O Baile dos Deuses

O Baile dos Deuses Nora Roberts




Resenhas - O Baile dos Deuses


36 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Sandra 30/06/2020

2° livro da trilogia
E a saga continua... uma inesperada atitude e um resultado surpreendente
comentários(0)comente



Isa 08/04/2020

Bom
Igualmente bom, como o primeiro
comentários(0)comente



Monie 31/03/2020

Simplesmente incrível!
comentários(0)comente



Pretenses 28/12/2018

Resenha ~ O baile dos deuses
Atenção, essa série não se encerra a cada final de livro, então este é continuação do anterior e pode te contar coisas que você não gostaria de saber agora. Porém, recomendo que leia urgentemente o livro anterior. ~Slainte, Elisabete

"— Olhou nos olhos de Larkin agora, de forma que ele visse que o conforto e a lealdade não podiam se sobrepor à sensatez e à estratégia."
.
.
.
Quer saber mais? Leia no blog Pretenses!


site: http://www.blogpretenses.com.br/2018/06/resenha-o-baile-dos-deuses_26.html
comentários(0)comente



Cris 04/06/2018

1.0 star. Péssimo!
comentários(0)comente



50livros 30/12/2017

Livro bom para distrair a cabeça
Não era meu plano ler esse livro agora de cara, mas por conta desse primeiro desafio da #fantastona2017 me vi motivada a fazê-lo. E, gente, não me arrependo. Adorei a história, sem enrolação, sem neura e, mesmo assim, com muita dureza de sentimentos e realidade. O amor impossível acontece e sem aqueles clichês bizarros, a Moira consegue se mostrar a personagem mais forte da trama, uma verdadeira surpresa para mim.

É tão chegada o Samhain, mas se você acha que o livro será só lutas, está muito enganado. Tem muita estratégia, romance, dever e magia também. Para mim, foi o livro mais completo da trama. Como se passa todo em Geal, achei que ficaria meio bobo, mas muito pelo contrário, consegue mostrar bem toda a seriedade que é governar um reino e levá-lo para a guerra.

O casal Moira e Cian encantam, me fizeram chorar 2 vezes, me apeguei real a eles. O melhor foi que não ficou aquele clichê de vampiro sedutor, muito pelo contrário, mostrou o quanto o Cian é medroso. Acho que é por isso que durou tantos anos. Hahahahahahaha... 

A trama consegue esquentar o suficiente e termina não só de maneira empolgante como linda, cheia de significado. Um ode ao perdão que dá gosto de ver (e de ler!).

site: www.50livros.com/single-post/2017/12/13/RESENHA-DUPLA---Resenhas-de-Baile-dos-Deuses-e-Vale-do-Silêncio-de-Nora-Roberts---Fantastona2017
comentários(0)comente



Leila 16/02/2017

Uma aula de bom romance + aventura
Que livro maravilhoso!
Você acha que Jojo Moyes, John Green e Nicholas Sparks sabem escrever romances? Então você não conhece Nora Roberts, mais de 160 romances no currículo (e ela não é idosa).
A Trilogia do Círculo mistura romance, aventura e um pouco de terror. O tema é clichê, vampiros, caça-vampiros etc., mas é muito mais que isso. Não vou descrever mais uma vez a história, como outras resenhas o fizeram e farão, mas eu nunca li uma escritora que descrevesse tão bem sentimentos e relacionamentos em um romance.
Até achei o Larkin um pouco perfeitinho demais, o que quer dizer irritante, mas ele é um legítimo príncipe encantado (literalmente). Blair é uma das melhores personagens que eu já vi em um livro, das mais ricas e densas. Nora consegue ser profunda sem ser excessivamente melosa e dramática (mas um bom romance precisa de drama, é claro).
Este livro foi melhor do que o primeiro da trilogia, e certamente não é tão bom quanto o terceiro.
Viajei pela Irlanda e pela terra de Geall e fiquei com o coração dolorido de saudades.


Nil 16/02/2017minha estante
Linda resenha! Eu não tive muita sorte com a Nora Roberts, os livros que li dela foram bem medianos.


