas do tipo. O autor nos dá informações sobre bastidores e fatos muitas vezes inúteis apenas pra ter mais o que mostrar.

Ainda assim foi legal saber um pouco mais da situação do gênero de terror na época da produção do filme.

Apenas recomendo se você for muito fã do filme de 1980.

PS: O trabalho de revisão do texto do livro deixou bastante a desejar. Há vários erros de concordância que deduzo vieram da tradução do língua original.
comentários(0)comente



J R Corrêa 03/02/2018

Sexta-Feira 13
Em 'Sexta-Feira 13 [Arquivos de Crystal Lake]' você vai entender todos os processos de criação, produção e filmagem do primeiro filme, o sexta-Feira 13, de 1980. Fotos inéditas e centenas de depoimentos dos atores, membros da equipe e de fãs que também se destacaram no mundo do terror. Leia o que o astro Kevin Bacon, o diretor Sean S. Cunningham, a donzela Adrienne King, mamãe Betsy Palmer e os rivais Wes Craven e Robert Englund têm a dizer sobre esse filme. Jason permaneceu calado. David Grove tomou coragem para revirar os corpos empalados a machete, entre outros objetos perfurantes, e encontrou pérolas.
comentários(0)comente



Kênia Cândido 25/11/2017

Especialmente para os Fãs!
Sexta feira 13 é um livro de bastidores que eu tinha muita vontade ler desde o anúncio do seu lançamento, os filmes fizeram parte da minha adolescência e o livro serve para guardar uma lembrança boa da época que comecei a ter meu lado Dark para filmes de terror, conhecendo alguns vilões como Leatherface do Massacre da Serra Elétrica, Freddy krueger dos filmes A hora do Pesadelo, Chucky do Brinquedo Assassino, Hannibal Lecter do Silêncio dos Inocentes e o famoso Jason de Sexta- Feira 13. São tantos que a lista de vilões é grande.
Antes de iniciar a leitura de Sexta-feira 13, eu sabia que o livro é uma obra de arte especialmente para quem é fã do Jason, mas a minha edição tem um carinho especial, pois ganhei de aniversário de casamento. È para guardar com bastante amor.
O livro trata-se de arquivos com depoimentos, bastidores, explicações de várias cenas, imagens espetaculares dos atores e cenário na floresta, lago e acampamento durante toda a produção.
Dividido em 11 capítulos e mais algumas informações extras como cronograma das filmagens, filmografias e cartazes de todos os filmes já produzidos. Conhecendo o passo a passo da construção do primeiro filme onde Jason é apresentado pulando para fora do lago no final do filme.
David Grove revirou o baú inúmeras vezes em livros, revistas e jornais para encontrar qualquer tipo de informação que continha e até entrevistou os produtores, membros do elenco e produtores de efeitos especiais coletando fatos e histórias de bastidores para criar este livro.
Resumindo rapidamente a história para quem ainda não conhece. Sexta feira 13 começa no acampamento Crystal Lake, numa área para acampamento na Costa Leste com um grupo de monitores que são contratados para cuidar de um acampamento de verão que foi fechado após o assassinato de dois monitores.
Esse acampamento ficou fechado por mais de vinte anos, porém um jovem que tomou posse da propriedade planeja reinaugurar o acampamento e contrata sete jovens para serem monitores. No entanto, cada um dos monitores são mortos de forma brutal por um psicopata.
Eu fiquei completamente surpresa com a quantidade e a qualidade de informações que fez a leitura fluir tranqüilamente. A edição contém várias imagens, curiosidades interessantes. Uma delas foi a seleção da atriz Betsy Palmer para o elenco do filme que revitalizou o elenco e a equipe de produção enquanto atuou como a mãe de Jason.
Esse foi apenas um dos exemplos que contém na edição Sexta- Feira 13 e para quem é fã, assim como eu, é um prato cheio de informações do universo cinematográfico. Onde era difícil produzir um filme e muitas vezes os produtores tirava dinheiro do próprio bolso.
O livro contém na edição Brochura econômica e a versão Limited, a versão luxuosa com capa dura, emborrachada, simbolizando a máscara do Jason. O conteúdo é o mesmo, a única diferença está nas capas. Confesso que gostaria de ter as duas versões por causa do trabalho primoroso da editora.
Esse é mais um livro da coleção Dissecando da Darkside com a diagramação especialmente perfeita com textos simples nas folhas em tons pretos e creme com grande padrão de qualidade. Achei o livro incrível!
Recomendo para leitores que apreciam histórias de bastidores, livros de terror e suspense.

