Batman - Vitória Sombria

Batman - Vitória Sombria Jeph Loeb




Resenhas - Batman - Vitória Sombria


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Laís 19/07/2012

Publicada em uma minissérie de sete partes em 1999, Batman: Vitória Sombria (Batman: Dark Victory) é mais um trabalho da dupla Jeph Loeb, roteirista, e Tim Sale, desenhista. É essencialmente uma continuação da trama iniciada na obra O Longo Dia Das Bruxas, mostrando sobretudo as consequências dos eventos acontecidos nela.

Alguns meses após a suposta captura do serial-killer Feriado, novos e misteriosos assassinatos começam a acontecer, tendo como vítimas por enforcamento membros da força policial que em algum momento já estiveram envolvidos com o ex-promotor Harvey Dent. Ao mesmo tempo, as famílias mafiosas de Gotham intensificam suas disputas e Sofia 'Gigante' Falcone se engaja em uma cruzada em busca de vingança.

Batman, por mais que tente esconder, encontra-se com o psicológico muito abalado. Ele acredita que se houvesse confiado seu segredo a Dent, talvez pudesse ter evitado que ele se tornasse um vilão já que saberia que tem um aliado em quem confiar. A culpa lhe pesa muito, e cada vez mais ele se afasta de sua persona Bruce Wayne e das pessoas importantes em sua vida, como Jim Gordon e Selina Kyle.

Mas o principal ponto da história é mostrar a origem de Robin, Dick Grayson. Após ver os pais morrerem em um 'acidente' forjado durante uma apresentação no Circo Haly, o pequeno acrobata é adotado por Bruce, que se indentificou por ter vivenciado trauma semelhante. Enraivecido pela dor da perda, o garoto decide ir atrás do homem que ele acredita ter sido responsável pela morte de sua família, mas apesar de ser um excelente acrobata, sua inexperiência em combate quase lhe custou a vida. Batman então, compreendendo melhor do que ninguém o desejo do garoto de encontrar o assassino, decide treiná-lo para evitar que corra riscos desnecessários. E mais importante ainda: revela sua verdadeira identidade. Ciente do que o ódio e vingança são capazes de fazer com alguém, o Homem-Morcego vê em Dick a chance de, em suas próprias palavras, "ajudá-lo a lidar com sua perda...e guiá-lo para que se torne um homem melhor".

A arte de Sale mais uma vez adequa-se perfeitamente ao clima proposto pelo enredo e aproveito para destacar o brilhantismo de composição na edição #5 - Órfãos, na qual vemos em certo ponto um paralelo muito bem bolado entre Dick e um flashback de Bruce, ambos ainda abalados pela morte de seus entes queridos. Embora essa obra não tenha atingido o nível de excelência de O Longo Dia Das Bruxas, talvez até mesmo pelo fato de depender desta leitura anterior, ainda assim é uma história essencial para fãs de Batman e quadrinhos em geral.

http://blasterlizard.blogspot.com.br/2012/07/analise-batman-vitoria-sombria.html
Jéssica Marise 21/10/2012minha estante
Melhor sinopse que achei por aí! Já coloquei na lista de compras! @___@


Lasch 10/04/2013minha estante
Agora eu sei porque não se acha Vitória Sombria para trocar aqui no Skoob. Porque quem lê, não consegue se desfazer. Eu, que amo Batman, acho essa graphic novel um dos pontos mais altos da carreira do morcegão. Ótimo! E ótima resenha, Laís!




Carlão 04/03/2019

"O amor por um pai pode ser algo terrível..."
Ficha técnica:

Roteiro: Jeph Loeb
Arte: Tim sale
Cores: Gregory Wright
Publicado em: agosto de 2012
Editora: Panini
Licenciador: DC Comics
Categoria: Álbum de Luxo
Gênero: Super-heróis
Status: Edição única
Número de páginas: 396
Formato: (19 x 28 cm)
Colorido/Capa dura
Preço de capa: R$ 96,00

Sinopse/Análise

Sendo uma continuação espiritual dos eventos que ocorreram na história "O longo dia das bruxas", da mesma equipe criativa, temos aqui as consequências geradas por esta, como a tentativa de restituição da família Falcone, as maiores aberrações de Gotham juntos por conta de um plano diabólico, a volta de um serial killer que comete seus crimes em feriados e um garoto de circo que prova da crueldade do mundo muito cedo, tudo isso entrelaçado em um conto sombrio e detetivesco.

Elogiar a dupla Tim Sale e Jeph Loeb é chover no molhado, a dupla ganhadora do prêmio Eisner por inúmeros trabalhos nos presenteia com um conto sombrio de investigação e mistério, obrigando o leitor a deduzir (e na maioria das vezes errar) sobre quem é o assassino.

Porém não é só sobre assassinatos que se trata essa história, os problemas pessoais de Gordon, o trauma constante do Batman, o aprofundamento e deterioração da personalidade e insanidade do ex promotor Harvey Dent agora conhecido como o vilão Duas Caras, a guerra entre as famílias mafiosas de Gotham City, a origem do Robin Dick Grayson e os dilemas da mulher gato, tudo isso é contado e amarrado de uma forma orgânica e genial.

A leitura é dinâmica, o mistério é efetivo, os personagens (salvo engano alguns) são muito bem explorados e colocados na trama e todos contribuem e estão ligados de alguma maneira a ela, o que torna esse conto na minha opinião mais um clássico do homem morcego.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Usagi Shin 18/10/2015

A must in you Batman collection
Vitoria Sombria vem logo depois de "O Longo Dia das Bruxas". O arco ainda conta com o spin-off Mulher Gato: Em Roma. Vitória Sombria é um quadrinho sombrio, muito bem desenhado e tão intricado como seu antecessor. Mais uma vez vemos Batman e Gordon se juntando contra um vilão que mata em feriados, a guerra da máfia (mais contida desde os acontecimentos de o Longo Dia das Bruxas), uma fuga em massa de Arkham é muito mistério. Além disso, essa história é mega interessante pois traz uma releitura da história do primeiro Robin, Dick Grayson, inclusIve sobre a morte dos seus pais; mais sobre Harvey Dent e mais sobre o passado da Mulher Gato. A história é imprevisível como sempre, brilhante e envolvente. Muito foda!
comentários(0)comente



wolv_logan_x 28/05/2014

A Gênese da Dupla Dinâmica
Vitória Sombria [...] foi a segunda grande contribuição que Loeb e Sale deram à mitologia do Batman. Se O Longo Dia das Bruxas funcionou como uma sequência e complementação de Batman Ano Um, detalhando ainda mais os primeiros dias de Bruce Wayne como o vigilante de Gotham; Vitória Sombria concentra-se numa fase turbulenta do submundo criminoso da cidade, em que o poder dos mafiosos começou a diminuir, e as “aberrações”, representadas por criminosos como o Pinguim, o Coringa, o Espantalho, o Sr. Frio, a Hera Venenosa e o Duas Caras, se aproveitaram da fraqueza dos primeiros para derrubarem o que restou da máfia de Gotham [...].

Semelhante ao que ocorreu em O Longo Dia das Bruxas, o Duas Caras recebe uma atenção maior de Loeb, que explora muito bem a ambiguidade e complexidade do personagem. O autor evidencia o senso de justiça e moral distorcidos do vilão, que à sua maneira procura cumprir a missão de punir os criminosos de Gotham, iniciada antes de ter sua face deformada em O Longo Dia das Bruxas.

Interessante também observar que o Duas Caras e seus aliados escondem-se nos esgotos de Gotham, o que funciona como uma metáfora para o fato de que a presença deles na cidade está, aos poucos, abalando seus alicerces. E também de que todos eles são personificações de distúrbios mentais surgidos de manifestações não-sublimadas de desejos perversos provenientes do inconsciente - o "subterrâneo" da psique humana - algo que os principais vilões do Batman sempre foram.

Outro episódio emblemático da história do Batman, que Loeb procurou explorar com mais profundidade, é a estréia de Robin como parceiro do herói.

[...]

Loeb e Sale encontraram uma maneira bem elegante de traçar um paralelo entre as tragédias de Bruce e Dick, através de flashbacks de Alfred, que são apresentados com falas e enquadramentos quase idênticos, a fim de salientar as semelhanças entre o drama vivido pelos dois em idades muito próximas.

Outra boa sacada de Loeb foi ligar o assassinato dos Grayson com o crime que deformou o rosto de Harvey Dent, tornando tanto o Robin como o Duas Caras faces opostas de um mesmo “fenômeno psicológico” gerado pela atuação da máfia em Gotham. Algo que começou há mais de uma década atrás, quando o assassinato dos Wayne plantou na mente de Bruce a ideia que evoluiu para a criação do Batman, tornando ele, Robin e Duas Caras respostas distintas de Gotham City para as injustiças e a corrupção que se alastraram por suas ruas, graças aos mafiosos. Podemos dizer que os três fazem parte do "sistema imunológico" da cidade.

Também há um cuidado de Loeb em apresentar sua interpretação psicológica da relação de Batman com Robin, algo que Tim Sale antecipa na introdução que escreveu para o encadernado. Para o autor, Batman e Robin representam o adulto e a criança que vivem em todos nós. O Batman precisa de um Robin porque o menino, para o herói, personifica a esperança de uma vida melhor para outra vítima de uma tragédia parecida com a dele. Dick foi a chance que Bruce ganhou de compensar a infância que perdeu quando os Wayne foram assassinados. Tanto é que, se pegarmos as primeiras histórias protagonizadas pela dupla na década de '40, encontraremos um Batman mais sorridente e bem humorado ao lado de seu extrovertido parceiro mirim. Contando com um menino como seu aliado ele pôde ressuscitar a criança que simbolicamente enterrou há mais de uma década atrás, quando sepultou seus pais.

