O Vinhedo

O Vinhedo Barbara Delinsky
Barbara Delinsky




Resenhas - O Vinhedo


10 encontrados | exibindo 1 a 10


Juliana Vicente 18/03/2011

http://asmeninasqueleemlivros.blogspot.com/2011/03/o-vinhedo-barbara-delinsky.html
Este livro foi um presente da Rafinha. Muito obrigada, adorei!

O início do livro é um pouco cansativo, somos apresentados a muitos personagens ao mesmo tempo e isso acabou me deixando perdida durante certos momentos.

Samantha e Greg são os filhos adultos de Natalie . Quando recebem a noticia do casamento de sua mãe com Carl (Antigo administrador do vinhedo) veem seus mundos “perfeitos” serem alterados e não gostam nada disso. Aqui nos deparamos com preconceitos que muitas vezes carregamos sem nem mesmo perceber, alguns deles tão enraizados que será necessário que muitas coisas aconteçam até serem resolvidos.

Claire já passou por muita coisa na vida e tudo que deseja é construir um lar feliz par Tess, sua filha. Tess sofre de dislexia e por isso têm problemas para se relacionar com outras pessoas, principalmente crianças. Claire é uma sonhadora, acredita que o verão quer irá passar em Asquonset irá resolver todos os seus problemas, mas acaba percebendo que nem tudo é o que parece.

A melhor parte do livro são os relatos do passado de Natalie, foi isso que me prendeu a leitura do livro, mas alguns momentos e personagens são totalmente dispensáveis.

O envolvimento de Claire e Simon é lindo, é aquele tipo de amor que começa bem devagar e se torna algo grandioso.

Recomendo!


Andrea 05/07/2011

Coração dividido
Poucos meses após a morte do marido, Natalie Seebring anuncia o casamento com o primeiro amor de sua vida, deixando os filhos revoltados e a forçando administrar a saída de vários funcionários.

Olívia é uma mãe solteira que busca uma escola para a filha disléxica ao mesmo tempo em que lida com o sentimento de ser rejeitada pela mãe. A oportunidade de ser assistente de Natalie no vinhedo Asquonset lhe parece uma maneira de dar um novo rumo em sua vida.

Tendo como base essas duas figuras femininas, outros personagens irão interagir com os seus problemas, mágoas, traumas e amadurecimento.

“O Vinhedo” (Editora Bertrand, 433 páginas) de Barbara Delinski me deixou sem uma opinião definida. Ao mesmo tempo em que a história de Natalie e Carl é realmente linda, deixando um desejo de que os detalhes fossem mais aprofundados, a de Olívia e Simon me pareceu um tanto superficial.

Resenha completa em http://literamandoliteraturando.blogspot.com/2011/07/o-vinhedo.html
comentários(0)comente



Meninas que Leem 24/12/2016

Blog As meninas que leem livros
O início do livro é um pouco cansativo, somos apresentados a muitos personagens ao mesmo tempo e isso acabou me deixando perdida durante certos momentos.
Samantha e Greg são ......

site: http://www.asmeninasqueleemlivros.com/2011/03/o-vinhedo-barbara-delinsky.html
comentários(0)comente



Leia 01/08/2018

"As pessoas não têm direito às coisas. Precisam ganhá-las. Isso se aplicar a amor, respeito e dinheiro. Isso se aplica a uma casa e um carro. Isso se aplica ao caso."

O livro O VINHEDO vai trazer a história de Olivia Jones, Natalie Seebring e suas famílias.
Como a vida de qualquer ser humano, a dessas duas mulheres vai ter conflitos, intrigas e problemas que terão que superar em nome do amor.
Olivia Jones é uma restauradora de fotos, sonhadora e mãe dedicada. Ela foi contratada para escrever as memórias de Natalie, que por sua vez é um exemplo de mulher forte, guerreira, mas que por não conseguir falar o que sente e ter dedicado praticamente a vida toda ao vinhedo não se revelou a melhor mãe para seus filhos, e agora está tentando enfrentar os sentimentos deles e os seus e se fazer compreendida.
No vinhedo já se passaram muitas histórias e essa será mais uma repleta de sentimentos que passarão por alguns caminhos em busca da união e do amor.

"Você queria ser parte de uma família. Pois uma família isso. Linhas cruzadas e falta de comunicação. Fazer concessões para coisas que você nunca permitiria num amigo. Com um amigo você simplesmente se afasta e ponto final. Com a família, você continua."

O livro só deixou a desejar nos erros de digitação que infelizmente acabaram por comprometer a leitura.
Sendo assim peço que a @bertrandbrasil tenha cuidado nos próximos lançamentos e edições, pois é muito chato ter que realizar uma leitura e ao mesmo tempo ter que se preocupar em fazer correções.
comentários(0)comente



Vanessa 22/04/2010

Gostei
O segundo livro de leio da Barbara, gostei, mas ainda prefiro a Nora.
Uma história bem legal do amor de família...
comentários(0)comente



Paulinha 15/12/2016

Este tipo de livro - best seller americano - não é o tipo de leitura que me encanta. Mas como ganhei de presente, li. E como de tudo se aproveita algo, retirei do livro para minha vida um pouco de força e persistência. A percepção de que a vida de todo mundo sofre grandes mudanças e que todos nós sofremos grandes perdas e muita dificuldade no caminho até atingirmos o lugar que está destinado a nós. Estou na fase do caminho, da busca, da persistência. E uma das personagens do livro também esteve, como extraí da página 182:
"(...) Mas não queria desistir. (...) E continuou a insistir, mesmo quando perdíamos um dinheiro que não tínhamos condições de perder. Era como um jogo. Depois de algum tempo, você perde tanto que tem de continuar, porque a sorte grande espera com certeza logo depois da próxima esquina. Você precisa tanto do dinheiro que não pode mais parar (...)"
comentários(0)comente



Eliane Maria 10/10/2013

Minhas impressões do livro : O Vinhedo de Barbara Delinsky
Maravilhosa narrativa, onde me vi passeando pelas vinhas de Asquonset, um cenário lindo, onde o leitor é acolhido, pelo menos eu me senti dessa forma.
Natalie Seebring é a anfitriã que recebe os personagens onde a trama propriamente dita se realiza.
Nem tudo foram flores para essa família , e os segredos, as dificuldades vivenciadas por ela serão parcialmente revelados através de suas memórias .
E uma parte do romance é justamente a confecção desse livro de memórias que Olivia, uma moça contratada por Natalie ira escreve-lo.
Pois diante da desaprovação dos filhos em relação ao seu casamento , poucos meses depois da morte de seu marido. Só as memórias escritas fará com que os da família entenda o porque ela se casa com o antigo empregado do vinhedo.
A justificativa é dada através das memórias, mas será que todos aceitam ?
Muitas coisas da vida de Natalie Seebring ficaram ocultas para os filhos , como por exemplo o seu amor pelo vinhedo, e o que foi preciso ela fazer para que ele crescesse e fosse próspero.
Mas não existe somente as memórias a serem escritas nesse romance , muitas coisas acontecem em Asquonset durante a confecção de suas memórias.
Eu imaginei um desfecho completamente diferente, mas amei o que a autora deu.
Recomendo a leitura.
comentários(0)comente



marlene 01/10/2011

Romance da melhor qualidade!!!
O Vinhedo é uma leitura da melhor qualidade, a festa foi regada à melhor safra das vinhas de Asquonset, o belo cenário que é descrito pela autora nos faz viajar e imaginar cada detalhe.
Olívia Jones é fruto de uma triste história de abandono de pai, mãe e de uns tantos homens mal escolhidos, ela é boa gente sem ser boba; é frágil, sem cair na fraqueza; e é batalhadora - luta para criar sozinha uma filha com dislexia, sem muito dinheiro no bolso - sem ser cínica. Mas, acima de tudo, Olívia é uma artista. Ela vê o mundo com os olhos da fotógrafa e restauradora que é e com a imaginação da escritora que virá a ser e acredita que, apesar de tudo, alguma boa surpresa a aguarda adiante no caminho.
Quando é contratada por Natalie para morar e trabalhar em Asquonset durante o verão, escrevendo as memórias da proprietária, Olívia acha que esta é a boa surpresa pela qual tanto esperou. Empacota a sua vida e a da filha em algumas poucas bolsas e pega a estrada com a certeza de que encontrará, no vinhedo, um sentido para a sua vida e, em Natalie, uma substituta para a mãe que não teve.
Enfim esta é uma história poderosa e comovente, a fantasia de uma vida ideal, o relacionamento perfeito, que se choca com a realidade.
Aconselho a leitura deste romance, este é o melhor e mais precioso romance que já li.
comentários(0)comente



