Noites Roubadas

Noites Roubadas Rebecca Maizel




Resenhas - Noites Roubadas


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Daisy @nuvemdeletras 04/10/2016

Resenha de "Noites Roubadas" (instagram: @nuvemdeletras)
Noites Roubadas é o segundo livro da trilogia "Dias Infinitos", escrita pela autora Rebecca Maizel e publicada pela Galera Record. Por ser uma continuação, essa resenha terá SPOILERS do PRIMEIRO LIVRO!!!!

Eu gosto MUITO da escrita da Rebecca! Ela constrói a história aos poucos e nos inserere nos mistérios e suspenses lentamente até ficarmos envolvidos com a história.

Obviamente isso pode soar muito bom, mas ao mesmo tempo pode não agradar alguns tipos de leitores pela falta de ação em alguns pontos. Porém tudo o que a autora insere mesmo que lentamente, se torna relevante na história à medida que avançamos com a leitura.

Na primeira parte do livro, Rebecca foca bastante nos relacionamentos de Lenah e em conflitos amorosos e pessoais. Isso acabou deixando a história num ritmo um pouco mais lento do que vemos no primeiro livro, e Odette, a bruxa super poderosa que está atrás de Lenah, fica mais de escanteio.

Porém na segunda parte do livro, a autora recheia a história com cenas repletas de ação, mortes chocantes e muitas revelações! E foram exatamente esses momentos que fizeram com que a minha avaliação final dessa leitura subisse um pouquinho mais.

Assim como no primeiro livro, a autora solta uma bomba nas páginas finais, nos deixando com muita vontade de ler a continuação! Para quem gosta de livros com ação, romance e um toque sobrenatural, essa trilogia é uma boa pedida! Não sou de ler livros na temática de sobrenatural, mas fiquei muito satisfeita com a forma como a autora inseriu vampiros em sua história. Sem dúvidas essa é uma série com muito potencial. Super recomendo!

site: http://facebook.com/nuvemdeletras
comentários(0)comente



La Oliphant 17/09/2016

O que dizer desse livro que me conquistou desde o primeiro momento? Rebecca Maizel trouxe de volta a minha paixão por enredos sobre naturais quando li Dias Infinitos, primeiro volume da série onde conhecemos a vampira Lenah Beaudonte, que perde o amor de sua vida, Rhode, ao executar um ritual para torna-la humana – que era o seu maior desejo. Depois de ter que se adaptar a vida humana novamente, o primeiro livro nos deixa com Lenah executando a mesma cerimônia para seu amigo Vicken, sem nenhuma consequência drástica para nenhum dos dois. E é exatamente deste ponto que começamos a leitura de Noites Roubadas.

No segundo volume da série, Lenah está de volta ao campus de Wickham logo após realizar o ritual em Vicken e logo de cara descobre que as coisas saíram do controle. O ritual acabou atraindo a vampira Odette para Lover’s Bay e ela está determinada a matar os amigos de Lenah caso ela não concorde em entregar o ritual. Se isso não fosse o suficiente, Lenah também precisa lidar com os Aeris, as entidades elementais da terra cuja punição para o uso do ritual é obrigar a jovem ex-vampira a escolher entre viver sem o amor da sua vida ou abrir mão da história que construiu ao longo de todos os séculos em que viveu.

Confesso que eu não gostei tanto de como a autora caminhou com a história nesse segundo volume da série. Apesar de Noites Roubadas ter um enredo tão interessante quanto Dias Infinitos, acho que a autora inseriu muito elementos dentro da história, deixando pouco espaço para o desenvolvimento dos personagens. Lenah, por exemplo, me deixou um pouco enjoada principalmente por causa da sua indecisão em relação a punição dos Aeris e a sua falta de foco com as coisas que estavam acontecendo. Digo, tinha uma vampira querendo matar todo mundo e a maior preocupação dela era os rapazes com quem estava envolvida.

A narrativa é feita em primeira pessoa, do ponto de vista da Lenah. Assim como no primeiro livro, temos alguns flashbacks da sua vida passada, ainda como vampira, que ajudam a construir um pouco melhor a personagem para o leitor. Mas acho que todo o desenvolvimento da história para por aí. Ficamos vários capítulos preso dentro de um drama amoroso desnecessário – pelo menos na minha opinião. Achei extremamente cansativo ver a personagem sofrendo por não saber o que quer, sendo que ela tinha coisas mais importantes para lidar no momento.

Particularmente, gosto de Rhode como personagem. Como disse na resenha do primeiro volume, sempre achei que ele tivesse potencial para ser uma ótima adesão na história e fiquei feliz que a autora o tenha incluído nesse volume. Apesar de eu não gostar dos conflitos amorosos, ele foi um acréscimo fundamental ao enredo, principalmente para fazer o leitor entender melhor como funciona o universo sobrenatural criado por Rebecca Maizel. Vicken também não fica para trás, mesmo que inconsequente, ele tem um charme particular que acabou me conquistando nesse segundo volume – já que no primeiro eu não fui muito com a cara dele.