Leila 17/02/2017minha estante
Quais tu leu? Os que eu li, adorei. Acho seus personagens muito intensos. Mas o melhor dessa trilogia me parece ser o roteiro, cheio de emoção.


Nil 17/02/2017minha estante
Doce Vingança, Virtude Indecente, Tesouro Secreto e Pecados Sagrados. Eu não os achei ruim, só não me encantaram.




LT 27/07/2016

500 anos depois... vamos falar de O Baile dos Deuses! Lá no início do Blog a quase seis meses atrás (Gente, dia 08 de agosto - esse mês - daqui a alguns dias - completaremos 6 meses! O tempo passa rápido demais e estou adorando tudo isso! Voltando... rs) postei a resenha de A Cruz de Morrigan - o primeiro livro de uma trilogia que amo, a Trilogia do Círculo da minha Diva Nora Roberts e prometi um reencontro para falarmos mais um pouquinho sobre a trilogia, então, vamos bailar? rs

Para lembrar da trilogia, basta clicar aqui e ler a resenha de A Cruz de Morrigan - Volume I.

No primeiro volume conhecemos o nosso "elenco" (os personagens) e ao longo da trilogia vão surgindo alguns secundários, mas os principais nós já conhecemos que são: Hoyt o Feiticeiro, Glenna a Bruxa, Cian o vampiro, Moira a erudita, Larkin o Shifter (de diversas formas), Blair a guerreira/caçadora e Lilith que dispensa apresentações, não é?

Ele viu onde a terra estava queimada, onde estava devastada. Viu as próprias pegadas na lama quando galopava em meio à batalha, na forma de um cavalo. E viu a mulher que o montara espalhando destruição com uma espada flamejante...

Em A Cruz de Morrigan acompanhamos a formação do círculo mais improvável do mundo, o tipo de combinação que juramos que não vai dar certo, mas que ainda assim, é a única chance que não apenas nossos protagonistas tem, mas o mundo inteiro de sobreviver e é nessa onda que nossos personagens preferidos tem de se entrosar e se preparar em pouco tempo para enfrentar uma grande guerra. Entretanto, como é que se consegue treinar e fechar uma equipe quando não se confia em todos os envolvidos? Quando existem certas "rixas" dentre a equipe e uma das principais é pela origem - ou melhor - pelo que é um destes membros. Como confiar a sua vida e a salvação do mundo nas mãos de pessoas que você não conhece e ou que a muito deixou de "conhecer"? É difícil, porém, a única saída e o nosso círculo vai tentar, tentar mesmo!

"Não há necessidade de ter pressa. Podemos nos divertir um pouco enquanto estamos aqui. Pelo que percebi, não te divertes muito." "Se ainda estivermos vivos em novembro, darei piruetas na rua. Darei piruetas sem roupa." Ele lhe lançou um rápido sorriso. "Esta é uma razão nova e importante pela qual irei lutar. Não pensei nas piruetas, mas já pensei uma ou duas veze em ti, nua."

Antes de mais nada, preciso dizer que Nora mantém sua escrita, escrita que para mim é ótima e que flui facilmente para o leitor de forma contagiante e envolvente. A trama continua muito bem construída, ela não se perde em momento algum, nos apresenta os detalhes na medida certa e a um enredo cada vez mais viciante.

"Só não faça nada de tolo" cedendo à necessidade, à preocupação, ela segurou os cabelos dele com as duas mãos, e puxou o rosto dele para o seu. Manteve o medo fora do beijo. Não era medo o que queria mandar junto com Larkin. Em vez disso, transmitiu-lhe esperança e calor, e ficou abraçada com ele enquanto a energia do beijo vibrava até os dedos dos pés.

Nesse volume, conhecemos melhor a personalidade das personagens, seus motivos para estarem ali e a função de cada um. Acompanhamos o treinamento sério deles e as investidas de Lilith contra o círculo na tentativa de desmantelar aqueles que podem destruí-la. E, como não poderia faltar, assistimos a formação de mais um casal, o desenvolvimento de um romance bonito e singelo.

... havia aquele lugarzinho secreto dentro dela, que estava cansado, cansado demais de ficar só, de ser o que era, de fazer o que tinha de fazer, exigindo-lhe que permanecesse sozinha. Sozinha, com sangue, morte e uma violência sem-fim.

Blair é uma caçadora da linhagem da família de Hoyt e Cian, ela é descendente deles e vive no mundo dos dias atuais. Larkin é um shifter de outro mundo, de um dos vários que existem por aí, ele é um Lorde de uma terra chamada Geall e primo de Moira que é a princesa de lá. Geall é a terra que está destinada para receber o derrame de sangue e dependendo de quem vencer... o mundo pode ser salvo ou condenado para sempre. Larkin é um personagem incrivelmente cativante, bem humorado, paciente, educado e lindo... um sonho, não é? E além de tudo, um cavalheiro capaz de curar as "feridas" da vida de um jeito todo especial. É entre esses dois que vemos um romance acontecer, mas será mesmo Larkin capaz de curar a alma de uma caçadora teimosa, marrenta e até certo ponto folgada? Blair é assim e ainda assim, gosto muito dela. Ele vai conseguir despertar o amor ou a cosia toda vai acabar sendo apenas unilateral? O nosso mocinho vai tentar, mas conseguir? É outra história...

Ela fora criada para acreditar que o monstro debaixo da cama era real e que só estava esperando você relaxar para te arrancar a cabeça. Fora treinada para adiar este momento pelo máximo de tempo que conseguisse se manter de pé e lutar, esfaquear, incendiar e matar tantos quanto fosse humanamente possível. Porque, por trás de sua força, de sua inteligência e de seu treinamento incessante estava o reconhecimento de que um dia, de alguma forma, ela não seria tão rápida, tão esperta, nem teria tanta sorte. E o monstro venceria.

Alguns personagens começam a nos deixar em dúvida na questão de que lado realmente estão, as coisas começam a acontecer rápido demais, o perigo aumenta, temos algumas surpresas e revelações e além de tudo isso, a antipatia entre dois dos nossos queridos membros do círculo começa a se fazer cada vez mais presente. Como é que uma equipe que não é tão bem entrosada, que tem dúvidas sobre alguns de seus membros pode ser capaz de derrotar a pior das criaturas que quer junto a seu exército destruir todos os mundos? Todos sabemos que é necessário um conjunto que funcione perfeitamente, onde as peças se encaixam para que as coisas deem certo e realmente funcionem. Se nossa equipe não é capaz disso, como é que podem almejar ter chances de ir além ou de se atreverem a pensar que podem vencer? Seria no mínimo sonhar demais, não?

"Não conheço teu pai ou teu irmão, mas sei que prefiro muito mais estar aqui contigo do que com qualquer um deles. Lutas como um anjo vingativo."

Esse livro conta com mais ação do que o anterior, mais suspense, perigo, medos, sonhos, desejos, amizade, traições ou não... e com novas criaturas. Com muita aventura, lágrimas e sorrisos. Com tudo que a escrita da Nora é capaz de nos proporcionar e o sarcasmo se faz presente, principalmente em Cian (o meu preferido). A receita é perfeita, para quem curte a mistura de romance com sobrenatural, é uma pedida maravilhosa!

Aqueles olhos, pensou ele, ao fechar a porta quando ela saiu. Aqueles olhos cinzentos e amendoados poderiam matar um homem. Sorte a dele já estar morto.

O Baile dos Deuses nos prepara para o que vem pela frente e posso dizer para vocês que, Nora vai surpreende-los ainda mais no último livro da trilogia, esse é apenas a preparação para tudo que está por vir e ele é sensacional, então, se você vai ler, prepare-se para muitas emoções!

Resenhista: Ana Luz.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Nanda 08/01/2015

Impressionante
Com o final do último livro no casamento /batalha/casamento de Glenna e Hoyt,O Baile dos Deuses continua no treinamento dos seis e com foco no romance entre Blair e Larkin.
Quanto mais Larkin tenta conquistar Blair,mais ele a afasta,mas ela não pode afastar o que sente por ele.

