Na Minha Onda

Na Minha Onda Laura Conrado




Resenhas - Na Minha Onda


25 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Bruna 22/07/2021

O livro é bom, a trama do final fecha super bem, o que me incomodou foi a linguagem forçada da Bahia e em alguns momentos a história se arrasta, mas depois você não quer parar de ler.
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 30/07/2017

Resenha: Na Minha Onda
Na Minha Onda é um dos mais recentes lançamentos da editora Globo Alt. Recebido em parceria, o livro de Laura Conrado usa de bom humor para contar as peripécias de uma cantora baiana pra lá de arretada.

Vitória tinha fama, sucesso e uma carreira brilhante. Mas tudo deu errado quando ela se separou de sua dupla e tentou a vida de estrela sozinha; a amiga, Carol Laine, chegou o estrelato. Ela, o fracasso. Depois de um tempo separadas, Vic recebe o convite de retornar aos palcos para reviver a famosa dupla As Elétricas e ganhar novamente o coração do Brasil. É uma oportunidade de ouro, mas a ideia de depender de Carol Laine mexe com seu ego; aliás, guarde essas palavras: o ego será um grande problema dentro dessa história.

"Ô meu pai... tem coisa mais triste do que beijo que morre na bochecha?"

Fiquei surpresa e admirada com a qualidade da obra, e também com vários defeitos dentro dela. Na Minha Onda tem um humor marcante, um jeitinho baiano que se sobressai logo nas primeiras páginas. Você vê a Bahia nos trejeitos da protagonista; até mesmo lê suas falas e pensamentos com o sotaque daquele estado maravilhoso. Vitória não foi minha favorita por um problema que vou comentar em breve, mas com certeza teve carisma por boa parte da trama. Apesar do chororô pelo seu azar na vida, ela dribla isso com humor e garra, a típica personagem que perdeu tudo e precisa se erguer e lutar pelo que ama - que, no seu caso, é a música. Não apenas a carreira e a fama, mas a ideia de cantar suas dores e amores, de conquistar o público com seu talento. E talento ela tem de sobra!

Quando recebe o convite de Carol Laine e retorna ao mundo do show business, Vitória confronta coisas das quais não se lembrava - a ditadura da beleza e da moda, o bafafá das redes sociais e dos fãs e as investidas da mídia em capturar qualquer escorregão seu. E pequenos erros são sempre um problema para Vitória. Mesmo assim, ela ginga e consegue reconquistar a simpatia de todo mundo; inclusive de um stalker sinistro que vem perseguindo Carol Laine e fazendo da vida dela um terror. EGO é uma figura misteriosa que vem atormentando Carol Laine e agora Vitória. O típico criminoso que encontra todos os podres, todas as piores informações, todos os medos e usa isso contra a pessoa.

"Dizem que depois que uma onda quebra, nunca virá uma igual, mesmo que o mar mande infinitas delas."

Não achei uma grande revelação porque a partir de certo momento se torna bem óbvio quem é o EGO, mas gostei do suspense e do trabalho em cima das ameaças e da perseguição. Ele mete medo por se esconder e por usar tudo o que é de pior das vidas das meninas contra elas mesmas.

O maior problema, que me fez tirar uma estrela desse livro, foi a Vitória. Sim, apesar de carismática, talentosa e brilhante, ela também é muito obsessiva. Vaidosa. O tipo de personagem que diz uma coisa e faz outra e pra ela tá tudo bem, mas nossa senhora se outra pessoa faz o mesmo! Fiquei extremamente irritada com seus julgamentos mesquinhos, com o egoísmo exacerbado e, me ajudem, ó céus, sua "moral". Porque Vitória bateu o pé o livro inteiro sobre a arte, sobre a música, como isso não se compra, como talento é uma coisa com o qual você nasce, para de repente se tornar uma vendida que olha feio para a amiga porque recebeu um cachê menor que ela. Sério? Mesmo? Que tipo de ideia isso passa? Você está lendo uma protagonista com a qual deve se entusiasmar, mas a maior parte do tempo só tem vontade de gritar com ela.

E minha deusa como eu fiquei abismada com a obsessão dela. Falou tanto do EGO, mas fez pior. Toda essa obsessão vai em cima do seu interesse amoroso; até o momento em que eles ficam juntos, a história é bonitinha e engraçada, mas depois se torna um relacionamento bem abusivo e problemático. Vitória é controladora, desesperada e cheia de paranoia. Meu Deus do Céu que Ciumenta Chata do Caramba. Sim, mais uma personagem ciumenta que odeia toda mulher que respira perto do seu homem. Em vez de avançar e desenvolver uma personagem insegura, mas que busca driblar isso - porque livro passa mensagens, e se você escreve uma protagonista que diz que é "ok" olhar os seguidores do seu namorado e mandar ele parar de seguir as mulheres que você achou mais bonita, você está passando a mensagem errada. Erradíssima. Errou feio, errou rude. Parem de escrever rivalidade feminina, eu imploro. Enfim, menos uma estrela por causa disso. Porque a Vitória ficou insuportável daí pra frente e lá no final eu quase consegui perdoar ela, mas foi quase. Não perdoei.