Os únicos personagens que realmente me deixaram um pouco preocupada foram Lenah e Justin. Não consegui me identificar com os dois durante todo o enredo de Noites Roubadas, não achei que eles formavam um casal legal, muito menos que deveriam ser um casal desde que li Dias Infinitos. Acredito que eles tenham sim uma química, mas a história deles tem o impacto do fato de Rhode ser o verdadeiro amor de Lenah e existir toda essa ligação – mesmo que eles não possam realmente ficar juntos por conta da punição dos Aeris.

Noites Roubadas foi uma leitura importante para entender até onde vai esse universo sobrenatural do livro. Em partes, a autora não foge muito do que vemos em outros livros do gênero, e mesmo as pequenas mudanças, não nos incomodam tanto – não tem nenhum vampiro que brilha, então tá bom né? Mas, por outro lado, a autora pecou bastante no desenvolvimento da história, focando muito em pontos errados do livro, que poderiam ser trabalhados no terceiro volume, ou simplesmente deixados de forma. Para mim, ela perdeu a oportunidade de desenvolver melhor a parte mais importante do livro: o sobrenatural.

Em geral, não foi uma decepção. A leitura foi agradável, e a escrita da autora fez qualquer problema com o livro valer a pena. Mas, eu não sei onde ela vai levar o enredo a partir daí, principalmente agora que o “emocional” do livro começou a ser mais importante que o sobrenatural. Acredito que, se você é um leitor de romance sobrenatural, a série Dias Infinitos, vai ser um dos melhores livros que leu. Mas, se você é como eu, que explora o gênero ocasionalmente, talvez esse segundo volume te deixe desanimado, mas não desista, certo?

site: http://laoliphant.com.br/resenhas/resenha-noites-roubadas-rebecca-maizel
comentários(0)comente



Maiah 11/08/2016

Uma boa leitura!
Noites Roubadas é o 2° volume da série Dias Infinitos da Rebecca Maizel, e foi recentemente lançado pela Editora Galera Record.
Nesse 2° livro temos o andamento dos fatos que ocorreram no final do 1° livro Dias Infinitos.
Lenah incrivelmente sobreviveu ao ritual que fez para ajudar seu amigo Vicken, mas o fato de ela ter usado uma magia tão poderosa não irá passar sem consequências, já que isso acabou atraindo alguém a Lover's Bay... Alguém que quer o ritual e que para isso não se importará em matar todos que cruzarem o seu caminho.

"Sim, Lenah Beaudonte. Você e Rhode Lewin nasceram sob as mesmas estrelas. O curso de suas vidas os trouxe aqui... juntos, como almas gêmeas."


Mas não foi apenas essa presença que o ritual atraiu até Lovers Bay, ela trouxe também a presença dos Aeris, os quatro elementos mais poderosos da terra.
Lenah não irá passar impune pelo ritual que fez e se verá com uma difícil escolha a fazer. Além disso ela acaba fazendo uma descoberta que a deixa completamente devastada. E acaba sendo punida de uma maneira que a deixa de coração esmagado.
O que irá dificultar ainda mais na escolha que Lenah deve fazer. Seguir seu coração ou fazer o que é melhor para seus amigos?

O livro é todo narrado em 1° pessoa pela Lenah, então nós ficamos a par de tudo que se passa pela visão dela da história.
A narrativa da autora continua muito envolvente, nos fazendo ler essa história bem rapidamente.
Os personagens são os mesmos do 1° livro com a inclusão de mais alguns novos personagens. Assim como no 1° volume, alguns personagens continuam não me convencendo muito, como o Justin por exemplo, que na minha opinião é um personagem bem superficial, assim como algumas amigas da Lenah.

"O Tempo não passa para os mortos. Depois de morrer, não conseguimos acompanhar a evolução do tempo. Ele é o mestre dos vivos. Para os mortos, para os vampiros, é um vespeiro. Perigoso, algo a se evitar; sempre sussurrando em seus ouvidos"


A história continua bem interessante e esse livro está bem mais sangrento que o anterior, então se preparem para muitas mortes ao decorrer da leitura.
Lenah terá que enfrentar um forte grupo de vampiros, em sua condição de humana e para isso ela irá contar com a ajuda de seus amigos.
Ao decorrer da história, Lenah se questiona muito sobre a pessoa que ela era quando era uma vampira, e sobre as atrocidades que ela cometeu, o que a faz se questionar sempre da decisão que deve tomar.

Para quem curte histórias sobrenaturais com vampiros, magia e uma dose de romance, essa é sem dúvidas uma boa série para acompanhar.
A série tem uma história interessante, uma narrativa cativante e envolvente que irá te prender a essa leitura.
O 1° livro Dias Infinitos, em minha opinião foi melhor que esse 2° livro, mas mesmo assim Noites Roubadas também foi uma boa leitura.
O gancho que a autora deixou para o próximo livro da série foi muito bom! Eu gostei bastante do final de Noite Roubadas, e estou super curiosa e ansiosa para o que nós aguarda nesse 3° livro, que eu espero que seja lançado ainda esse ano.


site: http://www.livrosesonhos.com/2016/08/resenha-noites-roubadas-rebecca-maizel.html
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3