Mesmo tendo uma estrutura muito similar à de O Longo Dia das Bruxas, a trama de Vitória Sombria é bem conduzida por Loeb.

[...]

Sob o ponto de vista técnico, [o autor] soube usar muito bem os recordatórios, todos narrados pelo Batman, que divide com o leitor dados sobre Gotham City, curiosidades sobre as vidas de seus cidadãos - sejam eles criminosos ou aliados - e pequenos fatos sobre sua vida pessoal antes de tornar-se o Cavaleiro das Trevas. Tudo isto contribui para dar mais vida a Gotham e seus habitantes, ao criar uma relação de familiaridade com o leitor, que passa a acreditar na existência daquelas pessoas durante a leitura. É um tratamento quase documental, e também uma forma sutil de mostrar quão profundamente o herói conhece Gotham.

[...]

E a arte de Tim Sale é muito expressiva. Seus desenhos trafegam entre o gótico e o noir, e conferem muita personalidade às dezenas de personagens que participam da história, devido ao visual muito estilizado e caricato de seus traços. Suas páginas oscilam entre quadros sombrios e claustrofóbicos e panorâmicas “arejadas”, que fazem de Sale um ótimo criador de ambientação. O leitor consegue facilmente sentir-se imerso nos cenários que ele desenha. Além disto, Sale é um mestre no uso de luz e sombras, estando no mesmo patamar de artistas como Mike Mignola e Frank Miller [...]

[...]

Vitória Sombria faz parte de uma lista de quadrinhos protagonizados pelo Batman que servem como uma excelente introdução ao personagem. Ao lado de Batman Ano Um, Batman Xamã e O Longo Dia das Bruxas, ela investiga as motivações, e explora o amadurecimento do herói, assim como de seus aliados, inimigos, e de Gotham City. Se tiver a chance de ter em mãos todas estas obras, compensa lê-las na sequência, pois se complementam admiravelmente bem.

site: http://nerdgeekfeelings.wordpress.com/2014/05/23/quadrinhos-batman-vitoria-sombria-a-genese-da-dupla-dinamica/
comentários(0)comente



Paulo Eduardo 13/10/2015

Durante muito tempo namorei a edição de luxo de Vitória Sombria. De tanto enrolar, quando fui atrás do material, este já se encontrava esgotado! Por sorte, a Panini não demorou muito pra republicar também este material depois de O Longo Dia das Bruxas voltar a circular pelas Comic Shop do país.
A primeira coisa a ser dita sobre Vitória Sombria é de que se trata de uma "continuação" de O Longo Dia das Bruxas, uma história já clássica do Batman. Apesar de ter uma trama própria que pode ser de certa forma lida independentemente de você ter ou não lido a obra anterior da dupla Jeph/Loeb, Vitória Sombria faz referência a este arco do início ao fim, além de tudo que permeia a trama ter tido início da supracitada história.
Dito isso, Vitória Sombria segue a mesma premissa de o O Longo Dia das Bruxas: trata-se de um romance policial protagonizado pelo Batman e os policiais de Gotham. Repetindo o que já havia sido feito anteriormente, o roteiro nos brinda também com outros plots secundários muito interessantes, como, por exemplo, a ascensão do Duas-Caras como novo chefão do crime em Gotham, a relação entre as diferentes frentes do crime organizado de Gotham, e a difícil posição sustententada por Gordon como o novo comissário da polícia. Fora a envolvente caçada ao novo assassino Feriado, tudo permeado a um incrível clima "noir". Essa combinação me fez engolir as quase 400 páginas do encadernado em poucos dias. Ah, e não posso deixar de mencionar que Vitória Sombria introduz o primeiro Robin de forma incrível. Além de abordar o tema de forma extremamente sensível, Loeb torna a presença do ajudante mirim do Batman muito mais crível, inclusive justificando a mudança de postura do antes soturno e solitário Batman.
Enfim, se você já tinha curtido O Longo Dia das Bruxas, vai gostar ainda mais de Vitória Sombria, que possui, inclusive, um final fechado, diferente de seu predecessor, além de fechar várias pontas que haviam ficado soltas, como as motivações da Mulher-Gato. Junto com Ano Um e Longo Dia das Bruxas, Vitória Sombria fecha o que pra mim é a "trilogia" perfeita para iniciar qualquer um ao universo do homem-morcego.
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6