"- Quase nada sai como sonhamos, minha filha. Na intimidade, todo mundo é um artista que se reinventa com os cacos da vida."

Os personagens coadjuvantes tiveram um bom desenvolvimento, principalmente a Carol Laine - minha favorita! Adorei seu jeito meigo, de bem com a vida. É o tipo de pessoa que aproveita e sorri para mundos e fundos; mesmo com os traumas e os problemas que ela enfrenta. Lucas foi ok. Não teve grandes momentos, e nem foi o tipo de crush literário que eu vi e pensei "quero pra mim", mas era um cara presente e simpático e compreensivo (até demais. Sim, Vitória, tô olhando pra você).

Os pais da Vitória foram ótimos também - sua irmã nem tanto. Era um pouco (muito) aproveitadora e apesar de ter uns momentos divertidos e amigáveis com a Vic, não mudou muito e nem desenvolveu algum tipo de altruísmo. E, convenhamos, a Vitória falava tanto da irmã, mas no fim era tão egoísta e mesquinha quanto ela.

A edição está um arraso. A capa e a diagramação são lindas e combinam muito com o clima do livro. A história é cheia de referências à cultura brasileira, participações especiais e aquela ambientação bem escrita que te transporta diretamente até a Bahia.

"Na música, os sentimentos saem sem a obrigação de ter que dar resposta às perguntas que a cabeça faz, preocupando demais o coração."

Na Minha Onda é uma boa leitura para quem quer relaxar com as aventuras e desventuras de uma cantora desafortunada que tem muito a aprender sobre o caminho da fama.
comentários(0)comente



Kennia Santos | @LendoDePijamas 23/07/2017

Pior livro do ano.
Vitória Prata é uma cantora que esteve no topo do sucesso há cinco anos, com "As elétricas" dupla que fazia com sua melhor amiga, Carol Laine. As duas decidem se separar e fazer carreira solo, e o desastre acontece: Carol Laine explode em sucesso e Vitória fica para trás.
Endividada, fora dos holofotes e sozinha, Vitória volta para Bahia, onde vai morar com seus pais e terá de aguentar sua irmã Vanessa, com a qual teve um grande desentendimento e desde então havia cortado contato.
É quando o inevitável acontece: Carol Laine, a diva de sucesso, "queridinha da Bahia" convida Vitória para voltar a trabalhar com ela num Reality Show sobre sua vida. Junto com ela vem Vitor, primo de Carol Laine, paixão secreta e inspiração de Vitória.
No meio de tanto mal entendido, Vitória deverá decidir: vale a pena voltar para esse mundo onde você é o que você tem?


OK, juro que vou tentar ir com calma aqui.
A princípio eu estranhei MUITO toda a forma de falar dos personagens, fiquei muito confusa do tipo "MAS O QUE ESSA MENINA TÁ FALANDO?" porque sou paulista, então era um terreno desconhecido. Mas com o passar dos capítulos eu me acostumei, pois é a cultura dos baianos e toda essa forma de falar que é diferente pra mim, é normal para eles.
Vamos aos pontos, agora:

1)Vitória Prata: Minha nossa, que personagem CHATA, chorona, mimizenta e dramática é essa? QUE GAROTA CHATA DOS INFERNOS. Do tipo: "nossa, nada dá certo pra mim" "nossa, ninguém me ama" "meu destino é ser infeliz" "eu só me ferro na vida". E isso não é só no começo não, viu? É O LIVRO INTEIRO aguentando essa choradeira sem fim dessa menina patética que é mais imatura do que a sobrinha de 4 anos dela.

2) Futilidade: Esse livro é tão... arghhh. Ele prega a mensagem da futilidade e superficialidade do INÍCIO AO FIM. Do tipo que a pessoa só pode ser feliz se tiver dinheiro e reconhecimento, e sem isso ela pode se trancar no quarto e morrer infeliz. Eu não consigo aceitar essa merda toda, de verdade.

3) Inveja: Cara Vitória, menos, BEM MENOS, viu? Além de tudo que eu falei ali em cima, a coitada ainda é invejosa. Muito invejosa. À todo tempo fica pensando coisas que a deixam acima de Carol Laine, sua voz melhor, seu talento de compor.. MEU AMOR, se você é tão incrível assim, me diz por que ela fez sucesso, e não você?

4) Novelinha mexicana: e a autora ainda quis inserir um tipo de mistério que envolve incidentes inesperados, atos contra as duas, com identidade secreta e tudo mais. PRA QUE, CARAMBA? Já tava ruim o suficiente, e ainda me vem com isso pra afundar ainda mais tudo.

Pra não ficar só nas minhas palavras, vou colocar algumas citações do livro aqui, pra vocês terem uma pequena ideia da bizarrice:

"Que ele descubra logo que está namorando uma estrela, e das gostosas, amor, pois esse remédio babado e o treino monstro que faço na areia estão me deixando melhor ainda."

