Boa Noite, Estranho

Boa Noite, Estranho Jennifer Weiner




Resenhas - Boa noite, estranho


21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Val 07/11/2019

Simplesmente ridículo
comentários(0)comente



Prof. Angélica Zanin 08/12/2018

Um bom mistério que traz boas risadas
Romance que mescla comédia, suspense e aventura, não é totalmente empolgante, mas é surpreendente em muitos momentos. Adorei a amiga Judie, o marido Ben, os pais, e ela mesma, a protagonista - Kate. Evan, o sedutor, não me convenceu. Houve momentos em que parei para rir, é hilária a ironia utilizada para criticar a pitoresca vida nos subúrbios abastados dos Estados Unidos. Claro que vale a pena! Acho que devemos evitar grandes expectativas e aproveitar cada detalhe de uma boa leitura, se ela será sensacional? Cabe a cada leitor decidir. Sabe, às vezes, e muitas vezes , o que é sensacional para um leitor, não é para outro. Gostei e você? Leia, para ver se gosta! Quem é o assassino? Quem são as vítimas-Kitty e Lexi? São apenas algumas perguntas que você se fará,, ao longo dessa leitura, e algumas não serão respondidas, no entanto, assim como a vida nem todas as histórias trazem todas as respostas.
comentários(0)comente



Diandra 12/10/2018

Enredo interessante, porém, final sem graça
A autora possui uma escrita fluida, interessante e envolvente. A história, narrada em primeira pessoa, tem como protagonista a Kate, uma mulher forte e cheia de personalidade. No entanto, o desenrolar da trama é sem graça e muitos dos pontos levantados pela autora são deixados de lado, não possuindo resolução.
comentários(0)comente



Diogo Hilário 29/05/2018

Encontrei esse livro por acaso numa promoção, achei o resumo bem interessante e decidi levá-lo. Eu já esperava por algo clichê( afinal, essas histórias de pessoas comuns inseridas numa investigação em busca da verdade não são tão raras), mas ainda assim achei um pouco instigante por unir o velho drama da mulher casada, mãe - e que vive, exclusivamente, para sua família, e ainda com aquele sentimento de que algo deu errado em sua trajetória, falta de realização pessoal e tudo mais - com o súbito início na investigação criminal, algo até então fora da realidade da personagem. No entanto, não passei do capítulo 3. Kate, personagem principal e narradora da história, apresenta uma densidade psicológica nula, não senti tensão alguma em sua narração ao encontrar o corpo ou quando "confrontada" pelo policial. Eu achei as passagens de humor extremamente forçadas e as de ironia fracas. As personagens são limitadas a uma extensa descrição física e um breve histórico. Não há situações inusitadas, aprofundamento psicológico ou outros recursos para construir um encadeamento complexo para a trama. É aquela coisa, o romance: 428 páginas. Eu li: 40. Posso estar enganado por falsas impressões, mas tem vez que bate aquele sentimento de "li pouco, mas li o bastante".
comentários(0)comente



Zumi 06/02/2017

Suspense engraçado
Um suspense gostoso sobre uma vizinha de subúrbio de classe alta assassinada aparentemente sem que haja um motivo, unido a uma boa dose de comédia que a protagonista (ex) jornalista decidida a investigar por conta própria fornece. A combinação traz ao leitor um livro divertido, de leitura leve e que prende a atenção até o último minuto, quando tudo se esclarece.
As revelações a respeito da finada Kitty só aparecem com força total no final da história, e são completamente inesperadas, já que é impossível ter um palpite concreto se quer com o decorrer da leitura.
Uma pitada de romance é acrescentada ao passo que, em meio a todo o suspense pela morte de sua "amiga", Kate, a personagem principal curiosa, narra como conheceu o que julga ser o grande amor da sua vida e como acabou construindo uma família com um cara que não ele. A protagonista se vê dividida e sua decisão final é um tanto quanto inconclusiva, e o livro acaba sem que o leitor tenha de fato entendido com quem Kate resolve ficar e por quê.
Exceto por esse contratempo, o livro é ótimo. Recomendado!

Obs.: o título parece tendencioso, mas graças a autora, não apresenta ligação nenhuma com a trama.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



sandra 27/03/2016

Kate tem uma vida de rotina com tres filhos pequenos. Um dia encontra sua vizinha morta e ai sua vida muda totalmente, começa a investigar o crime e recebe ameaças. No meio disso seu ex amor aparece em sua vida. Um livro rapido com suspense, romance e certas cenas de humor. Muito gostoso de ler!!! E cita um livro que li há muito tempo O Jardim dos Esquecidos - polemico e triste, mas com uma estoria que nunca esqueci.
comentários(0)comente



Vanessa Sueroz 13/01/2016

Neste livro iremos conhecer Kate Klein, uma mulher mãe de três filhos, que mora no subúrbio de Connecticut, mas que não esta gostando da vida que tem levado. Seu marido esta bem ausente nos últimos tempos, ela agora esta longe dos amigos e família e esta se sentindo sozinha.

