Belinda & Em

Belinda & Em Cammie McGovern




Resenhas - Belinda & Em


16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Dryh 11/09/2017

Diferente!
Emily é a copresidente da Coalizão para Ação Jovem de sua escola, e, junto a seu melhor amigo, Richard, está sempre fazendo campanhas para conscientização de várias coisas, principalmente para defender os direitos das minorias. Porém, quando vê uma garota deficiente sendo atacada debaixo das arquibancadas durante um jogo de futebol americano, ela congela e não consegue ajuda-la. Mas Emily vê que Lucas Kessler, um dos jogadores, também estava perto, e imagina que ele irá buscar por ajuda. Ele também não faz nada.

Como “castigo” por terem presenciado um ato de violência e não terem feito nada, Emily e Lucas são obrigados a prestar trabalho voluntário num centro que oferece aulas de diversas coisas para pessoas com deficiência. Todas as semanas eles ajudam numa aula chamada Limites e Relacionamentos, que trabalha a questão da convivência e relacionamento entre adultos que possuem alguma deficiência, e aos poucos, eles vão percebendo que, se quiserem se redimir pelo o que NÃO fizeram por Belinda, precisarão fazer muito mais.

Uma das coisas mais legais a respeito deste livro é que ele não só é narrado pela Emily, como também pela Belinda, o que nos dá uma visão muito clara de sua inocência e da maneira como vê o mundo. Ela já tem 22 anos, mas ainda está em seu último ano do ensino médio, e é completamente apaixonada por Orgulho e Preconceito (mas só a versão com Colin Firth), e sonha com o dia em que algum garoto a chamará para valsar como acontece no filme. Belinda vive com a mãe e a avó, que sempre tentam protege-la, adora atuar e separar as correspondências de seus professores (seu “emprego”), mas desde o acontecido, ela só consegue assistir seu filme favorito.

Eu não sabia bem o que esperar deste livro, e, à medida em que fui lendo, fui me surpreendendo cada vez mais. Achei interessante a maneira como Emily se culpa por não ter ajudado, mas, ao mesmo tempo, prefere manter a aparência de boa moça e coloca toda a culpa em Lucas. Ele também é um personagem interessante; é o típico esportista popular que precisa de uma bolsa para entrar na universidade, tem uma namorada bonita e faz parte da turma dos populares...só que ele não gosta muito deles. De início eles mal se falam, afinal, ambos foram testemunhas de um crime, contudo, ao longo da história vão se tornando amigos, até que decidem fazer algo a mais por Belinda e pela turma do Limites e Relacionamentos... e por eles mesmos.

Passamos três anos lutando exatamente contra essa mentalidade em nosso apático corpo estudantil. Como eu poderia contar a eles que eu representava o pior daquilo? – página 85

Gostei bastante de Belinda & Em (apesar de não ter curtido muito o título traduzido), mesmo que às vezes, eu me esquecesse que Belinda possuía uma deficiência intelectual e que, por isso, agia da maneira como agia, e eu acabasse me irritando um pouco com ela e com as pessoas ao seu redor. E com Emily também, por se importar tanto com as aparências e acreditar tanto nos estereótipos que julgou Lucas erroneamente quando o conheceu. Só achei que o romance ofuscou um pouco o foco principal do livro, mas, tirando isso, foi quase perfeito!

Devia conhece-los de verdade, para que eles o conheçam também e vejam o que eu vejo: como ele é surpreendente, incrível e doce. – página 266

Belinda & Em foi um livro diferente de tudo o que eu já li e, apesar de girar em torno de um acontecimento triste que poderia ter sido evitado (não só pelos personagens principais, como também por outras pessoas), foi uma história que me agradou e que me deixou feliz no final. É incrível o quanto um livro pode ensinar seus leitores, não é mesmo? Agora que terminei esta história, sinto como se pudesse ver os deficientes de uma maneira diferente, mais humana, e ver a maneira como os amigos de Belinda (todos das classes “especiais”) eram tratados pelos professores e pelos demais alunos me deixou ainda mais tocada com a história. Gostei muito da escrita da autora, que é leve, rápida e muito envolvente. Só fiquei um pouco decepcionada porque achei que iria encontrar uma cena que me emocionasse pra valer, e isso não aconteceu em nenhum momento :/

site: http://shakedepalavras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Micha 23/08/2019

Muito bom
Belinda é especial (não foi dito, mas aparentemente tem um retardo mental), mora com a mãe e a avó, e é apaixonada pela minissérie Orgulho e Preconceito, com Colin Firth, que assiste todos os dias, além de amar atuar.

Emily preside o Coalizão para Ação Jovem da escola, junto com seu amigo Richard, além de Weiling, Barry e Candance. .
Lucas é jogador de futebol, popular e vive na mesa do refeitório rodeado de outros jogadores, cheerleaders e Debbie, sua namorada.
.
Belinda & Em narram a história, alternadamente. Ambas estudam na mesma escola e, no intervalo do jogo de futebol, Belinda é atacada, Em vê e fica em pânico e foge sem prestar ajuda. Lucas também vê o ataque ao sair do vestiário no intervalo do jogo, e nada fez também. "A pior coisa que você pode fazer é não fazer nada".

A direção da escola coloca Emily e Lucas para prestar serviço comunitário no Centro de aprendizado para a vida, para pessoas especiais , onde vão semanalmente como voluntários e, aos poucos, acabam se aproximando e se conhecendo de verdade e se envolvendo emocionalmente.

Gostei bastante das questões emocionais dos personagens, o modo como cada um foi amadurecendo e se redescobrindo ao longo da história e como tiveram suas vidas transformadas pelo programa e o modo que se dedicaram fazer algo bom para Belinda, com a montagem da peça. Vale mencionar o Anthony, que sempre foi apaixonado por Belinda, e também foi beneficiado com essa montagem.

Apesar do título em português só mencionar as duas (acredito para 'padronizar' a autora, já que o livro anterior dela publicado aqui foi o 'Amy & Matthew'), Lucas também tem seu destaque, já que está diretamente envolvido em todo o 'caso' e apesar de não ter o ponto de vista dele narrando a história. Gostei muito do livro.

site: https://www.instagram.com/estantedamicha/
comentários(0)comente



Anne - @literatura.estrangeira 02/01/2018

Belinda & Em é narrado em primeira pessoa pelas duas personagens principais que deram nome ao livro.

Belinda é uma jovem que por falta de oxigênio na hora do parto nasceu com um problema mental que a faz ter dificuldade de aprendizagem e de interagir com as pessoas. Criada pela avó e pela mãe solteira, ela acaba sendo super protegida e isso agrava ainda mais seu quadro. E para piorar as coisas, Belinda é agredida sexualmente na escola e as coisas mudam.

Já Emily entra nessa história como uma adolescente revolucionária, mas que desvia os olhos e amarela diante da agressão contra Belinda. Porém não foi só ela quem virou as costas diante disso - Lucas, um jogador do time de futebol, também não agiu. Lucas e Em acabam então tendo que prestar serviço comunitário no centro comunitário de ajuda às pessoas com deficiências mentais.

Cheia de remorso e se sentindo culpada, Em tenta se redimir quando inclui Belinda em uma peça de teatro, uma das suas grandes paixões e isso aproxima as duas. Em paralelo, Em vai se afeiçoando às pessoas no centro comunitário e também pelo Lucas, que parece saber lidar com essas pessoas de uma forma muito sensível e positiva.

"Passamos três anos lutando exatamente contra essa mentalidade em nosso apático corpo estudantil. Como eu poderia contar a eles que eu representava o pior daquilo?"

Adorei a história do livro porque o tema foi tratado sem que a autora pisasse em ovos o tempo todo, o que as vezes acontece em livros que possuem um tema mais sensível e complicado. E nem sempre precisa ser assim, como esse livro provou.

Belinda é uma personagem muito real e forte, que luta para ter o seu lugar na sociedade apesar das suas limitações, do preconceito e das dificuldades que as pessoas e também as instituições têm de lidar com pessoas com algum tipo de deficiência, seja ela física ou mental. Belinda & Em foi um choque de realidade onde podemos ver o outro lado da moeda.

Conhecer Emily também foi muito especial porque ela é uma personagem que possui muitos defeitos e os pensamentos dela são retratados de forma verdadeira, que nem sempre são corretos, mas que tudo bem, porque o ser humano é falho e a gente como leitor não acredita mais em personagens perfeitos.

Belinda & Em nos traz personagens falhos e reais, mas fortes, que estão em busca de crescimento, superando suas limitações e mostrando que não é problema ser diferente. O mundo precisa de mais empatia e aceitação, de mais ajuda ao próximo e aqui temos uma história que nos mostra isso e muito mais de forma simples e impactante.

"O amor não é uma questão de parecer perfeito aos olhos da outra pessoa. É uma questão de poder mostrar suas imperfeições."

site: http://www.literaturaestrangeira.com.br/2017/12/resenha-belinda-em-por-cammie-mcgovern.html
comentários(0)comente



Diane Ramos 14/11/2017

Belinda & Em (Cammie McGovern)
Desde que soube do lançamento de Belinda & Em fiquei bastante entusiasmada para realizar a leitura, pois, já tinha lido excelentes comentários sobre a capacidade que Cammie McGovern tem de emocionar e tocar o coração de seus leitores. McGovern também é autora de Amy & Matthew, livro que fez bastante sucesso aqui no Brasil.
O livro traz a história de Emily, uma jovem que sempre foi o tipo de garota que se orgulha da capacidade de enxergar além das aparências. Copresidente da Coalizão para Ação Jovem da escola, é a primeira a defender os direitos das minorias, ciente da importância de ser politicamente ativa. Acostumada ao duro, e nem sempre reconhecido, trabalho nos bastidores - fazer cópias, distribuir petições -, está contente com suas realizações, como convencer funcionários do refeitório a usar materiais recicláveis.
Mas, secretamente, Emily ainda é um pouquinho fascinada pelos populares da escola. E nutre um leve rancor quanto a sua inexistente vida amorosa. É justamente enquanto pensando na última, distraída em meio a um importante jogo de futebol da escola, que algo impensável acontece: ela testemunha uma aluna com necessidades especiais, Belinda, ser atacada embaixo das arquibancadas... E não faz nada!
Quando a direção da escola descobre o que aconteceu, Emily e Lucas, um dos jogadores e, aparentemente, outra passiva testemunha do ataque, são obrigados a prestar serviço comunitário em um centro de pessoas como Belinda. A ideia é que, se forem capazes de se relacionar com eles, passarão a se identificar com seus problemas, a defendê-los.
Logo os jovens começam a sentir que podem fazer uma diferença real. Como se fossem capazes de mudar o que aconteceu naquela noite. Mas será que eles podem realmente mudar as coisas para Belinda?

Belinda & Em é narrado em primeira pessoa intercalando os pontos de vista entre Belinda e Emily, fazendo com que o leitor sinta na pele todos os acontecimentos traumáticos de Belinda e o arrependimento, frustração e covardia de Emily. Cammie McGovern é dona de uma escrita maravilhosa, onde ela nos ensina muito sobre preconceito e aparências numa narrativa totalmente doce, leve e envolvente. Belinda & Em me surpreendeu e me emocionou de inúmeras formas, mas, principalmente, quando a autora mostrava a forma com que os alunos “normais” e até mesmo os professores tratavam os alunos especiais. Belinda e seus colegas viviam quase que excluídos do restante da escola e sendo menosprezados de tal maneira que Belinda nem podia participar das peças de teatros, sendo que tinha talento para isso... Todas essas exclusões me tocou muito e fiquei pensando em quantas pessoas podem estar passando por isso nesse exato momento.
Os três personagens principais, Belinda, Emily e Lucas, foram muito bem construídos. Achei interessante que os três vão se entrelaçando aos poucos, ganhando confiança um do outro, só para depois abrirem seus sentimentos, e é muito gostoso acompanhar essa evolução. Lucas e Em estão realmente arrependidos e dispostos a mudar a visão de Belinda tem sobre eles. Belinda, por sua vez, vai contando aos poucos como ela se sente em relação a todo o ocorrido. Chega a ser maravilhoso e inspirador ver os personagens se relacionando, se importando, entendendo a si próprio, lidando com os problemas. E, Belinda, mesmo com todos os seus medos e ataques de pânico, é um grande exemplo de força, de garra e é, sem duvida, uma das personagens mais corajosas que já conheci.
Ao meu ver, a principal mensagem contida na obra é sobre empatia. Infelizmente, a sociedade tem um mau habito de julgar as pessoas sem nem ao menos conhecê-las ou até de sentir pena antes de se colocar no lugar do outro, o que não ajuda em nada. Outro fato que a autora frisa muito bem é a forma que pessoas deficientes são tratadas na sociedade, chega a ser extremamente triste e tocante o jeito que essas pessoas são deixadas de lado.
Enfim, Belinda & Em é um livro lindo, inspirador, tocante e que ainda nos faz refletir bastante. Seja através da força e doçura de Belinda, ou do arrependimento de Em, a certeza que tenho é que Belinda & Em foi um dos melhores livros que li em 2017!

site: http://coisasdediane.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Raquelzinha.Vales 16/08/2018

Amei
Simplesmente lindo. Dei ataques de fofuras várias vezes. Um doa melhores que ja li na vida. Se eu pudesse fazer os personagens ganharem vida, com certeza seria Belinda e os as amiguinhos.
comentários(0)comente



LOHS 21/01/2018

Cammie McGovern não é uma autora que eu conhecesse antes de receber Belinda & Em da Galera Record. Mas achei incrível o fato dessa mulher, com três filhos - sendo um deles autista -, utilizar os romances como forma de propagar algumas das histórias incríveis sobre pessoas com diferentes deficiências que conheceu ao longo dos anos.

A história de Belinda & Em foi inspirada na Whole Children/Milestones, uma instituição fundada pela própria Cammie há 14 anos que continua ajudando pessoas com deficiências em Massachusetts, no Estados Unidos.

O livro tem a narração dividida entre Emily e Belinda. Duas jovens diferentes, mas que se conhecem de certa forma desde a infância por causa da escola.

Emily é uma adolescente comum que sempre teve orgulho de ser a co-presidente da Coalizão para Ação Jovem do colégio onde estuda. O grupo é o primeiro a defender as minorias e a realizar movimentos que incentivam práticas saudáveis entre os alunos. Em sabe o quão importante é uma pessoa ser politicamente ativa e tem orgulho dos feitos que conseguiu alcançar, como, por exemplo, convencer os funcionários da cantina a usar materiais recicláveis.
Secretamente, Emily tem uma grande mágoa por sua vida amorosa inexistente e também certa fascinação pelos “populares”.

Só que a vida de Em tem uma virada durante um jogo de futebol americano da escola, quando ela vê Belinda, uma garota com necessidades especiais, sendo atacada embaixo da arquibancada e não faz nada!

Além de Em, Lucas, um dos jogadores do time, também vê a cena e deixa a garota largada a própria sorte.
Por causa disso, tanto Emily quanto Lucas são obrigados a trabalhar como voluntários em um centro especializado em pessoas com deficiências. E essa experiência irá mudar os dois, fazendo-os desejar realizar uma diferença real na vida de algumas pessoas.

"Segunda-feira, na escola, vejo Lucas andando pelo corredor de muletas e com uma enorme bota de velcro por cima da calça de ginástica. Queria que tivéssemos tido mais que apenas umas poucas conversas - a maior parte delas ruins -, para eu poder dizer a ele como sinto muito. Queria que ele me conhecesse bem o bastante para saber que realmente sinto."
Emily, p. 100

Belinda, por outro lado, ficou muito abalada após o ataque. Ela deixa de ir às aulas por semanas e sua avó não se sente segura de deixá-la voltar a estudar. Mas Belinda é uma garota forte. Mesmo com suas deficiências, ela conhece seus pontos fortes e decide não perder tempo em casa e aproveitar o período que ainda tem porque ela sabe o quão difícil é para uma pessoa como ela conseguir um emprego depois de formada.

"Na nona série tentei entrar em uma, mas o Sr. Bergman, o diretor, disse que não era possível, pois não havia ninguém para me acompanhar após as aulas nos ensaios. Vovó foi até a escola e disse que eu não precisava de acompanhante. Ela falou que eu me saía muito bem no teatro e que já tinha atuado em quatro peças. O diretor pediu desculpas, mas disse que mesmo assim não seria possível.
Não foi possível novamente no ano seguinte, nem no outro depois, nem em nenhum ano em que estudei naquela escola. Este ano, quando fui fazer o teste, ele me perguntou por que eu continuava tentando, e eu respondi: "Porque sou boa atriz. Já fiz doze peças.""
Belinda, p. 74

A narrativa fará com que Emily e Lucas busquem uma forma de se desculpar com Belinda e mudar as coisas para ela. Ao mesmo tempo, Belinda deverá lidar com o trauma do ataque que sofreu e aceitar as mudanças da vida para seguir em frente após se formar no colégio.