"E você jamais teria começado se não fosse por mim. Vivia me aplaudindo nos barzinhos, sonhando em ser como eu. Pode até estar famosa e rica agora, mas não sabe cantar e nunca saberá. É como um enfeite, só serve para isso. É burra, vazia e oca!" (Detalhe: Vitória fala isso para a Carol Laine depois de a garota ter chamado ela pra voltar "aos holofotes", PODE ISSO?)

"Entro na casa procurando não sei o que exatamente. Reviro as gavetas da cômoda da sala, abro a porta dos armários e levanto tapetes.. " (Quando você desconfia de algo do seu namorado, é isso que se faz? Invade a casa dela e paga uma de psicótica revirando tudo?)

"Só faltava essa! Depois de tudo, ter que aguentar ficar em segundo lugar de novo!"

"Que vida! Mais uma vez, sou motivo de chacota. Eu nado, nado e morro na mesma posição do pódio." (Que ambição pelo topo, hein??)

"Não tenho dúvida: a ruiva também se dói de inveja de mim e não gostou de ter seu lugar ameaçado."

"Fiquei fashion e bem... Gostosa! Hoje em dia me importo em ser gostosa no palco, além de boa cantora."

"Imagina quantas mulheres querem um homem lindo e fofo daquele? E mais: quantas querem apenas pegar o namorado da Vitória Prata?"

"Respondo sem querer parecer ciumenta. Afinal, qual o problema de ele passar a noite com os amigos? Um monte de homem bebendo; jogando videogame e falando de motos. Despeço-me dos músicos e do pessoal da produtora e vou embora pensando no que posso fazer: pesquisar mais sobre próteses e arquitetar uma foto bem sexy para postar no Instagram."

"As mais de cem mil curtidas na foto que tirei de camisola [...]''

"Hum... Acho que vou pesquisar no Google sobre aquela cirurgia plástica para dar um UP nos seios. Talvez isso me faça bem."


Tá bom, ou querem mais? Só eu acho isso tudo um ABSURDO DOENTIO?

Sim, eu sei que no mundo da fama, tudo é regado à aparência e dinheiro, mas é um pouco contraditório a garota que se diz amante da música e dos sentimentos que são passados por ela passar a se importar somente com a imagem que ela tanto criticava a Carol Laine, né?

Ao terminar esse livro, só consegui absolver que uma pessoa sem dinheiro e sucesso é isso: NADA. Uma pessoa sem essas coisas está destinada a morrer infeliz. Foi essa a sensação, e eu nunca li um livro com uma mensagem tão vazia quanto essa.
Foi uma péssima experiência do início ao fim, não recomendo essa "coisa" aqui. Passar bem.

(Essa foi uma resenha/desabafo onde tentei manter a compostura.)
Barão 23/07/2017minha estante
Falou e disse TUDO! Hahaha


Amanda 24/07/2017minha estante
Obrigada por sua opinião.
Essa capa é linda e realmente pensava em comprar o livro, mas depois de ler seu desabafo e as citações, vi que também odiaria a experiência.


Danii 28/07/2017minha estante
A vontade que eu tinha de ler esse livro acabou de me dar adeus depois dessa resenha. Obrigada! Me livrou de um livro ruim :).


Kennia Santos | @LendoDePijamas 28/07/2017minha estante
Amém! Não vale a pena mesmo


Ana Luiza | @anaentrepaginas 29/07/2017minha estante
Nossa, me livrou de gastar meu dinheiro em um livro de capa linda, mas história pobre que eu com certeza não gostaria! Obrigada pela resenha sincera!


Pam 17/08/2017minha estante
nossaaaa, que cilada! pela capa e sinopse esperava outra coisa! tava super empolgada pra ler, agora não mais D:


Kennia Santos | @LendoDePijamas 25/08/2017minha estante
Pois é gente, não vale o investimento


Amanda Campelo | @booksdaamanda 27/08/2017minha estante
Nossa parece bem ruim mesmo




Carol 08/07/2021

Não leria dnv a menina reclama de tudo, achei mt dramático, tava esperando q ela tivesse mas orgulho próprio no final mas ela teve só um pouquinho
comentários(0)comente



Mar 05/05/2021

Um dos melhores
Um dos meus livros favoritos, com certeza tem lugar marcado na minha estante. Tem uma leitura leve e que não da vontade de parar de ler nunca, o único defeito do livro é que ele acaba haha.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Elaine Lima | @jornalizando 22/09/2020

Esperava mais
Vitória é uma cantora talentosa que esteve no topo do sucesso há cinco anos. Mas agora ela está arrasada: ficou desempregada, voltou a morar com os pais e ainda tem que aceitar o triunfo de Carol, sua amiga de infância e antiga companheira musical, que seguiu em carreira solo e está se tornando uma das mais comentadas artistas da Bahia. ⁣

Porém, mesmo Vitória tentando se esconder a todo custo, Carol Laine a procura com um convite: ela quer que as duas voltem a trabalhar juntas e que ela participe de um reality show sobre sua vida. Isso significa, também, estar mais próxima de Lucas, o primo e assessor de Carol, por quem Vitória mantém uma paixão secreta há anos. Em meio a tantos sentimentos conflitantes, Vitória terá que responder: vale a pena voltar a esse mundo onde o ego das pessoas parece controlar tudo?⁣

Na minha onda é aquela obra perfeita para ler em um dia, Laura Conrado me pegou facilmente com essa obra que aborda sonhos, determinação e amizade. Achei bem legal!⁣

Foi muito bom visitar Salvador através de pontos turísticos apontados no livro, a protagonista e todos os amigos moram aqui, e alguns bairros mencionados eu adoro frequentar. O universo da música é amplamente explorado pela autora, que vai abordar uma mocinha que tem uma segunda chance em sua carreira e vai agarrar com unhas e dentes essa oportunidade. Vários artistas baianos são mencionados como: Caetano Veloso, Gilberto Gil e Ivete Sangalo, e as interações deles com a protagonista rendem ótimas cenas.⁣

A história é legal, você torce pelo sucesso da Vitória, apesar de todas as trapalhadas que ela faz em alguns momentos, mas o que me desconectou ao enredo foi um suspense que a autora introduziu, eu achei desnecessário, o livro conseguiria seguir sem esse plot. ⁣

Na minha onda é uma leitura gostosa apesar de tudo, traz alguns ensinamentos em relação a importância dos nossos amigos e família, além da relevância que os sonhos possuem em nossa vida.
comentários(0)comente



BookCall 09/09/2020

“As luas cheias parecem ser feitas para o amor.”⁣
Vitória Prata passa por um momento difícil de sua vida. Há alguns anos fazia parte da dupla As Elétricas, mas decidiu finalizar a parceria com sua melhor amiga, Carol Laine, para seguir um caminho próprio. Não deu certo! Enquanto Carol Laine vira uma princesinha da música baiana, Vitória não consegue colher frutos do seu trabalho e volta para Bahia. Em um projeto de reality show, Carol Laine convida sua amiga e antiga dupla para novos trabalhos juntas.⁣

O começo de Na minha onda traz uma Vitória bastante infeliz e colocando em evidência tudo o que deu errado em sua vida nos últimos anos. Isso foi um pouco irritante, mas serviu para criar as condições emocionais que são o pano de fundo da realidade atual de Vic. ⁣
A história fala de insegurança e baixa autoestima em um mundo que é competitivo e que dá muito valor à aparência. E a falta de amor próprio reflete em toda a vida da nossa personagem principal.⁣
Além disso o livro apresenta um suspense. E descobri que nem em romances eu sou capaz de desvendar os mistérios (apesar de ter suspeitado dessa vez rs).⁣

Com uma escrita envolvente, uma trama gostosa do tipo novelinha, uma aura cativante cheia de brasilidade, essa primeira experiência com a escrita da Laura Conrado valeu super a pena e deixou o gostinho de querer conhecer mais. Afinal, nunca tinha visto alguém conseguir atribuir tantos adjetivos para um caderninho azul rs.⁣
comentários(0)comente



Fernanda 05/07/2017

Na minha onda
Resenha no blog;

http://www.segredosemlivros.com/2017/07/resenha-na-minha-onda-laura-conrado.html

site: http://www.segredosemlivros.com/2017/07/resenha-na-minha-onda-laura-conrado.html
comentários(0)comente



Malucas Por Romances 05/07/2017

Na Minha Onda
Quando li a sinopse desse livro na hora decidi que queria ler ele. Foi minha primeira experiência com a autora que já é conhecida pelos livros “Freud, me tira dessa!” e “Quando Saturno Voltar” . Me surpreendi com esse livro e nessa resenha vou tentar contar para vocês o que achei.

Vitória Prata é uma cantora totalmente talentosa e que por anos esteve no topo do sucesso, mas de uns tempos pra cá sua vida anda definhando. Agora além de estar desempregada e morando na casa dos pais, ela está cada vez mais desesperada por não saber o que fazer. Até que um dia a sua amiga de infância e antiga dupla musical Carol Laine que agora segue carreira solo, convida ela pra fazer um reality show sobre sua vida e de quebra cantar novamente com As Elétricas, antiga dupla onde elas faziam extremo sucesso.
"Oxe, nem pareço baiana de tão medrosa! Brilhei ontem, saí das cinzas, estou linda... Tenho que ir atrás do que quero! Preciso ter esse homem ou desencantar de uma vez por todas!"
Vitória aceitando o convite terá que além de trabalhar com sua grande amiga de infância, irá conviver com Lucas primo e e assessor de Carol Laine seu amor de adolescência, na qual ela ainda nutre uma paixão antiga.

O livro logo de início te fascina pela forma de falar e por descrever a Bahia. Vitória no começo do livro estava em um estado de depressão lamentável e tive momentos de querer bater nela pra fazer ela acordar pra vida e dar a volta por cima, mas não precisei xingar por muito tempo graças a Carol Laine.

"Ô, meu pai... tem coisa mais triste do que beijo que morre na bochecha?"

Eu adorei Carol Laine logo de cara. Achei ela uma amiga tão doce, e mesmo com os problemas dela ela ainda conseguia sorrir. Diferente de Vitória, que eu achei uma mocinha tão invejosa, tão preocupada em querer ser melhor ou parecida com Carol Line que vi ela perdendo um pouco de toda sua essência.

Lucas é um caso a parte, eu ansiava pelos capítulos que ela ia aparecer. E mesmo Vitória sendo uma louca ciumenta, ela ainda assim não tirou o brilho dele. Um homem discreto, mas também totalmente dedicado a família e profissão e que não deixou os ciúmes de Vitória ofuscar o brilho próprio dele.


Leia mais em: http://malucaspor-romances.blogspot.com/2017/07/resenha-na-minha-onda-laura-conrado.html#ixzz4lz5rdiKk

site: http://malucaspor-romances.blogspot.com.br/2017/07/resenha-na-minha-onda-laura-conrado.html#axzz4lytTIf5q
comentários(0)comente



Portal JuLund 02/08/2017

Na Minha Onda, @globoalt
Esse livro é um dos recentes lançamentos da nossa editora parceira Globo Alt, foi uma grande maravilha poder ler e a melhor parte com certeza é falar sobre ele, logo de cara a capa conquista com cores vibrantes e um desenho lindoooo de uma sereia que já dá todo sentido ao título do livro.
O livro se trata de uma produção nacional da escritora Laura Conrado e sua trama nos leva para conhecer um dos estados nordestinos que desejo um dia conhecer que é a Bahia com toda sua cultura e diversidade, que encanta tanto na leitura quanto deve ser pessoalmente.

“Você conhece uma pessoa que chove? Essa sou eu, que ainda sou protegida por Iemanjá, rainha dor mar, e por Oxum, a mãe dos rios e das cachoeiras”.

A trama é muito divertida, apesar de em momentos possuir uma carga dramática com relação a um maníaco que vai rodear nossa protagonista, bom mais para chegar nisso vamos começar do princípio, Vitória nossa personagem principal é uma cantora e compositora que já conseguiu atingir a fama e sucesso com sua melhor amiga Carol Lane.

“O cabelo de Carol Lane esta digno de uma propaganda de xampu. Suas unhas estão com as cutículas aparadas e com um esmalte vermelho. Seu sorriso ostenta visitas a dentistas que refizeram sua arcada dentária com porcelana. Sua música não está errada: ela faria qualquer quebrar o pescoço para vê-la passar”.

Porém ela não estava contente com a dupla que se intitulava as elétricas e decidiu seguir carreira solo, porém tudo deu errado na sua tentativa e ela só se atolou em fracassos, com isso decide voltar para Bahia e tentar recomeçar por lá e é assim que descobre que sua antiga amiga, Carol Laine ainda se mantem no estrelato.
Apesar de tudo o destino lhe sorri e Vitória é convidada a voltar aos palcos para reviver a famosa dupla As Elétricas, uma oportunidade única para ela voltar a ser reconhecida e fazer o que tanto ama que é compor e cantar, mas para isso ela vai depender de Carol Laine e isso não a agrada nada.

“Abraço minha amiga como nos velhos tempos em que ela ia dormir lá em casa para fugir da sua, e tudo o que tínhamos era uma a outra. Nesse momento, não somos As Elétricas, não somos artistas ou celebridades, não somos duas mulheres maquiadas e bem-vestidas que têm fãs, somos apenas Vitoria e Carol Lane, amigas de muito tempo”.

Resenha completa

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/resenha-de-na-minha-onda-globoalt
comentários(0)comente



Kelly 08/08/2017

Porreta até a alma



Vitória

é uma cantora super talentosa, além de cantar ela compõe e toca alguns instrumentos, durante algum tempo chegou a fazer muito sucesso com sua melhor amiga Carol Laine encabeçando a dupla As elétricas que fez muito sucesso em Salvador, mas ela decidiu seguir carreira solo, ela queria mais, queria cantar MPB e inspirada por ídolos como Caetano Veloso, Gilberto Gil entre outros, ela foi atrás desse sonho... mas daí para frente foi ladeira abaixo!!!



"Na música, os sentimentos saem sem obrigação de ter que dar resposta às perguntas que a cabeça faz, preocupando demais o coração."


Nem de longe ela alcançou a fama, e enquanto foi ficando para trás teve que lidar com o estrelato de sua amiga cada vez mais para cima!! Pobre, falida e apagada do mundo dos famosos, Vic retorna para casa dos pais em Salvador onde tenta se reerguer sozinha, mas é surpreendida com uma visita é um convite de Carol Laine, ela quer o retorno das Elétricas.