Kate começa a levar seus filhos para os playgrounds da região e sempre é esnobada pelas outras mães, mas as coisas mudam quando uma das mães é assassinada e Kate logo vê a oportunidade de ser mais útil, o problema é que ela decide investigar o crime, mas claro que isso não daria tão certo e logo ela esta envolvida em mistérios, ciúmes e traições.

“À medida que Kate mergulha mais e mais fundo no passado da vítima, ela descobre os segredos e mentiras por trás das cercas brancas de Upchurch – e começa a repensar as escolhas e compromissos de toda mulher moderna ao oscilar entre obrigações e independência, cidades pequenas e metrópoles, ser mãe e não ser.”

Resenha completa:

site: http://blog.vanessasueroz.com.br/boa-noite-estranho/
comentários(0)comente



The Best Words Br 08/12/2015

The Best Words Br
O livro conta a história de Kate Klein, uma mãe de três filhos, moradora do subúrbio de Connecticut, que está infeliz nessa nova cidade com um marido que não está lhe dando muita atenção nos últimos tempos... longe de seus familiares e amigos, tudo começa a parecer pior.

Kate começa a frequentar os playgrounds da região, porém é sempre esnobada pelas supermães de Upchurch.... No entanto, quando uma das mães do bairro é cruelmente assassinada, Kate vê nisso uma oportunidade de se sentir mais útil, ou seja, ela decide investigar o crime por sua própria conta e risco.... Só que ela não imaginava que acabaria entrando em uma teia de mistérios, ciúmes e traições que podem acabar trazendo consequências perigosas para sua própria família.

Essa é uma história envolvente e que nos leva e entrar num clima de investigação e de romance policial.

“À medida que Kate mergulha mais e mais fundo no passado da vítima, ela descobre os segredos e mentiras por trás das cercas brancas de Upchurch – e começa a repensar as escolhas e compromissos de toda mulher moderna ao oscilar entre obrigações e independência, cidades pequenas e metrópoles, ser mãe e não ser.”

Eu curti bastante a história.... não é uma das leituras que me empolgou muito desde o início, mas ela traz um enredo que te prende muito do meio para frente. Assim, você fica preso nas páginas, já que quer muito saber quem é o assassino de Kitty Cavanaugh.

Pra mim, algumas explicações ficaram faltando no livro, como, por exemplo, o que aconteceu com a paixão da juventude de Kate, Evan. Ele não dá mais as caras depois que eles são pegos conversando no carro dele numa cena comprometedora - afinal de contas, Kate é casada...rs... - pelo policial do local. Mas, enfim, fica a pergunta: cadê o Evan?

Outra curiosidade minha que também não foi desvendada pelo livro foi: onde está Lexi, uma das mães do playground que simplesmente desapareceu?? Ok...sabemos que ela sumiu por culpa do assassino, mas o que aconteceu com ela??? Ninguém sabe, ninguém viu...

O livro oscila entre o passado e o presente... e, particularmente, gostei mais do passado, já que é nele que nos é apresentado Evan, que não só volta para deixar Kate mais confusa sobre suas escolhas, mas que também acaba ajudando nessa investigação.

Ah... Achei muito legal também eles mencionarem sobre essa nova moda de Ghost Writer que anda por aí. Para quem não sabe, Ghost Writer é a pessoa que escreve um texto ou uma obra e entrega o escrito para um autor de renome publicar como se fosse seu... Se permitem a minha mais sincera opinião, isso não me agrada de forma alguma, pois se trata de uma coisa que dá status a um autor quando, na verdade, o texto é de outro... Corre a boca miúda que existe um famoso autor da atualidade que publica várias obras ao ano com a ajuda de Ghost Writer. Será, produção???

Bom, preciso dizer então que vale a pena ler essa obra! Ela traz de fato bastante mistério e intriga para nós encararmos junto com a personagem.

Leiam mesmo esse enredo, pois preciso de ajuda para desvendar esses mistérios. Afinal, Quem? Como? Quando? Onde? Por quê? são sempre as perguntas que devem ser respondidas em um crime...não acham???


Espero que vocês tenham curtido essa resenha. Prometo voltar o mais breve possível e já com bastante novidades pra vocês.