Belinda & Em é uma história bonita. A autora nos apresenta uma personagem autista que de fato se parece com as pessoas que já teve que lidar com muita rejeição na vida, mas que nem por isso deixa de tentar. Belinda está no último ano do colégio e não parece que será tão fácil assim para ela conseguir um emprego depois que se formar. Além disso, ela também é obrigada a enfrentar grandes mudanças em sua rotina - algo que não é muito fácil para alguém com sua condição - e lidar com o ataque que sofreu na escola.

Emily é uma boa garota comum. Ela sempre pensou que quando visse algo errado, conseguiria agir, mas quando algo realmente aconteceu, ela não conseguiu fazer nada. Sua punição de prestar serviço voluntário em um centro para pessoas com deficiências é o que a faz enxergar o mundo e as pessoas com outros olhos, desejando enfim fazer algo que impacte na vida de outros. Especialmente, algo que ajude Belinda depois de tudo o que aconteceu.

Lucas é outro personagem que poderia ter ganho um espaço a mais na narração. Assim como Em, ele se sente muito culpado por não ter feito nada para ajudar Belinda e será uma das pessoas com melhor desenvolvimento da história. Ele será essencial para o próprio desenvolvimento de Belinda e Emily. É uma das peças que completam o quadro.

Enfim, Belinda & Em é um livro fofo e sensível, que lida com questões delicadas de uma forma sutil, mas completamente real. Recomendo muito esse romance para quem gosta de uma história diferente do usual.


site: http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/2018/01/belinda-em.html
comentários(0)comente



Fernanda 11/04/2018

Belinda & Em
Resenha no blog:

http://www.segredosemlivros.com/2017/12/resenha-belinda-em-cammie-mcgovern.html

site: http://www.segredosemlivros.com/2017/12/resenha-belinda-em-cammie-mcgovern.html
comentários(0)comente



Mari - Pequenos Retalhos 07/09/2017

Belinda & Em
Devo dizer que me emocionei em vários pontos da história, principalmente quando tocavam na maneira como os alunos com necessidades especiais eram tratados pelos demais alunos e até mesmo pelos professores. A turma de Belinda vivia quase que excluída do restante da escola. A maneira como Belinda não podia fazer parte do grupo de teatro porque o responsável não queria ter que lidar com ela. Como esse é um assunto muito presente na minha vida, esse livro me tocou bastante.

Recomendo bastante a leitura, pois acredito que vá abrir os horizontes de seus leitores.

site: http://www.pequenosretalhos.com/acabei-de-ler-belinda-em-cammie-mcgovern
comentários(0)comente



Ana 14/12/2017

Não cheguei a ler Amy & Matthew, mas lembro muito bem que ele fez bastante sucesso na blogosfera na época em que foi lançado. O que me chamou atenção para Belinda & Em não foi o título, mas sim o que vinha embaixo: "a pior coisa que você pode fazer é não fazer nada". Assim, eu logo quis descobrir o que aconteceu entre essas duas protagonistas, e posso dizer que, apesar de algumas coisinhas que vou explanar um pouco mais, a história de McGovern me surpreendeu.

Emily é uma adolescente de 17 anos que está no último ano do ensino médio, e se orgulha da vida que leva: é super inteligente e, além disso, é copresidente de um grupo de apoio às minorias. Belinda já tem 21 anos, mas também está no último ano do ensino médio, isso porque tem uma deficiência intelectual que não é muito bem especificada na história. O que conecta essas duas meninas, infelizmente, não é um acontecimento muito bom: Belinda sofre uma tentativa de estupro. Emily e um colega, Lucas, veem tudo e não fazem nada.

Apesar de a justificativa para Em não ter feito nada ser o medo, ela se sente extremamente culpada. Assim, quando oferecem para os dois serem voluntários em um grupo de apoio para pessoas com necessidades especiais, Emily enxerga uma oportunidade de se redimir. Todas as quartas-feiras Lucas e Em se reuniam para a aula de Limites e Relacionamentos, que tinha como foco principal trabalhar questões de convivência com essas pessoas. Porém, os dois percebem que se quiserem mudar as coisas, precisarão atuar muito mais.

Primeiramente, queria começar dizendo que o principal sentimento que tive em relação à Emily durante boa parte do livro foi meio que impasse. Quer dizer, eu me coloquei no lugar dela. Apesar de achar que teria agido diferente, também pensei que poderia sentir medo, que poderia ficar paralisada. Mas aí, chegou um ponto que eu fiquei bem indignada. Mesmo se sentindo culpada pelo acontecimento, Em insistia em manter aquela aparência de boa moça! Não sei exatamente se é um spoiler, se for me perdoem, mas a personagem teve até a coragem de jogar toda a culpa em Lucas e isso me deixou bolada demais.

Os capítulos são narrados pelas duas protagonistas, mas possui um formato diferente. É como se cada capítulo possuísse subcapítulos em que Belinda e Em narravam os acontecimentos. A escrita de Cammie McGovern é bastante fluida, mas às vezes eu sentia que muitos trechos da história poderiam ser simplesmente cortados e nada ali perderia o seu sentido. Por exemplo, muitos dramas adolescentes poderiam ser deixados de lado, assim como muitas partes em que Belinda narrava o seu dia-a-dia.

Provavelmente o que mais achei interessante na história foi a atuação de Emily e Lucas nas aulas de Limites e Relacionamentos. Eles eram muito pacientes com os alunos e pareciam realmente gostar do que estavam fazendo. Além disso, uma coisa que reparei, foi que nenhuma doença foi realmente especificada, o que me faz pensar que a autora não queria que rotulássemos os personagens por causa desses transtornos ou deficiências. Como se ela quisesse que enxergássemos cada um com suas diferenças, assim como todo mundo que existe no mundo é diferente.

Eu realmente gostei bastante de Belinda & Em e da mensagem que ele transmite. O tema escolhido por Cammie McGovern é de extrema importância e merece ser discutido na sociedade, por isso encaixo esse livro naquelas obras que todos as crianças e adolescentes deveriam ter acesso. Foi uma leitura bastante intensa, mas também muito especial.

site: http://www.roendolivros.com.br
Laura Isabella 05/08/2018minha estante
undefined




Caverna 02/04/2018

Emily é uma garota solidária que gosta bastante de conversar, mas quando se trata de amizades, ela reconhece ter tido sorte em conhecer Richard e desde então entrado no seu círculo de amizades. Antes disso, ela era bem solitária, por mais que sempre se esforçasse para participar dos grupos. Agora, junto de seu melhor amigo, eles organizavam campanhas de conscientização e também de ajuda ao próximo, mas quando Belinda precisou agir e colocar em prática tudo o que defendia, ela travou.

Lucas é um dos grandes astros do time da escola, possui uma namorada linda e se senta na mesa dos populares. Ele aparenta ser o estereótipo perfeito de jogador que pouco se preocupa com os estudos e só liga pra fama, mas a verdade passa longe disso. Ainda assim, quando ele teve a oportunidade de mostrar como era diferente de todos seus colegas babacas, ele se acovardou.

Belinda é apaixonada pelo filme Orgulho e Preconceito e pelo Sr. Darcy. Já enviou cartas ao ator e acredita que ele realmente se comunique com ela através do filme. Ela também mora com a mãe e a avó, e frequenta as aulas, embora sempre temesse sofrer ataques de pânico na escola. Num baile, Ron, um dos jogadores do time do colégio, a convida para dançar, e é então que ela imagina que possa estar se apaixonando por ele também, mas na verdade, esse encontro traria consequências desastrosas.

Emily, Lucas e Belinda se conheciam por estudarem na mesma escola, mas nunca haviam conversado, e uma única noite trágica os conecta de uma forma arrasadora.

Belinda possui deficiência visual além de mental, e todos sabem disso. Ainda assim, quando Emily a vê sendo atacada no dia do jogo, ela congela e não consegue ter forças para procurar ajuda. Lucas passa pelo mesmo local logo em seguida e encontra a mesma cena, e tampouco toma alguma atitude a não ser lamentar e torcer para que alguém apareça.

Belinda conseguiu se virar sozinha, mas o trauma a faz passar dias trancada em casa, emagrecendo e assistindo freneticamente ao seu filme favorito. Ali, ela estava em paz. Fora, ela não sabia que decepções e humilhações teria de enfrentar, e nem estava preparada para isso.

Quando souberam que Emily e Lucas também estiveram no local e não fizeram nada, eles foram punidos. Foram dadas duas opções: participar como voluntários de sessões com pessoas que possuíam as mais diversas deficiências, ou participar da dança de salão ministrada logo após as sessões. Coincidentemente, os dois escolhem as sessões, e lá conhecem pessoas incríveis. As conhecem além de suas deficiências e limitações.

Como tudo é mais complexo do que parece ser, tanto Emily quanto Lucas lamentam o ocorrido e se sentem culpados. Sabem que deveriam ter feito algo, e por mais que se sintam bem auxiliando as pessoas nas sessões e criando um vínculo com elas, eles querem fazer algo por Belinda. Querem se desculpar, querem ajudá-la a esquecer aquela noite, e quanto mais eles tentam bolar algo relacionado à Belinda, mais eles se aproximam, e Emily começa a perceber como Lucas é completamente o oposto do que ela esperava.

A razão que me levou a conferir a obra além da premissa ótima é que eu já havia lido outro livro da autora, chamado Amy & Matthew, e adorado. As capas dos dois livros inclusive são parecidas, assim como os títulos traduzidos, o que não concordo muito. Amy & Matthew fazia sentido, mas Belinda & Em, não. As duas são as únicas narradoras, isso é verdade, mas Lucas faz tão parte da história inteira quanto elas. Na verdade, sem ele, talvez a história tivesse um rumo bem diferente.

A escrita da Cammie é incrível. Doce, leve e objetiva. Desde o início sabemos o que aconteceu com Belinda e que Emily e Lucas estavam presentes, mas os detalhes vão sendo contados ao longo da trama, de forma que vamos juntando as peças aos poucos. A autora nos entrega o principal, o tema central, o evento que uniu nossos personagens, mas como eles chegaram ali e o porquê vai sendo contado vagarosamente, uma estratégia que caiu super bem.

Com os personagens, no entanto, tenho algumas ressalvas, principalmente quanto à Emily. Ela de fato se mostrava preocupada e com uma intuição genuína de ajudar os deficientes, assim como mudar o mundo num geral para melhor, mas muitas de suas atitudes e pensamentos eram egoístas e prepotentes, o que não combinava com seu lado solidário. Esses momentos arrogantes dava raiva, ainda mais quando ela demorou tanto para admitir sua parcela de culpa para os amigos. Sentir vergonha é compreensível, mas botar a culpa no outro é mais vergonhoso ainda. No fim, a conclusão que chegamos é que Lucas é um dos melhores personagens da história, carismático e altruísta, demonstrando essas características nas horas certas, que pega o leitor desprevenido. Belinda é forte e corajosa, e acompanhar sua narração e suas reflexões é uma experiência única.