Vic é orgulhosa e não quer dar o braço a torcer e aceitar ajuda de Carol, mas nem sabe porque existe essa rixa já que nunca brigaram, apertada e com os pais passando por necessidade ela não vê outra alternativa senão se jogar na aventura, e agora ela está de volta, subindo como a marca do termômetro no calor de Salvador, ela volta a reviver tudo aquilo que está por trás dos bastidores: fama, dinheiro, estética, julgamentos e ameaças, será que vale a pena voltar pra tudo isso???

Logo de início já percebi que Vitória era arretada, mulher guerreira e maluca, doidinha da silva ao ponto de arrancar gargalhadas, foi impossível não ler e ouvir em minha cabeça aquele sotaque baiano arrastado é tão gostoso!

Pois é Laura é realmente boa no que faz, ela criou uma personagem porreta, mas imatura, na mesma velocidade que ela subiu ao pódio ela desceu, e agora não sabe lidar com a situação, com uma auto estima baixa, quase depressiva e cheia de ódio e inveja, Vic vai aprender a amadurecer da forma mais dolorida possível, quebrando a cara!!


"(...) Eu não tenho que ser perfeita para merecer ser amada, mas sei que me tornarei uma pessoa melhor por conhecer o amor."


Com uma escrita leve e DELICIOSA Laura aborda vários assuntos pesados de forma leve e irreverente, inveja, amizade, remédios para emagrecer, depressão, auto estima e muito mais são apresentados aqui na trama como muito bom humor e alguns momentos de drama e suspense.

O livro é narrado em terceira pessoa, então veremos tudo pelos olhos de Vitória!! Os personagens foram muito bem construídos e gostaria de dar destaque a Jana, a amiga deficiente visual de Vitória que dá um show e vários tapas na cara da sociedade, afinal, há muito mais para se ver quando não enxergamos!

Realmente o livro é muito bom, com um astral bem pra cima, cita grandes personalidades da música e arrasa na mensagem que veio passar, até onde seu ego é saudável? Com uma bagagem recheada de livros, a autora mostra que sabe muito bem o que faz.


"(...) Talvez seja essa a verdadeira felicidade: ser tão feliz a ponto de nem se lembrar dela."


Um livro que super recomendo, lindo por dentro e por fora como manda o figurino, com uma capa mega colorida é bem trabalhada bem ao estilo salvador, folhas amareladas mega confortáveis para a leitura e uma diagramação charmosa e cheia de vida, equipe Globo Alt mais uma vez mostrando que não brinca em serviço!

Um livro muito amorzinho de fácil e rápida leitura, gostoso, instrutivo e acima de tudo educativo! Depois dessa experiência Laura Conrado com certeza vai pra lista das minhas queridinhas nacionais!!! Leiam e curtam essa aventura quente e mega divertida.

site: http://paraisodasideas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Biia Rozante | @atitudeliteraria 04/09/2017

Amei...
Vitória Prata vive e respira música. Desde que se entende por gente transforma sentimentos, circunstâncias e barulhos em composições maravilhosas, um trabalho feito com todo seu coração que encontrou no caminho alguém com quem compartilhar, uma amiga, Carol Laine. Juntas sentiram o gostinho da fama, viajaram, foram bajuladas, tiveram sucesso, entretanto ser uma dupla não era exatamente o sonho de Vitória e visando alcançar seus objetivos, se mudou da Bahia para São Paulo e partiu a luta. Só que nada saiu como planejado e Vitória foi obrigada a ver seu sonho desmoronar dia após dias e ainda que relutante precisou voltar para a casa de seus pais com as mãos vazias. Só que retornar para Bahia tem outras surpresas para Vitória, sua amiga, aquela com a qual ela rompeu para seguir carreira solo está fazendo um sucesso tremendo, toda a Bahia canta suas canções, o Brasil clama por sua presença e como se isso não bastasse, Carol Laine está mais linda do que nunca. E tudo bem, desde que elas não se reencontrem, desde que ela não descubra seu fracasso... Só que o destino não anda tão bonzinho assim com Vitória e antes que ela possa fazer uma oferenda a Iemanjá reforçando seu pedido, Carol Laine está batendo em sua porta.
“Quando se tem esperança, é fácil desejar felicidade a outras pessoas. Mas e quando seus sonhos se esvaem e sua vida se torna um acúmulo de fracassos, como é que se faz para se manter próxima da sua melhor amiga quando é na vida dela que seus sonhos estão sendo realizados? Como acompanhar alguém que vive um sucesso absurdo enquanto sua vida naufraga feito o Titanic?”
Não sei nem por onde começar a falar sobre a obra. São tantos assuntos, reviravoltas e preciso ser cuidadosa para não soltar spoilers... Socorro. Tinha que ser uma obra da autora Laura Conrado, para vir tão cheia de emoção, misticismo, suspense e ainda assim ser fofa.