site: http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



AmadosLivros 15/08/2017

Olá meus queridos! Primeiramente HOJE É SEXTA-FEIRA 13! Um dia lindo, trevoso e maravilhoso, até porque TAMBÉM É MEU ANIVERSÁRIO! Siiiiiiiiim, Tia Milas aqui (que está postando pela conta do Amados) está ficando mais velha! ha ha ha ha ha E para comemorar o dia em si, hoje tem resenha sobre esse livro lindo e divo da caveirinha mais amada do Brasil, e, também tem sorteio! Segue na leitura para saber como participar!
Sexta-Feira 13, um dos filmes que revolucionaram o mundo do terror, foi lançado em 1980, e há 36 anos Jason Voorhees é sinônimo de medo e morte por onde passa. Imortalizado através da sua máscara de hockey, Jason está no hall dos clássicos monstros dos filmes slashers, ao lado de Freddy Krueger, Leatherface e Chucky. Mas Milena, o que são filmes slashers? São filmes de terror de baixo orçamento, com muito sangue e morte, onde geralmente um psicopata sai matando pessoas indiscriminadamente. Jason por exemplo, tem um total de 146 vítimas (somando todos os filmes da franquia, de acordo com a última contagem do portal Rotten Tomatoes). Sim, mas o que isso tem a ver com o livro? Bem, na obra nós vamos acompanhar todo o processo de desenvolvimento do primeiro filme de Sexta-Feira 13.

Em "Sexta-Feira 13: Arquivos de Crystal Lake", David Grove fez uma pesquisa gigantesca sobre toda a trajetória dos principais envolvidos no processo de criação. Mas ele não se deteve apenas do filme para frente, ele mostrou todo o caminho que o levou até o filme, desde o começo da carreira de Sean S. Cunningham, até a formação das parcerias que fizeram do filme um verdadeiro sucesso.

Foi um verdadeiro deleite saber como tudo foi criado, como houve uma liberdade na produção do filme, o que tornou tudo tão real, macabro e assustadoramente delicioso. Se eu já amava o filme, depois de ler está obra e conhecer como tudo aconteceu, eu estou verdadeiramente apaixonada.
Um ponto um pouco negativo do livro foi que achei a letra pequena, o que no meu caso (cegueta) dificultou um pouco minha leitura, mas também, com tanto conteúdo, se aumentassem a letra daria umas 500 páginas o livro! ha ha ha

Além dos textos e entrevistas exclusivas, o livro também está recheado de fotos inéditas, o que torna a obra bastante visual, e, admito que passei um bom tempo olhando todas a imagens! A editora Darkside Books caprichou nos mínimos detalhes, e esta edição (essa que estou mostrando e a que será sorteada, é a edição limitada lançada pela editora, não tive acesso a edição normal) está incrivelmente linda. A capa tem uma textura maravilhosa e os detalhes da mascará são todos em alto relevo. Puro amor! ♥

site: http://amadoslivros.blogspot.com.br/2016/05/livro-sexta-feira-13-arquivos-de.html
comentários(0)comente



Rafael 20/01/2017

Interessante
É um livro bem interessante pra quem é fã dos filmes do Jason. Tem vários detalhes de como surgiu a idéia do filme, mas não se iludam, conta detalhes apenas do primeiro filme, os demais filmes dá série não são abordados no livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Barbara 05/10/2015

Livro Técnico - para amantes do universo Jason.
O livro é extremamente rico em detalhes acerca da criação da ideia Jason. Os fãs podem se decepcionar com a falta de magia e paixão na criação da personagem que fez e ainda faz tanto sucesso no mundo do suspense/terror macabro. Quem criou Jason e seu enredo no lago não tinha o menor interesse em fazer disso algo sequencial ou lendário. Queria simplesmente dinheiro. O livro traz muitas entrevistas com a equipe do primeiro filme, os criadores/produtores e alguns artistas que, em sua maioria, não conseguiram tirar muito proveito dessa experiência. Pra quem possui uma curiosidade aguçada quanto à estrutura, planejamento, orçamento, desafios e intempéries que podem vir a surgir na tentativa de gravação de um filme, este livro vai satisfazê-lo. O ponto alto para mim ficou a cargo dos efeitos especiais. As dificuldades encontradas em algumas cenas e a forma como tiveram que ser gravadas me surpreendeu e me satisfez na leitura. No mais, triste saber que o amor pela arte é para poucos. Na maioria das vezes somente para os fãs.
comentários(0)comente



Paulo Silas 28/05/2015

O primeiro filme da franquia "Sexta-Feira 13" é dissecado neste livro. Funciona como fosse o conteúdo dos extras de um DVD - porém, de forma escrita, do tipo "por trás das câmeras", só que indo ainda além, dada a quantidade de informações sobre o filme que o autor aborda.

Um prato cheio para os fãs, que se deleitarão da primeira até a última página do livro.
Vale o lembrete: não basta ser fã do filme para que a leitura agrade por completo, é necessário também que o leitor saiba de antemão o conteúdo que é transmitido na obra. Assim se diz pelo fato de o autor narrar todo o processo de produção da coisa - desde o currículo e a história das experiências prévias de todos os envolvidos no filme, até as últimas (e ainda atuais) consequências geradas com o sucesso da franquia. Frisa-se também que a exposição feita se dá para com tão somente o primeiro filme (os filmes sequenciais ganham apenas rasos comentários nas últimas páginas do livro).

Como dito, todo o processo de criação, produção e divulgação de "Sexta-Feira 13" é exposto de forma pormenorizada na obra. O leitor tomará conhecimento de como foi o processo de seleção dos atores do filme (e as dificuldades que envolveram este processo pré e pós filme), contará com diversos depoimentos e entrevistas de atores (Kevin Bacon, Adrienne King, Betsy Palmer e outros), diretor (Sean Cunningham), maquiador (o notório Tom Savini, que exerceu um dos papeis fundamentais na produção do filme) e demais pessoas que, de modo ou outro, tiveram algum tipo de ligação na produção do filme, e acompanhará ainda toda a dificuldade financeira sofrida pelos envolvidos, além de muito mais.

O livro conta ainda com o prefácio feito pelo próprio Tom Savini, além das diversas imagens e fotografias excelentes que ilustram em intervalos a obra.
Um livro bem escrito e que agrada aos fãs. Curiosidades expostas, mitos desditos e fatos narrados. Vale a pena a leitura!
Recomendo!
comentários(0)comente



Fabricio~Raito 26/05/2015

O nascimento de uma lenda
Sexta-Feira 13 sempre é apontado quando se trata de filmes de terror memoráveis. E o livro "Arquivos de Crystal Lake" consolida e solidifica, irrevogavelmente, que o filme de Sean Cunninghan é um verdadeiro ícone.

O livro é uma compilação de entrevistas, fatos e dados desde a criação dessa lenda até a construção de um legado que se faz atemporal. Curiosidades durante os bastidores, as gravações, conflitos de interesses e de direitos autorais, dificuldades e burocracia oriundas do universo cinematográfico. O leitor termina a leitura certamente com uma bagagem interessante sobre o processo da produção de filmes. E consequentemente, lida com um panorama de uma época diferente da qual vivemos hoje, em como o público não estava preparado para um filme de terror, as duras críticas que o slasher Sexta-Feira 13 acumulou (devido à intensidade de algumas cenas consideradas fortes a ponto de deixarem uma ambulância à postos nas portas dos cinemas que o exibiam).

Em suma, somos apresentados ao nascimento dessa lenda dos cinemas. Jason Voorhees, ainda que figure entre os vilões mais sanguinários de todos os tempos, certamente aparece também na lista de muitos fãs como um verdadeiro herói. David Grove faz um convite para a essência e faísca de uma das franquias mais cultuadas do cinema.
comentários(0)comente



12 encontrados | exibindo 1 a 12