Beijokas da Flay!!!

site: http://thebestwordsbr.blogspot.com.br/2015/03/boa-noite-estranho-jennifer-weiner.html
comentários(0)comente



Natasmi Cortez 03/07/2015

Quando seu tempo é perdido....
★☆☆☆☆
Nunca me esforcei tanto pra ler um livro quanto fiz com esse...
Ok, ok não vou exagerar pois certamente já li piores. Ainda assim o sentimento de tempo perdido não deixa de me perturbar. Li ótimas criticas a respeito desse livro e sua nota no skoob está acima da média. Resultado: esperei demais do livro, que infelizmente não alcançou nenhuma das minhas grandes expectativas, na verdade nem as mais baixas. A história conta a história de Kate, uma ex jornalista que vive uma vida pacata e que acidentalmente encontra o corpo da vizinha que havia sido assassinada. Em sua busca por respostas do que teria acontecido ela descobre que o subúrbio onde mora parece ser mais "movimentado" do que parece. O livro promete, grandes reviravoltas, emoções humanas delineadas de forma divertida e um thriller com ação e mistério,mas eu vi somente uma mulher "...oprimida e deslocada, encalhada num subúrbio que ela desprezava" ( nas palavras da própria personagem) que busca desesperadamente um pouco de "emoção" pra fugir de uma rotina que ela claramente detesta, com crianças malcriadas um marido ausente, sexo com "chuveirinho", mãe mais ausente que marido e uma amiga completamente louca que é unica pequena, por assim dizer, diversão da trama. A história é enfadonha, o final embora não seja previsível consegue ser sem sentido com explicações feitas as pressas. O titulo não remete a nada na história, embora a autora tenha utilizado a expressão para mencionar algo no livro uma vez e isso não esteja ligado ao mistério. A edição conta ainda com diversos erros de digitação, que deixam o texto desconexo. Não gostei do livro ( isso ficou bem claro acima hahaha) mas recomendo a leitura para que você possa tirar suas próprias conclusões.
Boas Leituras Sempre 💟💟💟💟


site: https://www.facebook.com/bibliodocoracao
Jessica 03/07/2015minha estante
nossa... tb criei várias expectativas, inclusive é uma das minhas próximas leituras! vamos ver...


Natasmi Cortez 03/07/2015minha estante
Lê e depois me diz... Porque o pessoal que leu esse livro, a maioria gostou então talvez eu tenha me equivocado na leitra de alguma maneira... Depois e conta o que achou


Jessica 03/07/2015minha estante
Conto sim!




Portal JuLund 02/07/2015

Boa Noite, Estranho, Resenha, @Novo_Conceito
Boa Noite, Estranho foi uma leitura interessante e instigante. Ultimamente tenho lido mais livros que tenham um mistério e possível assassino, pois gosto de tentar desvendar. Em Boa Noite, Estranho temos mistério e um romance também, além de situações diárias.

A protagonista do livro é Kate, que tem três filhos e se mudou de Nova York (onde tinha uma carreira) para viver em um subúrbio chique, e assim criar e cuidar de seus filhos. Em Upchurch, as mães parecem modelos, exemplares e bem certinhas para Kate, que se sente diferente de suas vizinhas, mas acaba tendo contato com uma delas, Kitty.

Leia a resenha completa em nosso portal!

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/boa-noite-estranho-resenha-novo_conceito
comentários(0)comente



RUDY 21/04/2015

ANÁLISE CRÍTICA E DO AUTORA:
A primeira coisa a ser dita é fui cheia de expectativas para a leitura do livro e acabei quebrando a cara... Achei que seria um grande mistério a ser desvendado e até foi, porém com uma morosidade que jamais esperei.



O livro mistura vários elementos: o mistério do assassinato; o suspense em busca de provas; o drama familiar da protagonista e humor, muito humor. Acredito que foi o melhor do livro: os filhos de Kate e sua ‘louca’ amiga Janie, ri demais!! E até com a própria Kate que é toda atrapalhada coitada...



Vejam! O livro não é ruim de forma alguma, talvez um pouco lento no início, porém é interessante de ser lido. Não tem assim grandes rompantes, trechos intensos, contudo, é uma leitura divertida e até tem um tantinho de suspense, nada que faça o coração palpitar mais forte, mas deixa a curiosidade aflorada em alguns momentos.



As personagens secundárias tomam a cena da protagonista em vários momentos do livro, as relações são bem desenvolvidas e o mistério em si até bem criativo, o que proporciona uma leitura agradável e de boas risadas.