Minhas partes favoritas do livro foram as sessões, onde a professora passava tarefas que levava tanto os alunos e os voluntários como nós leitores a pensar sobre o assunto. Os temas levantados por Cammie são pertinentes, questões principalmente sobre relacionamentos e empregos, mostrando como essas pessoas também podem e tem direito de se divertir, namorar e trabalhar como qualquer um.

Belinda & Em é um drama adolescente que, graças à escrita leve da autora, consegue tratar de assuntos sérios de forma descontraída e ainda traz um mar de lições e emoções que vai te fazer esquecer da vida fora das páginas do livro por um tempo.

site: http://caverna-literaria.blogspot.com.br/2018/04/belinda-em.html
comentários(0)comente



Eli @leituraentreamigas 14/03/2018

Uma das protagonistas mais fofas! Belinda :)
Sabe quando você imagina uma história para um livro e quando começa a lê-lo percebe que é totalmente diferente do que você imaginou? Belinda & Em foi esse livro, mas isso não quer dizer que a leitura tenha sido ruim, muito pelo contrário, eu me envolvi com a história e amei cada página, mas principalmente me apeguei a uma das protagonistas mais fofas que já tive o prazer de conhecer! A Belinda é uma garota especial, cheia de personalidade e um carisma que conquista o leitor!

No livro Belinda & Em encontramos a história de duas protagonistas que irão se conhecer em uma situação triste, e que fará o leitor se questionar em vários momentos, o porquê de algumas atitudes de certos personagens, mas vou falar um pouco sobre o que aconteceu para chegar em tal situação. Emily é uma estudante que não é popular na escola, mas junto com os amigos participa de projetos que defendem os direitos dos alunos, e do outro lado conhecemos Lucas, jogador do time de futebol da escola que anda com os mais populares, apesar de não se encaixar ao lado deles.

Mas a personagem que mais nos cativa a partir do momento em que a conhecemos é a Belinda, uma adolescente especial que possui algumas dificuldades em aprendizagem e visão, mas isso não a impede de ser uma fã de carteirinha do apaixonante Mr. Darcy, isso mesmo, nossa protagonista é obcecada pelo filme Orgulho e Preconceito, e devo confessar que o amor da Belinda pelo Darcy é o que deixa o livro mais engraçado e envolvente, a forma também dela expressar os seus sentimentos e suas emoções vai nos conquistando aos poucos e nos faz perceber o quanto as pessoas especiais possuem o seu próprio jeito de ser que merece ser observado e respeitado.

Entretanto nem tudo na vida de Belinda é ilusões com o Mr. Darcy, a vida real é bem mais complicada do que se imagina, pois nossa protagonista irá passar por um pesadelo, ao se deparar em um situação lamentável no ginásio da escola, onde a mesma será exposta a certas atitudes abusivas por alguns alunos do colégio, e o pior é que ninguém irá ajudá-la naquele momento, porém haverá testemunhas, que serão ninguém menos que Emily, e Lucas. Mas por que os dois não ajudaram Belinda? Por que não interviram de algum modo no que estava acontecendo?

A falta de auxílio para com a colega de escola trará consequências para Emily e Lucas, pois os dois por não terem ajudado Belinda terão que realizar serviço comunitário em um centro que possui pessoas com deficiências, assim como a da Belinda, e de vários outros tipos também. Mas o que era para ser um serviço feito por ''castigo'' da escola, acaba se tornando algo totalmente inesperado para os jovens, pois conhecer essas pessoas fará com certeza a diferença na vida de cada um deles. Enquanto isso percebemos em Emily e Lucas o desejo de se aproximar cada vez mais de Belinda, e tentarem de algum modo se redimir pelo que deixaram de fazer por ela. O que será que eles irão realizar? Será que conseguiram se aproximar de Belinda?

Nunca li nada da Cammie Mc. Govern, quando comecei a ler esse livro, sabia apenas que a autora também tinha inscrito um livro bastante famoso chamado Amy & Matthew, e já fiquei bem interessada em lê-lo depois que terminei Belinda & Em. A narrativa da autora me surpreendeu bastante pois não esperava uma leitura despretensiosa e envolvente, com protagonistas fascinantes, e de fácil entendimento. Além de tudo o livro nos traz ensinamentos, e nos faz entender um pouco mais sobre essas pessoas especiais, que também merecem ter a nossa atenção, e compreensão. Ela nos mostra que podemos ser melhores a cada dia, respeitando-as e ajudando-as a se relacionar com o próximo de uma maneira divertida e sem julgamentos.

Uma leitura que recomendo para todos, Belinda & Em foi um livro que ficou bastante tempo em meus pensamentos, e que me mostrou que sempre podemos ser melhores como seres humanos, e que pessoas com deficiências merecem todo o nosso amor e respeito, e que não custa nada realizar sempre por elas um gesto de carinho, ouvi-las com dedicação, e por que não de algum modo ajudá-los a realizar o seu grande sonho? Pois assim é Belinda & Em um livro que veio para mostrar o melhor que podemos ser! Mas o final com certeza merecia algumas páginas a mais, senti falta disso, principalmente para saber mais sobre um certo romance que estava apenas começando!

site: + resenhas: http://www.leituraentreamigas.com.br/
Mayra 14/03/2018minha estante
Olá te mandei uma mensagem


Maygeek7 22/03/2018minha estante
Leia também Amy e Matthew é muito bom o livro. Estou já no final de Belinda e Em, e essa história é uma lição pra vida. Amando o livro! Gostei da sua resenha!




Denise Crivelli 25/09/2017

Opiniao:
Emily sempre procurou ajudar outras pessoas, mas falar e fazer são coisas totalmente diferente e percebeu isso quando uma garota com deficiência é atacada e ela acaba ficando sem reação e calada, mas ela não foi a única testemunha já que um dos jogadores, Lucas também viu e não fez nada ele ficou com medo de se prejudicar. Só que isso não significa que são pessoas ruins, eles sabem que cometeram um erro e se sentem culpados por isso. A garota que foi atacada é Belinda, ela teve que criar força para se salvar sem a ajuda de ninguém. Depois desse acontecimento Emily e Belinda vão prestar serviço comunitário em um centro para pessoas com qualquer tipo de deficiência e no caso eles ajudariam na aula de relacionamento desse pessoal.
Emily, ela congelou, ficou sem reação e cometeu o maior erro da sua vida até naquele momento e se arrepende disso, mesmo assim tenta jogar a culpa totalmente no Lucas, já que não tem coragem de assumir isso para os seus amigos, o que ela fez foi errado e sabe disso, ainda mais que acaba conhecendo um lucas totalmente diferente do que imaginava. Ela tem uma maneira especial de lidar com o pessoal da turma especial da qual ela faz serviços voluntário e de cara já gostou de um deles. Ela se importa com eles e com a Belinda, ela quer fazer a diferença, mesmo que a falta de reação a levou a conviver com eles. Inclusive ela pesquisa sobre alguma forma de ajudar a Belinda e outros a participarem do clube que quiserem depois da aula, ela foi bem determinada.


Belinda é uma garota especial, ele possui alguma deficiência que não consegui saber qual é , ela tem vinte e um anos, mas é como uma criança, existe muitas coisas que ainda não entende e é uma garota frágil e fácil de se magoar, ela enfrentou um sério problema na escola e isso a afastou por um tempo, mas aos poucos a personagem vai criando coragem de voltar ao seu mundo. Ela é viciada em orgulho e preconceito e já assistiu várias vezes, além de adorar atuar, mas nunca deram essa chance para ela no colégio. Uma personagem delicada, gostei dela, mas confesso que algumas atitudes dela que percebi não eram pela doença e sim ela era um pouco mimada e por incrível que parece ela sabia disso e até pensou a respeito disso, pois as vezes ela queria que as coisas fossem de seu jeito. Ela era muito protegida pela família, o que fez a garota ficar meio distante do mundo, sim eles sabem que a vida dela não vai ser fácil, mas existem situações que ela deveria enfrentar, porque ela não vai ter sua avó e mãe para sempre, a mãe dela entendia isso , mas sua avó queria coloca-lá em uma caixinha. Na minha percepção Belinda evolui no decorrer da história, inclusive aceitando a aproximação de Anthony e criando coragem para falar sobre o que aconteceu, mas as coisas vão acontecendo aos poucos conforme ela vai se sentindo preparada.
Lucas é um jogador de futebol americano é daquele personagens que as aparências enganam, ele anda como o grupinho de jogadores e lideres de torcidas e naturalmente as pessoas pensam que ele é burro, que tira sarro de quem é diferente e grosso, mas ele é totalmente o oposto, ele é fofo, paciente, tímido e me conquistou com o seu bom coração e o pessoal do centro também adora ele. Além disso tem ele falando o que aconteceu nos momentos antes do ataque da Belinda e fiquei morrendo de raiva dos amigos deles. Ele assim como a Emily teve um momento de fraqueza o dele misturado com um pouco de medo de estar sendo testado, mas ele é humano e comete erros e não se sente bem por isso então tenta se redimir.

Em nenhum momento Lucas e Emily se mostraram insatisfeito com o serviço comentário e com as pessoas da sala, eles aceitaram e ajudaram com o coração, conheceram ótimas pessoas que são diferente deles, mas especiais e ainda tem Belinda uma jovem que ainda está aprendo lidar com pessoas e situações que não entende, mas que tem sonhos como atuar. Belinda também foi uma guerreira e lutou pare se salvar. A história me conquistou pela sua simplicidade na forma que foi escrita, pois é um assunto sério o mundo apreender a conviver com pessoas diferentes e que mesmo assim tem sua leveza. Queria contar muitas outras coisas na história, como os personagens vão aprendendo e se esforçando. Penso que a resenha não ficou tão boa como merecia, mas vale a pena ler e se encantar com personagens como Emily, Belinda, Lucas, Anthony e com alguns dos participantes do centro que os personagens frequentam.

site: http://momentocrivelli.blogspot.com.br/2017/09/resenha-belinda-em-cammie-mcgovern.html
comentários(0)comente



Camila 13/10/2017

Resenha: Belinda & Em (Por Livros Incríveis)
Outras resenhas da autora: Amy e Matthew. Leia no blog ou no meu perfil.

Emily é Copresidente da Coalizão para Ação Jovem. Isso significa que ela promove ações em prol das minorias em geral. Então, quando ela vê Belinda, uma das garotas com necessidades especiais do colégio, em uma situação em que nitidamente precisa de ajuda, Emily se choca consigo mesma – por não fazer nada e fugir do local ao ver que um dos jogadores presenciou o mesmo que ela. E se choca mais ainda quando é descoberta e descobre que Lucas também não fez nada para ajudar Belinda. Agora, ambos precisam frequentar reuniões em que interagem com as mais variadas pessoas, acabando conhecendo mais aos outros e a si mesmos.

“O amor não é uma questão de parecer perfeito aos olhos da outra pessoa. É uma questão de poder mostrar suas imperfeições.”

Esse é o segundo livro de Cammie McGovern que tenho acesso. O primeiro que li da autora, foi bom, mas nada que me conquistasse ou fosse uma história memorável. Já o segundo, Belinda & Em, foi uma experiência bem mais agradável e gostei mais da leitura.

Em Belinda & Em, a autora aborda o primeiro tema de seu livro, mas de forma mais aprofundada e inclusiva; pessoas com deficiência. Belinda é uma jovem de 21 anos inteligente, atriz principal das peças da escola na infância, fã de Orgulho e Preconceito como ninguém. Mas ela ainda está na escola, porque tem certas limitações. E quando ela vai ao jogo de futebol do time da escola, algo acontece e ela precisa se virar sozinha, ninguém a ajuda. Mesmo Emily e Lucas tendo visto a tudo, nenhum dos dois faz nada.
E assim começa a história, ora narrada por Belinda, que está em casa e traumatizada, ora narrado por Emily, focando nos acontecimentos escolares e os encontros que precisa participar com Lucas, como consequência de seus não-atos.
A escrita é fluída e é divididas em capítulos e subcapítulos (os narrados pelas personagens) o que, confesso, não fez muito sentido para mim. De leitura fácil, a história é envolvente, ainda que só tenha sentido simpatia por um personagem na história.

Para minha decepção a autora se prende à dramas um tanto infantis. Emily amadurece claramente ao longo da trama, mas é uma personagem egoísta e cheia de ego. Belinda por vezes me irritou, ainda que seja uma personagem bem construida e Lucas que realmente é um personagem carismático que consegue roubar a cena ao aparecer. McGovern ainda acrescenta um romance lgbt que seria ótimo, se ele não fosse prejudicado pelos personagens que poderiam ser melhores se não houvesse tanta intriga por parte deles.

O detalhe que mais me prendeu nessa história de McGovern foi que as pessoas não têm suas deficiências nomeadas. Ao longo da história, você não sabe o nome do que Belinda ou as pessoas da turma especial possuem. Creio que o que a autora quis passar com isso – e o fez com muito sucesso – é que suas possíveis deficiências ou problemas não são importantes. Elas são pessoas como qualquer outra, ainda que possam ter certas dificuldades. E confesso que me frustrou um pouco não saber qual era o problema de Belinda até entender esta mensagem.

Outra coisa que me chamou a atenção positivamente é como os três personagens vão se entrelaçando e aos poucos, ganhando confiança um no outro. Lucas e Em estão realmente arrependidos e dispostos a mudar a visão de Belinda tem sobre eles. Essa, por sua vez, vai contando aos poucos como ela se sente em relação a todo o ocorrido, o que torna um final bem legal e fechadinho.
Por isso, Belinda & Em passa uma mensagem absurdamente interessante e importante, de forma juvenil e compreensível. Um livro importante para qualquer idade, para que se mostre e se entenda mais do cotidiano e situações – diferentes ou não – de qualquer pessoa.

Leia mais resenhas em:

site: http://porlivrosincriveis.blogspot.com.br/2017/09/resenha-belinda-em-cammie-mcgovern.html
comentários(0)comente



Aninha 29/12/2017

Uma linda lição!
Foto do livro instagram -> https://www.instagram.com/p/Bce7mLDHFB2/?taken-by=byanak
Resenha com fotos no blog -> http://byanak.blogspot.com.br/2017/12/livro-belinda-em-cammie-mcgovern-galera.html
.
Belinda é uma menina com necessidades especiais, um dia no jogo ela é agredida. No meio dessa agressão há duas testemunhas Emily e Lucas. Mas nenhum procura ajudar á garota, Emily entra em pânico e não consegue reagir, Lucas pensa que Emily tinha ido chamar alguém quando á viu saindo do local. Depois de alguns dias Emily procura saber como Belinda está mas acaba sabendo o que realmente aconteceu e se entregando e entregando Lucas, como castigo ambos são enviados para pagar algumas horas como voluntário em um centro para pessoas especiais.
Nesse centro eles vão ter contato com pessoas diferentes das quais estão acostumadas e aprender lições preciosas com eles.
Mesmo fazendo obra social Emily e Lucas se sentem culpados pelo o que aconteceu á Belinda, é quando Emily tem um ideia que pode fazer Belinda se sentir bem e mostrar o quanto ela é incrível!

O Livro é narrado pela Emily e Pela Belinda, no começo do livro nós não sabemos como aconteceu essa agressão á Belinda, nem que tipo de agressão ela sofreu, mas ao longo do livro nós vamos sabendo o que aconteceu realmente e como Belinda tenta superar.
Eu amei a escrita da autora, é muito fluida e envolvente, você sente como se conhecesse os personagens e amo isso! A história é doce e com uma linda lição de não julgar as pessoas pela sua aparência, de conhece-las antes de qualquer opinião, tem muita referência ao filme da Jane Auten Orgulho e Preconceito que é um dos meus filmes preferidos da Autora e acho que de muitos de nós certo? Enfim, espero que vocês também o leiam e gostem, leitura mais que indicada!



site: http://byanak.blogspot.com.br/2017/12/livro-belinda-em-cammie-mcgovern-galera.html
comentários(0)comente



Fer Kaczynski 13/11/2017

Nesta história conheceremos Belinda, que é uma garota de 21 anos de idade, que está no último ano do ensino médio e sofre de uma doença mental não especificada. Emily, é uma garota de 17 anos, também no último ano do ensino médio, que se orgulha muito de ser uma garota inteligente e ser voluntária de vários grupos de apoio a pessoas necessitadas.

Belinda sofre uma tentativa de violência sexual, presenciada por Em e Lucas, nenhum denunciando por acharem que o outro já o tinha feito

site: http://dailyofbooks.blogspot.com.br/2017/11/resenha-belinda-e-em-cammie-mcgovern.html
comentários(0)comente



16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2