Vitória Prata é uma baiana arretada, cheia de sonhos, força de vontade e determinação. Foi munida de todas essas qualidade e boa música que partiu rumo a São Paulo em busca de uma carreira de sucesso. Tudo que ela almejava era ser capaz de encontrar uma gravadora, tocar suas composições, alcançar a tão sonhada FAMA, dinheiro, o business e todas as vantagens que ser famosa proporciona, só que não foi exatamente assim que as coisas aconteceram. São Paulo na verdade se revelou um banho de água fria. Por cinco anos ela tentou, por cinco anos buscou por uma misera chance, mas nada aconteceu e quando o dinheiro acabou, quando as dividas cresceram, não restou alternativa a não ser voltar para casa de seus pais.
“(...) Você é a melhor saudade que cultivei, porque até a sua falta me inspira.”
Aos vinte e seis anos, sem saber o que fazer, que direção tomar, que caminho tentar, o desespero se torna sua companhia, e a luz de Vitória se apaga um pouco mais a cada dia. A menina vibrante e sonhadora perde espaço para uma mulher triste, amargurada, que vive choramingando pelos cantos e desabafando em um “caderninho/diário”, só que quando a gente pensa que ela vai definhar de vez, o passado bate a sua porta, Carol Laine quer retomar a amizade, mais que isso, ela quer uma nova chance para a dupla, oferecendo a Vitória uma nova opção, ainda que não seja exatamente o caminho que ela desejava e de quebra ainda reencontra Lucas, seu amor de infância, mas jamais revelado e correspondido. Sentiu o que vem pela frente? Exatamente, agora acrescente ai um perseguidor, inseguranças, competição, egocentrismo, inveja, ganância, arrogância...
“— A gente nunca conhece uma pessoa de verdade, Vitória. As pessoas se escondem em si mesmas, em máscaras, convenções sociais, personalidades... Relações são sempre uma caixinha de surpresas.”
NA MINHA ONDA é uma bela história sobre sonhos, amizade, deslumbramento, insegurança e perdão. Um por trás dos bastidores, onde a FAMA não é assim tão bonita. O que mais amei na história foi o toque verossímil, é fácil identificar as situações reais, principalmente no modo como à autora abordou o sucesso e a maneira como ele influencia nas decisões, pensamentos e atitudes de quem esta ao redor, acabando com a autoestima, criando inseguranças, a sensação de que nada nunca será bom o suficiente. Levando-nos a abrir mão de nossa própria essência apenas para conseguir ser parte de um seleto grupo que na verdade não nos ama, não nos respeita, apenas tolera para ficar em evidencia.
“(...) Dizem que costumamos ver o mundo conforme a nossa própria realidade. Como ela é boa, acredita na bondade das pessoas. Quem tem amor a oferecer, crê que também irá encontrar o amor. Que tipo de pessoa eu sou para acreditar que preciso ser perfeita para encontrar o amor?”
Outro ponto que atraiu minha atenção foi toda a musicalidade, cada canção abordada, principalmente uma composição especial “FILME DE AMOR” que a autora Laura Conrado fez em parceria com a cantora Flávia Ellen, o que me leva diretamente para o romance da trama... LINDO, principalmente pela bela mensagem deixada – Quem te ama, vai te amar pelo que você é, pelas imperfeições, pequenos defeitos que te tornam única. A perfeição absurda está apenas na sua cabeça e ela oculta o teu verdadeiro EU, não mude para agradar, seja apenas você e VIVA.

Enfim, NA MINHA ONDA é uma história sobre situações cotidianas, que com certeza te marcará de alguma maneira, mesmo com todo o drama, a obra é leve, divertida e você se pegará lendo com sotaque baiano, desejando conhecer essa terrinha maravilhosa, tão rica em cultura e sabores. Bahia ai vou EU! LAURA CONRADO acertou mais uma vez, ela sabe dosar cada elemento, como nos envolver e nos deixar com aquele gostinho de quero mais e mais. Com personagens intrigantes, cenários paradisíacos e muito amor, essa obra ganhara um espaço em seu coração.

site: http://www.atitudeliteraria.com.br/2017/07/resenha-na-minha-onda-laura-conrado.html
comentários(0)comente



Rizia Castro 25/09/2017

Na minha onda, de Laura Conrado nos conta a história de Vitória Prata uma jovem cantora que alcançou a fama e sucesso ao lado de sua melhor amiga Carol Laine na dupla "As Elétricas". Quando decidem se separar, Carol arrasa na carreira solo, no entanto Vitória não tem a mesma sorte e acaba não conseguindo conquistar seu espaço e acaba deixando a São Paulo onde estava estudando música, para voltar a casa dos pais em Salvador.

O tempo passar e surge uma oportunidade de retomar o projeto de As Elétricas e participarem de um reality show sobre suas rotinas. Porém, por mais que deseje voltar a cantar, ter que encarar todas as consequências da fama e ainda por cima conviver com Carol , ficando sempre à sua sombra está deixando Vitória com um pé atrás. Por outro lado, voltar com a dupla significa ficar perto de Lucas, uma pessoal muito especial, que é primo e assessor de Carol.

Diante dessa oportunidade, Vitória questionará se vale a pena volta ao mundo da fama, lugar cheio de intrigas, inveja, competição e onde as pessoas não medem suas ações para alcançarem objetivos. O que ela não sabe é que encarará uma trajetória de reflexões e autoconhecimento.
Comecei a leitura sem saber ao certo o que esperar e me surpreendi com uma história interessante, divertida e que provocou muitas reflexões.

Com uma narrativa leve, envolvente, com muito humor e referencias incríveis, somos convidados a conhecer Vitória e todos os seus altos e baixos. De forma sem igual, a escritora aborda os mais variados assuntos e nos convida, através de situações vividas por suas personagens, a repensar em atitudes e principalmente limites de cada um. Destaque-se também a incrível a ambientação da história. Por ser um livro que se passa no Brasil, sentimos as diferenças na cultura das cidades.

As personagens são muito bem desenvolvidas e cativantes. Gostei muito de Vitória, com toda a sua coragem e determinação, mas como humana também possui defeitos terríveis. Ela cresce muito ao longo da história o que me fez gostar ainda mais. As demais personagens também receberam um atenção especial no seu desenvolvimento, inclusive as secundárias.

Várias temáticas são abordadas ao longo dos capítulos por meio de atitudes e sentimentos das personagens. Aproveitando-se desse ambiente de fama e exposição, a autora trabalha questões como o que estaríamos dispostos a fazer para conseguir algo, como nossos valores podem mudar diante de determinadas situações ou quem são as pessoas que realmente se importam conosco.

O desfecho foi bem como eu imaginava. Com todos elementos bem dosados, ficamos felizes ao ver como tudo chegou ao fim.

Gostaria de destacar a parte física do livro. A Globo Alt caprichou na diagramação e na capa. Com cores vibrantes e vários elementos da história. Lindo de se ver

site: http://www.livroterapias.com/2017/08/resenha-na-minha-onda-de-laura-conrado.html
comentários(0)comente



Apaixonadas por 04/10/2017

Resenha da Rami - Na Minha Onda
Como tom bom brasileiro, a gente ama uma cultura baiana e não consegue se controlar quando toca aquele axé dos bons… Pois é, Na Minha Onda se passa na Bahia e nossa protagonista não é nada menos que uma cantora de axé… completamente esquecida.

Completamente pode ser exagero (aprendi algumas coisinhas com Vitória Prata), mas que ela anda com sua carreira no mais profundo oceano, fazendo jus a água toda em seu mapa astral, ela está devendo, sem perspectivas futuras e voltando a morar com os pais, a ex-cantora de axé da dupla As Elétricas, volta pra Bahia tendo sempre o mar como um lugar em que busca paz. É quando surge a ex-parceira da dupla e seu agente, Lucas, numa proposta que poderá tirar nossa tão acostumada ao segundo lugar, como o sobrenome, e trazer de volta aos holofotes.

Vitória tem mais problemas dentro da cabeça dela, na sua vida e esperando sempre estar em segundo lugar, que tudo que ocorre ao seu redor ela já espera pelo pior. É assim na amizade com Carol Laine, é assim com seu amor de sempre, Lucas, primo de Carol Laine e as inspirações para as canções de amor que embalaram a carreira da dupla.

Aceitando a proposta de se juntar ao reality show sobre o dia a dia de Carol Laine, Vitória precisará mostrar o lado bom, o lado que os telespectadores querem ver, o lado feliz, sem problemas e quando tem, disfarçar e sair por cima… Mas a vida real não é assim e Vitória precisa saber lidar com tudo isso, seu passado e presente, para poder ter um futuro que faça jus ao primeiro nome.

Na Minha Onda é uma jornada de autodescoberta quando tudo que você conhece é o segundo lugar e as derrotas, mas é nessa jornada de autoconhecimento que vai vivendo cada dia buscando não só um futuro melhor, mas um presente digno de se alegrar com qualquer bobagem.

Seria tudo ótimo se não acontecesse uma coisa: EGO. Uma criatura que ameaça as elétricas as chantageando e tentando revelar aquele pior lado escondido ao máximo do público.

Eu amei a Vitória, apesar de suas paranoias, é justificável quase tudo que ela fez… Exceto seu achismo de quem é EGO. Por medo de tudo dar errado, ela foi tirando suas próprias conclusões e causou um certo estrago, mas aquele clichê de que o amor resolve tudo vale aqui também. E amor aqui é de mãe, pai, irmãos, amigos, namorado… Porque a gente vive rodeada é de amor dessas pessoas que irritam, mas ainda assim faz valer a pena essa jornada chamada vida…

E vida na terrinha que inspirou milhares. E pra quem não conhece muito de Bahia (não é meu caso que fui criada com baianos da gema, mesmo aqui na terrinha da garoa) o que não falta é citações de escritores, compositores, artistas e informações sobre a cultura do povo do oxente!

E se eu fosse você, eu ia ler sobre Vitória Prata e a onda de azar dela, meu rei, porque é Barril!

site: http://www.apaixonadasporlivros.com.br/resenha-da-rami-na-minha-onda-de-laura-conrado/
comentários(0)comente



25 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR