Ateísmo Remix

Ateísmo Remix R. Albert Mohler Jr.




Resenhas - Ateísmo Remix


3 encontrados | exibindo 1 a 3


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Pablo megatrom 28/04/2018

Muito bom.
Lucio... Descordo.
comentários(0)comente



Lucio 18/11/2010

uma ferramenta, não mais que isso
O começo do livro consta com idicações de autores célebres como de Donald Carson. O prefácio feito pelo dr. Davi Charles Gomes só aumentou minhas expectativas pelo livro. Doce ilusão...

No primeiro capítulo Mohler Jr. faz um interessante apanhado histórico do ateísmo até chegar em Nietzsche, Freud, Marx e Darwin, quatro pilares do antigo ateísmo. Mostra como eles construíram uma base segura para tornar a descrença aceitável pela sociedade até chegar no novo ateísmo, em que a crença é que se torna inaceitável. A dissertação que Mohler Jr. faz sobre a teoria da secularização é deveras interessante e mostra como os ateus encaram a crença em Deus como ultrapassada.
As diferença entre o antigo ateísmo e o novo ateísmo, (tais como do sentimento de perda do antigo ateísmo para a busca da felicidade atéica com agressividade e hostilidade contra o teísmo e militância 'evangelística', da oposição a Deus do antigo ateísmo para a oposição ao Deus dos cristãos e depreciação a Jesus), são destacadas, uma das partes mais interessantes do livro.

O segundo capítulo é uma espécie de 'know your enemy'. Os principais expositores do neo-ateísmo (Dawkins, Harris, Dennet e Hitchens) são estudados e expostos, bem como breves comentários do movimento mundial.

O terceiro capítulo apresenta as refutações de Alister McGrath e Alvin Plantinga. São geniais! Mas Mohler as rejeita por ambos serem evolucionista teísta, o que acredita Mohler ser um tendão de Aquiles que pode ser explorado pelos neo-ateístas. Pra mim, o grande equívoco do livro. Plantinga, inclusive, escreveu sobre isso: http://www.apologia.com.br/?p=132

O capítulo quatro também tem seu valor. Mohler Jr. explora respostas alternativas aos neo-ateus expostas por liberais, e de maneira bem elaborada mostra que esse não é o caminho para a sobrevivência do teísmo no mundo acadêmico, antes é um passo para o ateísmo!

O livro é fruto de uma boa pesquisa. O problema é que ele não resolve nada! Ele rejeita as refutações de Plantinga e McGrath (e dá a entender que são lieberais, o que é uma calúnia!) e as pseudo-refutações dos liberais; mas não sugere nenhuma outra resposta aos neo-ateus, ou seja, falha na proposta principal do livro!

Excetuando esse fato lamentável, é uma ótima ferramenta de pesquisa, uma ótima fonte de informações, principalmente para conhecimento do ateísmo.
Daniel Oliveira 26/05/2014minha estante
Concordo Lúcio, como o próprio autor afirma: O Neo-ateísmo está crescente em nosso meio e realmente precisamos de um confronto cristão aos novos ateístas, isso está presente até na própria capa do livro, é bom somente para pesquisas, mas falha no confronto, a proposta principal.


Lucio 25/06/2014minha estante
Daniel, fica por conta de outras obras, neh... :)
Que ninguém vá se iludir achando que o livro é definitivo nesse sentido... :)




3 encontrados | exibindo 1 a 3