Se gosta de livros apenas para entretenimento, sem grandes lições de vida, aproveita, porque é livro é bom E A LEITURA UM TANTO MORNA.



site: http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/2015/04/resenha-24-boa-noite-estranho-jennifer.html
comentários(0)comente



Val 21/04/2015

Livro "Boa noite, estranho"
Apesar de eu ter gostado bastante do livro, não foi muito o que eu esperava. Mas vamos lá..
Kate é mãe de três filhos, e se muda com sua família para o subúrbio,. Ela não se adaptou muito bem la, e no meio de sua vida corrida de cuidar dos filhos, uma das mães é assassinada e é ela quem encontra o corpo.
Gostei de como foram colocados vários mistérios para serem desvendados por Kate, mas não gostei muito de como ela saia como louca quando se ligava de algo que poderia a levar a descobrir o assassino. Ela parecia viver só pra isso, mentindo pro marido e tudo mais. Sua melhor amiga passou a ajudar com tudo, e ela seguia toda e qualquer possível pista de quem fez aquela coisa horrível.
Não se dá muito bem pra entender o que autora quis passar com o livro, e vi que muitos outros leitores concordam nesse ponto. O final impressiona um pouco, pois não era o que esperava..não havia pistas de que ia terminar desse modo. O livro poderia ter sido incrível, se tivesse sido melhor trabalhado.



E vocês, o que acharam a leitura?

site: http://whatever-it-takes.weebly.com/leitura/resenha-boa-noite-estranho
comentários(0)comente



Saleitura 08/04/2015

Detetive por Acidente
Kate, de jornalista em Nova York, vida agitada, para Upchurch, mãe de 3 crianças, marido ausente e uma estranha no ninho entre as outras mulheres. Ela sempre despojada, largada, e as outras mães que pareciam ter saído de catálogos.

"Quando eu e as crianças passamos pelos portões de cercado branco, entrando no playground, vimos 4 mulheres usando o mesmo tom de rosa-escuro de batom,; quatro mulheres incrivelmente bem cuidadas, de forma física impecável, com uma aparência de que tudo pode. Cada uma delas tinha uma bolsa de fraldas estampadas em seda, com monograma bordado (...) As mulheres deram uma olhada nos meus trajes (calça de brim larga, manchada de calda, tênis borrado de tinta de colorir, uma camiseta se mangas compridas do meu marido (...), meu cabelo desgrenhado, meu rosto lavado (...)" (pág 13-14)

Por aí vocês já têm ideia do que ela enfrentava. Kate ficou surpresa quando Kitty Cavanaugh a convidou para almoçar na sexta-feira, e disse que tinham um amigo em comum, mas mudou de assunto quando perguntada quem era. E lá foi Kate para a casa de Kitty, claro levando seus três filhos. Porém ao chegar e bater na porta, ninguém atendeu. Bateu novamente, ligou para seu celular, e nada. Será que errou o dia? Mas havia luz...


“(...) Dois diplomas em literatura inglesa, uma carreira na cidade de Nova York, e foi aqui que eu vim parar, na porta de uma quase estranha, num subúrbio elegante e afastado de Connecticut, com os cabelos despenteados e uma sacola cheia de pirulitos para suborno, arrastando três crianças com menos de 5 anos. Como isso aconteceu? eu não conseguia explicar. Ainda mais a parte de engravidar dos meninos quando Sophie só tinha 7 semanas (...) (pág 11-12)”


Kate deixa as crianças e resolve entrar, e a surpresa é que encontra Kitty no chão, de bruços, e com uma faca cravada nas costas. Kate ligou para a polícia e antes que terminasse de falar viu um número de telefone anotado num bloco e o reconheceu, e lembrou... "Acho que temos um amigo em comum..."

Cansada da monotonia da sua vida, resolve investigar a morte de Kitty. Durante sua investigação vamos conhecendo também seu passado que nos faz entendê-la melhor. Na sua investigação Kate vai descobrindo muitos segredos guardados por aquelas mulheres. Quanto mais fundo vai na sua investigação, mais vai descobrindo e mais vai incomodando.

O que me surpreendeu muito nessa história é que ela tem um lado cômico, foram muitas as vezes que me peguei rindo. A história é contada em primeira pessoa, Kate nos diverte em diversos momentos, a autora coloca esse lado divertido nos momentos certos. Com certeza bem diferente de qualquer outro policial que já tenha lido.

De cara simpatizei com Kate, mas também gostei muito de Jane, sua melhor amiga, e das crianças, principalmente Sophie, é apaixonante. Faz pouco tempo que comecei a ler policiais e esse me conquistou!!