Ela foi abandonada pelo pai aos 18 anos e,quando estava noiva de Jeremy,ele a largou por ela ser quem ela é,uma caçadora de vampiros.
Então,não conhece o amor,nem o que é ser amada e muito menos,protegida por outra pessoa.

Mas Lora,amante de Lillith,o mata,na frente dela.Tomando consciencia de um feiticeiro muito poderoso estar com Lillith,os seis agora voltarão á Geall e irão juntar os mais fortes para treinar e lutar contra os vampiros.



Nota:Adorei,apesar de seguir a mesma linha do primeiro,não me enjoei porque tem muita ação.Adorei tudo !!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



ELB 18/05/2014

Every Little Book
Em O Baile dos Deuses, continuação de A Cruz de Morrigan, a trajetória do círculo continua.

Após uma noite fatídica de sangue, luta e de amor, os seis escolhidos de Morrigan devem curar suas feridas e seguir em frente rumo ao seu destino. Devem se preparar para a hora iminente, o tempo é curto.

Ligados não só pelo destino, eles agora são um verdadeiro círculo, de amizade, lealdade e coragem. A data de sua partida para Geall foi marcada, e eles devem estar prontos.

No meio de toda adrenalina, e de todo o peso que o destino da humanidade pode causar, o amor nasce mais uma vez entre os escolhidos. Porém desta vez o caminho não será tão claro e aceitação não tão simples.

(...) Leia mais no blog!

Resenha feita pela Luiza, postada no ELB!

site: http://www.everylittlebook.com.br/2013/01/resenha-o-baile-dos-deuses-nora-roberts.html
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 20/01/2014

O Baile dos Deuses_Nora Roberts
Em O Baile dos Deuses, segundo volume da Trilogia do Círculo, de Nora Roberts, o foco da história se reflete no casal Blair Murphy e Larkin. Ela, uma caçadora de vampiros destemida e corajosa, habituada a trabalhar sozinha e confiar apenas em si própria; ele, um metamorfo, capaz de assumir as mais diferentes formas, de cavalo a um admirável dragão, e dono de uma personalidade cativante e descontraída. Juntos, eles precisam unir forças para derrotar Lilith e seus asseclas, juntamente com o círculo de seis, formado por Hoyt (feiticeiro), Glenna (bruxa), Moira (princesa erudita) e Cian (vampiro), enquanto tentam lidar com os seus sentimentos, cada vez mais intensos e vibrantes.

Blair, desde jovem, sempre lutou intensamente contra os vampiros, mesmo em um mundo que não acredita que essas criaturas possam realmente existir. A vida a tornou muito independente, e por conseguinte, autossuficiente, fazendo com que ela não confie nas pessoas ao seu redor, mas somente em si mesma. Quando é escolhida pela deusa Morrigan para integrar o círculo de seis, sente que precisa enfrentar os seus próprios conflitos internos e aprender a trabalhar em equipe.

Enquanto vai se entrosando com os demais membros do grupo, ela se sente fortemente atraída por Larkin, o homem que assume múltiplas formas. Larkin é lindo e charmoso, além de ser extremamente poderoso e ponderado na mesma medida. Assim como Hoyt no volume anterior, A Cruz de Morrigan, ele pertence ao passado e habita o mundo fantástico de Geall, onde vive como um nobre.

Em um período de dois meses, o círculo enfrentará Lilith e sua corja em Geall. Enquanto ajeitam os últimos preparativos e reúnem suas forças, eles fazem uma viagem no tempo e embarcam no mundo mágico de Larkin. E é justamente neste lugar repleto de fantasia e arcaico, cercado de costumes e tradições, que Blair deverá escolher entre lutar contra os seus sentimentos de forma esmagadora ou sucumbir a sua paixão pelo lindo nobre vindo do passado...