Bit 12/03/2011

Para sua família, Natalie Seebring é uma mulher que preza as aparências. Tem maneiras refinadas, participa de rodas sociais, é uma esposa que sempre apoiou o marido e dirige um bem-sucedido vinhedo. Portanto, quando anuncia sua intenção de casar com um empregado do vinhedo, poucos meses depois da morte do marido de 58 anos, o filho e a filha ficam aturdidos. Diante da desaprovação, Natalie decide escrever suas memórias, pois há muitas coisas que os filhos não sabem sobre sua vida - como o amor pelo vinhedo, a luta que foi para implementá-lo, os sacrifícios pela família. Olívia Jones é uma sonhadora, que vivencia, por intermédio de sua imaginação, as fotos antigas que restaura. Ela e a filha, Tess, não têm mais ninguém na vida. Assim, apegam-se à fantasia de que uma família grande e feliz, em algum lugar, encontra-se à espera delas. Quando Olívia é contratada por Natalie para ajudá-la a escrever suas memórias, um verão no belo vinhedo à beira-mar parece a oportunidade perfeita para realizar tal fantasia
comentários(0)comente



Ana Rodrigues 03/08/2009

Uma excelente personagem principal!
Barbara Delinsky é uma das minhas escritoras contemporâneas de cabeceira - seus romances são literatura popular da melhor qualidade. Como leitora assídua já há muitos anos, sempre volto a alguns de seus livros, de vez em quando, para reencontrar personagens-amigas. E quando sai um livro novo em edição brasileira, então, para mim é uma festa! E, dessa vez, com "O Vinhedo" (Editora Bertrand Brasil), a festa foi regada à melhor safra das vinhas de Asquonset, o belo cenário que irá acolher Olívia Jones, heroína da história. Já nas primeiras páginas, a história do vinhedo de Asquonset e a de sua proprietária, Natalie Seebring, cruzam o caminho de Olívia e o modificam de modo radical.


Olívia Jones entrou sem dificuldades na tal galeria de personagens-amigas. Fruto de uma triste história de abandono de pai, mãe e de uns tantos homens mal escolhidos, ela é boa gente sem ser boba; é frágil, sem cair na fraqueza; e é batalhadora - luta para criar sozinha uma filha com dislexia, sem muito dinheiro no bolso - sem ser cínica. Mas, acima de tudo, Olívia é uma artista. Ela vê o mundo com os olhos da fotógrafa e restauradora que é e com a imaginação da escritora que virá a ser e acredita que, apesar de tudo, alguma boa surpresa a aguarda adiante no caminho.


Quando é contratada por Natalie para morar e trabalhar em Asquonset durante o verão, escrevendo as memórias da proprietária, Olívia acha que esta é a boa surpresa pela qual tanto esperou. Empacota a sua vida e a da filha em algumas poucas bolsas e pega a estrada com a certeza de que encontrará, no vinhedo, um sentido para a sua vida e, em Natalie, uma substituta para a mãe que não teve.


Mas a realidade em Asquonset logo mostra-se diferente das fantasias de Olívia. Natalie é uma mulher admirável e com potencial para se tornar uma grande amiga, mas não é uma figura maternal nem para os próprios filhos; Tess, a filha de Olívia traz na bagagem os problemas de auto-estima que a dislexia lhe legou e custa a se adaptar; e até o possível príncipe encantado que trabalha no lugar tem uma vida bem desencantada e uma história ainda mais triste do que a de Olívia.



Em "O Vinhedo", a personalidade forte do lugar e de seus moradores, somados à peculiar sinceridade de Olívia e a sua determinação em construir um futuro sólido para si e para a filha, fazem com que seja difícil deixar o livro de lado antes de chegar à última página. Pois é, Bárbara Delinsky nunca me decepciona... E para quem quiser saber mais sobre a autora e treinar o inglês, vale uma visita ao seu site. Ah! Lá, meu destaque vai para as excelentes dicas para escritores que estão na FAQ.
comentários(0)comente



10 encontrados | exibindo 1 a 10