Mar absoluto e outros poemas

Mar absoluto e outros poemas Cecília Meireles




Resenhas - Mar absoluto e outros poemas


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Valnikson 11/12/2016

1001 Livros Brasileiros Para Ler Antes de Morrer: Mar Absoluto e Outros Poemas
Cecília Meireles, além do notório trabalho poético, foi ensaísta, cronista, folclorista, tradutora e educadora. A dedicação às letras foi reconhecida por diversos prêmios importantes recebidos pela escritora ainda em vida, com a crítica especializada e o público cativo perpetuando seus escritos e a consagrando como um dos maiores nomes de nossa literatura. Sua produção aparentemente se voltava mais a uma universalização de sentidos, mesmo marcada pela forte verve testemunhal e memorialística, servindo-se de dilemas históricos e do seu contemporâneo. A coletânea 'Mar Absoluto' evidencia uma lírica carregada de musicalidade, melancolia e virtuosismo verbal, assinalando-se como uma das obras mais relevantes da autora carioca. (Leia mais no link)

site: https://1001livrosbrasileirosparalerantesdemorrer.wordpress.com/2016/11/25/79-mar-absoluto-e-outros-poemas/
comentários(0)comente



Mr. Jonas 09/02/2018

Mar Absoluto e outros poemas
A história de Cecília começa antes de seu nascimento. Inicia-se nos Açores, onde nasceram seus antepassados. E essa memória intrínseca à sua alma fora inspiradora para quase toda a sua obra. A beleza e o silêncio do mar foram enriquecidos com os mistérios e o lado obscuro da morte - revelando uma poesia mística, lírica e serena. Mar absoluto e outros poemas é um dos principais livros da poeta, que o escreveu entre as décadas de 1930 e 1940, e certamente um dos mais importantes momentos da poesia brasileira de hoje e de sempre.

O significado de "Mar absoluto" pode ser o de mar total, ou mar sem limites e mar infinito; mas é mais exato pensar que sua significação seja indeterminada. Darlene J. Sadlier, professora da Universidade de Indiana, propôs que esse título pode sugerir diferentes ideias, como a do passado heroico dos navegadores portugueses, avós e tios de Cecília; a grandeza, a profundidade e a liberdade, opostas ao cotidiano que a autora chama de "mesquinho formigar do mundo".
comentários(0)comente



Vini 02/05/2020

Absoluto mar profundo
Livro extremamente sensível: às coisas concretas da vida e aos sentimentos humanos! É um absoluto mar profundo.
comentários(0)comente



Everton Vidal 07/01/2021

Terceiro livro da fase madura da autora (depois de Viagem e Vaga Música). O sentimento de ausência é a chave da sua poesia e está figurado nas palavras que sempre se repetem nos livros: morte, mar, viagem, navegação, rosa, retratos, etc. E é como se estes primeiros livros (ainda não li os posteriores) estivessem entrelaçados ao redor da fugacidade - eterna - da existência, da natureza humana vista pela perspectiva do tempo que tudo destrói. Mas apesar dessa temática negativa, é uma poesia doce, melódica, que flui afetuosamente entre métrica e rimas, como se a poeta estivesse rindo delicadamente no meio de uma tempestade.

Como em Heráclito, "tudo flui e nada permanece", e este livro é a reação - de inconformidade e aceitação - da autora frente a esse mar absoluto, esse vazio gigantesco e desmedido de perenidade. Os cinco motivos da rosa são faróis onde a autora volta uma e outra vez para reexaminar o fluir da vida e de alguma maneira, talvez, o poema "4° motivo da rosa" seja uma síntese-superadora onde a rosa-vida lhe diz "Não te aflijas… por desfolhar-me é que não tenho fim".

Sobre Elegia (poema que ocupa o terço final do livro):

Poesia em homenagem da avó da autora, sua segunda mãe, Jacinta Garcia Benevides. Uma busca de alívio da dor através das relembranças, da superação do luto através do tempo, com a aceitação de que, apesar da inevitabilidade de que tudo passa, há o encontro do ser amado nas coisas cotidianas. Qualquer pessoa, cuja dor da perda de um ser amado ainda não foi cicatrizada poderá sentir algum auxílio e talvez consolação nesse poema doloroso e delicado.

“Queria deixar-te aqui as imagens do mundo que amaste:
o mar com seus peixes e suas barbas;
os pomares com cestos derramados de frutos;
os jardins de malva e trevo, com seus perfumes brancos e vermelhos.
E aquela estrela maior, que a noite levava na mão direita
E o sorriso de uma alegria que eu não tive,
mas te dava"
comentários(0)comente



Suzana.Alves 17/02/2021

A leitura quase se materializa graças à delicadeza com que as imagens são descritas.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Thay 05/11/2021

Não tem como reclamar de alguma obra de Cecília, tudo que ela escreve tem meu coração, e dessa vez não seria diferente.
comentários(0)comente



Ester 21/12/2021

Muito bom
Como eu amei esse livro, sério. Foi uma leitura cheia de emoções, prazer, paz... Amo demais os livros da Cecília, fico apaixonada em como ela escrevia bem.
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR