Mil Platôs

Mil Platôs Gilles Deleuze
Félix Guattari




Resenhas - Mil Platôs


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Gabriel 23/04/2013

Tendencioso
É chatíssimo, mas interessante no começo.
A questão é que o livro é um reflexo dos valores e posturas do individuo diante da sociedade, todo o discurso mascarado por uma questão intelectualizada no fundo revela uma condição de luta contra as hierarquias e qualquer tipo de ordem ou estrutura formal. O conceito de rizoma, que tenta diluir toda forma de árvore e portanto, hierarquias e sequencias, acaba tentando dissolver as implicações disso, e bem a cara do liberalismo super capitalista, tudo deve e tudo se pode, desde que encaixável... isso é a ausencia de regras e valores. Se você se identifica com isso, é um livro maravilhoso, vai te induzir a praticar mais. Entretanto, se você acredita que algumas coisas devem ter ordem e hierarquia, e que o rizoma não é uma divindade a ser adorada, então ele fica a desejar.
comentários(0)comente



Pseudokane3 09/09/2010

Masturbação demais... Com tudo o que isto implica!
Não sou contra a masturbação, contra a esquizofrenia voluntária ou contra a mixórdia referencial... Sou fã do filósofo Gilles Deleuze, ouso acrescentar, mas este livro incomoda negativamente mais do que diverte ou acrescenta ao nosso intelecto. Gostei do primeiro capítulo, onde se podem captar algumas definições essenciais da proposta temática do livro completo, mas... À medida que o livro avança, tudo soa tão forçado, artificial... O capítulo sobre as pegadas de lobos parece autocrítico a princípio, mas logo se revela enfadonho; e o terceiro capítulo é quase desagradável em suas pretensas desterritorizalizações de discursos lingüísticos conhecidos e/ou desgastados. Conclusão geral: é um livro que diverte, que nos faz gozar, mas extenua muito rápido para sua curta extensão!

WPC>
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3