"Se Ben acordasse, eu poderia contar a verdade. Eu teria de contar, de qualquer jeito. Se alguém estava deixando bilhetes ameaçadores no para-brisa de nosso carro, se eu ou as crianças estivéssemos em perigo, meu marido tinha que saber. (...) 'Deixei o bilhete em seu carro, Kate. Você achou que suas trancas e seu alarme a mantinham segura, mas você não está segura. Estou dentro da sua casa.' " (pág 201)

Resenhado por Luci Cardinelli
http://www.skoob.com.br/estante/livros/todos/377269/page:1

site: http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2015/04/resenha-do-livro-boa-noite-estranho-de.html
comentários(0)comente



Ana Luiza 13/03/2015

Assassinato e mistério no subúrbio
Kate Klein não sabe exatamente como, por fim, acabou se tornando uma dona de casa de subúrbio, com três filhos pequenos e um marido ausente. Tudo bem que sua vida nunca fora um filme hollywoodiano, mas a infância ao lado dos pais artistas (apesar de sua mãe nunca estar realmente presente) e juventude cheia de energia graças a melhor amiga, a rica e espalhafatosa Janie, definitivamente foram mais animadas que sua atual rotina. Kate está sempre cansada, sendo atormentada pelas crianças ou rejeitada pelas outras mães da cidade.

Kate está solitária e entediada, então não se pode culpá-la por ficar quase em estado de êxtase quando sua vizinha, Kitty, é assassinada. Foi Kate quem encontrara o corpo, o que alimenta ainda mais sua necessidade de desvendar esse mistério. Outro fator definitivo é o fato de Kitty ter tido contato com alguém do passado de Kate, um antigo vizinho e paixonite, que partira o coração da garota. Ao mesmo tempo em que tenta fazer justiça por Kitty, Kate vai relembrando sua vida antes dela ter trocado Nova York por Upchurch, Connecticut.

Enquanto o leitor desvenda o passado de Kate, a personagem desvenda a falecida. Todos são surpreendidos ao descobrir que Kitty, além de uma mãe super dedicada, era ghost-writer de uma polêmica e conservadora jornalista. Kate começa a cavar a vida da vizinha, que não era tão perfeita quanto todos pensavam. Kitty guardava muitos segredos, mas será que Kate conseguirá revelá-los? Quando começa a fazer as perguntas certas e incomodar as pessoas erradas, fica claro que muita gente não quer que Kate continue suas investigações. Mas a dona de casa já foi fundo demais para deixar tudo de lado e ela sente que precisa fazer isso, não só por Kitty, mas por si mesma. Mas mal sabia Kate que ela estava colocando não só a sua vida, mas também a da sua família, em risco.

Boa noite, estranho é uma mistura equilibrada e perfeita de chick-lit e suspense policial. Fiquei curiosa pela obra desde a primeira vez que li a sinopse, afinal, quantas tramas de mistérios temos como detetive uma mãe suburbana? E as surpresas na trama não param por aí, Weiner desenvolveu a história com maestria, dando continuidade e desfecho emocionantes e surpreendentes para o grande mistério do livro.

Outro ponto forte da obra é a cômica narrativa em primeira pessoa da autora. Além de provocar boas risadas, a narração é cativante e recheada de crítica. Weiner também acertou em cheio nos personagens, que são ao mesmo tempo únicos, mas também “gente como a gente”. É impossível não simpatizar com a Kate logo de cara. Se por um lado nos compadecemos com a rotina solitária e entediante que ela leva, também nos tocamos com sua dedicação a família e também ao caso de Kitty. Depois de Kate, minha segunda personagem favorita foi Janie, a amiga meio maluquinha, mas fiel, que sempre coloca a Kate para cima, incentivando-a e estando sempre ao lado dela. Kitty também é uma personagem complexa e intrigante. A desvendemos ao lado de Kate e é impossível não se cativar a ela, principalmente depois que descobrimos todos os seus mistérios. Os outros personagens de Weiner também esbanjam personalidade e provocam uma dualidade de sentimentos: ora os odiamos, ora os amamos. Todos são bem construídos e tem papel na trama.

Boa noite, estranho tem um suspense bem construído, que prende o leitor do início ao fim, além de doses ácidas de uma crítica irônica e divertida. A obra me surpreendeu e cativou, esta foi uma leitura deliciosa e recomendo-a a todos que gostam de policias, mas que fogem um pouco do comum. Fiquei extremamente curiosa por outros livros da autora.

Quanto a edição, não tenho do que reclamar. A tradução e diagramação estavam perfeitas. O tipo e tamanho da fonte também. Eu adoro essa capa, ela tem um quê de mistério e é bem bonita, até mais que as outras capas que o livro ganhou mundo afora.

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2015/03/resenha-boa-noite-estranho-jennifer.html
comentários(0)comente



21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2