Life and Death

Life and Death Stephenie Meyer




Resenhas - Life and Death


17 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Camila 10/10/2015

Calma aí, fera.
Não vou perder tempo comentando sobre a sinopse do livro porque (razões óbvias) a sinopse está lá em cima. Então vamos ao que interessa.

O que eu achei desse livro? Cara, eu gostei. Gostei pra caramba. Foi um ótimo presente de dez anos de Twilight, uma história alternativa para nos descontrairmos com um "e se?".

Eu não sabia muito o que esperar desse livro. Já tinha tentado ler algumas fanfics com a mesma temática, mas nunca as terminei porque minhas expectativas nunca eram atingidas. Mas é claro que ninguém seria melhor encarregado para essa tarefa do que a própria Stephenie. E ela não me decepcionou.

É estranho, claro, ver os personagens tão bem conhecidos com outro gênero e outros nomes. Tive problemas ao associar alguns com os devidos gêneros, mas considero isso mais do que plausível, considerando tudo. Foi interessante ver como alguns aspectos mudaram, detalhes que tiveram pequenas alterações por se tratar de um garoto contando a história. Em alguns momentos chegou até a ser engraçado.

Porém, como falar de um livro o qual o mundo já conhece a história? Afinal, chega uma hora em que tudo é previsível. Você "já sabe" o final. A verdade é que Stephenie Meyer conseguiu transformar essa história em algo singular, dentro dos próprios limites. É sim um Twilight reimaginado. Literalmente, reimaginado. E o resultado final me agradou muito. Tudo ganhou um novo sentido e os pequenos detalhes de repente se encaixaram tão bem na história que eu não pude deixar de pensar em como a Stephenie é sensacional.

Aos Twi-hards digo: leiam! Sério, acho que nem preciso insistir muito. Mas leiam de cabeça aberta. É Twilight reimaginado, portanto (PASMEM) NÃO é a mais a história de Edward e Bella; é a história de Beau e Edythe. E é claro que não é a mesma coisa, são outros personagens, afinal. Deliciem-se com esse material bônus gigante, porque ele tem tudo para ser especial.

Aos demais: leiam, também. Na verdade, até pelos mesmos motivos acima. Você não precisa ter lido Twilight para gostar desse, embora eu não tenha ideia de como essa experiência seria.

Como twi-hard, posso dizer que foi maravilhoso tanto desbravar esse mundo novamente quanto ler algo mais que foi escrito pela Stephenie. Com toda a certeza, não há um mundo onde todo o amor que eu tenha por Twilight se compare a o que foi ler esse livro; no entanto, essa leitura foi uma experiência que eu vou levar comigo por muito tempo, e com um sorriso de encher o rosto.
Keila 16/10/2015minha estante
Nossa que resenha perfeita! Amei, to louca pra ler ;)


Alichel 02/01/2016minha estante
Eu achei maravilhoso também! A Stephenie nos presenteou com o melhor livro (na minha opinião) até hoje!




carlos 16/10/2015

A experiência única de reler seu livro favorito e se surpreender
Acho que todos fomos pegos de surpresa quando Stephenie Meyer anunciou que, para a celebração de dez anos de Crepúsculo, ela havia escrito uma versão alternativa da história na qual os gêneros dos personagens haviam sido trocados. Alguns até ficaram relutantes com a característica de fanfic desse enredo ou com a relevância do volume para a saga. Afinal, se é a mesma história, não há motivo para lê-la, certo?

Concordo que o enredo pareça ser o mesmo, mas o atrativo desse livro é que Stephenie fez muito mais do que brincar com o gênero de seus personagens – ela destruiu a imagem preconceituosa que muitos tem da série de que Bella é indefesa e obcecada por um vampiro porque é uma garota. Acreditem: Beau é tão indefeso quando Bella e, se possível, ainda mais obcecado por Edythe do que Bella por Edward. O mais interessante nesta troca de perspectiva foi ver o quão simples foi para que as ações e emoções da Bella se encaixassem em um garoto. Vemos que a história original de Meyer não é tão dependente dos sexos dos personagens quanto os céticos gostam de acreditar.

Sobre o livro em si, passado o estranhamento das 100 primeiras páginas em que precisei fazer um esforço consciente para me adaptar aos novos nomes e relacioná-los com as personalidades já conhecidas, a leitura fluiu de uma maneira gostosa (assim como com Crepúsculo) e me apaixonei pelo livro assim como da primeira vez. As cenas em Port Angeles foram as que mais me chamaram a atenção porque eu não sabia o que esperar delas, então as li pronto para ser surpreendido e não fui desapontado. Na verdade, fui pego de surpresa mais vezes do que esperava. O enredo é só essencialmente o mesmo… até as últimas 50 páginas.

Sim, o final tinha que ser diferente. O primeiro motivo para isso é que Life and Death é um stand-alone – não haverá continuações para ele, portanto ele precisava passar uma ideia de completude e finalização que não temos em Crepúsculo. O segundo motivo é que as circunstâncias biológicas que levaram Bella a seu destino não se aplicariam a Beau, então as coisas deveriam ser adaptadas (ou como a escritora quis chamar, "reimaginadas"). Mas se você acha que isso é o suficiente para saber o que esperar do livro, você está enganado, já que a conclusão não fica clara até as últimas páginas (e não digo as últimas dez, e sim as últimas duas!). Stephenie mais uma vez soube muito bem como trabalhar as expectativas do leitor e surpreendê-lo.

Para os fãs da saga, esse livro foi um grande presente. Que outra oportunidade temos de reler um livro que amamos sem saber o que esperar no final? Acho que, como leitores, um dos nossos maiores desejos é poder reler nossos livros favoritos pela primeira vez e sentir todas as emoções novamente, e Stephenie Meyer nos deu isso em Life and Death sem decepcionar. Beau e Edythe vão fazer tanta falta para mim como Bella e Edward fazem há anos.
izabella 16/10/2015minha estante
Você botou tanto amor nessa resenha que me deixou com saudades deles e me fez querer ler esse livro.


Joy Alvim 05/11/2015minha estante
Ah, bela resenha!


Bia 06/11/2015minha estante
Cara, estou simplesmente louca pra ler Vida e Morte depois da sua resenha, foi tão apaixonada que só com ela eu consegui sentir a mesma coisa que senti da primeira vez que li Crepúsculo =)




Izabela 15/01/2021

Quem acompanha o blog, o canal e meu instagram sabe que ano passado eu reli Crepúsculo (tem vlog de leitura) e me redescobri crepusculete (haha). Além disso, também li Midnight Sun quando o livro lançou (tem resenha no canal e vlog de leitura) e aí foi um caminho sem volta. Voltei a me sentir a menina de uns treze anos atrás (socorro) que era muito team Edward. Depois disso tudo, resolvi que ia ler o único dessa brincadeira toda que me faltava, O Vida e Morte (Life and Death) que, para quem não conhece, é a história que já conhecemos de Twilight, mas com os gêneros de todos os personagens (menos dos pais da Bella e ela justifica isso na introdução) trocados. Ou seja, agora temos uma vampira que se apaixona por um humano. Inicialmente, achei a ideia bem genial e estava muito animada para ler, ainda mais porque, quando comprei o livro, muitas pessoas vieram me falar que era maravilhoso e que conseguia ser melhor que o original. Ou seja, minhas expectativas estavam ridiculamente altas. De fato, é muito bom, mas não achei que superou toda a magia de ter lido o original. Por conta disso, e de alguns mini fatores, o livrou acabou com quatro estrelas e meia (porque agora sou uma pessoa que aceita dar notas assim quebradas, rs).

Quem está acostumado a ler minhas resenhas, sabe que agora seria a hora que eu contaria um resumo sobre a história de um jeito leve e já deixando um pouco claro o que achei dos personagens e da trama. Só que estamos falando aqui de uma das histórias de livro (e filme) mas conhecida dos últimos tempos. E é aí que está um dos motivos pela perda da meia estrela: É EXATAMENTE A MESMA COISA. É claro, não foi uma propaganda enganosa nem nada. Eu sabia que ia ler a mesma história, mas com a troca dos personagens... mas eu não esperava que era tão exatamente a mesma história. Ok, a autora já havia falado na introdução que seria assim e que ela adaptaria algumas coisas (e eu amei as adaptações) e mudaria também algumas coisas que a deixavam nervosa desde o lançamento do primeiro e oficial (que também achei super legal)... mas acho que lá no fundo eu esperava que fosse, ao menos, um pouco mais diferente. O que, de fato, foi totalmente diferente é o final e eu, pessoalmente, não gostei do final novo, rs. Na verdade, essa nova possibilidade de finalização da história me fez até valorizar mais toda enrolação, drama e loucura de Lua Nova e Eclipse. Porque vi que tudo que Bella e Edward passaram fez tudo fazer mais sentido no final. Ok, mas agora vamos voltar o foco para esse livro aqui.

A história se foca em Beaufort Swan o menino que se mudou para Forks para morar com o pai, para que sua mãe vivesse viajando com seu novo marido que era um jogador. Ao chegar lá, ele conhece a família misteriosa e muito bonita dos Cullen. Incluindo a bela (olha o trocadilho) Edythe Cullen. Ok, o resto é tudo igual e é isso mesmo. Claro, todos os personagens que eram mulher viraram homens e vice e versa. E isso ME CONFUNDIU DEMAIS. Chegou a ser divertido ver minha cabeça tostando os neurônios para lembrar que a Bella era na verdade o Beau e o Edward era na verdade a Edythe e minha cabeça ficou bagunçada por umas cem páginas. Além disso, como faz relativamente pouco tempo que li Midnight Sun, eu ainda bagunçava ainda mais o rolê todo. Porque minha cabeça li o trecho de Vida e Morte, lembrava de Crepúsculo e, como a cereja no topo do bolo, bagunçava os as informações extras que eu tenho por ter lido Sol da Meia-Noite. Em resumo, foi divertido a bagunça no final, mas no começo eu tive que ler com muito foco para não me perder nos gêneros novos todos que tínhamos ali.

Sobre o final, que comentei que não gostei, deixei um spoiler (para quem gosta disso) no final do vlog de leitura desse livro. Não se preocupe, o spoiler está depois que eu falo tchau, então não tem risco de ver sem querer. Ah! E para quem, assim como eu, é bem curioso... sim os trechos são idênticos aos de Crepúsculo (salvo as alterações que a autora avisou que faria). Eu cheguei a pegar a minha cópia em inglês e Twilight para comparar trechos com o Life and Death (chamo isso de tempo livre nas férias). Em resumo, vale a pena ler se você gosta muito da saga. É uma leitura legal e, até mesmo, leve e divertida por imaginar essa bagunça de universo novo. Mas, se eu pudesse dar uma dica, seria ler só se não leu nem Twilight nem Midnight Sun muito recentemente, pois acredito que isso vai bagunçar menos a cabeça (hehe).

site: http://www.brincandodeescritora.com/
comentários(0)comente



jamilelucato 12/03/2021

Amo de paixão
Já havia lido em português e já era meu favorito. Não tenho muito o que falar. O que me faz preferir esta versão a original é que a da Bella é uma franquia, que se estende até desnecessariamente. Já com Beau, tudo acontece em um livro só.

Talvez a parte dos lobos não seja tão completa, mas sabendo desserviço que a Meyer fez com os Quileutes com essa "mitologia" dela, acho que é melhor nem mencionar os lobos tanto assim.

Edythe perfeita e até melhor que o Edward ? e tenho dito!
comentários(0)comente



I. de Rohan @izabelderohan 17/05/2020

Para fãs
Esse livro foi pensado como uma resposta para aqueles que disseram que Bella não era feminista ou que sua personagem era obcecada por Edward Cullen por quê era uma mulher e que um homem, em sua situação, não se comportaria da mesma forma. Stephanie Meyer troca o gênero de quase todas as personagens do livro. Ela mantém alguns gêneros pelo sentido da obra, como a mãe de de Beau, a versão masculina de Bella Swan, ainda ter a custódia legal dele, pois da época era o comum.

A experiência de Meyer foi bem sucedida, é transmitido a obsessão de Beau por Edythe, Edward no gênero feminino, porém o livro termina de uma forma diferente de Crepúsculo, que foi agradável para mim. A partir daqui teremos alguns spoilers, mas nada que atrapalhe. O final de Life and Death é satisfatório e simples, de certa forma gostaria que o final da saga fosse tão simples. É um pouco simplório, não temos garantia que o amor dos dois realmente permanecerá por toda a eternidade, como temos na saga Crepúsculo. Edythe e Beau se conhecem faz apenas alguns meses e interagem de uma forma mais próxima por mais ou menos uma semana, logo você pode imaginar que ter o final que tivemos em Life and Death é um pouco estranho. Claro que a Bela já era extremamente obcecada e apaixonada profundamente por Edward no final do primeiro livro da saga, mas uma coisa é dizer que passaria a eternidade com alguém e outra coisa é três livros depois passar a eternidade com alguém.

Depois de ler LaD percebo o quão satisfatório foi ter o final feliz de contos de fada em Amanhecer. Depois de tantas provações eles finalmente ficaram juntos, enquanto Beau e Edythe tiveram um pouco fácil demais.

O livro é interessante, pois apresenta algumas diferenças do original que são esclarecedoras e alimentam o coração dos fãs, porém, é Beau pouco chato. Ainda não cheguei na conclusão de porque acho isso, já que Bella possui uma personalidade bem parecida.

Sintetizando, o livro vale a pena se faz tempo que você leu Crepúsculo.

Ah, anote os nomes originais e os de Life and Death para não se confundir!
comentários(0)comente



Monique.Vital 24/05/2020

O livro é sensacional, amo o fato de que mesmo sendo crepúsculo reimaginado, Beau e Edythe são personagens próprios ?
comentários(0)comente



Lucy Gimz 19/10/2019

Inesperado e interessante
O livro tem bem mais mudanças do que apenas a troca de gêneros. A escrita de Stephenie Meyer evoluiu muito ao longo destes 10 anos e em "vida e morte" é possível notar isso. Beau e Edythe tiveram alguns diálogos maravilhosos que não existiam em crepúsculo, estes diálogos e descrições novas fizeram com que o amor dos dois parecesse ainda mais intenso. Foi possível passar por todas as fases do romance junto com os personagens. Este livro trás um ar fresco para uma história que eu já amava (crepúsculo). No começo eu estava descrente deste livro, acha que seria difícil gostar, mas com o passar dos capítulos eu me apaixonei por Beau e Edythe de uma forma inesperada. É preciso ler o livro com a mente aberta e tentar (mesmo que seja difícil) não ficar a todo tempo comparando com a história original.
Conforme li o livro percebi a diferença entre a personalidade de Beau e Bella, é uma diferença sutil mas existente. E por fim, a cereja no bolo é o final inesperado e diferente do livro original, um plot twist muito bem pensado pra surpreender quem esperava apenas uma troca de gêneros. Este livro me fez rir e me fez chorar. Acho que achei este final mais triste, mesmo Bella tendo passado por muita coisa na saga crepúsculo sinto que o fim dela foi bem mais feliz, não me preocupo com Beau, sei que dentro deste universo alternativo ele também achou felicidade mas com certeza "vida e morte" trás mais melancolia que crepúsculo (nos últimos capítulos). Este livro me surpreendeu e eu recomendo para todos que gostam da saga. Foi uma experiência interessante revisitar Forks com outros olhos e ver o "e se..." se tornar real.
comentários(0)comente



carol 04/09/2020

Foi uma experiência ler esse livro com os gêneros invertidos viu kkkkk agora podem pagar o choro com o nhenhenhe da Bella não ser uma personagem feminina forte né
Enfim, o final foi bem (??????), mas em geral gostei.

obs: sou destinada a me apaixonar pelo Edward em qualquer versão que seja :(
comentários(0)comente



luanegluna 30/09/2020

Uma ótima fanfic oficial da saga!
Eu amo a inteligência mercadológica da Stephenie Meyer, de verdade. Ela é a única autora capaz de me fazer ler o mesmo enredo três vezes e se ela lançasse mais uma versão de Crepúsculo, certeza que eu leria também... mas vamos à resenha 😅😂

Vida e Morte é uma reescrita do primeiro livro e foi lançado em 2015 em comemoração aos 10 anos da publicação de Crepúsculo. Como a Stephenie não tinha Sol da Meia-Noite pronto ainda, resolveu revisitar Forks trocando os gêneros dos personagens, partindo de uma das grandes críticas à saga de que a Bella é apenas uma donzela em perigo - a questão é que muito além de ser uma mocinha em perigo a Bella é uma humana em perigo, e seria vulnerável em meio aqueles seres sobrenaturais independente do gênero, daí nasceram Beaufort e Edythe, versões "trocadas" de Isabella e Edward.

Nesse livro a autora mudou o gênero de quase todos os personagens salvo algumas exceções, como os pais do Beau que continuam sendo a Renée e o Charlie.

Eu demorei um bom tempo pra gostar desse livro, os nomes estranhos me atrapalharam da primeira vez e a conexão não é a mesma porque ainda que sejam personagens parecidos, não são exatamente o Edward e a Bella que eu tinha me afeiçoado.

O enredo no geral é o mesmo e eu gostei muito das modificações no texto que a autora fez em relação a Crepúsculo, mudanças de palavras e explicações que sempre senti que fizeram falta na leitura do primeiro, mas que eu relevava por ser um trabalho inicial da autora, e aqui ela teve a oportunidade de voltar e corrigir isso.

O grande destaque do livro é o desfecho. Acredito que muitos leitores de Crepúsculo já se perguntaram o que aconteceria se fosse um livro único e não uma saga. E se Edward não tivesse chegado a tempo no estúdio de balé? Em Vida e Morte temos a resposta.

Foi uma leitura divertida e muito mais surpreendente do que eu imaginava, já que tinha acabado de ler Crepúsculo e Sol da Meia-Noite, mas valeu a pena, é uma ótima fanfic oficial da saga

site: https://www.instagram.com/p/CFvXNStjrQ1/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Tali @letrasmaislivros 18/02/2016

Vida e Morte: Crepúsculo Reimaginado - Stephenie Meyer
Beau morava com a mãe Renée em Phoenix, mas após ela se casar com Phil, ele decide se mudar para Forks para viver com seu pai Charlie. Quando ele vai a escola, conhece a família Cullen, que parece estranhamente não se encaixar naquele local... Logo, ele acaba ficando imediatamente apaixonado por Edythe Cullen. A princípio, ela o assusta pelos seus olhares ameaçadores em sua direção, ele que nada havia feito para ela.

Beau espera vê-la todos os dias no refeitório, mas nem sempre ela ou a família estão presentes. Isso o intriga, será que ele foi a causa de Edythe ter faltado? No próximo encontro dos dois, em uma aula, ela se revela um pouco mais simpática, e pede desculpas pelo seu tratamento anterior com ele.

Em pouco tempo, os dois começam a se aproximar, e tudo muda quando ela o salva de um acidente de carro no estacionamento da escola. A partir daí, Beau começa a pensar que Edythe é mais do que apenas humana, que ela é algo a mais, uma espécie de heroína. Após descobrir a verdade, não há como voltar atrás, pois ele está irremediavelmente apaixonado por ela.

Todos os personagens trocaram de gênero, exceto por Marcus, Charlie, Renée e Phil. É claro que o início do livro é um pouco estranho, a cada personagem novo eu tentava associar com os de Crepúsculo, até que resolvi ler como se fossem outros personagens, novos, e foi então que a estória ficou fluida para mim.

Eu li Crepúsculo aos 13 anos, e foi como voltar no tempo ao ler um livro que faz parte de uma série que me marcou tanto em minha adolescência, o meu primeiro fandom literário. Eu amei esta releitura da estória, Vida e Morte não é um "copy and paste" de Crepúsculo, a autora fez várias alterações por conta de ser narrado por um personagem masculino, os diálogos parecem mais maduros e o livro traz um final diferente.

Eu me diverti muito com esta releitura, pois Beau é mais sarcástico do que a Bella, enquanto Edythe é mais engraçada do que o Edward... Resumindo, simplesmente amei esses dois! Recomendo a leitura para todos os fãs de Crepúsculo e aos fãs de estórias de amor.

site: http://letrasmaislivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Ana Carolina 17/07/2016

Mesmo não gostando mais de Crepusculo, gostei de saber que lançaram um novo livro.Nem cheguei a comprar, li na livraria me decepcionei esperava mais que os personagens trocando de sexo
comentários(0)comente



Dany 16/12/2016

Vida e Morte
A historia é pra quem é fã de Crepúsculo. É um especial de dez anos da saga. Esse livro conta toda a historia de Crepúsculo, só que nele, os personagens trocam de gênero. Bella passa a ser a vampira, mas com a personalidade de Edward. E Edward passa a ser o humano desengonçado que a Bella é em Crepúsculo. É fascinante. Mas vale ressaltar, é para quem é fã de Crepúsculo.
comentários(0)comente



Dani 17/02/2017

Definitivamente melhor que o original
Não tem enrolação - a história acaba de um modo satisfatório e nos poupa de todo o drama dos outros livros.
comentários(0)comente



Babi 17/02/2021

Uma surpresa daquelas que embasbaca
Nunca pensei que fosse me surpreender com um livro que eu basicamente já sabia de cor, mas a inversão dos gêneros transformou life and death em algo completamente diferente de crepúsculo. Especialmente por como o Beau conseguir ser tão mais carismático que a sem sal Bella. Um super presente para quem quer mergulhar novamente nos mares da saga de Stephanie Meyer, mas com um gostinho diferente.
comentários(0)comente



17 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR