Os Paradigmas de Amy

Os Paradigmas de Amy Alexia Road




Resenhas - Os Paradigmas de Amy


35 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Thaynara Carolina 20/01/2021

Assuntos pertinentes muito bem retratados
Logo nas primeiras páginas eu já estava chorando. Talvez porque eu seja muito sensível, mas a forma como a autora demonstra a realidade de Amy de forma realista e sem floreios, acaba chocando o leitor logo de cara. O que eu acho uma super qualidade.

Além de toda técnica que a autora utilizou pra prender o leitor, o assunto abordado é o que precisa ser falado TODOS OS DIAS: violência doméstica, machismo, estupro, traição e abuso psicológico/moral.

Ganhei esse livro de presente em um amigo secreto da faculdade, de início subestimei o livro, mas depois de começar a ler, me deparei com 95 páginas que me fizeram repensar sobre minha própria vida. Incrível, não é?

A única coisa que me impossibilitou dar 5 estrelas foi pelo fato que a história pareceu um pouco apressada e um pouquinho fantasiada pelo lado do Matthew, mas no contexto geral, foi uma super leitura.

Me siga no Instagram @resenhasdathay

site: https://www.instagram.com/resenhasdathay/
comentários(0)comente



Perdidos Em Livros 16/10/2020

Os Paradigmas de Amy
Oi, minha gente. Como vocês estão?
Hoje vim aqui compartilhar com vocês mais uma experiência literária nacional. ?Os paradigmas de Amy? foi escrito por Alexia Road e publicado pela editora PandorgA em 2016.
A narrativa conta a vida de Amy Bennet, uma garota de dezoito anos que se vê tomando uma difícil decisão: casar-se com Mark, seu namorado há apenas dois meses, para salvar sua família de problemas financeiros. O que ela não esperava era que seu pesadelo estava apenas começando. Após o casamento, seu marido mostra não ser o homem respeitador e atencioso do início do relacionamento, Amy, então, começa a ter que aturar agressões físicas e verbais. Anos depois, sob a ameaça de ficar sem a única coisa que a mantinha na mesma casa que Mark, seu filho Thomas, ela sonha em se livrar daquela vida de tormento em que se enfiou.
Certo dia, Amy estava brincando com Thomas, quando ele cai de uma arvore e quebra uma de suas pernas. Ela, desesperada, corre com seu filho para o hospital da cidade, e lá conhece Matthew Harrison, um médico gentil que os trata com todo o cuidado que eles não recebem em casa.
O livro nos mostra Amy tentando lidar com a confusão que sua vida se tornou, e também procurando uma forma de fugir e viver sua vida em segurança ao lado de seu filho. Eu senti a agonia e a dor a cada agressão que a personagem sofre. Encantei-me pelo modo protetor de Amy em relação ao filho e também me apaixonei por Thomas, uma criança adorável. É um livro curtinho, dá pra de deliciar com essa história em apenas algumas horas.


A história de Amy não é muito diferente da vida de milhares de mulheres ao redor do mundo, por isso, não hesite. Violência é crime. Denuncie.

? Equipe Perdidos Em Livros, P.
comentários(0)comente



MrsNone 09/09/2019

Reflexão e paz.
Sentimento e pensamento que tive durante toda a leitura do livro. É uma leitura inicialmente forte, onde nós temos uma forte representação do machismo que infelizmente esta impregnado em nossa sociedade. O abuso, violência, o medo.. Ate quando ficaremos a mercê disso tudo? A resposta, decisão, o erguer a cabeça.. Quando isso será uma realidade entre as mulheres que sofrem?
Amy é uma mulher forte! Enfrentou com unhas e dentes aquele que tomava a sua liberdade. Amy quebrou paradigmas. Eu quero ser uma Amy, e voce?
comentários(0)comente



Sara | @solentrelivros 18/06/2019

Uma mulher dentre milhares...
Um livro curto, rápido, mas muito necessário! O que nós vamos acompanhar nessas poucas páginas é de extrema importância e a autora fez bem em escrever sobre isso para que mais pessoas se tornem conscientes de uma situação que acontece mais do que imaginamos. É realmente assustador notar esse aumento de relacionamentos abusivos, algo que mexe profundamente com o psicológico de quem se torna vítima desses casos. Relacionamento abusivo não é amor! Ligue 180 e denuncie, sejam agressões físicas, patrimoniais, sexuais, morais ou psicológicas.

Amy foi mais uma mulher que imaginou estar vivendo um sonho, tendo ao seu lado alguém que no começo parecia ser um príncipe, respeitador e atencioso. Ela imaginou que estar se casando era o melhor para ela e para a sua família, mesmo tendo que se acostumar com o homem difícil que era o seu marido. Seus insultos, ataques e infelicidade era o que ela precisava suportar. Aos 19 anos ela engravidou, e seu filho Thomas passou a ser seu motivo de maior felicidade. Tudo piora mais ainda quando o marido começa a ameaçar seu filho, e é nesse momento que ela precisa agir.

Acompanhar toda essa história e ver como é o machismo nos dias atuais nos faz refletir nas coisas que realmente importam. Nossa liberdade importa! - Ser agredida, humilhada ou ridicularizada nunca, jamais, pode ser a realidade de uma pessoa. A liberdade é um direito de todos os seres humanos. Não importa a sua aparência, sua classe social, idade... Tudo que precisamos é escolher isso, sentir isso e batalhar incansavelmente até que tenhamos. -
comentários(0)comente



Its_yaas 02/05/2019

Um livro que todo mundo precisa ler.
"A felicidade é para aqueles que a querem, os que têm força de vontade suficiente para conseguir. Os que seguem o coração e sabem a hora de quebrar os próprios paradigmas. Aqueles que fazem acontecer."
?
É assim que acaba a história de Amy... Ou começa.
No livro conhecemos a jovem Amy Bennett, obrigada pelas circunstâncias a casar-se muito cedo, sendo assim privada de aproveitar toda a sua juventude.
Até aí estava tudo bem, pois acreditava ter casado com o amor da sua vida e ter feito a coisa certa, mesmo induzida pelo pai, pois estavam necessitados financeiramente e Mark, o até então seu marido era o herdeiro mais rico e poderoso do lugar onde moravam.
Aos seus 18 anos Amy se viu dona de casa e aos 19 já havia se tornado mãe, do garoto mais gentil, amoroso e educado que poderia ser, o Thomas. O grande amor da sua vida, seu filho.
Mas em seu casamento as coisas nunca foram flores, seu marido começou a maltratá-la, inicialmente, como na maioria dos casos se tornou ciumento e controlador, depois vieram os xingamentos e logo foi partindo para a agressão, tanto física quanto psicológica, assim ameaçando a sua vida e a do seu filho.
?
Em uma cidade pequena onde o machismo reina, Amy se ver encurralada em um casamento abusivo e com opiniões contrárias às suas, como a de seu próprio pai que deseja mantê-la na mesma casa  que o homem que a maltrata.
Por quanto tempo será que Amy aguentará viver sob abusos e ameaças? Ela irá denunciá-lo? Deixará ameaçar a sua vida e a de seu filho?
Ela ficará ou fugirá?
?
Ao ler "Os Paradigmas de Amy" uma história escrita impecavelmente pela Alexia Road, narrado em primeira pessoa, você descobrirá através dos olhos da personagem a realidade da vida e o que se passa na mente de milhares mulheres que sofrem de abusos domésticos nas mãos de seus próprios companheiros.
Eu parabenizo a autora mil vezes pela sua visão, escrita e milhões de motivos que a deu coragem para escrever este livro.
Parabéns! você tem toda a minha admiração, o mundo precisa ler esse livro.
comentários(0)comente



Desireé (@UpLiterario) 15/04/2019

Dor e Liberdade. (@upliterario)
Amy se casou muito cedo e, aos dezoito anos, apesar de entender suas responsabilidades, sua vida parecia mais um sonho do que o pesadelo em que estava prestes a mergulhar. Mark era um namorado carinhoso, atencioso e rico, o que era o suficiente para salvar sua família das dívidas e evitar que perdessem suas terras. Mas nem sempre, os sonhos viram realidade.
.
Anos mais tarde, a única luz em sua vida é seu filho Thomas e ela fará de tudo para protegê-lo da ira e da violência do pai, mesmo que para isso ela precise sobreviver às ameaças, assédios e aos punhos fortes e pesados de Mark.
.
"Nunca é fraco aquele que acredita em milagres, não falo dos grandes, mas sim daqueles que consideramos pequenos, os de cada dia."
.
Os Paradigmas de Amy é uma história sobre violência, agressões e pesadelos que parecem não ter saída. Mas sempre há uma saída. Sempre. é preciso ser forte e ter coragem para encontrá-la.
.
Apesar do tema forte e de leitura necessária, achei que a história se passou muito rapidamente, em um livro curto de menos de 100 páginas. Gostaria de ter visto mais detalhes e sentir mais de perto os acontecimentos, o sofrimento e a coragem da protagonista. Mas, mesmo assim, o livro não deixa de ser uma boa leitura.
.
"A felicidade é para aqueles que a querem, os que têm força de vontade suficiente para conseguir. Os que seguem o coração e sabem a hora de quebrar os próprios paradigmas. Aqueles que fazem acontecer."
.
Recomendo!

site: www.instagram.com/upliterario
comentários(0)comente



dayukie 14/02/2019

"[...]
Em meio a violência, descobertas, aprendizado, superação e liberdade, a autora teve uma delicadeza incrível abordando um tema tão pesado como a violência doméstica e o tratamento machista dos maridos a suas esposas. Depois de anos sofrendo todos os abusos do marido, foi ótimo ver o crescimento da personagem, principalmente quando ela descobriu a força que ela tinha.
Contado em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Amy, o livro é bem curto e com uma leitura bem fluídica, não encontrei nenhum erro ortográfico, a diagramação está impecável, a capa tem tudo a ver com a trama e é bem bonita.
E não se engane, não é porque o livro é "pequeno" que a autora deixou pontas soltas. Saber trabalhar com um tema forte, mostrar a força que a personagem adquiriu ao longo do percurso de sua vida e tudo o que teve que enfrentar, em poucas páginas foi algo que apreciei muito neste livro.
Minha primeira experiência com a autora foi bastante positiva, fiquei bastante tocada com todo drama que envolve a vida de Amy, a dedicação e superproteção com o filho e quando ela consegue se libertar e passa a ter uma vida feliz e tranquila, é emocionante.
Além de claro, os personagens principais e secundários, foram muito bem desenvolvidos e de certa forma, importante para a história.
Um livro que nos traz a realidade de muitas mulheres, mas que ainda não é abordado como deveria ser. Eu com certeza recomendo muito a leitura!"

Resenha completa no blog

site: https://goo.gl/MXMnzb
comentários(0)comente



Isabela | @readingwithbells 03/12/2018

Amy se casou com Mark, o herdeiro mais poderoso da cidade, pensando que teria uma vida perfeita e feliz.
Os anos foram passando e Amy percebeu que esse casamento não é o que ela imaginava.
Ela vive sofrendo nas mãos do marido e a única pessoa que lhe salva de tanto sofrimento é seu filho Thomas.
Apesar de todo o tormento, Amy é uma mulher guerreira que só precisa encontrar a força dentro de si.
Ela sabe que as coisas precisam mudar. Ela vai ter que tomar uma decisão para o seu próprio bem.
-
Uma mulher dentre milhares.
Uma mulher que não foi a primeira e nem será a última.
Uma mulher que faz parte de uma porcentagem assustadora.
comentários(0)comente



Thalita - @mundodaspaginas 19/09/2018

Forte e muito emcionante!
Essa resenha foi postada originalmente no perfil literário no Instagram @mundodaspaginas
.
📖 Amy nasceu e cresceu em uma pequena cidade onde seus moradores ainda se apegam a ideia de que a mulher deve ser submissa ao marido e obedecer a todas as suas ordens. Aos 18 anos se casou com um dos caras mais ricos da cidade e aos 19 já estava grávida dele. Durante todo o seu casamento, Amy precisa se submeter as agressões e caprichos do marido, servindo a todas as suas necessidades ela nunca teve sequer um vislumbre do que é o amor de verdade, mas Amy precisa aguentar essa situação por ela e pelo filho. Até que tudo se torna insuportável e ela decide que precisa se libertar.
.
📝 O livro é bem curtinho, apenas 94 páginas mas de superficial ele não tem nada. A autora nos faz mergulhar profundamente nos sentimentos da protagonista e sentir suas dores de forma avassaladora. O livro contém muita violência e muitas cenas de embrulhar o estômago, sobretudo quando você para e reflete sobre o quanto isso é comum, o quanto várias mulher ainda sofrem com relacionamentos abusivos e agressivos e o quanto a sociedade ainda fecha os olhos para essa situação.
.
📝 A escrita da Alexia é daquelas que te faz devorar o livro em pouquíssimo tempo e acompanhar toda a libertação de Amy, todo o caminho que ela percorreu para buscar ser respeitada, ser amada por outra pessoa e deixar de se submeter a um marido, e a um pai, machista e antiquado é sensacional. O quanto essa personagem é forte e te faz refletir sobre empoderamento feminino foi algo que me tocou profundamente durante toda a leitura. Além disso, todos os personagens foram muito bem construídos e ainda me pergunto como, em poucas páginas, a autora conseguiu criar uma história tão bem construída e tão forte. Recomendo demais essa leitura!
.
Essa resenha foi postada originalmente no perfil literário no Instagram @mundodaspaginas
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lia @leituraparaavida 07/08/2018

Resenha @leituraparaavida
Um livro maravilhoso e que deve ser lido! Com todo certeza esse foi um dos mais tocantes que já li, ele é curto e mesmo assim é muito completo e sua história nos envolve de uma maneira incrível!
Amy casou muito jovem para ajudar a família, porém Mark era um crápula, tive nojo dele em todas as partes do livro e seu final me deixou muito feliz.
A forma como tudo foi relatado é maravilhosa, ver o sofrimento e como ela conseguiu superar e ser feliz é uma coisa linda, acho de muito importância à leitura desse livro para termos conhecimento do que muitas mulheres passam, é chocante e real.
E acredito eu que a leitura do mesmo possa ajudar muitas mulheres a tomar uma posição diante de um relacionamento lixo e abusivo, aliás, extremamente abusivo.
Eu amei à leitura, fluiu super bem e é muito envolvente, e seu final é perfeito.
comentários(0)comente



Larissa Destro 16/07/2018

Muito bom!!!
Amy é uma jovem que se casou aos 18 anos com Mark, um cara que namorava há pouco tempo, mas que podia salvar sua família de uma situação financeira bem ruim. Logo teve um filho, que agora tem 5 anos e é seu porto seguro, a força que Amy precisa para se rebelar contra o marido autoritário e abusivo vem desse menininho maravilhoso.
?
Gente! Esse livro trata de assuntos tão importantes, tem muito mais do que abuso. Achei que Amy ia ser aquela mulher que sofre calada, mas desde o início vi que ela sempre foi muito corajosa, e que tudo que ela fazia era principalmente pelo filho. O único problema é que tudo acontece muuuuuuito rápido hahah, até porque o livro só tem 98 páginas. Mas tenho certeza que essa história ainda teria muito pra dizer, e que poderia dar um ótimo filme! ?
comentários(0)comente



Ilnei 15/07/2018

Os Paradigmas de Amy
Amy Bennet é uma mulher sofredora que mora em uma cidade onde os homens são considerados de "classes" superiores a das mulheres, sendo assim, eles fazem o que querem com elas!
Com 18 anos ela se casou com Mark, um dos herdeiros mais ricos da cidade. Foi aí então, que ela percebeu que nem tudo são flores na vida. Ela descobre o pior lado do amor!
A sua maior dor é ser obrigada a mostrar para todos na cidade que ela e Mark são um casal perfeito, quando na verdade, se tirarem sua máscara, vão se deparar com dor, angústia e muito sofrimento.
Não acontece nenhuma denuncia por parte de Amy porque ela não sabe para onde fugir. Na verdade, ela nem sabe mais o que sente em sua vida!
.
.
Um livro forte e incrível esse aí?
A autora trouxe a realidade de nossas vidas para dentro de um livro com uma história linda de superação e com uma escrita fluida e marcante. Com personagens fortes e com um cenário de dor e amor!
Alexia nos faz pensar nessas 95 páginas a respeito de como vivemos em um mundo negro, em um mundo machista. E mostra que tem sim um jeito para acabar com as dores de um amor falso!
.
?Amy foi mais uma mulher agredida pelo marido dentro da propria casa! Uma mulher dentre milhares. Uma mulher que não foi a primeira e nem a última. Uma mulher que faz parte de uma porcentagem assustadora?
comentários(0)comente



Laila @entrelivros 13/07/2018

Não sei o que dizer. Sinceramente.
São poucos osnlibros que li que envolviam violência doméstica, pois é um tema pouco explorado na nossa literatura.

Mas ler um livro que se passa em dias atuais, com tamanha realidade é de deixar qualquer um sem palavras.
A autora aborda não só a violência física em si, mas a sexual e a psicológica também.

Aos 24 anos e mãe de um menino encantador, Amy tenta tomar o controle de sua vida. Seu casamento arranjado e muito cedo com Mark fez sua vida um inferno e ela não sabe como arrumar isso. Diferente das situações de violência que conhecemos, Mark não a mantém refém dentro de casa, mesmo assim ela não tem a quem recorrer. A mãe vive em situação parecida e seu pai acredita que por ela ser CASADA tem que obedecer a tudo o que o marido manda e jamais reclamar. ~alerta de macho escroto ~

Mesmo quando não estamos disposto a vida nos prega uma peça e nos da uma lição. É com Amy não foi diferente. Em meio a tanta dor, sofrimento e decepções ela conhece o verdadeiro significado da palavra amor. E é tão bonito ver quando uma pessoa consegue se libertar de um relacionamento abusivo...

Para mim, o ponto alto da história foi a relação mãe e filho. O carinho e dedicação que Thomas tem pela mãe e vice e versa é lindo demais. Desde pequeno ele já entendia as coisas e a apoiava em tudo. Uma criança excepcional!

Infelizmente pelo livro ser curtinho não dá pra falar muito sem spoiler, Então vou só recomendar a leitura mesmo. É rápida, fácil e gostosa de ler.
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3