"Ele viu onde a terra estava queimada, onde estava devastada. Viu as próprias pegadas na lama quando galopara em meio à batalha, na forma de um cavalo. E viu a mulher que o montava espalhando destruição com uma espada flamejante..."

O Baile dos Deuses mantém os mesmos ingredientes de seu volume anterior, casando romance com o sobrenatural de forma magistral. Também podemos vislumbrar muita sedução durante a história, de uma forma leve e fascinante, característica marcante de Nora Roberts. Apesar do tema central do livro ser o casal Blair e Larkin, a trama consegue ir além, e nos mostrar toda a tensão e apreensão do círculo com a grande batalha que se aproxima. Os personagens secundários também recebem bastante destaque, especialmente Cian e Moira, que formam o casal do próximo volume da trilogia, e já dão indícios de uma forte atração. Narrado em terceira pessoa por um interlocutor que se identifica como velho e, que ao que tudo indica, possa vir a ser um dos membros do círculo, acompanhamos a forte química entre a guerreira e o metamorfo, que irradia faíscas, e também a jornada dos amigos guerreiros na preparação do seu combate contra Lilith.

Blair é uma exímia guerreira, e desde cedo, aprendeu a se virar sozinha. Seu pai saiu de casa assim que ela completou 18 anos, e desde então, ela vai caçando vampiros ininterruptamente. Ela é um tanto quanto desconfiada e exige demais de si mesma, mas não chega a ser intransigente, e apesar dos seus receios, não chega a trazer conflitos para o círculo. O seu relacionamento com Larkin é incrivelmente sensual e foi muito bem trabalhado na trama.

"Os lábios dele roçaram macios nos dela, apenas um sussurro. Um roçar, um esbarrar, um beliscão leve e suave."

Larkin é dotado de um charme peculiar. Ele pode se transformar em que quiser, de um falcão, cavalo até mesmo a um exuberante dragão. Dono de uma pureza de caráter inegável, ele é divertido e bastante comilão. Assim como Hoyt, pelo fato de pertencer ao passado, no início do livro ele estranha muitas coisas dos tempos atuais, resultando em cenas um tanto quanto hilárias. Por ser um nobre em seu mundo, ele mantém modos refinados e consegue ser totalmente doce quando assim deseja. Larkin se sente fortemente atraído por Blair e mostra que é capaz de tudo pelo amor da guerreira, o que só o torna incrivelmente romântico, e claro, sedutor.

"Não sei qual a tua cor preferida, nem o último livro que leste quando tiveste um momento de diversão, mas eu te conheço."

Em síntese, O Baile dos Deuses consegue encantar com um romance profundo e dotado de sensualidade, ao mesmo tempo em que nos mostra com clareza e exatidão o período que antecede a grande batalha, com todas as suas dificuldades e artimanhas. A capa é bonita, mas ficou com um visual meio fake, e acredito que poderia ter sido melhor trabalhada. A diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho, revisão de qualidade e a ilustração de uma espécie de mandala no começo de cada capítulo. Recomendo, com certeza!

site: http://www.newsnessa.com/2014/01/resenha-o-baile-dos-deuses-nora-roberts.html
comentários(0)comente



Patty 05/10/2013

Muito bom!
O segundo livro da Trilogia do Círculo não perde em nada para o primeiro. Ele também contém cenas de tirar o fôlego e nos deixar ansiosos juntos com os personagens.
Terminei de ler já doida pra ver qual vai ser o final, o que o velho tem a revelar, o qual por sinal, já desconfio quem seja! :)
Até agora uma ótima história que recomendo a todos os apaixonados pelo gênero.
comentários(0)comente



Thay 16/07/2013

Múltiplos sentimentos ...
O segundo romance da série foca mais na guerreira: Blair e no de múltiplas formas: Larkin, mostrando como é difícil para uma mulher independente e sozinha aceitar o amor de um homem simpático, irresistível e irritante ... E no meio de tudo isso tem discussões, amor, o fogo de uma paixão. É bom mas o primeiro livro é um pouco melhor, o que não significava que este não seja apaixonante também.
comentários(0)comente



36 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3